Histria do Brasil - Pr-Vestibular Impacto - Sociedades Indgenas na Amaznia Antes dos Europeus I

Download Histria do Brasil - Pr-Vestibular Impacto - Sociedades Indgenas na Amaznia Antes dos Europeus I

Post on 26-Jul-2015

2.713 views

Category:

Documents

2 download

TRANSCRIPT

2CONTEDO

PROF. ASSAID

02A Certeza de Vencer

SociedadesIndgenasnaAmaznia antes dos Europeus

CT150108

Fale conosco www.portalimpacto.com.br

Durante muito tempo, acreditou-se que a Amaznia, por ser uma floresta tropical, no poderia ter desenvolvido culturas mais complexas na sua organizao. Por isso, as pesquisas ainda so muito escassas. Ou melhor, as pesquisas recentes ainda no tiveram tempo para desvendar todos os mistrios guardados pela floresta. Mesmo assim, possvel classificar a ocupao da Amaznia antiga em quatro perodos: paleo-indgena, proto-ceramista, ceramista e cacicado. Observe um a um esses perodos.

O Proto-IndgenaDurante milhares de anos, h milhares de anos, povos caadores e coletores ocuparam a atual Amaznia. A arqueloga Anna Roosevelt localizou pinturas rupestres1na serra do Erer, em Monte Alegre, Par, com idade aproximada de 11.200 anos. Tambm vestgios humanos foram encontrados prximos Altamira. Sabe-se, tambm, que um povo caador e coletor habitou a ilha do Maraj h 6.000 anos As condies fsicas da Amaznia eram bastante diferentes. As glaciaes e seus efeitos faziam com que a floresta no tivesse a exstenso e intensidade de hoje. Provavelmente havia por aqui campos e cerrados em algumas partes. Foi nessa poca que aqui existia animais de grande porte, como o mastodonte, espcie de antecessor do elefante, o tatu-gigante, com seus dois metros de altura e o megatrio ou preguia gigante, com cinco a seis metros de altura. Todos herbvoros.

Pinturas pr-histricas no municpio de Monte Alegre.

O Proto-CeramistaComo conseqncia do fim da era glacial, houve o aumento das chuvas devido ao aquecimento do clima. Por isso as florestas cobriram a Amaznia, tornando a alimentao mais abundante. Da que, embora os grupos humanos permanecessem caadores e coletores, passaram a ocupar as beiras dos rios, tornando-se mais sedentrios. Por volta de 4.000 a.C., alguns desses grupos j utilizam tigelas e outras cermicas utilitrias (ao lado, exemplo de ponta de uma arma), alm de, provavelmente, plantar mandioca e batata-doce. Acredita-se que, nessa poca, surgiu em Rondnia um grupo que daria origem aos tupis.

O CeramistaH cerca de 3 mil anos, havia grupos que viviam em habitaes coletivas, com cerca de 100 a 150 pessoas, praticavam uma economia de subsistncia e possuam uma cermica ainda muito simples. Mais tarde a tcnica foi evoluindo e surgem objetos mais complexos. Prximo a Manaus, foram encontradas urnas funerrias com cerca de 2 mil anos. Na ilha do Maraj tambm encontrou-se vestgios de um povo que viveu h mais de 2 mil anos que guardava a cinza dos mortos em vasos. L tambm foram encontrados cachimbos, estatuetas e outros objetos. possvel que esses povos tenham sido substitudos por povos da cultura marajoara.

O CacicadoCom a melhoria da alimentao e o aumento populacional, surgiram ncleos populosos por toda a extenso do Amazonas. O cronista Carvajal2 relata que viu um desses stios em que constava de mais de 80 lguas, todas povoadas, e de aldeia em aldeia havia enorme proximidade. Algumas aldeias se estendiam por mais de cinco lguas (30 km) sem separao entre uma casa e outra e isso era coisa maravilhosa de se ver3.

