informativo - outubro 2012

Download Informativo - Outubro 2012

Post on 09-Mar-2016

213 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Informe da Agersa

TRANSCRIPT

  • O saneamento tem entrado no

    discurso dos gestores munici-

    pais como nmeros mas, no

    com apenas nmeros iremos

    tirar as obras do papel. neces-

    srio mais do que nmeros,

    necessrio incluso social.

    Seria muito simples chegarmos

    aqui e apresentar os nmeros

    investidos em saneamento no

    nosso municpio, ou seja, Cacho-

    eiro investiu atravs de sua

    c o n c e s s i o n r i a R $

    150.000.000,00 em melhorias

    do sistema e no quero dizer

    que no sejam importantes,

    mas a reflexo que queremos

    deixar qual o significado des-

    ses investimentos para o con-

    junto da sociedade. Como obser-

    vamos ao longo desses anos, o

    Estado e porque no dizer a

    Sociedade, tem uma divida

    social com os mais pobres,

    quando falamos de servios

    pblicos essenciais, em especial

    a oferta de gua tratada e esgo-

    tamento sanitrio, por isso acre-

    dito que o desafio no to

    somente alocar recursos para

    aumentar as linhas de gua e

    esgoto, ou fazer novas ETEs ou ETAS, acredito que o desafio sim INCLUIR essas pessoas no

    seio da sociedade, fazendo com

    que elas possas se EMANCIPAR,

    dando a elas DIGNIDADE.

    O saneamento um grande

    desafio para qualquer governan-

    te pois requer grandes investi-

    mentos e construo de projetos

    que possam contribuir com a

    sociedade nas suas diferentes

    necessidades. O homem do

    campo tem uma necessidade

    diferenciada do homem do cen-

    tro urbano.

    Recentemente

    foi divulgado

    uma pesquisa

    da Fundao

    Getlio Vargas

    (FGV) em parce-

    ria com a ONG

    TRATA BRASIL e

    que revelou

    diversos efeitos

    positivos advin-

    dos da univer-

    salizao do

    saneamento. A

    pesquisa mostrou que a oferta do

    saneamento reduz em 25% do

    nmero de internaes e 65% da

    mortalidade decorrentes de infec-

    es gastrintestinais. Revelou que

    crianas que tem acesso ao sane-

    amento bsico tem 30% de rendi-

    mento escolar queles que no

    possuem tal oferta.

    Esses nmeros mostram a ne-cessidade urgente da universaliza-

    o e faz um diagnstico positivo

    da sade da sociedade quando

    tem oferta de gua e esgotamento

    sanitrio.

    Levar gua de qualidade, prpria

    para o consumo humano, fazer

    com que a universalizao do

    abastecimento de gua seja uma

    realidade no Brasil, o grande

    desafio do saneamento.

    Ns temos nestes ltimos trs

    anos e meio frente da gesto da

    agncia reguladora, buscado for-

    mas de amenizar essa necessida-

    de, quer seja na rea urbana em

    loteamentos irregulares e sem as

    mnimas condies de habitao,

    quer seja no campo onde o consu-

    mo de gua contaminada com

    coliformes fecais a maior inci-

    dncia de doenas de veiculao

    hdrica.

    Lutamos para que o municpio

    pudesse apresentar seu Plano

    Municipal de Saneamento com

    oferta de gua e esgoto e conse-

    guimos realizar esse desejo da

    sociedade, um processo que foi

    amplamente discutido com esta

    sociedade, com, poder pblico e

    tantos outros atores que direta ou

    indiretamente contriburam com a

    construo das metas apresenta-

    das.

    Levamos para a zona rural uma

    alternativa simples, barata e efici-

    ente em poder ter gua dentro dos

    padres do Ministrio da Sade. O

    projeto FILTRAR j alcanou nme-

    ros significativos com a instalao

    de 100 filtros e construo de 33

    poos artesianos com todo apara-

    to necessrio para funcionamento

    na regio de So Vicente.

    Estamos nos trmites finais para

    assinatura do convnio para libe-

    rao de verbas para instalao

    de mais de 600 conjuntos spti-

    cos em 13 localidade rurais do

    municpio que permitir a retirada

    de dejetos dos crregos, rios e

    mananciais.

    Cachoeiro de Itapemirim tem um

    grande desafio para levar oferta

    de gua potvel e esgotamento

    sanitrios em suas dezenas de

    localidades, um feito anteriormen-

    te abandonado pelos gestores que

    aqui passaram.

    No iremos resolver essa deficin-

    cia querendo construir grandes

    obras e sim, pequenos passos e

    pontuais, dentro de cada necessi-

    dade.

    Com tudo isso, acreditamos que

    no somente possamos ofertar as

    condies mnimas de sobrevivn-

    cia de pessoas mas, acreditamos

    que estamos incluindo essas pes-

    soas e dando a elas dignidade.

    Luiz Carlos de Oliveira Silva

    Diretor Presidente

    Volume 4, Edio 4

    S A N E A M E N T O C O M O I N S T R U M E N T O D E

    I N C L U S O S O C I A L .

