História da Arte - Pré-história e Antiguidade

Download História da Arte - Pré-história e Antiguidade

Post on 22-Dec-2014

8.503 views

Category:

Education

23 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Material sobre Histria da Arte: - Pr-histria; - Idade Antiga (Mesopotmia, Sumria, etc); - Idade Antiga Clssica (Grcia e Roma).

TRANSCRIPT

<ul><li> 1. Breve Histria da arte </li></ul><p> 2. Pr-Histria (~ 5.000.000 a.C 3.500 a.c) 3. Caractersticas Consideramos como arte pr-histrica todas as manifestaes que se desenvolveram antes do surgimento das primeiras civilizaes e portanto antes da escrita. No entanto isso pressupe uma grande variedade de produo, por povos diferentes, em locais diferentes, mas com algumas caractersticas comuns. 4. Caractersticas As manifestaes artsticas mais antigas foram encontradas na Europa, em especial na Espanha, sul da Frana e sul da Itlia e datam de aproximadamente de 25.000 a.C., portanto no perodo paleoltico. Na Frana encontramos o maior nmero de obras pr-histricas e at hoje em bom estado de conservao, como as cavernas de Altamira, Lascaux e Castilho. 5. Bison Caverna de Altamira A caverna se localiza ao norte da Espanha. Foi descoberta por Marcelino Sanz de Sautuola (18311888), quando explorava as cavernas com sua filha, Maria, que percebeu os desenhos de bois pintados na parede. 6. Pintura na Caverna de Lascaux, Frana Descoberta em 1940 por 4 jovens, as pinturas datam de, aproximadamente 17.800 anos atrs. 7. Diviso da Pr-Histria: Paleoltico PALEOLTICO INFERIOR aproximadamente 5.000.000 a 25.000 a.C.; primeiros homindios; caa e coleta; controle do fogo; e instrumentos de pedra e pedra lascada, madeira e ossos: facas, machados. PALEOLTICO SUPERIOR instrumentos de marfim, ossos, madeira e pedra: machado, arco e flecha, lanador de dardos, anzol e linha; e desenvolvimento da pintura e da escultura. Neoltico NEOLTICO aproximadamente 10.000 a 5.000 a.C. instrumentos de pedra polida, enxada e tear; incio do cultivo dos campos; artesanato: cermica e tecidos; construo de pedra; e primeiros arquitetos do mundo. IDADE DOS METAIS aproximadamente 5.000 a 3.500 a.C. aparecimento de metalurgia; aparecimento das cidades; inveno da roda; inveno da escrita; e arado de bois. 8. Paleoltico O Inciom deste perodo era nmade. A principal caracterstica dos desenhos da Idade da Pedra Lascada o naturalismo. Utilizavam as pinturas rupestres, isto , feitas em rochedos e paredes de cavernas. O artista pintava um animal do modo como o via de uma determinada perspectiva, reproduzindo a natureza tal qual sua vista captava. Atualmente, a explicao mais aceita que essa arte era realizada por caadores, e que fazia parte do processo de magia por meio do qual procurava-se interferir na captura de animais, ou seja, supunha que poderia matar o animal verdadeiro desde que o representasse ferido mortalmente num desenho. Os artistas do Paleoltico Superior realizaram tambm trabalhos em escultura. Mas, tanto na pintura quanto na escultura, nota-se a ausncia de figuras masculinas. Predominam figuras femininas, com a cabea surgindo como prolongamento do pescoo, seios volumosos, ventre saltado e grandes ndegas. 9. Vnus de Willendorf Escultura do perodo Paleoltico Superior (~ 15.000 a.C.) 10. Neoltico A fixao do Inciom da Idade da Pedra Polida, garantida pelo cultivo da terra e pela manuteno de manadas, ocasionou um aumento rpido da populao e o desenvolvimento das primeiras instituies, como famlia e a diviso do trabalho. Assim, o Inciom do Neoltico desenvolveu a tcnica de tecer panos, de fabricar cermicas e construiu as primeiras moradias, constituindo-se os primeiros arquitetos do mundo. Conseguiu ainda, produzir o fogo atravs do atrito e deu incio ao trabalho com metais. Todas essas conquistas tcnicas tiveram um forte reflexo