Iniciativas que Fazem a Diferença

Download Iniciativas que Fazem a Diferença

Post on 24-Jul-2016

215 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Saiba quem so os finalistas e os vencedores do 5 Prmio Fecomercio de Sustentatbilidade

TRANSCRIPT

<ul><li><p>finalistas | qual categoria | 1 &amp; 1</p><p>5</p><p>iniciativas QUE FAZEM A DIFERENA</p><p>Saiba quem so os finalistas e os vencedores do 5 Prmio Fecomercio de Sustentabilidade</p></li><li><p>5 prmio fecomercio-sp de sustentabilidade finalistas | qual categoria | 2 &amp; 3</p></li><li><p>finalistas | qual categoria | 2 &amp; 3</p><p>5</p><p>iniciativas QUE FAZEM A DIFERENA</p><p>Saiba quem so os finalistas e os vencedores do 5 Prmio Fecomercio de Sustentabilidade</p></li><li><p>finalistas | qual categoria | 4 &amp; 5</p></li><li><p>finalistas | qual categoria | 4 &amp; 5</p><p>AbrAm SzAjmAnPresidente da Federao do Comrcio de Bens, Servios e Turismo do Estado de So Paulo (FecomercioSP), entidade gestora do Sesc-SP e do Senac-SP</p><p>no ano em que completou 70 anos, em 2008, a Federao do Comrcio de Bens, Servios e Turismo do Estado de So Paulo (FecomercioSP) instituiu o Prmio Fe-comercio de Sustentabilidade. frente da iniciativa, desde aquela poca, est o professor Jos Goldemberg, ex-secretrio de Meio Ambiente do Estado de So Paulo e presidente do Conselho de Sustentabilidade da FecomercioSP. O profes-sor Goldemberg uma das maiores autoridades do mundo na rea e lidera a co-misso que seleciona os projetos que sero premiados, juntamente com outros especialistas e a coordenadoria tcnica da prestigiada Fundao Dom Cabral.</p><p>Em 2008, temas como sustentabilidade e preservao do meio ambiente ain-da no sensibilizavam os brasileiros e os governos estaduais e federal. A econo-mia brasileira ia de vento em popa, milhes de pessoas passaram a ter acesso ao consumo, e o governo incentivava as compras de automveis e eletroeletrnicos.</p><p>Hoje a situao completamente diferente. Alm de haver uma reverso nas expectativas econmicas atuais, vivemos uma crise hdrica que j perdura por quase trs anos e poucos duvidam que isso seja reflexo das mudanas clim-ticas ocasionadas pela emisso de gases de efeito estufa e da degradao do meio ambiente, no somente no Brasil, mas no mundo todo. Estamos apren-dendo a ser sustentveis na prtica, deixando de lavar o carro na rua, tirando os aparelhos eletrnicos das tomadas, tomando banhos mais curtos e adotando outras iniciativas simples, mas que, somadas, fazem uma enorme diferena.</p><p>A FecomercioSP uma entidade cuja trajetria sempre foi marcada por um pa-pel ativo nos cenrios econmico e social. Por isso, temos a obrigao de apoiar ini-ciativas inovadoras que propiciem a construo de um futuro mais sustentvel.</p><p>Nas prximas pginas, o leitor ir conhecer detalhes de projetos inspirado-res, finalistas da 5 edio do Prmio Fecomercio de Sustentabilidade, todos de enorme valor para as comunidades em que esto inseridos e que podero ser replicados por todo o Pas. Reconhecer essas iniciativas e divulg-las a nossa principal misso.</p><p>Projetos Para um mundo melhor obrigao apoiar iniciativas inovadoras que </p><p>propiciem a construo de um futuro mais sustentvel</p></li><li><p>finalistas | qual categoria | 6 &amp; 7</p></li><li><p>finalistas | qual categoria | 6 &amp; 7</p><p>um olhar para o futuro</p><p>Prmio mantm cultura de inovao</p><p>banca julgadora</p><p>comit de premiao</p><p>microempresa</p><p>pequena e mdia empresa</p><p>grande empresa</p><p>indstria</p><p>entidade empresarial</p><p>rgo pblico</p><p>professor</p><p>estudante</p><p>reportagem impressa</p><p>reportagem rdio/tv</p><p>reportagem online</p><p>08</p><p>10</p><p>12</p><p>14</p><p>18</p><p>22</p><p>26</p><p>30</p><p>34</p><p>38</p><p>42</p><p>46</p><p>50</p><p>54</p><p>58</p></li><li><p>5 prmio fecomercio-sp de sustentabilidade</p><p>H esforos de empresas, rgos pblicos, professores, estudantes e formadores de opinio </p><p>em busca de solues para o meio ambiente</p><p>um olhar Para o futuro</p></li><li><p>um olhar para o futuro | 8 &amp; 9</p><p>esta publicao