histÓria antiga

Download HISTÓRIA ANTIGA

Post on 11-Dec-2014

43 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

HISTRIA ANTIGACivilizaes Fencia e Medo- persaOBETIVO:aqui ser analisado mais uma parte da histria antiga. Naes que tiveram sua importncia no passado . mas neste mdulo, veremos no mnimo duas naes, apesar que se analisarmos bem sero trs. Porque a Medo- Persa a unio de dois povos. Com isso poderemos entender mais sobre o cotidiano desses povos e como eles se estabeleceram no decorrer do tempo e o que deixaram para ns. PR- REQUISITO: lembrar-se que neste mdulo esto sendo analisadas mais de uma civilizao.

FenciaPor volta de 2000 a.C., os Fencios ocuparam uma estreita faixa de terra no mediterrneo oriental. Fencia quer dizer palmeira. Corresponde a uma rea litornea oriental do Mediterrneo localizada entre a Sria e Israel. Correspondia aproximadamente ao atual pas do Lbano e Sria. Durante muito tempo a principal cidade fencia era Sdon, mais tempos depois esta cedeu lugar a famosa Tiro. a Fencia era cercada por montanhas, os montes Lbano e Carmelo. O solo era pobre e dificultava a agricultura. Isso fez com que os fencios desenvolvessem muito pouco a agricultura.

SOCIEDADE FENCIAA Fencia era formada por cidades autnomas independentes ( cidades- estados). Cada uma tinha seu prprio governo. Eram lideradas pelo rei, junto com sacerdotes, comerciantes e tambm pelos sufetas, que eram magistrados ancios ilustres. As cidades que mais se destacaram foram: Biblos, Sdon, Tiro, Ulgarit. A populao fencia era formada pela seguinte escala social:

empresrios eram pessoas que faziam o comrcio martimo e de escravos, donos de oficinas de artesanato. funcionrios do governo e sacerdotes eram a classe dominante. pequenos proprietrios e trabalhadores classe formada por artesos, pescadores, camponeses e marinheiros. escravos e marinheiros pobres os oprimidos e mais prejudicados socialmente.

Os fencios ficaram conhecidos como os grandes e melhores navegadores do mundo antigo. Seus navios com popas altas, boca larga, podiam ser movidos a vela ou a remo, tinham boa navegabilidade. Os fencios instalaram vrias colnias que sustentavam sua atividade mercantil e criaram portos e pontos comerciais, em vrias cidades importantes da poca. Como exemplo: Chipre, Silcia, Sardenha, Sul da Espanha, norte da frica e etc. Realizavam longas expedies martimas, atravessando o estreito de Gilbratar, indo para as ilhas Britnicas, para a frica at o mar Vermelho. Tudo o que sabiam ou grande parte aprenderam dos babilnios. Se orientavam noite no mar por meio das estrelas. Em suas grandes expedies, os fencios comercializavam navios, tecidos, madeiras, azeite, jias, vidros escravos e outros. Eram famosos pela hbil engenharia e pelos tecidos tingidos com mrice, um molusco. Os tecidos eram de cor viva, conhecidos como a prpura de Tiro. Os fencios tambm eram artistas! Eles se especializavam na metalurgia e por isso eram peritos em fundir, moldar e cinzelar objetos em ouro ou prata. havia arteses excelentes em esculturas de madeira e de marfim. Modelavam tambm objetos de vidro e teciam l e linho. Nos dias dos reis Davi e Salomo, ficaram famosos como talhadores de pedras para construes e como madeireiros que entendiam tudo no abatimento das enormes rvores que haviam em suas florestas.

RELIGIOOs fencios, como eram ligados a navegao, tudo que os dava orientao neste sentido era considerado como deus. Isso explica porque tinham inmeros deuses, principalmente os ligados a natureza.

Cada cidade alm de deuses comuns e estrangeiros, tinham tambm um deus principal. Eles praticavam uma religio muito degradada, erguiam altares nas partes mais altas de suas cidades para

sacrificar pequenos animais em oferenda aos deuses, devidamente relatados na Bblia. Esses deuses representavam fenmenos da Natureza: Dagon representava os rios e anunciava as chuvas: Baal era o deus das alturas, tempestades e raios: Ayan e Anat, filhos de Baal, representavam as guas subterrneas e a guerra, respectivamente. Os fencios tinham deuses comuns, embora com nomes diferentes em cada local; por exemplo, na cidade de Tiro, Baal era denominado Melqart. Assim dizendo, podemos afirmar que os Fencios era politestas, ou seja, acreditavam em vrios deuses. Os seus rituais envolviam sodomia, bestialidade, prostituio cerimonial, prticas abominveis de sacrifcios de crianas, alm de rituais sangrentos e cultos realizados ao ar livre. Tinha a prtica de magia, e os habitantes da Fencia acreditavam em maus-espritos, bons-espritos, dentre outras coisas, como tambm os judeus, que eram condenados por Jesus Cristo, vide Novo Testamento da Bblia. Seus templos que se tornaram runaspodem ser visitados at hoje.