na arte. O Inciom, que se tornara um campons, no precisava mais ter os sentidos apurados do caador do Paleoltico, e o seu poder de observao foi substitudo pela abstrao e racionalizao. Como conseqncia surge um estilo simplificador e geometrizante, sinais e figuras mais que sugerem do que reproduzem os seres. Os prprios temas da arte mudaram: comearam as representaes da vida coletiva. Alm de desenhos e pinturas, o artista do Neoltico produziu uma cermica que revela sua preocupao com a beleza e no apenas com a utilidade do objeto, tambm esculturas de metal. Desse perodo temos as construes denominadas dolmens. Consistem em duas ou mais pedras grandes fincadas verticalmente no cho, como se fossem paredes, e uma grande pedra era colocada horizontalmente sobre elas, parecendo um teto. E o menir que era monumento megaltico que consiste num nico bloco de pedra fincado no solo em sentido vertical. 11. Vaso com ala. Estilo Late Kansu, China 1 milnio a.C. 12. Urna funerria. Kansu Yang-shao, China Cerca de 2.500 a.C 13. A Dama e o Corne Encontrada em Lausell, Frana 14. Mscara sorridente, um exemplo verdadeiramente incrvel de Arte Pr-histrica esculpida sobre uma superfcie triangular usando tcnicas identificadas em trabalhos encontrados no norte da Venezuela e em certas ilhas do Caribe. Mascar - Amrica 15. Moai Ilha de Pscoa, Pacfico Ilha vulcnica pertence ao Chile, Rano Raraku. Recebeu o nome pois foi encontrada por uma expedio Europia em 1722 em um domingo de Pscoa. Os moai mediam em torno de 5 metros de altura e 15 toneladas. Algumas esttuas possuiam cerca de 10 metros de altura e chega a pesar 270 toneladas. 16. Stonehenge, Inglaterra Santurio de Stonehenge, no sul da Inglaterra, pode ser considerado uma das primeiras obras da arquitetura que a Histria registra. Ele apresenta um enorme crculo de pedras erguidas a intervalos regulares, que sustentam traves horizontais rodeando outros dois crculos interiores. No centro do ltimo est um bloco semelhante a um altar. O conjunto est orientado para o ponto do horizonte onde nasce o Sol no dia do solstcio de vero, indcio de que se destinava s prticas rituais de um culto solar. Lembrando que as pedras eram colocadas umas sobre as outras sem a unio de nenhuma argamassa. 17. Stonehenge, Wiltshire - Inglaterra 18. ATIVIDADE 19. Referencias 20. Referencias 21. Referencias 22. isso 23. Arte Antiga e Clssica 24. Arte da Antiguidade A arte antiga pode subdividir-se nos seguintes grupos: Arte mesopotmica: Arte sumria Arte assria Arte babilnica Arte persa Arte egpcia Arte celta Arte fencia Arte egeia Arte cicldica Arte minica Arte micnica Antiguidade Clssica Arte etrusca Arte grega Arte romana Arte paleocrist A termo arte antiga refere-se arte desenvolvida pelas civilizaes antigas aps a descoberta da escrita e que se estende at queda do imprio romano do ocidente, em 476 d.C., aquando das invases brbaras. 25. Mesopotmia Perodo Pr-histrico (de 7000 a 3500 a.C.) antes da escrita, foi totalmente desenvolvido. Sumria (de 3000 a 2340 a.C) Os sumrios desenvolveram cermica e jias. Um novo tipo de construo foi introduzido - centros de cidades-estados desta poca so Ur, Umma, Lagash, Kish, e Eshnunna. Perodo Acdio (final do sculo 24 a.C) Sob Sargo I, uniram toda a Mesopotmia. Arte acadiano pouco resta. Significativas inovaes acadiano foram aqueles dos cortadores de selo. As cidades so acadiano Sippar, Assur, Eshnuna, Tell Brak, e Akkad. Periodo Neo-Sumrio (de 2112-2004 a.C) O Imprio acadiano caiu com Guti, que no centralizou seu poder, permitindo s cidades sumrias de Uruk, Ur e Lagash restabelecer seu poder. Perodo Babilnico Antigo (cerca de 2000-1600 a.C) A terra foi mais uma vez unida por governantes semitas. O governante mais importante foi Hamurabi da Babilnia. A arte mais original do perodo babilnico