III Seminário Democracia, Direito e Gestão Pública Brasília, 24 e 25 de Novembro de 2011

Download III  Seminário Democracia, Direito e Gestão Pública Brasília, 24 e 25 de Novembro de  2011

Post on 02-Jan-2016

30 views

Category:

Documents

2 download

DESCRIPTION

A participao e o controle social nas polticas para as mulheres: desafios postos para a gesto pblica Maria Elisa A. Brandt e Carla de Paiva Bezerra. III Seminrio Democracia, Direito e Gesto Pblica Braslia, 24 e 25 de Novembro de 2011 - PowerPoint PPT Presentation

TRANSCRIPT

Slide 1

A participao e o controle social nas polticas para as mulheres: desafios postos para a gesto pblica

Maria Elisa A. Brandt e Carla de Paiva Bezerra

III Seminrio Democracia, Direito e Gesto PblicaBraslia, 24 e 25 de Novembro de 2011

Tema 2:Equilbrio Democrtico e Controle Social: Sociedade Civil e Participao Social nas Organizaes Pblicas

12RoteiroPara sair do impasse: espaos de interveno na interface entre gesto e gneroA gesto da poltica para as mulheres no contexto geral das estratgias de planejamento e gestoContextualizao: A insero da agenda de gnero nas polticas pblicas IntroduoObjetivoPontos de PartidaPrincipais questesAnos 80 e 90: a redemocratizaoAnos 2000: a institucionalizao de organismos executivos;Mecanismos de Democracia ParticipativaPPA 2012-2015Comentrios FinaisAs Conferncias e os PlanosO Comit de Articulao e Monitoramento do PNPM e a questo da transversalidade2ObjetivoDiscutir, da perspectiva da gesto, alguns dos desafios para a promoo da participao e do controle social sobre as polticas pblicas para as mulheres.Pontos de Partida:

A sociedade brasileira marcada por profundas desigualdades: discriminaes de gnero, raa/cor, classe e orientao sexual.Padro dominante de gnero no Brasil: subordinao e dominao das mulheres, tanto na esfera pblica como na privada.O Estado, por meio de polticas pblicas, tem papel fundamental na reduo das desigualdades e enfrentamento das discriminaes.Discutir gesto pblica + polticas para as mulheres, entre gestoras e gestores pblicos: estratgia relevante de interveno para quem busca aprimorar a ao estatal nesse campo.QuestesDe que maneira as dinmicas participativas como as conferncias de polticas para as mulheres e a atuao do Comit de Articulao e Monitoramento do Plano Nacional de Polticas para as Mulheres se inserem no cotidiano da gesto pblica? Quais as caractersticas dos instrumentos de planejamento e gesto atuais, e como eles impactam a construo de uma agenda de gnero nas polticas pblicas?Que temas de gesto precisam ser debatidos quando buscamos explicao para a impermeabilidade das agendas dos rgos setoriais s demandas advindas dos movimentos feministas e de mulheres?Motivos da escolha da estratgia uso do conceito de transversalidadeEstratgia de gesto X prticas cotidianas do servio pblicoMedidas em gesto, com foco em organizaesContextualizao: A insero da agenda de gnero nas polticas pblicas Contexto mais recenteDemocracia Participativa e as CNPM Brasil: experincias inovadoras de participao democrtica dos cidados:oramentos participativos;conselhos de polticas pblicas;conferncias temticas.A gesto da poltica para as mulheres no contexto geral das estratgias de planejamento e gestoProcesso Conferncias Planos Nacionais: o caminho percorridoMas o que o PNPM?O Comit e o conceito de transversalidadeO Desafio da Gesto PblicaA questo central que as estratgias de participao e controle social colocam para a gesto como proceder melhor traduo possvel das demandas da sociedade, expressas por exemplo nos documentos finais das conferncias, em polticas concretas.

Na escolha dos instrumentos de gesto, os critrios de eficincia gerencial ou tcnica so compatveis com os critrios democrticos de responsabilizao, participao e controle social Transversalidade: diferentes campos discursivosObjetivo: acompanhar e avaliar periodicamente o cumprimento dos objetivos, metas, prioridades e aes do PNPM, e promover a articulao entre os rgos responsveis pela implementao Dificuldades: compromisso poltico dos ministrios muito varivelRepresentao em rgos colegiados no levada a srioEsforo focado no indivduoAjustes de rota: responsabilizao ainda maior do indivduo; socorro da alta hierarquia

12Para sair do impasse: espaos de interveno na interface entre gesto e gneroARIZNABARRETA (2001): para funcionar, a transversalidade, ou a coordenao horizontal ou lateral em uma organizao ou entre vrias delas, depende da percepo comum de sua interdependncia, fundada no compartilhamento de um ambiente de trabalho, quer porque atuem sobre a mesma realidade externa (um setor da populao) ou porque compartilhem objetivos gerais, da organizao ou do sistema de organizaes ao qual pertencemAlta hierarquia (Presidncia, MPOG): medidas de gesto em organizaesPlanejamento estratgico, alinhamento, incentivos e sanesServidor: compreenso do valor pblico de sua ao atrelado a direitos e legitimidade social das polticas

Cultura organizacional na administrao pblica que influenciam a atuao de servidores que so mais determinantes de sua prtica cotidiana do que serem ou no atentos questo de gnero.Pacto Nacional de Enfrentamento Violncia contra a Mulher. Outra forma de coordenao inter-setorial de polticas: a agncia inicial da PR (Casa Civil) monitoramento constante , responsabilizao dos pares e empoderamento do coordenador diferena nos resultadosObjetivos referidos a gnero no impactam a atuao individual e a tomada de deciso dos executores diretos da poltica.COMENTRIO: A diretriz da transversalidade de gnero continuar sendo mera pea de retrica, mesmo que se aprimorem os instrumentos de gesto, enquanto os objetivos referidos a gnero no impactarem as tomadas de deciso dos executores diretos da poltica.

13Para sair do impasse: espaos de interveno na interface entre gesto e gneroA governabilidade democrtica requer tanto a representao das mulheres no jogo democrtico como sua presena eficaz nos processos de harmonizao com o poder real. A lgica da governabilidade a do poder efetivo e o poder efetivo demanda um particular esforo sobre os mecanismos e instituies de gesto. (MONTAO; PITANGUY; LOBO, 2003, p. 20) NOVO PPA INCIO DE UM PROCESSO:Mais genrico e enxuto, se desvincula do oramentoConstruo transversal: gerao de objetivos comuns Associaes entre aes e objetivos mais evidentesFortalecimento de transparncia e participao social

Planejamento, mais genrico, se desvincula do oramento PPA mais enxuto as associaes entre aes e seus objetivos mais evidentesFortalecimento de instrumentos de transparncia e participao social (Programa Democracia e Gesto Pblica)

14Para sair do impasse: espaos de interveno na interface entre gesto e gneroGERAO DE VALOR PBLICO: Atividades que respondem efetivamente a demandas democraticamente legitimadasRespostas sejam de natureza pblica; eGerem mudanas sociais (resultados) que modifiquem certos aspectos da sociedadeAprimoramento da qualidade tcnica (enunciados, objetivos, metas e indicadores consistentes (JANNUZZI, 2001; CAVENAGHI, 2008).Medidas organizacionais e de desenvolvimento de RHSistema de princpios e valores que orientem o comportamento de servidores GERAO DE VALOR PBLICO Planejamento, mais genrico, se desvincula do oramento PPA mais enxuto as associaes entre aes e seus objetivos mais evidentesFortalecimento de instrumentos de transparncia e participao social (Programa Democracia e Gesto Pblica)

15

Recommended

View more >