História do Brasil - Pré-Vestibular - 1824 - Confederação do Equador

Download História do Brasil - Pré-Vestibular - 1824 - Confederação do Equador

Post on 06-Jun-2015

2.904 views

Category:

Documents

2 download

TRANSCRIPT

Conflitos na Histria do Brasil - Imprio Primeiro Reinado Confederao do Equador: 1824A Confederao do Equador foi um movimento revolucionrio, de carter emancipacionista e republicano, ocorrido em 1824 no Nordeste do Brasil. Foi a principal reao contra a tendncia absolutista e a poltica centralizadora do governo de D. Pedro I (1822-1831), esboadas na Carta Outorgada de 1824, a primeira Constituio do pas. O centro irradiador e a liderana da revolta couberam ento Provncia de Pernambuco, que j havia se rebelado em 1817 (ver Revoluo Pernambucana de 1817) e que enfrentava dificuldades econmicas. Alm da crise, a provncia se ressentia ao pagar elevadas taxas para o Imprio, que justificava essas taxas como necessrias para levar adiante as guerras provinciais ps-independncia (algumas provncias resistiam separao de Portugal). Pernambuco esperava que a primeira constituio do Imprio seria do tipo federalista, e daria autonomia para as provncias resolveram suas questes. No entanto, Dom Pedro dissolveu a assemblia constituinte em 1823 e outorgou uma constituio no ano seguinte, extremamente centralizadora. O grmen da revolta se plantou, e os jornais - notadamente o Tfis Pernambucano, dirigido pelo Frei Caneca - criticavam dura e abertamente o governo imperial. Vrios ex-revoltosos, anistiados em 1821, novamente conspiravam. Em julho de 1824 a revolta estourou no Recife. O estopim fora a priso de Manuel de Carvalho Pais de Andrade, que fora eleito chefe provisrio de uma junta de governo. Pais de Andrade se recusou a empossar o governador enviado por Dom Pedro I; o imperador, aps estourar a revolta, tentou conciliar-se com os pernambucanos, trocando o nome do governador nomeado, mas no adiantou. Os revoltosos enviaram emissrios para as demais provncias do Nordeste (ento Norte) do pas. Conseguiram apoio do Cear, do Rio Grande do Norte e da Paraba. Formou-se assim a Confederao do Equador propriamente dita, que pretendia organizar um pas independente do Brasil embora essa no fosse a inteno de muitos dos revoltosos. Surgiram algumas dissidncias internas no movimento, pois ele agregava classes sociais dspares. A proposta de Pais de Andrade no sentido de libertar os escravos e o exemplo haitiano (pas que recentemente se libertara do domnio francs atravs de uma revolta popular) no tranqilizavam as elites, e alguns proprietrios de terras passaram a colaborar com o governo imperial. Dom Pedro I enviou para o Nordeste tropas contratadas no exterior, sob o comando de Thomas Cochrane. Em Setembro, caram trs provncias, s restando o Cear, que no suportou alm de Novembro. Alguns lderes confederados, resistiram no Serto, at Dezembro. Vrios rebeldes foram condenados por um tribunal militar forca. Um fato interessante que passou para a histria (embora seja discutvel) foi a recusa dos carrascos em executar o Frei Caneca, mentor intelectual da revolta e uma das figuras mais carismticas do Recife poca, que se escondeu por alguns dias no municpio de Abreu e Lima a poca "Vila de Maricota" antes de fugir para o Cear. O religioso acabou sendo fuzilado, ao contrrio da sentena inicial que previa o enforcamento.