História - Pré-Vestibular Impacto - Grécia - Formação da Sociedade Grega

Download História - Pré-Vestibular Impacto - Grécia - Formação da Sociedade Grega

Post on 06-Jun-2015

4.996 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

KL 070208Frente: 01Aula: 01PROF: RAMIROA Certeza de VencerFORMAO DA SOCIEDADE GREGAdiversos nveis percebidos da vida material do homem contemporneo. No campo das ideias, a produo filosfica dos gregos constitui a fonte onde beberam todas as principais cincias de hoje (Matemtica, Fsica, Anatomia, Histria, Arquitetura, Qumica e etc.), as artes formaram uma escola denominada de classicismo que com uma produo teatral, arquitetnica e literria vastssima seria o inspirao primeira dos autores renascentistas, praticamente dois mil anos mais tarde. 1.3 O PROBLEMA COM A TERRA Uma das questes que mais dificultaram a vida dos habitantes da Grcia Antiga foi certamente o problema com a terra. Cerca de 80% do territrio composto por cadeias de montanhas, sendo a menor parte composta por plancies de solo pedregoso e, portanto pouco frtil. Tal situao far com que os gregos muito cedo partam em busca de outras terras fora do seu espao de origem, colonizando diversos pontos do mar Egeu e do Mediterrneo, mantendo deste modo, um contato com diversos dos povos da antiguidade (fator que contribuiria substancialmente para seu desenvolvimento cultural). A questo da terra tambm resultaria na ecloso de vrios conflitos de ordem interna e externa pelo uso da mesma, observao que verificaremos com maior detalhes ao longo desta apostila.Fale conosco www.portalimpacto.com.brA Formao da Sociedade Grega.A Grcia se localiza no continente Europeu, sendo a um s tempo continental, peninsular (Peloponeso) e insular (Ilhas diversas).I NOES PRELIMINARES 1.1 A IDIA DE MUNDO GREGOAcima, o Partenon, templo localizado na Acrpole de Atenas e dedicado a deusa Atena.1.2 O BERO DA CIVILIZAO OCIDENTAL praticamente um consenso entre os helenistas que a sociedade grega representa, em verdade, o bero da civilizao ocidental, tamanha a sua influncia nosFAO IMPACTO - A CERTEZA DE VENCER!!!ENSINO MDIO - 2008Ao longo da sua histria, os gregos antigos Jamais conheceram a centralizao poltica, sua forma de organizao eram as Cidades-Estados, caracterizadas pela manuteno da autonomia administrativa e legislativa. Cada uma dessas cidades possua o seu prprio sistema de governo regido por leis que s teriam valor nas reas dominadas pela polis. Embora no existisse unidade poltica, o Mundo Grego apresentava uma outra forma de identidade, percebida na vida cotidiana: a lngua, as praticas religiosas, as caractersticas tnicas e inmeros de seus elementos culturais poderiam aparecer, com algumas variaes, em todas os cidades que compunham esta admirvel civilizao.II - ORIGENS DA CIVILIZAO GREGA 2.1 A CIVILIZAO CRETO-MICENICA As origens do Mundo Grego remontam os tempos da Civilizao Cretense, uma fascinante sociedade desenvolvida a partir da Ilha de Creta - a maior ilha do Mar Egeu - por volta do ano 2000 a.C. Os cretenses possuam uma grande habilidade para a navegao e para o comrcio, tendo estabelecido contatos com a Mesopotmia e o Egito, dentre outras sociedades da antiguidade oriental, tal experincia influenciou bastante no aprimoramento das artes em geral na Ilha, outra de suas grandes caractersticas. At o sculo XV a.C., os cretenses exerceram uma completa hegemonia na regio do Mar Egeu, construindo um sistema de saneamento complexo e um patrimnio cultural bastante aprecivel, contudo, no que diz respeito a defesa ou a capacidade blica de Creta, estas seria insuficientes, tornando-se vulnervel a invaso de inimigos exteriores, como ocorreria nos sculos seguintes. 2.2 AS MIGRAES DOS INDO-EUROPEUS Grupos nmades oriundos das regies centrais da Europa iniciaram sucessivas levas migratrias rumo Pennsula Balcnica, contribuindo para a colonizao da rea e fundando algumas das mais importantes cidades do que mais tarde seria chamado de Grcia. Vejamos os principais grupos indo-europeus:Fale conosco www.portalimpacto.com.br AQUEUS: Estes so reconhecidamente considerados o primeiro dos grupos indo-europeus a chegar na regio balcnico, em algumas obras chegamos a ver a utilizao deste nome como sinnimo de gregos, foram os responsveis pela fundao da cidade de Micenas, de onde estabeleceram um intercmbio com os cretenses e assimilaram boa parte de suas caractersticas e valores. Era o apogeu da Civilizao Creto-Micnica. JNIOS E ELIOS: Estes dois grupos chegaram por volta de 1700 a.C., foram responsveis pela colonizao de grande parte do litoral do Mar Egeu chegando at a sia Menor. Dentre os feitos atribudos a eles, merecem destaque fundao de Atenas plos primeiros e a fundao de Tebas plos ltimos. DRIOS: Estes foram os migrantes que causaram as mais expressivas transformaes para o perodo. De natureza guerreira e dominando perfeitamente as tcnicas de metalurgia, o que lhes permitia possuir armas de ferro, os drios impuseram sua vontade aos cretenses provocando a 1a Diaspora. 