iluminismo e revolução francesa

Download Iluminismo e Revolução Francesa

If you can't read please download the document

Post on 16-Mar-2016

26 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Iluminismo e Revolução Francesa. Prof. Ms. Fernando Carvalho. Definição : movimento filosófico, intelectual e científico que contrariou as bases do Antigo Regime; Quando : século XVIII; Onde? ING (início), FRA (auge); - PowerPoint PPT Presentation

TRANSCRIPT

  • Iluminismo e Revoluo FrancesaProf. Ms. Fernando Carvalho

  • Definio: movimento filosfico, intelectual e cientfico que contrariou as bases do Antigo Regime; Quando: sculo XVIII; Onde? ING (incio), FRA (auge); Quem? O iluminismo representou basicamente a forma da burguesia interpretar o mundo; Caractersticas bsicas: Racionalismo; Cientificismo;Antiabsolutismo;Anticlericalismo;Defesa das liberdades individuais.

  • Principais representantes do Iluminismo: A) JHON LOCKE (ING): Precursor do Iluminismo (considerado o Pai do Iluminismo). Direitos naturais e inalienveis dos homens: vida, liberdade e propriedade.Os governos existem para preservar esses direitos.LIBERALISMO POLTICO.Defesa da Monarquia Parlamentar (Constitucional);.Conhecimento = experincia e razo.

  • B) ADAM SMITH (ING): Pai da economia.No interveno do Estado na Economia.Livre concorrncia, lei da oferta e da procura, diviso do trabalho.Riqueza = trabalho.LIBERALISMO ECONMICO.

  • C) FISIOCRACIA (FRA): Verso francesa do liberalismo econmico.No interveno do Estado na economia.Riqueza = agricultura.Tericos destacados: QUESNAY, GOURNAY, MIRABEU, DUPONT E TURGOT.Lema: Laissez faire, laissez passer, le monde va de lui-mme (Deixai fazer, deixai passar, que o mundo anda por si mesmo).

  • D) C. S. MONTESQUIEU (FRA): Diviso de poderes: executivo, legislativo e judicirio.Harmonia e autonomia entre os poderes.Submisso de TODOS perante a lei.

    E) J. M. VOLTAIRE (FRA):Crtica ao clero e a intolerncia.Igualdade jurdica.Liberdade de expresso.Monarquia ilustrada.

  • F) J. J. ROUSSEAU (FRA): Soberania popular.Poder = povo (democracia).Teoria do bom selvagem.O mais importante e influente.

    G) DIDEROT e DALEMBERT (FRA): Enciclopedistas.

  • O Despotismo Esclarecido: Reis absolutistas que influenciados pelas idias iluministas promovem reformas em seus pases, porm sem abdicar de seu imenso poder.Tentativa de evitar rebelies internas.

  • PASREIMEDIDASUSTRIAJOS IIFim da servido e relativa liberdade de imprensa RSSIACATARINA IICriao do ensino leigo e de uma Universidade em Moscou PRSSIAFREDERICO IIChamado o rei filsofo, eliminou as torturas em seu pas e criou o ensino obrigatrio PORTUGALJOS I (orientado pelo ministro Pombal)Combate a influncia inglesa na economia de seu pas, incrementa a produo industrial e combate a influncia poltica da Igreja no seu pas atacando e expulsando os jesutas do reino ESPANHACARLOS III (orientado pelo ministro Aranda)Reduziu a tortura e a influncia da Inquisio no pas e expulsou os jeustas

  • Importncia do movimento: Influenciou uma srie de movimentos na Europa e fora dela que abalam definitivamente o Antigo Regime ao longo dos sculos XVIII e XIX, como por exemplo a Independncia dos EUA e a Revoluo Francesa; Base do pensamento contemporneo em muitas sociedades ocidentais, no que diz respeito a organizao poltica, econmica e social.

  • Revoluo Francesa

  • Contexto Geral da Frana Pr-revolucionriaCrise Econmica: A Frana era basicamente agrria e semifeudal, aliada ao crescimento demogrfico e catstrofes naturais.Crise Poltica: Crise do antigo regime, fortalecimento econmico da burguesia.Crise Social: A sociedade francesa era dividida em: 1 estado (clero), 2 estado (nobreza) e 3 estado (povo).Obs: o primeiro e o segundo estado no pagavam impostos, ficando toda a carga tributria para o terceiro estado.

  • As Fases da RevoluoA convocao dos Estados Gerais (1789):Convocada pelo rei Lus XVI;Reunio dos representantes dos trs estados;1 estado (291 deputados), 2 estado (270) e o 3 estado (578);O voto era por estado e no por representante individual.O 3 estado se retiram e trancados na sala de jogo da pla declararam-se Assemblia Nacional Constituinte

  • As Fases da RevoluoCriao de uma Guarda Nacional financiada pela burguesia contra o rei;A queda da Bastilha em 14/07/1789;O Grande Medo reao camponesa contra os privilgios da aristocracia, invadiram, saquearam e incendiaram propriedade rurais.

  • As Fases da RevoluoAssemblia Nacional (1789-1792)Perodo caracterizado pelo fim do absolutismo e pela promulgao de uma nova constituio;Abolio dos direitos feudais;A Declarao dos Direitos do Homem e do Cidado;A Constituio Civil do Clero.Em 1791 foi proclamada a primeira Constituio da Frana.

  • As Fases da RevoluoAssemblia Nacional (1789-1792)A Primeira Constituio da Frana:Estabelecia a monarquia constitucional;Composta pelos trs poderes (executivo, legislativo e judicirio);O voto era censitrio.Os grupos polticos:Os girondinos;Os jacobinos;Reao da nobreza contra os revolucionrios;O rei Lus XVI preso.

