indicaÇÃo de Áreas Úmidas prioritÁrias cac-php. ?· indicaÇÃo de Áreas Úmidas...

Download INDICAÇÃO DE ÁREAS ÚMIDAS PRIORITÁRIAS cac-php. ?· indicaÇÃo de Áreas Úmidas prioritÁrias…

Post on 10-Oct-2018

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • INDICAO DE REAS MIDAS PRIORITRIAS PARA A

    CONSERVAO DA BIODIVERSIDADE DE AVES AQUTICAS

    NA BACIA HIDROGRFICA TRANSFRONTEIRIA DA LAGOA MIRIM

    Valdir Adilson Steinke1

    Carlos Hiroo Saito 2

    Eixo temtico: TERRITRIOS E TERRITORIALIDADES FRONTEIRIAS

    RESUMO: O presente trabalho teve como objetivo discutir a gesto da biodiversidade em bacias

    hidrogrficas transfronteirias, com o propsito de indicar e classificar as reas midas prioritrias

    para a conservao de aves aquticas na bacia hidrogrfica da lagoa Mirim e ecossistemas associados.

    Planos de informao (PIs) foram integrados em SIG para selecionar 97 reas prioritrias, as quais

    foram classificadas em oito grupos de importncia para conservao das aves aquticas. Tambm foi

    possvel identificar as reas sob maior vulnerabilidade e indicar as reas prioritrias sob maior ameaa

    e que necessitam de aes de recuperao em seu entorno e sub-bacia de contribuio.

    PALAVRAS-CHAVE: Aves Migratrias, Banhados, Fronteira Internacional.

    1 INTRODUO

    O Brasil possui seis biomas principais, segundo IBGE (2004), alm das reas marinhas

    e costeiras. O pas tambm contm dois hotspots de biodiversidade, o Cerrado e a Mata

    Atlntica, e a maior rea mida tropical do mundo, o Pantanal. Outra rea de relevante

    importncia ecolgica constitui-se na Lagoa Mirim, a qual faz parte do bioma brasileiro

    Pampa. Na verdade, a lagoa Mirim um dos principais corpos hdricos do sistema lagunar da

    Amrica do Sul, possuindo regime de guas compartilhadas entre o Brasil e o Uruguai,

    constituindo um importante ambiente mido.

    1 Prof. Adjunto Depto de Geografia UnB valdirs@unb.br

    2 Prof. Associado Depto de Ecologia UnB saito@unb.br

    mailto:valdirs@unb.brmailto:saito@unb.br
  • As reas midas aparecem entre os ecossistemas mais produtivos do Planeta, so

    fontes de uma grande diversidade biolgica, uma vez que aportam gua e a produtividade

    primria necessria para sobrevivncia de espcies vegetais e animais, como as aves

    migratrias. Elas sustentam elevada concentrao de aves e so tambm importantes locais de

    armazenamento de material gentico vegetal, estabelecendo uma conexo com outras partes

    do planeta.

    Em muitas regies do mundo, condies adversas tais como, temperaturas muito

    baixas, secas extremas e pouca luminosidade impedem os animais e plantas de prosseguirem

    com suas atividades normais. Sob estas condies os organismos recorrem a um grande

    nmero de respostas externas, entre elas a migrao - deslocamento temporrio para outra

    regio onde as condies sejam mais convenientes. Muitas espcies de aves realizam extensas

    migraes. A cada outono centenas de pssaros deixam as regies frias da Amrica do Norte,

    Europa e sia em direo ao Sul.

    Na Lagoa Mirim e os banhados associados, os dados de sazonalidade das espcies de

    aves, indicam que uma em cada quatro espcies realiza algum tipo de deslocamento

    migratrio. Diferentes rotas migratrias utilizam a Lagoa Mirim como um ponto de pousio.

    A localizao geogrfica destes banhados favorece as aves migratrias oriundas de

    regies mais ao sul do continente, como o sul do Chile, a Patagnia, Ilhas Malvinas e Terra do

    Fogo, servindo de rea de reproduo para aves que se deslocam mais para o norte durante o

    inverno. Provenientes da regio mais meridional do continente esto: a batura-de-peito-

    avermelhado (Charadrius modestus) e a andorinha-chilena (Tachycineta meyeni), entre outras

    espcies. Essas espcies que se deslocam unicamente no territrio da Amrica Centra e do

    Sul, seguindo para o norte durante o inverno no sul, so classificadas como aves do sistema

    neotropical (Menegheti et. al., 2002). A Rota do Brasil Central utilizada por aves que

    deixam a costa atlntica desde a foz da bacia amaznica e sobrevoam a calha do sistema

    Tocantins/Araguaia em direo ao sul do continente, como o caso do batuiruu (Pluvialis

    Dominica). (Sick, 1984).

