iluminismo, revolução industrial e revolução francesa

Download Iluminismo, Revolução Industrial e Revolução Francesa

Post on 22-Dec-2014

62.219 views

Category:

Documents

6 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • 1. A ERA DAS REVOLUES Iluminismo conceito, tericos e caractersticas

2.

  • Movimento cultural responsvel por criticar o Estado Absolutista ou Antigo Regime, tambm conhecido como Filosofia das Luzes ou Ilustrao.
  • Movimento que arquitetou as idias que derrubaram o Antigo Regime.

Iluminismo 3. Fim da Idade Mdia Sculos XIII e XIV Rei+Burguesia Unificao Poltica Aspirava o comrcio Desenvolvimento comercial Aumento de Lucros Ascenso econmica daburguesia Sculos XV e XVI Grandes navegaes Representam a ascenso econmica 4. Sculos XVII e XVIII Burguesia Passa a aspirar o Poder poltico Crtica aoAntigo Regime

  • Antigo Regime ou Absolutismo Monrquico
  • Poltica:Poder absoluto dos reis.
  • Social:Sociedade dividida em estamentos (clero, nobreza e povo).
  • Economia:Mercantilismo. Interveno do Estado na economia.
  • Cultural:intolerncia religiosa e filosfica.

Ao criticar o antigo regime a burguesia criou a sua prpriaideologia . O Estado s poderoso se for rico. Para enriquecer deve haver capitalismo. Para haver capitalismo a burguesia deve estar no poder. Surge ento oILUMINISMO 5.

  • Caractersticas do Iluminismo:
  • Igualdade:Perante a lei, economicamente desigual.
  • Tolerncia religiosa ou filosfica:No interessava ou era, mas sim o que tinha.
  • Liberdade:Pessoas livres = a Mercado consumidor.
  • Propriedade Privada:No a estatizao e sim a privatizao.

Lema Iluminista: LIBERDADE,IGUALDADEEPROPRIEDADE .

  • Combatia:
  • Absolutismo:Impedia a participao poltica da burguesia, impedindo a realizao dos seus ideais.
  • Mercantilismo:Prejudicial a Livre iniciativa (o mercantilismo controla a economia)
  • Poder da Igreja:No permitia a liberdade de pensamento.

6.

  • Tericos:
  • Montesquieu:Separao dos poderes (legislativo, Executivo e Judicirio).
  • Voltaire:Campeo da liberdade individual.
  • Diderot e DAlembert:A Enciclopdia.
  • Rousseau:Contrato Social (O povo elege para o bem comum) e o Bom selvagem (a pessoa boa por natureza, sociedade a corrompe).
  • Quesnay:A terra a maior fonte de riqueza. Fisiocracia.
  • Adam Smith:Liberalismo econmico. Livre jogo da oferta e da procura.
  • Laissez Faire . Deixe fazer deixe passar.

7. Despotismo Esclarecido

  • No final do XVIII alguns monarcas absolutos realizaram reformas em seus Estados influenciados pelo Iluminismo.
  • Modernizao das estruturas administrativas, educao e atividades cientficas foram as grandes modificaes.
  • Marques de Pombal Portugal, estimulou as exportaes e produo manufatureira, alm de reforar o monoplio comercial sobre o Brasil
  • Frederico II Prssia, fim da tortura, educao e produo agrcola e industrial
  • Catarina II Rssia, escolas, hospitais e tomou terras da Igreja
  • Jos II ustria, confiscou terras da Igreja, aperfeioou o exrcito e aboliu obrigaes feudais

8. A ERA DAS REVOLUES Revoluo Industrial Antecedentes, desenvolvimento e expanso 9. A Nova Ordem Econmica: o Liberalismo

  • No sc. XVIII as prticas mercantilistas no atendiam as necessidades da burguesia. A fim de combater antigas formas da economia, surgiu o Liberalismo que criticava o Mercantilismo por que suas prticas prejudicavam a livre expanso do Capitalismo. Suas principais crticas eram:
  • Interveno do Estado na economia;
  • Monoplio do comrcio;
  • Protecionismo alfandegrio;
  • Controle sobre o mercado;
  • Identificao com as monarquias absolutistas.

10. Liberalismo caractersticas:

  • Condenao da interveno do Estado na economia;
  • A economia se auto-regula atravs de leis naturais;
  • Defesa da livre concorrncia;
  • Liberdade cambial;
  • Defesa da liberdade na realizao de contratos;
  • Defesa da propriedade privada;
  • Combate ao Mercantilismo;
  • Estmulo expanso demogrfica para criar um vasto mercado de mo-de-obra.

11. Os tericos do Liberalismo

  • Adam Smith (1723-1790)
  • Obra:Riqueza das Naes
  • Abandono das prticas mercantilistas que empobreciam as naes; propunha o estabelecimentodo comrcio livre e o fim da presena do Estado na economia; apontava o trabalho como a fonte principal de gerao de riqueza.