veio de Mari. Imprio Assrio (de a.C. 1700-100 a.C) Ela mostra diferentes tradies estabelecidas pela esttica babolnica, tanto em temas religiosos e temas seculares. O perodo Neo-assrios, 1000-612 a.C. um tempo de grandes construtores. Reis adornavam palcios com relevos magnficos. Gesso alabastro, foi mais facilmente do que as pedras esculpidas rgido usado pelos Sumrios e Acdios. Perodo Neo-Babilnico (626-539 aC) Os babilnios derrotaram os assrios em 612 aC e saquearam Nimrud e Nnive. Eles no estabelecem um novo estilo ou iconografia. A criatividade manifestou-se arquitetonicamente na capital Babilnia. 26. Mesopotmia A arte da Mesopotmia desenvolveu-se ao longo de muitos sculos e de diferentes civilizaes, no sendo, portanto, muito coesa em suas manifestaes. A arquitetura era a mais desenvolvida das artes, apesar de no ser to notvel quanto a egpcia. Caracterizou- se pelo exibicionismo e pelo luxo. Construram templos e palcios, que eram considerados cpias dos existentes nos cus. Por ser escassa a pedra na regio, utilizava-se tijolos de argila. O zigurate, torre de vrios andares, foi a construo caracterstica das cidades-estados sumrias. Nas construes, empregavam argila, ladrilhos e tijolos. 27. Sumria Arte da antiga Sumria (sul da antiga Babilnia, hoje sul do Iraque), teve lugar no local onde se desenvolveu uma civilizao de cidades- Estados durante o III milnio a.C.. Os sumrios apresentaram uma das mais ricas e variadas tradies artsticas do mundo antigo, a base sobre a qual se desenvolveu a arte dos assrios e babilnios. Grande parte do que conhecemos da arte sumria procede das escavaes das cidades de Ur e Erech. O aspecto dominante da arquitectura das grandes cidades era o templo-torre (zigurate). As fachadas com colunas tinham decorao de lpis-lazli, conchas e madreprola. Tambm eram produzidas jias do mais delicado trabalho em ouro e prata, esculturas de cobre, cermica, gravuras e selos. Os sumrios trabalhavam bem a pedra e a madeira, e foram pioneiros na utilizao de veculos com rodas. 28. Arte Sumria A partir de 4000 a.C. na zona de confluncia do rio Tigre com o rio Eufrates. Palcios, templos (zigurate), cmaras funerrias (abbada e arco). Adobe, madeira, tijolo colorido para decorao. Figuras religiosas de alabastro (hierarquia por altura e tamanho dos olhos). Formas geomtricas e esquemticas baseadas no cone e no cilindro. Influncia na arte da Assria e da Babilnia. 29. Esttuas de Gudeia, Principie de Lagash, cerca de 2130 a. C. 30. Zigurate Um zigurate (mais corretamente, deveria dizer- se em portugus uma zigurate, pois o substantivo feminino nas antigas lnguas do Prximo Oriente) uma forma de templo, comum aos sumrios, babilnios e assrios, pertinente poca do antigo vale da Mesopotmia e construdo na forma de pirmides terraplanadas. O formato era o de vrios andares construdos um sobre o outro, com o diferencial de cada andar possuir rea menor que a plataforma inferior sobre a qual foi construdo as plataformas poderiam ser retangulares, ovais ou quadradas, e seu nmero variava de dois a sete. 31. O centro do zigurate era feito de tijolos cozidos ao sol, enquanto o exterior da construo mostrava adornos de tijolos queimados. Os adornos normalmente eram envidraados em cores diferentes, possivelmente contendo significao cosmolgica. O acesso ao templo, situado no topo do zigurate, fazia-se por uma srie de rampas construdas no flanco da construo ou por uma rampa espiralada que se estendia desde a base at o cume do edifcio. Os exemplos mais antigos de zigurates datam do final do terceiro milnio a.C., enquanto os mais tardios, do sculo VI a.C., e alguns dos exemplos mais notveis dessas estruturas incluem as runas na cidade de Ur e de Khorsabad na Mesopotmia. Com a descrio supracitada pode-se formular uma imagem, ainda que bsica, de com que