    As espcies que se reproduzem no hemisfrio norte e que, durante o inverno boreal, se

    deslocam para o hemisfrio sul, fazendo uso da inverso de estaes, so classificadas como

    espcies do sistema Nertico-Neotropical e utilizam principalmente a Rota Atlntica e a Rota

    da Amaznia CentralPantanal, na qual as aves entram no continente sul-americano atravs

    da Colmbia, Venezuela, Guiana e Suriname e rumam ao sul, passando pela Amaznia

    cisandina e Pantanal, como exemplo, o maarico-acanelado (Tryngites subruficollis) (Lanctot

    et al., 2002). De acordo com Antas (1987), a Rota Atlntica, que acompanha a costa oriental

  • da Amrica do Sul utilizada pelo batuiruu-de-axila preta (Pluvialis squatarola). Essas

    espcies so oriundas das altas latitudes do hemisfrio norte, onde se reproduzem. As espcies

    de aves migratrias que, em seu deslocamento tem como origem as regies temperadas da

    Amrica do Norte, como o falco-peregrino (Falco peregrinus) e a andorinha-norte-

    americana (Hirundo rustica) preferem utilizar as rotas de migrao sobrevoando o interior da

    Amrica do Sul. Esse padro de deslocamento das aves, incluindo origem escalas - destino,

    particularizado em sistemas migratrios que utilizam cerca de oito rotas (Figura 1).

    Figura 1. Principais sistemas e rotas migratrias de aves que unem ecologicamente a Plancie Costeira do Rio

    Grande do Sul a outras regies do continente e do hemisfrio ocidental. (Adaptado de Menegheti et. al.)

    A manuteno da biodiversidade tem sido auxiliada por estudos envolvendo espcies

    de aves em diferentes ambientes. Na atualidade, em funo da crescente preocupao com a

    degradao ambiental, estes estudos tornam-se importantes no sentido de subsidiar aes de

    gesto futura dos ecossistemas. Nikolakaki (2003) desenvolveu uma metodologia baseada em

    sistemas de informao geogrfica para identificar reas com a maior probabilidade de

    ocupao de uma espcie de pssaro da Inglaterra que estava sendo ameaada por

    fragmentao de uma floresta. O estudo mostrou que a abordagem, embora genrica,

    aplicvel a qualquer espcie e, mesmo com suas limitaes, pode ser usada para auxiliar

    planos de conservao.

    Erwin et al (2004) realizaram um trabalho ao longo da costa leste dos Estados Unidos

    com objetivo de examinar alteraes nos habitats midos e identificar como essas alteraes

    afetam diretamente as aves. O trabalho comprovou que as modificaes identificadas

    influenciam muitas espcies de pssaros que utilizam essas reas para alimentao,

    reproduo e descanso durante a migrao. O resultado indicou a necessidade de preservao

  • destas reas, sugerindo ainda que as reas de influncia de mars devam ser includas para

    preservao.

    Para compreender como as atividades antrpicas influenciavam espcies de aves que

    so dependentes de reas midas, DelUca et. al (2004), desenvolveram um ndice para avaliar

    as comunidades e as condies do ambiente. Os autores observaram que o ndice

    desenvolvido, combinado com a identificao dos tipos de uso da terra, pode ser facilmente

    interpretado e auxilia a comunicao entre dados ecolgicos complexos e gestores ambientais

    no intuito de elaborar planejamentos ambientais. O trabalho salientou um aspecto relevante

    em estudo ecolgico - a questo da escala - mostrando que a influencia urbana pouco

    significativa na escala da bacia hidrogrfica, porm, torna-se substancial em escala local.

    Ortega-Huerta e Peterson (2004) identificaram a distribuio geogrfica de algumas

    espcies de pssaros e mamferos usando modelos de nicho ecolgico, sistemas de

    informao geogrfica, uso da terra e associao de habitats. A distribuio espacial das

    espcies foi usada para desenvolver sistemas de reas protegidas no NE do Mxico. Os

    resultados mostraram a importncia das formaes vegetais na configurao da

    biodiversidade de uma regio.

    Utilizando um mtodo estatstico conhecido como distncia de Mahalanobis (MD),

    Hierl et al (2007) compararam as condies ambientais de 49 reas midas em Maine (USA)

    entre os perodos de 1984, 1985 e 2002 para determinar as reas mais favorveis s aves

    aquticas. O plano de manejo que objetiva manter reas midas em diversas condies

    estruturais para encontrar as necessidades de uma variedade de aves aquticas pode ser

    monitorado com o mtodo MD. Os autores tm utilizado essa tcnica para identificar quais

    reas midas so mais atrativas maior diversidade de aves aquticas e quais so mais

    atrativas para outras espcies da vida silvestre. Este mtodo tambm pode ser til para gesto

    de outros tipos de ecossistemas.

    No caso especfico da lagoa Mirim e Plancie Costeira do Rio Grande do Sul,

    diferentes autores tm se dedicado a questo das aves migratrias, em especial, os trabalhos

    de Antas et al (1990, 1994 e 1996), Nascimento et al (2000), Dotto et. al. (1998) e os de

    Menegheti et al (1990, 1993, 1995, 1996, 1997, 1998 e 2002) os quais, em funo dos

    procedimentos rigorosos e peridicos de censo de aves e com especial ateno ao registro de

    stios de localizao das principais reas de aglomerao e ocorrncia das espcies, podem ser

    inseridos em sistema de informaes geogrficas, potencializando a informao, pois permite

    associar os dados a outros elementos da paisagem.

  • Nesse sentido, considerando que a bacia da lagoa Mirim e seus ecossistemas

    associados se enquadram nas caractersticas ecolgicas necessrias para aves aquticas

    migratrias e ressaltando que os Pases que compartilham esta bacia hidrogrfica so