iluminismo rev. francesa - rev. industrial

Download Iluminismo   rev. francesa - rev. industrial

Post on 03-Jul-2015

951 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. ILUMINISMO Movimento surgido na Europa no sculos XVII e XVIII (perodo em que a burguesia se confrontava cada vez mais com o Antigo Regime) o que dificultava o desenvolvimento do sistema capitalista. No renascimento o trabalho cientfico de Ren Descartes (1596 1650) Discurso sobre o mtodo (destacava a dvida como ponto de partida p/ o saber) - Mtodo Cartesiano (razo e as idias claras e precisas so importantes p/ se chegar a verdade) nascimento do racionalismo , fundado na verificao experimental Isaac Newton (1642 1727) identificou a gravidade universal revelando que o mundo governado por leis fsicas no dependendo de interferncias de cunho religioso c/ Descartes substituiu a religio pela cincia. Os pensadores iluministas produziram as idias de transformarem uma sociedade tradicional de sditos em uma sociedade liberal de cidados (Eram as luzes sculo XVIII)

2. Racionalismo Ideologia a ser seguida, como forma de contestar o Antigo Regime. Caractersticas Anti-Absolutismo Anti-Mercantilismo Anti-Clericalismo Poder ilimitadoOPOSIO OPOSIO Intervencionismo OPOSIO Influncia da Igreja 3. Os principais representantes do Iluminismo John Locke (1632 1704) transferiu a razo p/ a poltica e p/ a anlise social. C/ ele vem a crena na bondade natural do cidado. (abalando o absolutismo) Obra: Segundo Tratado do governo civil (Por meio de um contrato entre governo e sociedade civil todos respeitando seus direitos naturais , caso no o faam, cabe sociedade civil o direito de rebelio contra essa tirania) era contra o Estado que ficava acima da sociedade civil. 4. Os principais representantes do Iluminismo Montesquieu (1689 1755) Obra: O esprito das leis (separao dos poderes do estado : Executivo , Legislativo e Judicirio) porm, apesar de ser contrrio ao Antigo regime era contra o direito de voto para aqueles que eram mais pobres. (p/ Montesquieu no haveria direitos iguais) 5. Os principais representantes do Iluminismo Voltaire (1694 1778) Obra: Cartas Inglesas (crtica a igreja catlica e os resqucios feudais, como a servido) Deveria Ter um governo que fosse uma monarquia ilustrada, isto , um rei esclarecido pelos filsofos iluministas (Despotismo Esclarecido) . Defendia a crena em um Deus supremo e um Estado burgus sob um governo esclarecido. 6. Os principais representantes do Iluminismo Rousseau (1712 1778) Obra: Contrato Social - Condenava o Antigo Regime / Criticava a burguesia especialmente a que possua uma grande propriedade privada (que considerava a raiz das infelicidades humanas , pois estabelecia as desigualdades entre os homens Rousseau foi uma exceo entre os iluministas) Deveria haver uma organizao de uma sociedade civil e ceder esses direitos comunidade respeitando a deciso da maioria. Defendia o Mito do Bom Selvagem 7. Principais tericos Frana Voltaire Liberdade de Expresso Montesquieu Diviso dos Poderes Rousseau Pai da Democracia Moderna A divulgao das idias iluministas se deu atravs da Enciclopdia, idealizada por Diderot e DAlembert. 8. Economia Iluminista Fisiocratismo (Frana) Liberalismo Econmico (Inglaterra) - contrrios ao absolutismo e ao mercantilismo (defendiam uma economia livre da tutela do Estado que funcionaria segundo as leis naturais. Representante da Fisiocracia Quesnay Gournay Turgot- A terra a nica fonte de riqueza, destacando a importncia da agricultura dentro da economia. O estado deveria garantir o livre curso da natureza, inclusive a atividade econmica. Difundiu o lema: Laissez faire, laissez passer, le monde va de luimme ( Deixai fazer, deixai passar, que o mundo vai por si mesmo) 9. Economia Iluminista Adam Smith (1723 1790) Obra: Riqueza das naes (cartilha do capitalismo liberal) - Pai da economia (cincia) criticava o mercantilismo devido a interveno do rei P/ Adam Smith deveria existir: uma livre concorrncia, diviso do trabalho e do livre comrcio s desta maneira haveria uma justia social. Quem rege o mercado a mo invsivel Adam Smith defendia o trabalho como fonte de riqueza e no a terra como defendiam os fisiocratas. 10. Fisiocracia Terra como fonte de Riquezas Quesnay e Gournay Tericos Liberalismo Trabalho como fonte de Riquezas Adam Smith Terico 11. Conceito Aplicao das Idias Iluministas nos Estados Absolutistas VOLTAIRE Idealizador Locais de Aplicao Portugal Rssia ustria Prssia 12. Revoluo Francesa Antecedentes/causas: -Maior populao da Europa Ocidental (25 milhes). - 80% rural. - Absolutismo parasitrio - Lus XVI - Festas, banquetes, penses, -guerras inteis Guerra Dos sete anos / Independncia dos EUA - tratados desvantajosos Tratado De Eden-Rayneval (1786) -mercantilistas: taxaes, monoplios, proibies. 