informativo bancrio 920

Informativo Bancrio 920
Informativo Bancrio 920
Informativo Bancrio 920
Download Informativo Bancrio 920

Post on 24-Jul-2016

216 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Boletim do Sindicato dos Bancários de Santos e Região (4 a 13 de novembro 2015) facebook.com/santosbancarios www.santosbancarios.com.br

TRANSCRIPT

  • Edio 920

    4 a 13 de novembro de 2015

    campanha salarial 2015

    No se oponha ao desconto assistencial, ele fortalece a luta por salrios maiores, pg. 4

    www.santosbancarios.com.brwww.santosbancarios.com.brwww.santosbancarios.com.br

    Veja o resumo das propostas da Fenaban, BB e Caixa

    pgs. 2 e 3

  • 2 3SINDICATO DOS BANCRIOS DE SANTOS E REGIO | FONES: (13) 3202 1670 / 0800 7711920 www.santosbancarios.com.br | santosbancarios@uol.com.brbancrios #semprenaluta!

    rgo Informativo dos Empregados em Estabelecimentos Bancrios de Santos e RegioEndereo: Av. Washington Luis, 140 - Santos/SP | CEP: 11.050-200 | Fone/Fax: (13) 3202 1670Presidente: Ricardo Luiz L. Saraiva - Big | Secretria Geral: Eneida Figueiredo Koury | Secretrio de Imprensa e Comunicao: Fabiano M. Couto Edio: Luiz Gustavo de Mesquita Soares (Mtb 22.959) | Textos: Gustavo Mesquita e Fernando Diegues (Mtb 41.384)Diagramao: Adriano Trindade da Silva (Mtb 60.654) | Fotogra a: Gustavo Mesquita, Fabiano Couto, Adriano Trindade, Djalmir Santos e Fernando Diegues | Impresso: Gr ca Print Mais | Tiragem: 6.000 exemplaresE

    XPEDIENTE CURTA NOSSA PGINA NO FACEBOOK:

    facebook.com/santosbancarios

    2 SINDICATO DOS BANCRIOS DE SANTOS E REGIO | FONES: (13) 3202 1670 / 0800 7711920 bancrios #

    Depois de uma dura greve de 21 dias (a quarta maior da histria da categoria) os bancrios, de bancos privados, da Baixada Santista, em assembleia dia 26 de outubro, aprovaram a proposta da Federao Na-cional dos Bancos Fenaban de reajuste salarial de 10% e 14% nos vales alimentao e refeio.

    Mesmo com a presso exercida pelo gover-no e por bancos privados para reduo de salrio, na mesa de negociao, os bancrios se mantiveram rmes no propsito de evo-luir o ndice negociado. A Fenaban iniciou com mseros 5,5%, quase metade da in ao medida pelo INPC de 9,88%. Os bancrios rejeitaram de imediato e entraram em greve dia 6/10. Na terceira semana do movimento, que crescia dia a dia, em 20/10, a Fenaban veio com a oferta rebaixada de 7,5%, rejei-tada de imediato na mesa.

    Os banqueiros comearam a enrolar e o ob-jetivo de no dar sequer a in ao foi levado adiante com a proposta de 8,75%, tambm rejeitada. O brao de ferro foi at sexta (23) quando oferecem 10%, mas as outras clu-sulas s terminaram de ser negociadas no domingo (25).

    Eles tentaram sufocar a categoria de todas as maneiras, mas ns resistimos contra um ndice menor que a in ao, como infeliz-mente aconteceu com 90% de outras cate-gorias que tiveram reajuste abaixo da in a-o, diz Ricardo Saraiva Big, Presidente do Sindicato dos Bancrios de Santos e Regio.

    A negociao dura tambm garantiu que no haver desconto e sim compensao dos dias, com anistia de 63% dos dias parados para quem faz jornada de seis horas e de 72% dos dias para quem faz oito horas. A compensao, seja para quem fez os 14 dias teis de greve ou menos ser de, no mxi-mo, uma hora por dia, de 4 de novembro at 15 de dezembro de 2015.