1 DIASPORA: Diante da inquestionvel superioridade militar dos drios, ocorreu uma fuga em massa dos habitantes das regies dominadas, partindo para os mais diversos pontos da regio do Mar Egeu. A diaspora ou disperso causaria uma regresso na produo intelectual dos cretenses. III - O PERODO HOMRICO Os quatrocentos anos que se seguiram chegada dos drios (de 1200 a 800 a.C. aproximadamente) permanecem bastante obscuros para ns, devido escassez de fontes escritas. O que existe sobre a poca so os poemas picos a "Ilada" e a "Odisseia" escritos por Homero, provavelmente no sculo VIII a.C., baseado em poesias e cantos transmitidos oralmente plos "aedos" (poetas e declamadores ambulantes), entremeando lendas e ocorrncias histricas relacionadas com as guerras entre os drios e os aqueus. Os poemas homricos referem-se aos acontecimentos relacionados destruio da sociedade micnica, como as guerras de Tebas e de Tria. Relatam as aoes dos heris gregos, com a ajuda de seus deuses. De sua leitura, percebe-se que a sociedade da poca era formada por reis (basileus) e nobres, senhores de terras e rebanhos. Os nobres organizavam-se em famlias extensas - os geni - em que os membros eram unidos por laos de parentesco consanguneo e/ou religioso. O "genos" era o ncleo humano em torno do qual se estruturava o "oikos", unidade econmica que compreendia terras, casas, ferramentas, armas e gado, dos quais dependia a sobrevivncia do grupo. O trabalho no "oikos" - pastoreio, agricultura de cereais, legumes e frutas, produo de leo e vinho, fiao e tecelagem era realizado plos membros do "genos" e plos escravos, obtidos atravs de pilhagens e saques; tanto quanto possvel, o "oikos" procurava ser auto-suficiente. A principal ocupao dos nobres, chefes dos "oikos", era a guerra praticada contra os vizinhos ou inimigos externos. As lutas se restringiam ao combateindividual entre os guerreiros, pesadamente armados. O objetivo das guerras era essencialmente a aquisio de escravos e de metais que o "oikos" no produzia. Alm dos reis e dos nobres, existiam trabalhadores livres - demiurgos - ferreiros, carpinteiros, videntes e mdicos, que prestavam servios aos nobres e ocasionalmente participavam de suas assembleias, como ouvintes, sem direito a tomar decises. Abaixo dos demiurgos, havia os tethas, homens sem posses e sem especializao, que vagavam de um lado para outro em troca de algum alimento ou roupa. IV - A FORMAO DA PLIS ou a CIDADE-ESTADO GREGA. Por volta do sculo VIII a.C., em algumas regies do territrio grego dos Balcs, da sia Menor e das ilhas do Mar Egeu, j havia um grande nmero de comunidades dominadas por grupos de famlias aristocrticas proprietrias das melhores terras, que justificavam seu poder pela autoridade que lhes provinha dos antepassados, muitas vezes um "heri" famoso do passado, ou mesmo at um deus. A figura do rei desaparecera, substituda por magistrados eleitos e por conselhos de nobres. Aos poucos o pequeno povoado tornou-se regra, com a populao reunindo-se em volta das antigas fortificaes micnicas, onde logo surgiam uma praa para o mercado e um ou dois templos. Esboava-se assim a forma de vida tradicional dos gregos - a "polis" - que iria se expandir de forma original durante os sculos seguintes. Cada Plis ou Cidade-Estado Clssica tinha sua prpria forma de governo, seus instrumentos de de peso e medida, calendrios e moedas particulares. Porm mantinha certos laos culturais, como o idioma, a religio e a prtica de certas modaidades esportivas, com as demais. O advento do Estado na Grcia representou o surgimento da fase mais esplendorosa do mundo clssico, pois a polis representaria o espao de afirmao do cidado grego, onde a produo filosfica e literria ganharia sua maior expresso, onde as tragdias e as comdias seriam encenadas nos teatros monumentais construdos ao ar livre por arquitetos de um brilhantismo invejvel e, ainda, um espao de discusses polticas em que a retrica seria um instrumento fundamental para a persuaso nos embates inflamados. Entretanto, esta viso corresponde aos interesses de uma minoria da populao, que constitua um governo de poucos, para a maioria a polis representou a excluso social e a marginalizao poltica.Imagem da Grcia AntigaFAO IMPACTO - A CERTEZA DE VENCER!!!ENSINO MDIO - 2008