12.

  • David Ricardo (1772 1823)
  • Economista britnico cuja principal contribuio foi o estudo sobre a distribuio de renda. Afirmava que havia trs fatores que podiam desestabilizar a economia: salrio, lucro e renda da terra. Quando qualquer um desses fatores aumentava demais, provocava um desequilbrio na economia toda. Empresrios e governantes ainda usam essa teoria como justificativa para polticas de arrocho salarial.

13.

  • John Stuart Mill (1806 1873)
  • Filosofo e economista britnico, defensor entusiasmado doLaissez-faire , mas acrescentava a necessidade de promover uma distribuio equilibrada dos benefcios gerados pela economia liberal. Ele defendia a criao de um sistema poltico que permitisse a participao popular e garantisse os direitos das minorias.

14. Condies para a decolagem inglesa

  • Acumulao de capital oriundo do comrcio colonial;
  • Existncia de matria-prima grande reservas de minrio de ferro e carvo, o algodo foi essencial nesse momento;
  • Abundncia de mo-de-obra barata desde a Lei dos Cercamentos de terras
  • Mercados consumidores - seu poderio naval permitiu a construo de um imenso imprio colonial e o domnio do comrcio mundial.
  • Revoluo Gloriosa

15. Monoplios industriais (K financeiro) Livre concorrncia (K industrial) Mercado: Direo = profissionais especializados Proprietrio = diretor Org. empresarial: Ao, ligas mais leves, qumica e automao Ferro e processos mecnicos de produo Tecnologia: Eletricidade, combusto interna, derivados do petrleo Vapor Energia: Outras regies Inglaterra Regio: 1860 em diante 1760 - 1860 Perodo: II revoluo Industrial I Revoluo Industrial Caractersticas 16. Modo de Produo Capitalista

  • O que caracteriza o modo de produo capitalista so as relaes assalariadas de produo (trabalho assalariado). As relaes de produo capitalistas baseiam-se na propriedade privada dos meios de produo pela burguesia, que substituiu a propriedade feudal, e no trabalho assalariado, que substituiu o trabalho servil do feudalismo. O capitalismo movido por lucros, portanto temos duas classes sociais: a burguesia e os trabalhadores assalariados.

17. Fases do Capitalismo

  • Pr-capitalismo : o modo de produo feudal ainda predomina, mas j se desenvolvem relaes capitalistas.
  • Capitalismo comercial : a maior parte dos lucros concentra-se nas mos dos comerciantes, que constituem a camada hegemnica da sociedade; o trabalho assalariado torna-se mais comum.
  • Capitalismo industrial : com a revoluo industrial, o capital passa a ser investido basicamente nas industrias, que se tornam atividade econmica mais importante; o trabalho assalariado firma-se definitivamente.
  • Capitalismo financeiro : os bancos e outras instituies financeiras passam a controlar as demais atividades econmicas, atravs de financiamentos agricultura, a industria, pecuria, e ao comercio.

18. Conseqncias da Revoluo Industrial

  • Estabelecimento do K como sistema econmico;
  • 1 fase desenvolvimento do Liberalismo econmico;
  • 2 fase formao dos conglomerados econmicos (Trustes, Cartis);
  • Abriu caminho para a produo em srie, produtividade e massificao dos produtos;
  • O K financeiro deu origem ao Imperialismo;
  • Burguesia K tornou-se a camada politicamente dominante;
  • Ocorrncia do xodo Rural e crescimento acelerado das cidades;
  • Formao das camadas operrias e suas primeiras reaes contra a sua situao:
    • Luddita: quebra das mquinas.
    • Cartismo: propostas definidas (sufrgio universal e secreto, imunidade parlamentar, eleies anuais, ...)
    • Trade Unions:primeiras organizaes de operrios, atuavam como assemblias, publicavam jornais, protestos e greves.

19. Doutrinas sociais do Sc. XIX

  • Socialismo Utpico: tentativa de atender s necessidades dos trabalhadores em meio ao desenvolvimento K da poca.
    • Principais tericos: Saint-Simon, Louis Blanc e Charles Fourier.
  • Socialismo Cientfico:defendia a apropriao coletiva dos meios de produo, pela via revolucionria e pela ditadura do proletariado, uma etapa provisria para o Comunismo.
    • Principal terico: Karl Marx.

20.

  • Anarquismo: a origem das desigualdades esta no Estado, sempre corruptor. Defende a eliminao do Estado e a organizao em pequenas comunidades sob o regime de auto-gesto, sem classes sociais e sem foras coercitivas.
    • Principais tericos: Bakunin, Proudhon.
  • A Igreja catlica e a questo social: em 1891, o papa Leo XIII lanou a Encclic