  • As Fases da RevoluoConveno Nacional (1792-1795)Foi a fase mais radical da Revoluo Francesa e dominada pelos jacobinos; Aprovao de uma nova constituio em 1793;Ocorreu a execuo do rei Lus XVI (21/01/1793)A fundao do museu do Louvre;Criao do comit de Salvao Pblica (responsvel pela administrao e defesa externa do pas);O Comit de Salvao Nacional (segurana interna);O Tribunal revolucionrio (julgava os opositores da Revoluo); O regime de terror (Robespierre);O Golpe do Termidor ps fim a era jacobina e iniciou o diretrio

  • As Fases da RevoluoDiretrio (1795-1799)Caracterizado pela supremacia girondina;Era exercido por um diretrio composto por 5 membros;Enfrentou levantes populares e crise econmica e social;Em 1796, ocorreu a Conspirao dos Iguais liderado por Graco Babeuf.Externamente a Frana obtinha vitrias contra as foras absolutistas da Espanha, Holanda, Prssia e reinos da Itlia (a segunda coligao);Destaque para as vitrias militares de Napoleo Bonaparte;Napoleo Bonaparte (apoiado pelos girondinos) promoveu o Golpe 18 Brumrio que ps fim ao Diretrio instaurando o Consulado.

  • O Consulado era representado por trs elementos;O poder na prtica concentrou-se nas mos de Napoleo;Perodo marcado pela consolidao das conquistas burguesas.Obs: o saldo da Revoluo: a aristocracia perdeu seus privilgios, fim das amarras feudais,a destruio do Antigo Regime, criao de um mercado nacional, transformao de um estgio feudal para o capitalista e a consolidao de um Estado burgus.

  • A Era Napolenica e o Congresso de Viena (1799 1815) Napoleo Bonaparte:Nascido na Crsega em 1769;Alcanou o generalato com apenas 24 anos;Ganhou prestgio popular e junto as suas tropas devido as sucessivas vitrias militares;Comandou a Campanha da Itlia, em 1797 e assinou a Paz de Campofrmio com os austracos obtendo importantes vantagens territoriais;Comandou a campanha do Egito (1798 1799);Venceu a Segunda Coligao pases contra a Frana.

  • A Era Napolenica e o Congresso de Viena (1799 1815) O Consulado (1799 1804):As prioridades desse governo era enfrentar as ameaas externas e reorganizar a economia e a sociedade francesa;Assinou com a Inglaterra a Paz de Amiens (1802);Fundou o Banco da Frana;Criou um novo padro monetrio o francoEstimulou a indstria nacional e a produo agrcola

  • ERA DAS REVOLUES

  • Europa no sculo XIXFatores:Queda de colheitas;Situao de misria do proletariado;Ausncia de garantias e direitos fundamentais para o trabalhador;Represso liberdade de expresso;Aliana temporria entre setores da pequena e mdia burguesias com o proletariado;Ideais nacionalistas, liberais e socialistas

  • LiberalismoDemocracia;Poderes separados em Executivo, Legislativo e Judicirio;O Estado deveria servir o cidado respeitando a sua liberdade;Liberalismo econmico (iniciativa privada);O Estado deveria estar separado da Igreja;Liberdade religiosa e filosfica

  • NacionalismoRespeito pela formao natural dos povos, ligados por laos tnicos, lingsticos e por outros laos culturais;Direito de todos os povos lutarem por sua independncia como nao;Direito dos povos de viverem, com autodeterminao, num territrio unificado.

  • As revolues liberais na Frana

    A restaurao dos Bourbon: Lus XVIII e Carlos XLus XVIII (1815-1824):Terror Branco: violenta represso aos grupos bonapartistas e liberais;Equilbrio entre o liberalismo burgus e as foras aristocrticas tradicionais.Carlos X (1824-1830): Desejava a instituio do Absolutismo de direito divino;Foi apoiado pela Igreja e por setores ultraconservadores;Deu Igreja o controle do ensino promovendo o retorno dos jesutas;Indenizou aristocratas que tiveram suas propriedades confiscadas durante a Revoluo Francesa.

  • Revoluo de 1830: a alta burguesia contra o rei1830: Carlos X, para reprimir o liberalismo, dissolveu a Cmara dos Deputados e imps severa censura imprensa;julho/1830: estoura a revoluo liderada pela alta burguesia financeira que conseguiu depor Carlos X. Em seu lugar subiu Lus Felipe DOrleans que governou at 1848.Lus Felipe, o rei burgus: Governou para a burguesia (banqueiros);Foi apoiado por seu ministro Franois Guizot;Procurou harmonizar o apoio da burguesia liberal e a resistncia conservadora para que, garantindo a ordem social interna, pudesse dar liberdade econmica s classes dominantes.Expanso colonial em direo frica e Oceania;O proletariado vivia numa situao de misria absoluta.

  • Revoluo de 1848: o levante popular contra o reinado dos banqueirosCom o descontentamento das classes populares, um grande levante (estudantes, trabalhadores e membros da Guarda Nacional), liderados por liberais e socialistas, rebelaram-se contra Lus Felipe e seu ministro Guizot que foram derrubados do poder;Formou-se um governo provisrio composto de representantes da burguesia liberal (Alphonse de Lamartine) e de socialistas (Louis Blanc);Tentando melhorar a situao dos trabalhadores foram criadas as Oficinas Nacionais que eram empresas dirigidas e sustentadas pelo Estado. Todavia, para mant-las foram criados impostos, fato este que a burguesia no gostou.

  • Para conter os trabalhadores o general Eugne Cavaignac, recebeu plenos poderes para reprimir vi