histologia vegetal

Download Histologia vegetal

Post on 09-Jul-2015

385 views

Category:

Education

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Histologia vegetal

Histologia vegetalmeristemasHistologia Vegetal Tecidos embrionrios ou meristemas Tecidos adultos T - de revestimento Epiderme e Sber - Parnquimas Preenchimento T. Conduo Xilema e Floema T De sustentao Colnquima e esclernquima T de secreo

Regies da raizColo rea de transio entre a raiz e o caule. Zona suberosa parte mais velha e mais extensa de uma raiz Zona pilfera regio de absoro de gua e sais minerais.Zona lisa ou de crescimento regio mais jovem e que permite o crescimento da raiz.Coifa uma espcie de capuz que protege a regio meristemtica.

Meristema Suas clulas esto em constantes diviso Tem a funo de aumentar em quantidade e depois em tamanho e ento originar os tecidos adultos.So clulas pequenas, bastante unidas com parede celular delicada, pobre em celulose Normalmente no apresentam vacolo e nem cloroplastos Ao pararem de se dividir os meristemas Sofrem diferenciao ou maturao Tecidos adultos (permanentes)

Dois tipos de meristemas Meristema Primrio Crescimento em comprimento Esto situados na extremidade da raiz e do caule Meristema Secundrio Crescimento em espessuraSituado nas partes adultas da casca e do cilindro central Ex: Dicotiledneas e as gimnospermas Meristemas primrios Crescimento em ComprimentoDermatgeno origina a epiderme que far o revestimento das partes jovens Periblema Origina a casca primria da planta Pleroma Origina o cilindro central da planta Caliptrgeno (s na Raiz) origina a coifa na regio apical da raiz uma proteo do meristema primrio Meristema Secundrio Dicotilednea Gimnosperma Crescimento em espessura Originam se de partes adultas da casca e do cilindro central Elas possuem a capacidade de voltar a ser meristema, possibilitando o crescimento em espessura Dois tipos de meristemas Felognio Originado da casca primria Forma o sber p/ fora eFeloderme p/ dentroCmbio originado do cilindro central Forma o tecido de conduoXilemaeFloema

Tecido adulto Tecido de revestimento Proteo das partes internas do vegetal Importante para adaptao ao ambiente terrestre 15Epiderme Geralmente uniestratificado Vivo, aclorofilado Em algumas plantas pode ser pluriestratificado (funciona como reservatrio de gua) Interno As clulas so firmes, unidas, achatadas fazendo uma proteo mecnica A epiderme que se encontra em contato com o ar, apresenta cutina formando a camada chamada cutcula A epiderme que se encontra em contato com o ar, apresenta cutina formando a camada chamada cutcula Com a finalidade de evitar a perda de gua

MODIFICAES QUE A EPIDERME PODE SOFRER ?PELOS

PAPILAS

acleosEstmatos Estruturas localizadas entre as clulas epidrmicas .compostas de duas clulas (clulas guardas),ricamente clorofiladas que deixam um espao entre si ,chamado ostolo.Quanto mais trgidas ou cheia de gua ,mais abertos os estmatos esto , medida que a planta perde gua por transpirao das partes internas da folha e do caule ,diminui o tamanho do ostolo , reduzindo assim a perda de gua.

Tecido de revestimento secundrio;Formado de clulas mortas (ocas);Clulas impregnadas por suberina (rigidez);Excelente isolante do calor e frio excessivos.

Periderme ou cascaFelognio sberfeloderme

SberModificaes do sber :

ParnquimasPreenchimento (massa)So encontrados em raiz, caule e folha So formados de clulas vivas (Isodiametricas)Tem poder de regenerao cicatrizanteDevido a capacidade de se dividirSo divididos de acordo com a sua funo :Parnquima clorofiliano : Ricos e clorofila So encontrados no mesofilo das folhas Fotossntese Dependendo da disposio e quantidade de clula Palidico - situado logo abaixo da epiderme, com grande quantidade clula bem unidas Lacunoso abaixo do palidico Clulas mais afastadas para permitir maior circulao

Parnquima aquferoPossuem clulas para com vacolos para armazenamento de gua Plantas que precisam resistir a longos perodos de seca Ex: Catinga Cactos

Parnquima de AerferoPossuem clulas que tem espao entre se, facilitando o intercmbio de gases EX: plantas aquticas Vitria Rgia

Parnquima de reserva Clulas que armazenam substncias orgnicas (Amido). Encontramos raiz(cenoura ,batata-doce ), caule(batata inglesa , inhame ) ,semente.

