hist l port

Download Hist l port

Post on 07-Jul-2015

2.163 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. Lngua, comunidade lingustica, variao e mudanaMudana lingustica Disciplina de PortugusProf: Helena Maria Coutinho

2. Mudana lingusticaFenmeno que resulta da projeo da lngua de uma comunidade na histriadessa comunidade e das suas comunidades descendentes. Fruto damudana lingustica, a lngua do passado diferente da lngua do presente. Adisciplina que estuda essa diferena a lingustica histrica.A mudana lingustica observa-se a todos os nveis gramaticais e resulta dacombinao de diferentes fatores de mudana:os fatores internos, que so constitudos pela prpria estrutura da lngua,e os fatores externos, de natureza sobretudo geogrfica e social. atravs da variao social que a mudana lingustica se propaga numacomunidade. 3. Os linguistas tm hoje boas razes para sustentar que um grande nmero delnguas da Europa e da sia provm de uma mesma lngua de origem,designada pelo termo indo-europeu. Com exceo do basco, todas as lnguasoficiais dos pases da Europa ocidental pertencem a quatro ramos da famliaindo-europeia: o helnico (grego) o romnico (portugus, italiano, francs, castelhano, etc.) o germnico (ingls, alemo) o cltico (irlands, galico). Um quinto ramo, o eslavo, engloba diversas lnguas atuais da Europa Oriental. 4. ORIGENSINDO-EUROPEULnguasLnguas Lnguas LnguasItlicas EslavasGermnicas Clticas LATIM 5. Alguns factos histricos que se repercutiram na formao daLngua Portuguesa:a conquista romana da Pennsula Ibrica; (sec II a.C)a invaso dos brbaros germanos; (sec. V)a constituio dos imprios brbaros, como o visigtico;(sec VI VIII)o domnio rabe na Pennsula; (sec VIII, ano 711)a luta da reconquista crist; (sec XI-XII)a formao do reino de Portugal; (1143)a expanso ultramarina. (sec XVI-XVII) 6. O latim foi inicialmente falado numa pequena regio, o Lcio, cuja capital Roma.Depois, com o aumentar do Imprio Romano, o latim passou a ser falado tambmpelos povos conquistados.Lngua do Lcio, regio de Roma. Nveis de Lngua: Latim literrio, usado pelos escritores; Latim falado pelas pessoas cultas, da aristocracia; Latim vulgar, falado pelos soldados, comerciantes, funcionrios, 7. Embora a Pennsula Ibrica fosse habitada desde muito antes da ocupaoromana, pouqussimos traos das lnguas faladas por estes povos persistemno portugus moderno.A lngua portuguesa, que tem como origem a modalidade falada do latim,desenvolveu-se na costa oeste da Pennsula Ibrica (atuais Portugal e regioda Galiza).A partir de 218 a.C., com a invaso romana da pennsula, e at ao sculo IX,a lngua falada na regio o romance, uma variante do latim que constituium estgio intermedirio entre o latim vulgar e as lnguas latinas modernas(portugus, castelhano, francs, ) 8. Os povos da Pennsula Ibrica, com exceo dos Bascos, adotam o Latim como lngua.Os cidados romanos que se espalhavam pelos territrios conquistados eramsobretudo os soldados, comerciantes e empregados do Estado, que falavam umalinguagem popular, prpria das classes menos instrudas - o chamadolatimvulgar. este latim de cunho popular que est na origem de vrias lnguas, entre elas oportugus. 9. LATIM VULGAR LATIM LITERRIO evoluiu em meios usado na literatura, napopulares oratria, dando origem, maise impunha-se na tarde, aoconversao.- mdio-latimEst na origem do - baixo-latimPORTUGUS - latim-brbaro 10. O Latim vai sofrendo alteraes em contacto com as diferentes lnguas j existentes nas vrias provncias de Roma, dando origem s LNGUAS ROMNICAS ou NOVILATINAS: LNGUAS ROMNICASPortugusEspanhol Catalo ItalianoFrancsRomenoescolaescuelaescolascuolacole coal 11. SCULOS V a VIII d.C.411 d. C. Suevos ocupam o noroeste da Pennsula Ibrica.418 d. C. chegada dos Visigodos Pennsula Ibrica. Os germanos constituam a classe guerreira, porisso, a classe subjugada habituou-se a chamar aosobjectos e a tudo que se referia guerra, coisas svezes novas para ela, como ouvia diariamentedenominar.Da o grande nmero de termos militares deorigem germnica: guerra, baluarte, brecha,escaramua, braso, brandir, dardo, flecha,espora, bridar, galopar.c. 500 d. C. 12. SCULO VIII d.C.711 d. C. rabes iniciam a conquista da Pennsula Ibrica.713 d. C. rabes dominam as antigas Lusitania e Gallaecia. O rabe adoptado como lngua oficial nas regiesconquistadas, mas a populao continua a falar o romance.O rabe deixa marcasconsiderveis no lxicoportugus. 