    Os funcionrios do Banco do Brasil e em-pregados da Caixa Econmica Federal re-jeitaram as propostas espec cas, porm, seguiram a deciso da maioria das assem-

    bleias (em nvel nacional) e todos voltaram ao trabalho dia 27/10. A greve uni cada e nacional e a maioria dos bancrios aprovou as propostas.

    GREVE garante 10% de reajuste e 14% nos vales

    BB e Caixa rejeitam propostas, mas seguem maioria nacionalmente

    Con ra quanto vem de antecipao da PLR

    Reajuste: 10%.

    Pisos: Reajuste de 10%.- Piso de escriturrio aps 90 dias: R$ 1.976,10- Piso de caixa aps 90 dias: R$ 2.669,45 (que inclui R$ 470,75 de grati cao de caixa e R$ 222,60 de outras verbas de caixa).

    PLR regra bsica: 90% do salrio mais valor xo de R$ 2.021,79, limitado a R$10.845,92. Se o total apurado car abaixo de 5% do lucro lquido, ser utilizado multiplicador at atingir esse percentual ou 2,2 salrios (o que ocorrer

    primeiro), limitado a R$ 23.861,00.

    PLR parcela adicional: 2,2% do lucro lquido distribudos linearmente, limitado a R$ 4.043,58.

    Antecipao da PLR at 10 dias aps assina-tura da Conveno Coletiva: na regra bsica, 54% do salrio mais xo de R$ 1.213,07 limi-tado a R$ 6.507,55. Da parcela adicional, 2,2% do lucro lquido do primeiro semestre, limitado a R$ 2.021,79. O pagamento do restante ser feito at 1 de maro de 2016.

    Reajuste: 10% nos salrios e de 14% nos vales refeio e alimentao. Alm disso, a manu-teno do formato do pagamento semestral da Participao nos Lucros e Resultados (PLR), que corresponde distribuio linear de 4% do lucro lquido entre todos os trabalhadores, alm dos mdulos bnus e Fenaban.

    Jornada: O saldo de horas negativas no trabalhado, correspondente ou superior a uma jornada de trabalho, poder ser compensado com a utilizao de folgas e abonos.

    Valores da PLR

    Reajuste Salarial: A Caixa aplicar reajuste de 10% nos salrios e pisos, mesmo percen-tual de nido na mesa da Fenaban. Assim como, os 14% de reajuste nos vales refeio, alimentao e 13 cesta.

    PLR Regra Fenaban: A PLR composta pela Regra Bsica mais a Parcela Adicional da Fenaban.

    PLR adicional da Caixa: 4% do lucro lquido no exerccio de 2015, distribudo igualmente para todos os empregados elegveis, de acordo com as regras estabelecidas em ACT.

    PLR Parcela Complementar: A Caixa garan-tir no mnimo uma remunerao base a todos os empregados, ainda que a soma da PLR Fenaban e PLR adicional no atinja este limite.

    Antecipao da PLR: 60% do valor total da PLR devida, a ser paga em at 10 dias aps assinatura do ACT.

    15 minutos: suspenso da obrigatoriedade de as mulheres terem de cumprir o intervalo de 15 minutos antes de comear jornada extraor-dinria.

    O ACORDO COLETIVO FOI ASSINADO NO DIA 3 DE NOVEMBRO ENTRE O COMANDO NACIONAL DOS BANCRIOS E A FENABAN.

    Na antecipao, os bancrios recebem 54% do salrio mais xo de R$ 1.213,07, limitado a R$ 6.507,55 e ao teto de 12,8% do lucro lquido do banco (o que ocorrer primeiro) apurado no primeiro semestre deste ano. Isso somado regra adicional: 2,2% do lucro lquido do primeiro semestre, dividido igualmente entre os trabalhadores, com teto de R$ 2.021,79.

    PLR sem IR: importante lembrar que os trabalhadores conquistaram iseno ou descontos menores do Imposto de Renda sobre a PLR, medida que passou a valer em 2013. Assim, com a correo da tabela do IR, os bancrios que ganham at R$ 6.677,55 de PLR esto totalmente livres do imposto.

