info 522 stj

Download Info 522 STJ

Post on 02-Jan-2016

40 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • www.dizerodireito.com.br

    Pg

    ina1

    INFORMATIVO esquematizado

    Informativo 522 STJ

    Mrcio Andr Lopes Cavalcante Obs: no foram includos neste informativo esquematizado os julgados de menor relevncia para concursos pblicos ou aqueles decididos com base em peculiaridades do caso concreto. Caso seja de seu interesse conferi-los, os acrdos excludos foram os seguintes: REsp 1.353.016-AL; REsp 1.336.213-RS; REsp 1.360.212-SP; REsp 1.201.635-MG; CC 111.230-DF; REsp 1.331.033-SC; REsp 1.339.432-MS; AgRg no AREsp 150.390-SP; REsp 1.104.377-SP.

    DIREITO ADMINISTRATIVO

    Concurso pblico e incio do prazo do MS na hiptese de aprovao por fora de questo anulada

    Na hiptese em que houver, em ao autnoma, o reconhecimento da nulidade de questes de concurso pblico, o termo inicial do prazo para que o candidato beneficiado impetre mandado de segurana objetivando sua nomeao no cargo pblico ser a data do trnsito em julgado da

    deciso judicial. Isso porque o candidato favorecido pela deciso judicial somente passa a ter direito lquido e certo nomeao a partir da referida data.

    Comentrios Imagine a seguinte situao hipottica: Joo fez determinado concurso pblico, tendo ficado com 69 pontos, segundo o resultado final divulgado em 02/02/2011, sendo que a nota de corte foi 70 pontos. Diante disso, ingressou com ao buscando a anulao de uma questo objetiva (que era absurda), tendo a demanda sido julgada procedente, com trnsito em julgado em 02/02/2013. Com a anulao, Joo passou a ter pontos suficientes para ser aprovado dentro do nmero de vagas e nomeado. Apesar disso, no foi chamado. Vale ressaltar que a nomeao do ltimo candidato aprovado dentro do nmero de vagas ocorreu em 02/02/2012. Em 02/04/2013, Joo impetrou mandado de segurana pedindo sua nomeao e posse. A Fazenda Pblica contestou, afirmando que houve decadncia, considerando que o MS deveria ter sido impetrado em at 120 dias contados do resultado final (02/02/2011) ou, ento, da data em que foi nomeado o ltimo candidato aprovado (02/02/2012).

    A tese da Fazenda Pblica foi acolhida pelo STJ? NO. Segundo decidiu o STJ, na hiptese em que houver, em ao autnoma, o reconhecimento da nulidade de questes de concurso pblico, o termo inicial do prazo para que o candidato beneficiado impetre mandado de segurana objetivando sua nomeao no cargo pblico ser a data do trnsito em julgado da deciso judicial. Isso porque o candidato favorecido pela deciso judicial somente passa a ter direito lquido e certo nomeao a partir da referida data.

    Processo STJ. 1 Turma. AgRg no REsp 1.284.773-AM, Rel. Min. Benedito Gonalves, julgado em 23/4/2013. Pg

    ina1

  • INFORMATIVO esquematizado

    Pg

    ina2

    Concurso pblico e p torto congnito bilateral

    Os candidatos que tenham "p torto congnito bilateral" tm direito a concorrer s vagas em concurso pblico reservadas s pessoas com deficincia.

    A mencionada deficincia fsica enquadra-se no disposto no art. 4, I, do Dec. 3.298/1999. Comentrios Apenas a ttulo de curiosidade, segue abaixo as definies dos diversos tipos de deficincia

    (no preciso que voc saiba isso!): Art. 4 considerada pessoa portadora de deficincia a que se enquadra nas seguintes categorias: I - deficincia fsica - alterao completa ou parcial de um ou mais segmentos do corpo humano, acarretando o comprometimento da funo fsica, apresentando-se sob a forma de paraplegia, paraparesia, monoplegia, monoparesia, tetraplegia, tetraparesia, triplegia, triparesia, hemiplegia, hemiparesia, ostomia, amputao ou ausncia de membro, paralisia cerebral, nanismo, membros com deformidade congnita ou adquirida, exceto as deformidades estticas e as que no produzam dificuldades para o desempenho de funes; II - deficincia auditiva - perda bilateral, parcial ou total, de quarenta e um decibis (dB) ou mais, aferida por audiograma nas frequncias de 500HZ, 1.000HZ, 2.000Hz e 3.000Hz; III - deficincia visual - cegueira, na qual a acuidade visual igual ou menor que 0,05 no melhor olho, com a melhor correo ptica; a baixa viso, que significa acuidade visual entre 0,3 e 0,05 no melhor olho, com a melhor correo ptica; os casos nos quais a somatria da medida do campo visual em ambos os olhos for igual ou menor que 60o; ou a ocorrncia simultnea de quaisquer das condies anteriores; IV - deficincia mental funcionamento intelectual significativamente inferior mdia, com manifestao antes dos dezoito anos e limitaes associadas a duas ou mais reas de habilidades adaptativas, tais como: a) comunicao; b) cuidado pessoal; c) habilidades sociais; d) utilizao da comunidade; d) utilizao dos recursos da comunidade; e) sade e segurana; f) habilidades acadmicas; g) lazer; e h) trabalho; V - deficincia mltipla associao de duas ou mais deficincias.