tem como objetivo mostrar a real capacidade empreendedora de um pas que ainda est muito longe de exaurir seus recursos naturais e suas fontes renovveis de energia. Ao contrrio, revela-se capaz de inovar sua postura diante de um mercado transformador e vido por aes sustentveis que garan-tam a sua constante evoluo em harmonia com o crescimento da sociedade. </p><p>Existem muitos exemplos de pessoas, empresas e entidades que viram na prtica da sustentabilidade solues rentveis e, ao mesmo tempo, socialmente justas e ecologicamente corretas. Frequentemente so ideias simples, porm, com grande magnitude. Aes, hoje pouco conhecidas, mas que podem ser as alter-nativas de que tanto precisamos a fim de contribuir para o que talvez seja consi-derada, atualmente, a maior misso do homem: manter sua riqueza ambiental.</p><p>Sob essa perspectiva, idealizamos, em 2008, o Prmio Fecomercio de Sus-tentabilidade. A iniciativa nos mostrou, ao longo de cinco edies, o quanto possvel (e vivel) a aplicao de medidas que fazem toda a diferena na for-mao de uma cultura mais consciente e voltada aos valores que devem per-mear as relaes humanas.</p><p>Desde que o Prmio foi lanado, o interesse por ele cresceu expressivamen-te, a comear pelo volume de inscries. Naquele ano, participaram apenas 26 instituies e uma entidade empresarial, do Estado de So Paulo, o que signi-ficou um bom resultado, j que se tratava da primeira edio. Em 2015, foram recebidos 249 projetos de vrias regies do Pas. </p><p>A melhora na qualidade dos trabalhos tambm foi observada durante esse perodo. Mas, independentemente de terem ou no chegado etapa final, os participantes foram agentes empreendedores que ousaram ao dar esse primei-ro passo e demonstrar seu interesse pelo problema central: o desenvolvimento sustentvel. Alguns candidatos, que no foram premiados nas primeiras edies do Prmio, apresentaram novos projetos e propostas aperfeioadas.</p><p>Essa persistncia de tantos agentes em busca de inovao para a susten-tabilidade estimulante e revigorante para os que esto nessa empreitada. Observamos um esforo conjunto de empresas, rgos pblicos, professores, estudantes e formadores de opinio em busca de transformaes que nos tra-gam resultados tangveis. Atitudes que precisam ser levadas ao mercado e co-locadas em prtica na cadeia de negcios. </p><p>Fabricao de produtos com componentes biodegradveis, utilizao de lixo como fonte energtica, solues para a mobilidade urbana, reso de mate-riais reciclveis, essas e outras iniciativas socioambientais, aqui descritas, de-vem servir como referncia e inspirao para novas ideias e, assim, novos em- preendimentos na rea de sustentabilidade. </p><p>No nos deixemos seguir pelo mesmo destino da Ilha de Pscoa, na Costa Chilena. H sculos, a ilha abrigava uma populao em torno de 30 mil pes-soas. A civilizao desapareceu completamente aps as florestas serem des- trudas e, em razo do empobrecimento da terra, a agricultura tornou-se in-capaz de produzir alimentos em quantidade suficiente para suprir as neces-sidades daquele povo. Da antiga civilizao, s restaram gigantescas esttuas (os moais), algumas pesando 50 toneladas e medindo sete metros de altura.</p><p>Ainda estamos longe de uma evoluo cataclsmica como essa. Ainda temos a oportunidade de inovar e de extrair do meio ambiente seus recursos e mant-lo em equilbrio saudvel, garantindo, assim, a continuidade do desenvolvimento. Mas as futuras geraes esperam de ns o que h sculos a populao da Ilha de Pscoa tambm teria esperado de seus ancestrais. Um olhar para o futuro!</p><p>joS GoldemberGProfessor e presidente do Conselho de Sustentabilidade da FecomercioSP</p></li><li><p>5 prmio fecomercio-sp de sustentabilidade</p><p>Prmio mantm cultura de inovao</p></li><li><p>prmio mantm cultura de inovao | 10 &amp; 11</p><p>benedito nuneS roSA e Cludio bruzzi boeChAtProfessores da Fundao Dom Cabral</p><p>o prmio fecomercio de sustentabilidade chega sua quinta edio e rene um acervo de trabalhos importantes, que versa sobre o tema da sustentabili-dade orientada para as atividades do varejo e sua cadeia de valor. Ao levar em conta as edies anteriores, neste ano foi alcanada a marca acumulada de 986 trabalhos analisados, 118 finalistas e 37 vencedores em suas respectivas categorias, com ampla divulgao em todo o territrio nacional.