iências humanas 117 -...

Download iências Humanas 117 - evl.com.brevl.com.br/enem/wp-content/uploads/2013/10/ciencias-humanas-ficha... ·

Post on 17-Dec-2018

215 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Curso Pr-ENEM Cincias Humanas

iiiiiinnnnnnccccciiiiiiaaaaaasssss HHHHHHuuuuummmmmmaaaaaannnnnnaaaaaasssssiiiiiiiiinnnnnnnnnnnccccciiiiiiiiiiiaaaaaaaaaaaaaasssssss HHHHHHHHHHuuuuuuuuummmmmmmmmmmmmaaaaaaaaaaaaaaannnnnnnnnnnaaaaaaaaaaaaaasssssssEEE SSSUUUAAASSS TTTEE SSSUUAS TTE SUAS TEEE SSSUUUAAAASSS TTTTEEEE SSSSSSUUUUUAAAAAAASSSSS TTTTTT CEEECCCEECECCCCEEECCCEEEEEEECCCC SNNNNOOOLLLOOOGGGIIAAASSSNNOOLOOGGIASNOLOGIASSSSSSNNNNOOOLLLOOOGGGIIAAAASSSNNNNNNNOOOOOLLLLLLOOOOGGGGIIIIIIIIAAAAAAASSSSS

117Ficha de EstudoFicha de EstudoFicha de Estudo 117117

Tema

Natureza e Cultura: Contextos e Espaos

Tpico de estudoImpactos Ambientais das Atividades Econmicas e Recursos Energticos

Entendendo a competnciaCompetncia 6 Compreender a sociedade e a natureza, reconhecendo suas interaes no espao em diferentes contextos histricos e geogrficos.A competncia 6 refere-se capacidade de entender as relaes do ser humano com o meio ambiente, auxiliando na compreenso da realidade socioambiental em que as pessoas se inserem. Nessa competncia so abordados temas relativos ocupao dos espaos fsicos e importncia dos recursos naturais, auxiliando a compreender como, por exemplo, as tecnologias da sociedade alteram de forma positiva ou negativa o meio ambiente.

Desvendando a habilidadeHabilidade 27 Analisar de maneira crtica as interaes da sociedade com o meio fsico, levando em considerao aspectos histricos e/ou geogrficos.Dominar essa habilidade implica compreender como as sociedades humanas se alteram e se apropriam do meio am-biente, seja na forma de recursos naturais diretos ou na produo agrcola e industrial. condio fundamental para desenvolver essa habilidade, prestar ateno s interaes do homem com a natureza, considerando o respectivo contexto histrico e as dinmicas produtivas e sociais do espao geogrfico.

Situaes-problema e conceitos bsicosONU diz que Biocombustveis so Crime Contra a Humanidade

A produo em massa de biocombustveis representa um crime contra a humanidade por seu impacto nos preos mundiais dos alimentos, declarou em 2008 o relator especial da ONU (Organizao das Naes Unidas) para o Direito Alimentao, o suo Jean Ziegler. Os crticos dessa tecnologia argumentam que o uso de terras frteis para cultivos destinados a fabricar biocombustveis reduz as superfcies destinadas aos alimentos e con-tribui para o aumento dos preos dos mantimentos. Pouco tempo depois, o presidente Luiz Incio Lula da Silva disse durante viagem Holanda, que os recentes aumentos nos preos dos alimentos indicam que necessrio produzir mais em nvel mundial, mas que no se pode culpar o investimento nos biocombustveis pela presso nos preos. Lula voltou ao assunto ao afirmar que a elevao dos preos dos alimentos inflao boa, que convoca os pases a produzir mais e atender demanda por alimentos no mundo. A inflao sobre os alimen-tos decorrente do fato de que as pessoas esto comendo mais, disse Lula.

(Ada ptado de Folha Online)

O texto acima expe dois pontos de vista diferentes sobre o mesmo tema nos conduzindo diretamente a um turbilho de questionamentos. De forma radical, o relator da ONU afirma que a produo de biocombustveis brasileira um crime contra a humanidade, por conta de, mesmo com toda a vocao do Brasil como produtor alimentar, o pas destinar terras agricultveis produo de combustveis. O ento presidente Luiz Incio Lula da Silva responde dizendo que o aumento no preo dos alimentos uma demonstrao de que as pessoas esto consumindo mais, buscando tirar o foco da discusso de cima dos biocombustveis. Afinal, quem construiu o raciocnio mais razovel? Ou melhor, existe algum lado completamente certo nessa argumentao?

Curso Pr-ENEM Cincias Humanas

Os textos 1 e 2 que vamos ler a seguir, em um primeiro momento, parecem no ter relao direta com essa questo. primeira vista, so assuntos diferentes, ambos srios e complexos, porm diversos. O primeiro texto fala da elevao do preo dos alimentos e dos seus impactos sobre o cotidiano da populao (ameaando a se-gurana alimentar e comprometendo uma parcela crescente da renda com alimentao). J o segundo texto fala sobre o uso da gasolina e do etanol como combustveis, ressaltando as vantagens ambientais do biocombustvel.

O objetivo da contraposio dos textos provar que os assuntos tratados em ambos so muito interligados. As questes relativas energia, produo de alimentos e s discusses ambientais se influenciam mutuamente de forma fundamental. Em outras palavras, o preo do acar est ligado ao preo do combustvel e ambos esto relacionados aos problemas ambientais. Como? Comece lendo os textos.