    Processo STJ. 1 Turma. RMS 31.861-PE, Rel. Min. Srgio Kukina, julgado em 23/4/2013.

    Convocao de candidato por DO sendo que as chamadas anteriores foram tambm pela internet

    A convocao de candidato para a fase posterior de concurso pblico no pode ser realizada apenas pelo dirio oficial na hiptese em que todas as comunicaes anteriores tenham ocorrido,

    conforme previso editalcia de divulgao das fases do concurso, tambm pela internet. Comentrios Joo estava prestando concurso para Policial Militar.

    Todas as comunicaes e convocaes desse certame eram feitas por Dirio Oficial e tambm por meio da internet. Aps ter sido aprovado nas etapas anteriores, Joo foi convocado para o exame mdico por meio apenas do Dirio Oficial. Desse modo, ao contrrio das outras convocaes, o chamado para o exame mdico no foi feito tambm pela internet. O candidato no compareceu ao exame mdico, tendo sido eliminado do concurso.

  • INFORMATIVO esquematizado

    Pg

    ina3

    A Administrao Pblica agiu corretamente nesse caso? NO. Segundo decidiu o STJ, a convocao de candidato apenas pelo Dirio Oficial no atende adequadamente ao princpio da publicidade, especialmente se houver previso no edital de que as etapas do concurso devem ser tambm divulgadas pela rede mundial de computadores (internet). O dirio oficial no tem o mesmo alcance de outros meios de comunicao, no sendo razovel exigir-se que os candidatos aprovados em concurso pblico o acompanhem. Ademais, como todas as fases anteriores do concurso foram divulgadas pela internet, isso gerou para os candidatos a justa expectativa de que as demais comunicaes do certame seguiriam esse padro. Apesar do acrdo no ter mencionado isso, pode-se dizer que houve, no caso, uma espcie de surrectio, ou seja, o surgimento de um direito do candidato de ser convocado tambm pela internet, em consequncia da prtica reiterada dessa forma de comunicao.

    Outros julgados

    Sobre o tema convocao de candidato aprovado vejamos tambm este outro entendimento consolidado do STJ: Viola o princpio da razoabilidade a convocao para determinada fase de concurso pblico ou para nomeao de candidato aprovado apenas mediante publicao do chamamento em Dirio Oficial quando passado muito tempo entre a realizao ou a divulgao do resultado da etapa imediatamente anterior e a referida convocao, uma vez que invivel exigir que o candidato acompanhe, diariamente, com leitura atenta, as publicaes oficiais. STJ. 2 Turma. AgRg no RMS 35.494-RS, Rel. Min. Humberto Martins, julgado em 20/3/2012.

    Processo STJ. 2 Turma. AgRg no RMS 33.696-RN, Rel. Min. Eliana Calmon, DJe 22/4/2013.

    No h direito nomeao se foram criados novos cargos, mas no h dotao oramentria

    Ainda que sejam criados novos cargos durante a validade do concurso, a Administrao Pblica no poder ser compelida a nomear candidato aprovado fora do nmero de vagas oferecidas no

    edital de abertura do certame na hiptese em que inexista dotao oramentria especfica. Comentrios SITUAO 1

    Regra: Candidato aprovado dentro do nmero de vagas: direito subjetivo O candidato aprovado dentro do nmero de vagas previstas no edital do concurso pblico possui direito subjetivo de ser nomeado e empossado dentro do perodo de validade do certame. Posio pacfica do STJ e STF.

    Excees: O STF, ao analisar o tema em sede de repercusso geral, identificou hipteses excepcionais em que a Administrao pode deixar de realizar a nomeao de candidato aprovado dentro do nmero de vagas, desde que se verifique a ocorrncia de uma situao com as seguintes caractersticas (RE 598.099/MS, Pleno, DJe de 3.10.2011): a) supervenincia: os eventuais fatos ensejadores de uma situao excepcional devem ser necessariamente posteriores publicao do edital do certame pblico; b) imprevisibilidade: a situao deve ser determinada por circunstncias extraordinrias, imprevisveis poca da publicao do edital; c) gravidade: os acontecimentos extraordinrios e imprevisveis devem ser extremamente graves, implicando onerosidade excessiva, dificuldade ou mesmo impossibilidade de cumprimento efetivo das regras do edital; d) necessidade: a soluo drstica e excepcional de no cumprimento do dever de nomeao deve ser extremamente necessria, de forma que a Administrao somente pode adotar tal medida quando absolutamente no existirem outros meios menos gravosos para lidar com a situao excepcional e imprevisvel.

  • INFORMATIVO esquematizado

    Pg

    ina4

    SITUAO 2:

    Regra: Se o candidato foi aprovado fora do nmero de vagas (o concurso no previa cadastro de reserva), mas durante o prazo de validade do concurso foram criados novos cargos, ele ter direito subjetivo nomeao? No necessariamente. O candidato aprovado fora do nmero de vagas, em princpio, no tem direito subjetivo nomeao, mesmo que surjam ou sejam criadas vagas durante o prazo de validade do concurso. Assim, o fato de terem sido criados novos cargos enquanto ainda vigente o concurso no obriga, por si s, a Administrao a nomear o candidato aprovado fora do nmero de vagas: A mera criao de novos cargos enquanto ainda vigente o concurso no garan