</p><p>Alm de se consolidar como referncia nacional, a edio deste ano trouxe trs grandes novidades: </p><p>1. A produo de uma sntese de todos os trabalhos finalistas das edies an-teriores e a incluso no site do Prmio (http://sustentabilidade.fecomercio.com.br/) para consulta dos interessados, como forma de inovar a socializao do conhecimento; 2. O desenvolvimento de uma plataforma web para avaliao dos trabalhos; 3. A formao de um time de 56 profissionais de mercado e das academias para integrar a Banca Julgadora do Prmio, todos habilitados por videoconfe-rncia para se apropriarem dos procedimentos da plataforma e demais recur-sos disponveis para a avaliao, como o regulamento do Prmio e o manual do julgador.</p><p>A Banca Julgadora avaliou e escolheu 33 finalistas, em 11 subcategorias. Concludo esse processo, o Comit de Premiao apresentou suas avalies e definiu os 11 vencedores, que receberam seus prmios em concorrido evento, especialmente promovido pela FecomercioSP para essa finalidade.</p><p>Mais uma vez, a exemplo do que ocorreu nas edies anteriores, os traba-lhos trouxeram elementos significativos de progresso, entre eles os princpios da simplicidade, da utilidade e da multiplicao. Os projetos apresentados tm, em sua constituio, elementos que podem permitir a sua replicao por outros interessados. Podemos tambm considerar esse fator como indicador de maturidade do Prmio na medida em que a sociedade tambm avana em aspectos importantes da sustentabilidade, a ponto de apresentar casos prti-cos e no apenas propostas ainda em elaborao. </p><p> perceptvel a evoluo do entendimento das organizaes (pblicas, pri-vadas ou acadmicas) sobre a urgncia e a importncia do investimento nas mltiplas dimenses da sustentabilidade, de forma a garantir um processo de estabilidade dos seus principais vetores, somar esforos com outras prticas nacionais e mundiais, e resgatar uma das principais recomendaes nascidas na Rio + 20, em 2012: agir com base no local, no territrio, pensar simples e adotar posturas que na aparncia da sua simplicidade guardam viabilidade de execuo e resultados prticos pela soma dos pequenos esforos. </p><p>Alm de grandes movimentos coletivos, sujeitos a interesses polticos que muitas vezes vo atrasar ou estancar o avano, devemos mobilizar nossos es-foros pessoais e buscar, como sociedade organizada, as solues que precisa-mos para satisfazer as exigncias de sustentabilidade, que podero garantir um futuro melhor para ns e para as futuras geraes.</p></li><li><p>5 prmio fecomercio-sp de sustentabilidade</p><p>O Comit Organizador do Prmio Fecomercio de Sustentabilidade agradece a valiosa colaborao dos 56 julgadores </p><p>que participaram desta edio. Eles foram os responsveis pela escolha dos 33 trabalhos finalistas, em 11 subcategorias. </p><p>Conhea o jri de especialistas e as subcategorias de que participaram</p><p>Banca julgadora</p></li><li><p>banca julgadora | 12 &amp; 13</p><p>AfonSo otvio Cozzi Professor</p><p>AnA eliSA oliveirAJornalismo OnlineJornalismo Rdio /TV</p><p>AnA frAnCoGrande Empresa</p><p>AnderSon de SouzAProfessor</p><p>Armindo doS SAntoS teodSiorgo Pblico</p><p>Arthur CoStAIndstria</p><p>SSimA mAriA ferreirAProfessor</p><p>beAt GrueninGerGrande Empresa</p><p>brener SeixASPequena e Mdia Empresa</p><p>CASSiA broSqueGrande Empresa</p><p>CintiA nolASCo mAGnoJornalismo Impresso</p><p>Cludio bruzzi boeChAtrgo Pblico</p><p>CriStinA AbrAnCheSMicroempresa</p><p>CriStinA fedAto Pequena e Mdia Empresa</p><p>CynthiA molinAEntidade/Sindicato</p><p>CyntiA WAtAnAbe roSAEstudante</p><p>dAnielle rAmAlho SoAreSJornalismo Impresso</p><p>dorA AmidemEstudante</p><p>eduArdo mAuro fernAndeS de bArroSJornalismo Impresso</p><p>elizAbeth bArbieriEntidade/Sindicato</p><p>henrique de AlmeidAPequena e Mdia Empresa</p><p>ivAni beCkerEstudante</p><p>joo henrique buenoEstudante</p><p>joel