    01/10/2012

    N E S T A E D I O :

    1. Frum Ambiental Sanear Incluir

    2

    Concurso Pblico Agersa 2

    Calcule sua conta de gua! 2

    Projeto Filtrar, um sucesso para o homem do campo

    3

    Projeto ETED - Convnio Assinado com Governo do

    3

    AGERSA 13 anos de 4

    Prmio INOVES 2012 4

    INFORMATIVO DA AGNCIA MUNICIPAL DE REGULAO DOS SERVIOS PBLICOS DELEGADOS DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM ES

    Acesse: www.agersa.es.gov.br

  • A Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim em parceria com a

    AGERSA, realizou no dia 22 de maro

    de 2012 (Dia Mundial da gua).

    O evento trouxe a presena do escri-

    tor, professor e telogo Leonardo

    Boff, um dos mais respeitados ambi-

    entalistas do planeta, ttulo reconhe-

    cido com o Prmio Nobel Alternativo,

    em Estocolmo, e do Ex-Ministro do

    Meio Ambiente Dr. Jos Carlos de

    Carvalho, que discutiram a sustenta-

    bilidade ambiental, o desenvolvimen-

    to econmico e a incluso social.

    O evento que aconteceu na Praa

    Jernimo Monteiro, teve a presena

    de diversas autoridades e levou

    grande pblico para ouvir as pales-

    tras por l proferidas que tambm

    teve a presena do secretrio de

    Estado Rodrigo Coelho e represen-

    tantes do SAAE e CESAN.

    O Exmo Sr. Prefeito Municipal Carlos

    Casteglione fez a abertura do evento

    falando dos desafios da universaliza-

    o do saneamento e tambm das

    aes coordenadas pelo municpio e

    agncia reguladora como o projeto

    Filtrar, que leva potabilidade a gua

    consumida na zona rural e tambm

    das expectativas de implantao de

    conjuntos spticos em residncias

    rurais num total de aproximadamen-

    te 600 famlias em 13 comunidades.

    O evento teve um vis da sustentabi-

    lidade e dos compromissos que go-

    vernantes devem ter para garantir

    crescimento econmico focado na

    preservao do meio ambiente.

    comum que essas polticas andem

    de forma separada. Ambientalmente,

    prevalece o discurso preservacionis-

    ta, necessrio, mas muitas vezes

    utpicos. Socialmente, foca-se em

    demasia o assistencialismo. Falta,

    contudo, promover a interface entre

    as polticas sociais e ambientais,

    mostrando aos gestores pblicos e

    privados, bem como populao em

    geral, que ambas devem andar de

    mos dadas. Dessa formam o resul-

    tado ser mais eficaz e nossas cida-

    des sero lugares melhores e mais

    agradveis para viver.

    O saneamento bsico o maior e-

    xemplo dessa vertente de pensamen-

    to, uma vez que coloca no mesmo

    patamar, na relao causa/efeito,

    tanto a questo ambiental quanto a

    social. Da a ideia de se promover

    esse evento que lance luz s princi-

    pais iniciativas.

    A AGERSA realizou no ltimo dia 13 de

    Maio concurso pblico para provimento de

    cargos criados pela Lei 6537 de 04 de

    Agosto de 2011, publicada no DOM em 12

    de Agosto de 2012 onde foi reformulado a

    estrutura organizacional da agncia.

    O objetivo da respectiva lei foi a necessida-

    de de criao de cargos efetivos na agn-

    cia reguladora. A Agersa foi criada em

    1999 e ao longo destes anos no criou seu cargo de servidores efetivos, uma necessi-

    dade bsica ao processo de continuidade

    de suas aes.

    A lei 6537 criou 15 cargos efetivos e 06

    cargos comissionados obedecendo aos

    princpios constitucionais e estar nos

    prximos meses convocando aqueles can-

    didatos que atingiram as mdias necess-

    rias e esto aptos a contratao, que a

    princpio tero que estar passando por um

    curso de capacitao em regulao para

    exerccio da funo de regulador.

    O concurso foi realizado pela empresa

    Resoluta e teve 745 inscritos.

    Os cargos criados para efetivos foram:

    Procurador Jurdico, Analista Econmico,

    Analista Ambiental, Coordenadores de

    Regulao em Saneamento, Transporte,

    Propaganda e Publicidade, Iluminao

    Pblica e Espaos Pblicos, Contador,

    Auxiliar de Servios Pblicos, Auxiliar de

    Servios Administrativos, Auxiliar de Servi-

    Pgina 2

    1 . F R U M A M B I E N T A L D E I N C L U S O D O E S T A D O D O E S P R I T O S A N T O .

    T E M A : S AN EAR INC LU IR

    A G E R S A R E A L I Z A C O N C U R S O P B L I C O .

    Volume 4, Edio 4

    os Operacionais, Auxiliar de Ouvidoria e Moto-

    rista.

    Os cargos em comisso so: Diretor Presidente,

    nomeado pelo chefe do executivo, Ouvidor,

    Diretor Tcnico, Consultor Interno, Assessor

    Executivo. Os cargos de gerncia devero ser

    dirigidos por titular de carreira, devidamen