13. Revoluo Francesa Sociedade estamental (extrema desigualdade): 97% 2% 1% 1 ESTADO: CLERO 2 ESTADO: NOBREZA 3 ESTADO: BURGUESIA + CAMPONESES + SANS CULOTES: obrigaes e impostos. Terras, cargos prestgio, privilgios, e iseno fiscal 14. - Crise econmica: concorrncia inglesa, excesso de gastos, altos impostos, inundaes, secas... -Difuso de ideais iluministas. -1787 Calonne (Ministro das finanas) Convoca a Assembleia dos Notveis Clero + Nobreza -Revolta dos Notveis (1787): nobres inconformados com proposta de cobrana de impostos, exigem convocao dos Estados Gerais. - Burguesia exige a nomeao de Necker , que reivindicou a convocao dos Estados Gerais (175 anos sem convocao) 15. Os Estados Gerais (1789): -Reunio (consultiva) de membros dos 3 Estados. -Objetivo bsico: tributao. -Divergncia de votao : 0 1 e 2 Estado desejavam o voto por estado / O 3 Estado desejava o voto por cabea deputado - O 3 Estado separa-se e proclama-se em Assemblia Nacional Constituinte (juramento da pla). - Criao da Guarda Nacional (milcia burguesa) para resistir ao rei. 16. 14/07/1789 - QUEDA DA BASTILHA (incio oficial da Revoluo Francesa) 17. Fases da Revoluo Assemblia Nacional (1789 1792): -Grande Medo (AGO): camponeses rebelam-se contra autoridade dos senhores feudais. -Abolio de privilgios feudais. DECLARAO UNIVERSAL DOS DIREITOS DO HOMEM E DO CIDADO igualdade jurdica, direito propriedade e resistncia opresso. -Desigualdade econmica no lugar da sociedade estamental. - Constituio civil do clero (1790). - Igreja subordinada ao Estado. - Juramentados X Refratrios. 18. -1 Constituio francesa (1791): monarquia constitucional, diviso de poderes, voto censitrio, manuteno da escravido nas colnias. - Proibio de greves e associaes de trabalhadores (Le Chepelier). - Divises entre os parlamentares: GIRONDINOS alta burguesia, conservadores, sentados na direita do parlamento. Pntanos especuladores enriquecidos, assumia uma posio centrista JACOBINOS pequena e mdia burguesia, apoiados por sans-culotes, favorveis a mudanas mais radicais, sentados na esquerda do parlamento. Apelidados de montanheses. 19. Lus XVI tenta fugir e preso Declarao de Pillnitz (pases absolutistas tentando restaurar a dignidade real francesa) / Na Batalha de Valmy, de 20 de setembro de 1792, os exrcitos contra-revolucionrios foram vencidos pelo povo francs. Um inflamado sentimento nacionalista tomou conta dos participantes da revoluo. Tomando as instituies de assalto, um novo governo tomou conta do pas. A repblica foi instituda com a criao da chamada Conveno Nacional. Os jacobinos ganharam grande apoio poltico e o rei Lus XVI, considerado traidor, foi condenado morte. 20. A Conveno Nacional (1792 1795): Girondinos X Jacobinos -Set/1792 Jun/1793: Girondinos no poder. -Jan/1793 Lus XVI guilhotinado. -1 coligao externa contra a Frana FRANA x (AUS + PRUS + ESP + HOL + ING) - Crise econmica. 21. -Jun/1793 Jul/1794: Jacobinos no poder. -Realizaes de Robespierre -Novo Calendrio Revolucionrio - Criao de Tribunal Revolucionrio -Criao do Comit de Salvao Pblica - ensino bsico gratuito e obrigatrio -Reforma Agrria - abolio da escravido nas colnias 22. Jun/1793 Jul/1794: Jacobinos no poder. - Lei do mximo (tabelamento de preos) - Instituio do alistamento obrigatrio - (Revolta de camponeses de Vendia - contra a Revoluo). - Promulgao da Constituio de 1793 - Decretao da Lei dos Suspeitos - instalao do TERROR (pobres e ricos se fossem oposio ao lder ROBESPIERRE, eram guilhotinados) destaque tambm p/ Marat e Danton. 23. Reao Termidoriana - Golpe do 9 Termidor (Reao Termidoriana): Robespierre guilhotinado e Girondinos retomam o poder. - Conveno Termidoriana (1794 1795): Anulao das leis dos jacobinos. Perseguies a populares (Terror Branco). 24. O Diretrio (1795 1799): -1795: Nova Constituio 5 diretores (poder executivo), voto censitrio. -1795 e 1797 golpes realistas (frustrados) -1796: Conspirao ou Conjura dos Iguais (Graco Babeuf) rebelio popular fracassada. 25. Segunda Coligao contra a Frana (PRUS + ESP + HOL + ITA) derrotada. Crise econmica, corrupo, impopularidade. - Napoleo Bonaparte destaca-se. -Golpe do 18 Brumrio (1799): Napoleo Bonaparte toma o poder. Fim da Revoluo Francesa. 26. A ERA NAPOLENICA - (1799-1815) CONSULADO 1799-1802 CONSULADO VITALCIO 1802-1804 IMPRIO 1804-1815 27. Banco Francs moeda franco Construo de obras pblicas Estmulo mecanizao industrial Reatou as relaes com a igreja O ensino responsabilidade do Estado 28. Cdigo Civil ou Cdigo Napolenico (1804) Baseado no direito romano, buscou conciliar perante a lei os princpios revolucionrios: IGUALDADE do indivduo perante a lei, DIREITO de propriedade e a proibio de greves e organizao de sindicatos. 29. O IMPRIO DE NAPOLEO A Frana era uma potncia militar A Inglaterra maior potncia da Europa Napoleo desejando reduzir a potncia Inglesa decreta o : BLOQUEIO CONTINENTAL 30. Em 1808 Napoleo interveio na Espanha Em 1808 Famlia Real Portuguesa foge para o Brasil 1811 Napoleo invade a Rssia 1814 Napoleo perde seus direitos como imperador 1815 o governo dos cem dias 1815 exlio em Santa Helena 31. O CONGRESSO DE VIENA 32. Presidido pelo prncipe Metternich, da ustria (Rssia, Prssia, Inglaterra e Frana) Para refazer o mapa da Europa: Princpio da LEG