13. Enriqueceram a nossa lngua vocbulos dos povos brbaros, dos rabes, dospoetas, dos escritores clssicos, dos descobridores, dos homens da cincia e datcnica. Dos povos invasores ficaram-nos Dos rabes ficaram-nos vocbulos vocbulos como:como: agasalhar; arreio; baluarte; aorda; acar; lcool; alecrim; barriga; bradar; dardo; elmo; alfaiate; algarismo; alqueire; escaramua; esgrimir; franco; Aljezur; almofada; atalaia; arroba; galope; gastar; guerra; grinalda; armazm; azeitona; azenha; luva; marchar; orgulho; raa; azul; fatia; garrafa; mesquinho; roubar; sala; tirar; trepar; etc. oxal; xadrez; xarope; etc. Verifica-se pelo sentido destas palavras que o domnio rabe foi grande no que respeita aos aspectos materiais da vida, pois dificilmente encontramos uma palavra abstracta. 14. Estrato, Substrato e SuperstratoLnguas anteriores ao Latim e que oSUBSTRATOEx.: CeltainfluenciaramROMANCE (fuso do Latim Vulgar com os falares dosESTRATOpovos autctones) Lnguas posteriores Ex.:SUPERSTRATOconsolidao do ROMANCE erabe que o influenciam 15. Portugus antigoNome convencionado para designar a fase da lnguaportuguesa falada durante a Idade Mdia entre o sculo XII(poca em que se comearam a redigir textos em portugus)e o sculo XV. sinnimo de portugus arcaico e de galaico-portugus.A fase anterior da lngua portuguesa, possivelmente faladalogo desde os sculos VI e VII no Noroeste da PennsulaIbrica, chama-se "romance galego portugus". 16. O galego-portugusNo sculo XI, com o incio da reconquista crist da Pennsula Ibrica, o galego-portugus consolida-se como lngua falada e escrita da Lusitnia. Os rabesso expulsos para o sul da pennsula, onde surgem os dialectos morabes, apartir do contacto do rabe com o latim. Em galego-portugus so escritos osprimeiros documentos oficiais e textos literrios no latinos da regio, comoos cancioneiros (colectneas de poemas medievais): 17. SCULO IX - XIIISc. IX Surge o Galaico-Portugus, sendo apenasutilizado na oralidade.Sc. XII Galaico-Portugus passa a ser usado tambm na escrita.Sc. XIII surge oficialmente o Portugus, por ordem de D. Dinis.O mais antigo texto escrito em Portugus o Testamento de D. Afonso II e data de1214 18. Entre os sculos XIV e XVI, com a construo do imprio portugus deultramar, a lngua portuguesa faz-se presente em vrias regies da sia,frica e Amrica, sofrendo influncias locais (presentes na lngua atual emtermos como jangada, de origem malaia, e ch, de origem chinesa).Com o Renascimento, aumenta o nmero de italianismos e palavraseruditas de derivao grega, tornando o portugus mais complexo emalevel.O fim desse perodo de consolidao da lngua (ou de utilizao doportugus arcaico) marcado pela publicao do Cancioneiro Geral deGarcia de Resende, em 1516. 19. Portugus clssicoNome convencionado para designar a fase do portuguseuropeu falada durante a Idade Moderna, ou seja, entreos sculos XVI e XVIII. 20. No sculo XVI, com o aparecimento das primeiras gramticas quedefinem a morfologia e a sintaxe, a lngua entra na sua fase moderna: emOs Lusadas, de Lus de Cames (1572), o portugus j , tanto naestrutura da frase quanto na morfologia, muito prximo do atual. A partirda, a lngua ter mudanas menores: na fase em que Portugal foigovernado pelo trono espanhol (1580-1640), o portugus incorporapalavras castelhanas (como bobo e granizo); e a influncia francesa nosculo XVIII (sentida principalmente em Portugal) faz o portugus dametrpole afastar-se do falado nas colnias. 21. Portugus contemporneoNome convencionado para designar a fase doportugus europeu falada a partir do sculo XIX. 22. Nos sculos XIX e XX o vocabulrio portugus recebe novascontribuies: surgem termos de origem greco-latina para designar osavanos tecnolgicos da poca (como automvel e televiso) e termostcnicos em ingls em ramos como as cincias mdicas e a informtica(por exemplo, check-up e software). O volume de novos termos estimulaa criao de uma comisso composta por representantes dos pases delngua portuguesa, em 1990, para uniformizar o vocabulrio tcnico eevitar o agravamento do fenmeno de introduo de termos diferentespara os mesmos objetos. 23. Devido intensificao das nossas relaes comerciais,culturais e desportivas com a Europa, importamos muitosvocbulos.Exemplo:Frana bon, garagem, chefe, duche, hotelInglaterra cheque, filme, futebol, tnis, bife, barItlia piano, maestro, coronel, esquadraAlemo valsa, zincoEspanha sangria, tejadilho, sapatilha, passeio 24. A adoo de vocbulos de outras lnguas adaptados fontica dalngua portuguesa chama-se ESTRANGEIRISMOS.A nossa lngua vai continuar a enriquecer-se com a criao de novosvocbulos necessrios para designar as novas realidades, so osNEOLOGISMOS.Exemplo: computador, internet, telemvel, metropolitano, satlite... 25. A lngua portuguesa falada por cercade 200 milhes de pessoas espalhadaspelos cinco continentes, sendo a lnguaoficial em muitos pases (PALOP).E as mudanas acontecem quase diariamente ...Exemplo:Ol! Td bem? Eu estou :-) pk to a fazer uma expo mt gira sobre ahist da lngua Port, i mt interessante ver cm cresceu a lngua Portdesde o D. Afonso Henrikes at aos pcs i net.***********************s teh logo. 26. PortugusProf: Helena Maria Coutinho