Histria - Pr-Vestibular Impacto - Grcia - Atenas I

Download Histria - Pr-Vestibular Impacto - Grcia - Atenas I

Post on 06-Jun-2015

1.233 views

Category:

Documents

1 download

TRANSCRIPT

1CONTEDO

PROF: CHRCHAR

03A Certeza de Vencer

GRCIA ATENAS 01JACKY09/04/08

Fale conosco www.portalimpacto.com.br

CONTEDO As condies e relaes de trabalho na antiguidade (Atenas)

COMPETNCIAS Compreender a organizao social do trabalho como mltipla e variada no mundo antigo.

HABILIDADES Analisar as diversas formas de organizao social do trabalho na antiguidade.

Tema: Estrutura Social e Relaes de Trabalho em AtenasINTRODUO: A polis atenienses se originou a partir da unio de quatro tribos jnias e foi fundada na regio da tica com um privilegiado setor porturio. Esta sociedade apresentou um acentuado desenvolvimento em todos os setores, sendo considerada o bero da democracia. Atenas foi um Polis muito mais aberta a relaes exteriores do que os espartanos, por isso voltaram-se muito mais para o desenvolvimento da intelectualidade do que o militarismo. ESTRUTURA SOCIAL EUPTRIDAS OU BEM NASCIDOS Esta classe social era composta por uma minoria descendentes dos antigos jnios e possuam o poder sobre as maiores e melhores terras da tica e ainda concentravam em suas mos todos os poderes da sociedade, pois monopolizavam a poltica, econmica e exercito. GEORGOIS OU AGRICULTORES Esta camada social encontrava-se em uma situao de extrema misria e pobreza, pois alm de estarem alienados da educao e participao poltica, viviam constantemente ameaados pela hipoteca e pela escravido por dvidas. DEMIURGOS OU COMERCIANTES Esta classe social era composta por antigos camponeses que enriqueceram, devido o processo de expanso comercial ateniense no sculo VII a.C. Os demiurgos conquistaram acentuado poder econmico, entretanto no tinham poder poltico, pois possuam origem humilde. THETAS Esta classe social era composta por antigos georgoses falidos que perderam suas terras pela hipoteca e tiveram que migrar para o meio urbano com o objetivo de mudar a sua triste realidade, porm acabavam recaindo na mais completa marginalizao.VESTIBULAR 2009

ESCRAVOS Representavam a grande maioria da populao ateniense e geralmente eram prisioneiros de guerra, endividados ou por nascimento.

METECOS Esta camada da sociedade ateniense era composta por vrios estrangeiros que viviam perambulando pela cidade sem participao polticaFAO IMPACTO - A CERTEZA DE VENCER!!!

Fale conosco www.portalimpacto.com.br

CONDIES DE TRABALHO EM ATENAS AS RELAES DE TRABALHO EM ATENAS Lazer, tempo cio! Essa falta do que fazer que significava status nos tempos antigos. Em Atenas, temos uma diviso social que se aplica tambm diviso do trabalho: os cidados atenienses, detentores da riqueza, passavam o dia dedicando-se poltica e aos prazeres da vida, enquanto os estrangeiros e os escravos eram quem produziam para sustentar o luxo da elite. Vejamos separadamente a funo social e do trabalho desses sujeitos histricos. O TRABALHO DO CIDADO ATENIENSE Os Euptridas, nicos considerados cidados, eram os bem-nascidos de Atenas, pertencentes s famlias mais antigas e proprietrios das melhores terras. Portanto, enquanto o escravo dedica-se aos mais variados servios, o cidado ateniense podia dedicar-se com exclusividade poltica e ao lazer, pois a riqueza produzida pelo escravo era transferida, total ou parcialmente ao seu proprietrio. Ser que era realmente assim? Essa questo nos remete ao trabalho entre os cidados, pois enquanto uma minoria condenava o trabalho e via na poltica a verdadeira essncia da sua cidadania, a maioria necessitava de um ofcio. A maioria esmagadora dos Atenienses, quer possussem um escravo, dois ou nenhum, tratavam de ganhar a vida, e muitos deles no conseguiram passar de um nvel baixssimo. Havia muitas famlias pobres nos campos e, provavelmente, mais ainda na cidade. (FINLEY, M.I. Os Gregos Antigos). No campo da agricultura, fora durante toda histria ateniense a principal atividade do cidado. J no centro urbano de Atenas, os ofcios exercidos pelos artesos independentes eram atividades bastante comuns para garantir a sobrevivncia.

Percebamos que em Atenas raramente existia mobilidade social, tanto para escravos quanto para os metecos. Para estes a Proxenia, era um ttulo que corresponderia a uma espcie de Cnsul.

O PAPEL DO ESTRANGEIRO Os Metecos estavam sujeitos a um imposto anual, o que provava sua inferioridade em relao aos cidados. No possuam nenhum direito poltico e muito menos participavam de algum rgo. Suas atividades poderiam ser o comrcio, o artesanato, a atividade bancria, etc. por isso, sua presena era de fundamental importncia, todavia, no faziam parte da cidade (entenda-se nesse caso que cidade deve ser compreendida como o conjunto dos cidados). Esses estrangeiros eram os responsveis pelo comrcio que envolvia Atenas com regies como sia Menor, com o ponto Euxino e com o norte da frica. Essas regies cediam os mais variados tipos de recursos para suprir a necessidade do mercado ateniense. Logo, a concetrao de metecos nas regies porturias faz-se evidente, pois alm de conhecer o exterior, desenvolviam os variados ofcios que envolvem o funcionamento de um porto. Com isso, podemos entender porque a presena desses estrangeiros teve o apoio da prpria cidadeestado. A vida econmica est em mos dos metecos, legalmente excludos da propriedade territorial e que consagram aos negcios o tempo que os cidados perdem com a poltica. O TRABALHO PESADO DO ESCRAVO O indivduo tornava-se escravo por nascimento filho de escravo escravo, por ser prisioneiro de guerra e por dvida. Durante o perodo democrtico, existiam vrias funes desempenhadas pelo escravo em Atenas, pois no havia um ofcio que fosse exclusivamente servil. O escravo podia exercer diferentes atividades, como aguaceiros, agricultores, mineiros e serviais domsticos. Havia o escravo que poderia exercer uma profisso fora da casa e seu senhor, era alugado em troca de uma renda diria que era repartida com seu proprietrio. Existiam tambm os escravos pblicos, que poderiam ser desde trabalhadores braais at funcionrios administrativos. Esses escravos por serem especializados gozavam de maiores privilgios, muitos chegando condio de libertos. Uma coisa certa: toda a economia da Grcia Antiga esteve, em toda a sua histria, sustentada sobre o trabalho dos escravos. Era de fundamental importncia desde o cultivo do trigo, da criao do gado ou do transporte de alimentos. Sua presena era percebida em todos os pontos da cidade-estado, o que nos leva a acreditar que sua quantidade era em nmero bastante elevado.FAO IMPACTO A CERTEZA DE VENCER!!!

VESTIBULAR 2009