GAdelhAIndstria</p><p>joS roberto CoSmoIndstria</p><p>joSefA GArzilloMicroempresa</p><p>juArez CAmpoSGrande Empresa</p><p>juliA pAdovezi mirAndAEntidade</p><p>joS roberto CoSmoIndstria</p><p>juArez CAmpoSGrande Empresa</p><p>leonArdo Coelho Entidade/Sindicato</p><p>lGiA pimentAMicroempresa</p><p>liliAne lAnA liberAtoPequena e Mdia Empresa</p><p>luCiAnA de CAStro brumJornalismo Impresso</p><p>luCiAnA StoCCo betiolProfessor</p><p>luiz CArloS ferreirA de CArvAlhoProfessor</p><p>luiz mArCio hAddAd SAntoSGrande Empresa</p><p>mArCiA bellottiPequena e Mdia Empresa</p><p>mAriA tereSA GoulArt pArAdiSMicroempresa</p><p>mAriAnA CoelhoJornalismo ImpressoJornalismo OnlineJornalismo Rdio/TV</p><p>mAriAnne von lAChmAnnEntidade/Sindicato</p><p>mArliA CArneiro Microempresa</p><p>mrio CeSAr rAliSePequena e Mdia Empresa</p><p>mArtA demAttoSPequena e Mdia Empresa</p><p>mAurCio bornMicroempresa</p><p>pAulo AnGelo CArvAlho de SouzAPequena e Mdia Empresa</p><p>pAulo renAto de SouzAProfessor</p><p>pAulo vodiAnitSkAMicroempresa</p><p>petrinA teixeirA SAntoSMicroempresa</p><p>rAfAel AuGuSto oliveirA telloEstudante</p><p>reGi mAGAlheSGrande Empresa</p><p>ritA de CSSiA fontAnezJornalismo OnlineJornalismo Rdio/TV</p><p>robSon meloPequena e Mdia Empresa</p><p>roSeAne brAGAMicroempresa</p><p>SAmir ltfi vAzEstudante</p><p>Will monteneGroJornalismo Impresso</p></li><li><p>5 prmio fecomercio-sp de sustentabilidade</p><p>Aps a Banca Julgadora avaliar todos os trabalhos inscritos, os 33 finalistas foram submetidos avaliao do Comit de Premiao, que, aps anlise dos projetos, definiu os vencedores em cada subcategoria. </p><p>Esse comit formado por especialistas, reconhecidos pela luta em favor da disseminao de prticas sustentveis na sociedade</p><p>comit de Premiao</p></li><li><p>comit de premiao | 14 &amp; 15</p><p>joS GoldemberGPresidente do Conselho de Sustentabilidade da FecomercioSP. Doutor em Cincias Fsicas, foi presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Cincia; presi-dente da Companhia Energtica de So Paulo (Cesp); reitor da Universidade de So Paulo (USP); secretrio de Cincia e Tecnologia; secretrio do Meio Ambiente da Presidncia da Repblica; ministro de Estado da Educao do governo federal; e secretrio de Meio Ambiente do Estado de So Paulo. Em 2008, recebeu os pr-mios Blue Planet Prize, da Asahi Glass Foundation (Japo); em 2010, o Trieste Scien-ce Prize, da Academia de Cincias do Terceiro Mundo; e em 2013, o Prmio Zayed de Energia do Futuro (Zayed Future Energy Prize) na categoria Life Achievement.</p><p>ftimA CriStinA CArdoSo Country manager da Fundao Solidaridad no Brasil, responsvel pela atua-o da organizao no Pas. A Fundao Solidaridad, de origem holandesa, atua no desenvolvimento de cadeias de produo sustentveis em 55 pases. Jornalista com mestrado em Cincia Ambiental, especialista em gesto so-cioambiental, desenvolvimento rural e responsabilidade social corporativa. Possui extensa carreira na mdia brasileira, foi reprter e editora no jornal Folha de S.Paulo e no Grupo Estado. pesquisadora do Ncleo de Economia So-cioambiental da Universidade de So Paulo (USP).</p><p>emerSon kApAzFoi um dos fundadores e presidente da Abrinq e da Fundao Abrinq, criada para defender os direitos da criana e do adolescente. Secretrio de Cincia, Tec-nologia e Desenvolvimento Econmico de So Paulo de 1994 at 1998, e deputa-do federal em 1998, quando criou e foi relator da nova Lei das Sociedades Anni-mas e da Poltica Nacional de Resduos Slidos (PNRS). Foi presidente-executivo do Instituto Brasileiro de tica Concorrncial (ETCO) e diretor-executivo do IDV Instituto para o Desenvolvimento do Varejo. Scio e presidente do Conselho de Administrao da Elka, empresa do ramo de brinquedos, criou e dirige a Alek Consultoria Empresarial que aconselha CEOs de empresas nacionais e multina-cionais. head of public affairs da Kreab, empresa de comunicao com sede em Estocolmo e escritrios em vrias partes do mundo, inclusive no Brasil.</p><p>CriStiAnA pereirADiretora Comercial e de Desenvolvimento de Empresas da BM&amp;F Bovespa. Nesta f...</p></li></ul>