    VEJA O RESUMO DAS PROPOSTAS: Leia mais no site: www.santosbancarios.com.br

    campanha salarial 2015

    Os valores a serem pagos seriam:

    Escriturrio R$ 4.952,94

    Caixa R$ 5.420,74

    1 gestor 1,86 salrio

    Comissionado entre 1,48 salrio e 1,59 salrio

    Gerncia mdia 1,56 salrio

    Assessores 1,56 salrio

    FENABAN

    BANCO DO BRASIL

    CAIXA

    Greve dura garante aumento acima da in ao

  • 4 SINDICATO DOS BANCRIOS DE SANTOS E REGIO | FONES: (13) 3202 1670 / 0800 7711920 bancrios

    O desconto assistencial uma contribuio necessria para fortalecer a luta dos bancrios e bancrias por maiores salrios, benefcios, co-brir as despesas da participao da categoria na organizao da Campanha Salarial e seus gastos espec cos, que este ano foram muito altos para garantir a paralisao de 178 agncias do total de 228 em nossa regio. A greve de 2015 durou 21 dias e com muito empenho e luta conseguiu paralisar 90% das agncias em Santos e Cuba-to, 70% nas cidades de Praia Grande, So Vicente e Guaruj e 50% nas demais cidades de Bertioga, Mongagu, Itanham e Perube. Tudo isto tem um gasto!

    O desconto assistencial passa tambm pela importncia de construir uma entidade cada vez mais forte, que salde os gastos com a manuten-o do complexo esportivo, jornais, faixas, car-

    tazes, editais, adesivos, alimentao, transporte e todos os materiais utilizados para fazer uma Campanha que pressione e conquiste ndices, PLRs e pisos maiores.

    O Sindicato precisa de flego para defender os direitos dos bancrios. Alm disso, este ano construmos uma nova cobertura no poliespor-tivo. A categoria tambm coberta por atendi-mento da secretaria, novo jurdico, odontolgi-co, sade e previdncia do trabalho.

    O desconto assistencial cobrado por todos os sindicatos do Brasil para sustentar a luta dos tra-balhadores. O desconto foi aprovado democrati-camente em assembleia pela categoria. Portanto, o desconto de 2% uma nica vez ao ano. No nada individualmente, mas para a luta coletiva signi ca muito.

    O desconto assistencial fortalece a luta por melhores salrios

    O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTA-BELECIMENTOS BANCARIOS E FINANCI-RIOS DE SANTOS E REGIAO, por seu presiden-te, avisa a todos os bancrios bene ciados com a celebrao da Conveno Coletiva de Trabalho 2015/2016, empregados estabelecidos na base territorial deste sindicato, que podero exercer o seu direito de oposio ao desconto assistencial de nido em Assembleia Geral da categoria, rea-lizada no dia 26/10/2015, no percentual de 2% (dois por cento) sobre o salrio bru-to, j reajustados, no ms de novembro de 2015, mediante entrega de requerimento manuscrito, onde deve constar o nome, quali ca-o, nmero da CTPS e nome da empresa em que trabalha, devendo requerimento ser entregue pelo prprio interessado, pessoalmente, nos pe-rodos de 04 a 13 de novembro de 2015, na sede do Sindicato, com endereo Av. Wa-shington Luiz, 140, em Santos, nos se-guintes horrios: de segunda a sexta das 08:00 s 18:00 horas e no sbado dia 07/11/2015 das 8:00 s 12:00 horas.

    Santos, 4 de novembro de 2015

    RICARDO LUIZ LIMA SARAIVAPresidente

    AVISO DE DESCONTO ASSISTENCIAL

    Salrio Desconto (2%)R$ 2.000,00 R$ 40,00R$ 3.000,00 R$ 60,00R$ 4.000,00 R$ 80,00R$ 5.000,00 R$ 100,00

    A tabela exempli ca os descontos sobre salrios hipotticos na Baixada Santista.

    O desconto ser feito apenas uma vez, no ms de novembro de 2015 sobre o salrio bruto.

    Sem organizao no