se parece um zigurate. A ideia que se tem de que serviam como lugar de idolatria ou cerimnias pblicas, contudo, no correcta. Na Mesopotmia acreditava-se que eram a morada dos deuses. Atravs dos zigurates as divindades colocariam-se perto da humanidade, razo pela qual cada cidade adorava seu prprio deus ou deusa. Alm disso, apenas aos sacerdotes era permitida a entrada ao zigurate, e era deles a responsabilidade de cuidar da adorao aos deuses e fazer com que atendessem as necessidades da comunidade. Naturalmente os sacerdotes gozavam de uma reputao especial na sociedade sumria. 32. Dur-Untash, ou Choqa Zanbil, construdo no sc. 13 a.C. por Untash Napirisha e localizado perto de Susa, Iro um dos mais preservados zigurates do mundo. 33. Zigurate de Ur 34. Arte da Assria A arte da Assria, desenvolveu-se no reino (situado onde hoje est o Iraque) que estabeleceu um dos maiores imprios do antigo Prximo Oriente. No incio de sua histria, os assrios parecem ter sido dominados pelas civilizaes mais poderosas da Babilnia e da Sumria. O imprio alcanou seu apogeu no governo de Senaqueribe (705-681 a.C.), que reconstruiu a antiga Nnive, trazendo gua das montanhas para dentro da cidade atravs de um elaborado sistema de canais, e criando uma rede de ruas e praas. As escavaes comprovam que as construes eram grandiosas e fartamente adornadas com pinturas e esculturas. Apenas fragmentos das pinturas foram preservados, mas uma considervel quantidade de esculturas sobrevive. Os assrios foram um povo guerreiro e na arte dedicaram-se a glorificar os seus reis e exrcitos; o tipo de trabalho mais caracterstico era uma sequncia de painis de pedra esculpidos com baixos-relevos representando cenas militares ou de caa. Este tipo de relevo narrativo, disposto em torno de sales governamentais ou ptios, uma inveno assria e constitui a sua maior contribuio para o mundo da arte. A outra forma especfica de escultura assria era o Lamassu, um colossal animal alado, com cabea humana, utilizado aos pares para flanquear a entrada de palcios. A civilizao assria sucumbiu quando sua capital, Nnive, foi capturada pelos babilnios e medas em 612 a.C. 35. Arte Assria Inicialmente na zona norte do rio Tigre, posteriormente estende-se a imprio de grandes dimenses. Auge entre c. 1000 e 612 a.C. Templos e zigurates monumentais. Tijolo, tambm pedra nas entradas das cidades e salas. Escultura monumental (demnios guardies), baixo-relevo narrativo em grande escala. Crnicas reais na batalha e na caa foram relatados em faixas horizontais com textos cuneiformes. s vezes, figuras mitolgicas so retratados. Escultores estavam em seu melhor em cenas de caa. A arte do falecido cortador de selo assrio uma combinao de realismo e mitologia. Influncia da arte da Sumria. 36. Palcio de Khorsabad - Nnive capital da Assria 37. Baixo-relevo originalmente colocado entrada do palcio Dur Sharrukin. 38. Baixo-relevo assrio. Assurbanipal (668-629 aC) numa caa aos lees. 39. Arte Babilnica A arte da Babilnia desenvolveu-se no reino antigo do Oriente Prximo; sua capital era Babilnia, cujas runas esto prximas da cidade de Al Hillah, no Iraque. Provavelmente, a cidade foi fundada no IV milnio a.C., tornando-se o centro de um vasto imprio no sculo 18 a.C., sob o reinado de Hamurabi. O povo babilnio mais antigo era herdeiro direto da civilizao sumria, que inspirou a arte da sua primeira dinastia. A partir do sculo 17 a.C., a Babilnia foi dominada por outros povos e de 722 a 626 a.C.. esteve sob o controle da Assria. A Babilnia atingiu seu perodo de apogeu e prestgio depois de ter colaborado para a derrota dos assrios. Nabucodonosor II, cujo reinado se estendeu de 605 a 562 a.C., reconstruiu a capital como uma das maiores cidades da Antiguidade e foi, provavelmente, o responsvel pelos famosos jardi...</p>