OS AVANOSA astronomia e a matemtica foram aprimoradas pelos fencios devido a sua atividade na agricultura, navegao e atividades comerciais. Mas a principal colaborao se deve ao surgimento do alfabeto. Era uma forma simples e prtica baseada em 22 letras. At a palavra alfabeto provm dos fencios. As duas primeiras letrasAleph e Beth, para o grego foram traduzidas para alpha e beta. O alfabeto criado pelos fencios foi aprimorado pelos gregos e pelos romanos. Tal avano constitui o maior legado da cultura fencia nos nossos dias. Os fencios tambm contriburam com avanos para conservar seus escritos. Antes eram usados lminas de barro cozido, eles agora passaram a usar rolos de papiro e tinta.

Fonte de consultaEconomia Os primeiros habitantes tentaram desenvolver a agricultura, junto com a pesca e a caa, mas no deu certo. Mas a posio geogrfica da Fencia era estratgica. pois localizava-se no cruzamentos das principais rotas comerciais entre o Ocidente e o Oriente. Ento, os Fencios comearam a desenvolver o comrcio. Logo aps, o comrcio foi a principal atividade econmica da Fencia. Os habitantes tornaram-se famosos por serem grandes comerciantes e navegadores. Navegao O domnio do Mar Mediterrneo favoreceu a fundao de colnias, como a de Cartago, Siclia e Cdiz. Houve o grande domnio de pontos comerciais. Havia tambm uma certa pirataria e uns segredos das rotas. Por serem grandes navegadores, os Fencios sabiam rotas estratgicas e atalhos martimos como ningum.

Estrutura Social A sociedade, como quase todas as outras sociedades da Antigidade, era dividida em classes. O grupo dominante estava entre ricos comerciantes, proprietrios de terras, armadores e sacerdotes. A classe social mais baixa fazia parte da maioria da populao: artesos, camponeses e escravos tambm habitavam a regio. Artesanato e comrcio A madeira foi uma das maiores fontes de riqueza dos fencios. As montanhas da regio eram cobertas por florestas de cedro, madeira leve e resistente, apropriada para a construo de embarcaes. Alm disso, desenvolveram a metalurgia, a tecelagem, a tinturaria, cermica, fabrico de vidro, joias e corante prpura, extraindo um lquido do caramujo Murex para tecidos. A vida poltica A regio Fencia era organizada em cidades-Estados independentes. Existia uma certa rivalidade entre as cidades, mas a comunicao entre as cidades era dificultada, por conta das cadeias de montanhas que existia ao longo da costa. O tipo de governo existente na poca era a Talassocracia, que dominava os comerciantes martimos na poltica das cidades-Estado. O poder do chefe poltico que o rei, era limitado por um conselho de comerciantes e armadores. Cultura A constante presena de potncias estrangeiras na vida cultural da Fencia parece ter sido a causa de sua pouca originalidade: as sepulturas fencias, por exemplo, eram decoradas com motivos egpcios ou mesopotmicos.Mesmo assim, os Fencios deixaram para ns o maior legado cultural da Antigidade: um alfabeto fencio fontico simplificado, com cerca de 22 letras, que inovava em relao a outros Religio Os fencios erguiam altares nas partes mais altas de suas cidades para sacrificar pequenos animais em oferenda aos deuses, devidamente relatados na Bblia. Esses deuses representavam fenmenos da Natureza: Dagon representava os rios e anunciava as chuvas: Baal era o deus das alturas, tempestades e raios: Ayan e Anat, filhos de Baal, representavam as guas subterrneas e a guerra, respectivamente. Os fencios tinham deuses comuns, embora com nomes diferentes em cada local; por exemplo, na cidade de Tiro, Baal era denominado Melqart. Assim dizendo, podemos afirar que os Fencios era politestas, ou seja, acreditavam em vrios deuses. Existiam rituais sangrentos e cultos realizados ao ar livre. Tinha a prtica de magia, e os habitantes da Fencia acreditavam em maus-espritos, bons-espritos, dentre outras coisas, como tambm os judeus, que eram condenados por Jesus Cristo, vide Novo Testamento da Bblia. Espero ter ajudado. Abraos!!!!

Os FenciosPovo que consagrou-se como os maiores navegadores do Mundo Antigo.

Por volta de 2000 a.C., os Fencios ocuparam uma estreita faixa de terra no mediterrneo oriental.

Nos dias de hoje, o territrio da antiga civilizao Fencia corresponde as naes do Lbano e Sria.

Fracassada a tentativa de praticar a agricultura em seus territrios, os Fencios viram no comrcio a principal fonte de riqueza das cidades.

O comrcio feito com os povos egpcios e mesopotmicos, fez com que os fencios enricassem rapidamente. Foi ai ento que eles decidiram expandir a atividade comercial em todo o mediterrneo.

O cedro, objetos de metais, tecidos, cermicas, jias e tinturas, eram os principais produtos comercializados pelos Fencios.

O terra natal dos fencios, possua uma grande floresta repleta de Cedro, madeira usada na construo de embarcaes. Valendo-se dessas embarcaes, os Fencios exploraram as regies costeiras do Mar Mediterrneo a procura de recursos minerais. Com a multiplicao das embarcaes, a Fencia transformou-se na maior potncia martima da antiguidade.

A Religio

As divindades fencias estavam relacionadas a natureza. Em troca da fecundidade do solo e da abundncia de uma boa colheita, os deuses exigiam oferendas. Para agradar aos seus deuses, os fencios realizavam sacrifcios humanos.

Baal, Astarti