Texto 1

CONSUMIDORES TENTAM DRIBLAR OS REAJUSTES DOS PREOS DOS ALIMENTOS NO DIA A DIA 08/03/2012.

A constatao revelada hoje pela Organizao das Naes Unidas para a Alimentao e a Agricultura (FAO) de que o preo dos alimentos no mundo aumentou em mdia 1%, puxado pelo acar, cereais e leos, tambm percebida no Brasil. Em Braslia, donas de casa e pais de famlia reclamam da elevao das despesas domsticas devido ao aumento dos preos nos supermercados em geral. A aposentada Maria Jos de Brito, de 57 anos, disse Agncia Brasil que o aumento foi geral de todas as mercadorias que consome no seu dia a dia. O arroz com feijo sagrado, todo santo dia tem que ter, disse ela. A lentilha e o gro de bico tambm esto mais caros. Para driblar esse aumento, eu incremento na culinria: fao quibe, por exemplo, e coloco verduras. Oliveira faz suas recomendaes para quem, como ele, tem de ir s compras com frequncia. Compro em promoes. Mas nem sempre compensa, porque preciso ficar andando de mercado em mercado. Acho abusivo, porque os produtos aumentam, mas o salrio, no. A auxiliar de enfermagem Jaciara Almeida, de 40 anos, reclamou do preo da carne e, segundo ela, a alternativa para economizar escolher cortes mais baratos. A carne subiu bastante. Para economizar, estou comprando os cortes mais baratos. Compensa muito. Pego as promoes dos dias, por exemplo., disse. Elda Alves da Silva, 36 anos, que acompanhante de idosos, disse que fica atenta aos anncios sobre promoes dos supermercados. Quando tem promoo na televiso, eu corro e compro, porque seno no tem condio de manter a alimentao. Reparei que aumentou muito o caf, o arroz, o feijo. Isso faz muita diferena no bolso, disse ela.

Adaptado de Agncia Brasil

Texto 2

LCOOL OU GASOLINA? IMPACTOS AMBIENTAIS TM DE SER LEVADOS EM CONSIDERAO

O lcool tem autonomia em torno de 30% menor, por isso preciso mais lcool do que gasolina para cumprir o mesmo percurso. Financeiramente falando, o litro de lcool teria de ser pelo menos 30% mais barato que o da gasolina para valer a pena para o consumidor. Mas o preo no deve ser o nico fator de escolha do consumidor. Deve ser considerado o custo do impacto ambiental de usar esse ou aquele combustvel. A gasolina contribui para o aquecimento global. um combustvel fssil derivado do petrleo que emite dixido de carbono (CO2) ao ser queimado nos motores, e contribui enormemente para o aquecimento global. O etanol - o lcool combustvel , ao contrrio, um combustvel renovvel, feito de cana-de-acar. Embora o etanol tambm emita CO2 na sua queima, os canaviais absorvem esse gs no processo de fotossntese. Por isso, do ponto de vista do aquecimento global, o lcool considerado um combustvel limpo. Se levarmos em conta apenas o preo dos combustveis na hora de encher o tanque, deixamos escapar uma oportunidade de contribuir para combater as mudanas cli-mticas e a conta chegar ao futuro...Podemos fazer escolhas, podemos no levar em conta os impactos ao meio ambiente, mas quanto isso ir custar no futuro? Precisamos estar conscientes dos custos ambientais!

Fonte:http://eco-acao.blogspot.com.br/2010/07/alcool-ou-gasolina-impactos-ambientais.html

Os biocombustveis so apontados por alguns como uma das alternativas mais viveis e ecologicamente be-nficas para diminuio da dependncia dos combustveis fsseis. Cabe lembrar que toda a energia proveniente da biomassa considerada renovvel, ao contrrio dos combustveis fsseis.

No entanto, quando acrescentamos a questo alimentar surge a dvida: esse o caminho? A expanso do uso dos biocombustveis no pode comprometer a produo de alimentos e, por consequncia elevar seus preos? Para alguns o remdio ambiental pode ser uma doena alimentar. Podemos comear esse debate discutindo a relao dos biocombustveis com o meio ambiente.

Os biocombustveis so obtidos de diversos vegetais, como a cana-de-acar, o milho, o girassol, a soja e a mamona. So exemplos de biocombustveis, o Etanol e o Biodiesel.

Curso Pr-ENEM Cincias Humanas

O biocombustvel, ecologicamente falando, apresenta algumas vantagens quando comparado s fontes ener-gticas derivadas do petrleo (gasolina, diesel etc.). No entanto nem tudo so flores, e a lista de desvantagens possveis e reais atribudas aos biocombustveis to extensa quanto de vantagens. Vamos observar o quadro a seguir e comparar.

Vantagens Desvantagens

a menor emisso de gases poluentes durante a

combusto;

b contribuio para estabilizar o ciclo do carbono

(co2), pois, como podemos observar na figura 1, a

seguir, o carbono liberado no processo de combus-

to absorvido na fase de crescimento do

vegetal;

c disponibilidade, no caso especfico do Brasil, de

grande rea para o cultivo de plantas que podem

ser usadas para a produo de biocombustveis;

d necessidade de menor investimento financeiro em

pesquisas (as pesquisas de prospeco de petrleo

tm custo muito elevado);

e possibilidade de substituio do leo diesel pelo bio-

diesel, sem necessidade de ajustes no motor;

f manuseio e armazenamento mais seguros em com-

parao com os combustveis fsseis.

a consumo de grande qua

Recommended

View more >