RazesTubrculos BulboCenoura Batata-doceBatata inglesa inhame Cbola

30Tecido de sustentao Funo: sustentao e resistncia Colnquima tecido cartilaginosoTecido vivo Funo de sustentar o vegetal sem tirar a flexibilidade O reforo de celulose esta somente nos cantos da clula Presente durante o desenvolvimento inicial da planta Em plantas adultas permanece permanecem caules herbceos, pecolos e nervuras de folhas Ex: Couve e alface

Esclernquima ossos de animais Tecido morto Possuem bastante celulose e lignina que confere a rigidez

Fibras Escleritos

Os escleritos ou clulas ptreas possuem formas variadas ,porm mais curtas que as fibras .so encontrados no envoltrio das sementes nas partes carnosas de pseudofrutos ,dando textura empedrada caracterstica.34Tecido de conduo Vegetais vascularizados ou traquefitas Pteridfitas ,gimnosperma e Angiosperma.So responsveis pela conduo Seiva brutaFotossntese Xilema - Seiva bruta Floema Seiva elaborada Obs : Antes da planta engrossar tinha meristema primrios Pleroma Depois Crescimento Secundrio Cilindro central Meris. .primrioCmbio Xilema - Agua e saiseFloema Glicose Xilema ou lenho MortoTodo o contedo interno da clula morre Protoplasma Clula ocas.Lignificadas paredesResponsvel por conduzir seiva bruta Dois tipos de vasos condutores Traqueia ( angiosperma)Traquedes (Pteridofitas e gimnosperma

Tilas so substncias nutritivas que penetram nos vasos lenhosos mais antigos, que entopem irreversivelmente formando o cerne, parte mais dura e seca da madura

floema ou LberFormado de clulas vivas Desprovias de ncleoFuno de conduzir seiva elaborada As clulas so separadas por paredes perfuradas ,constituindo as placas crivadasEm condies desfavorveis forma callus.

Nas angiospermas ,as clulas do floema so acompanhadas por clulas laterais ,tambm chamadas anexas ou companheiras.Alm das companheiras ,o floema apresenta clulas albuminosas, rica em protena ,atuam na distribuio lateral da seiva elaborada. Feixes vasculares

TECIDO DE SECREOEsto ligados eliminao de produtos finais do metabolismo celular ou de substncias que impedem o apodrecimento.Eliminam substncias que atraem animais para a polinizao.So clulas que apresentam ncleos relativamente grande. Drusas Clulas secretoras Eliminam o excesso de existente no seu metabolismo.

Rfides

Cistlitos

Bolsas secretorasVasos Lactferos

Plurinucleados: formados pela unio de diversas clulas (sinccios), as quais perdem a parede de separao entre si.

Grandes vacolos de acmulo de LTEX, substncia leitosa, anti-sptica e cicatrizante. Vasos Resinferos

Ductos que acumula RESINA, no so sinciciais, clulas no esto unidas. (gimnospermas).

Em contato com o ar, resina se solidifica e converte-se desinfetante.

Bastante utilizada na indstria.

Plos Glandulares

Epiderme: uni ou pluri.

Secretam substncia aromticas nas folhas e flores.

Favorecem a atrao de animais para a polinizao e defesa da planta.

Substncia txicas, como o caso dos plos das folhas de urtiga.Nectrios

So glndulas produtoras de nctar, secreo aucarada que atrai agentes polinizadores.

Glndulas Digestivas

Folhas de plantas carnvoras.

Produzem enzimas digestivas.

Digerem especialmente as protenas do corpo do animal.Hidatdios

Chamados de estmatos aquferos.

Funo: ligada a eliminao do excesso de seiva bruta.

Na forma de Gotas de gua contendo sais minerais.

Fenmeno denominado: GUTAO OU SUDAO.

Recommended

View more >