1 2 3

gravado e/ou esgrafiado em rochas e cavernas por indivduos de povos primitivos Frei Gaspar de Carvajal, dominicano espanhol. PREZIA, Benedito. Os Povos Indgenas, Antes da Colonizao. in Revista Amaznia Ipar.FAO IMPACTO - A CERTEZA DE VENCER!!!

VESTIBULAR 2009

Fale conosco www.portalimpacto.com.br

Nessas sociedades, j havia a produo de excedentes que eram comercializados, alm de diferenciao social, com uma hierarquia, talvez, de classes em formao Os grupos mais representativos dessa forma de organizao so os de cultura marajoara e tapajnica. A Cultura Marajoara Ainda hoje, pouco se conhece da cultura marajoara, pois os estudos esto apenas iniciando. Contudo, sabe-se que eles ocuparam a regio central da ilha, prximo lagoa Arari, a partir do ano 400 na nossa era. L, construram aterros artificiais, chegando alguns a medir 250 m de comprimento, 59 m de largura e quase 6,5 m de altura4. Essa uma das suas principais caractersticas. Eles serviam como proteo contra as cheias dos rios. Era a que eles habitavam nas pocas de inundaes, mas esse local tambm servia para fins cerimoniais e funerrios. A construo desses tesos requeria conhecimentos de engenharia, mas tambm de uma marcante distino social, onde uma classe dirigente coloca uma grande parte da populao sob o regime de uma espcie de servido. Nesse sentido, um aspecto que chama a ateno que das urnas funerrias encontradas algumas so ricamente trabalhadas, enquanto que outras so bastante simples, reforando a existncia de uma elite e de uma camada inferior. A cermica marajoara rica em detalhes, caracterizando-se por seus desenhos geomtricos em preto, vermelho e branco. Os vasos funerrios apresentam geralmente formas humanas estilizadas. Alm de vasos, j foram encontrados apitos, enfeites, tangas de barro, estatuetas, confirmando que era uma sociedade complexa, inclusive com um culto mais elaborado. Algumas estatuetas eram de divindades. Por cerca de mil anos essa civilizao dominou o Maraj. At que por volta de 1350 foram suplantados pelos arus, povo de cultura mais simples, mas que provavelmente tinha a fora das armas. A Cultura Tapajnica A cultura que hoje conhecida como tapajnica desenvolveu-se nas inmeras ilhas da regio do baixo Amazonas, onde hoje Santarm. Eram inmeras aldeias, situadas em terras altas ou colinas, cada uma submetida a um chefe e todos abaixo de um chefe geral. Relatos do sculo XVII narram que havia o costume de mumificar o corpo desses chefes gerais, mas no h vestgios, pois missionrios destruram essas relquias arqueolgicas, associando essa prtica a rituais pagos. As aldeias possuam cerca de 20 a 30 casas, mas cronistas garantem que havia uma capital que era a mais populosa delas. E se for verdade o relato de Maurcio Heriarte, que acompanhava Pedro Teixeira na expedio pelo rio Amazonas, essa capital possua cerca de 60 mil guerreiros, fora o resto da populao. Eles possuam mercados, onde comercializavam milho, arroz selvagem, patos e papagaios, sendo que o milho era a alimentao bsica Construram tambm currais onde eram criados tartarugas e peixes-boi. VESTIBULAR 2009 A cermica desse povo era ricamente trabalhada e requintada nos detalhes. Estatuetas representam atividades cotidianas ou rituais. Diversas peas foram encontradas no Xingu, o que atesta o comrcio entre essas duas regies.

A civilizao tapajnica era bastante complexa e caminhava para a organizao de uma sociedade urbana. Contudo, a conquista no destruiu apenas essa possibilidade, mas muito daquilo que poderia representar objeto de estudos para melhor se conhecer o passado dessa civilizao.4

Hoje seriam necessrios 19 mil caminhes de terra para construir um aterro desses, segundo Benedito Prezia. FAO IMPACTO A CERTEZA DE VENCER!!!