Higienizao das mos zenilda

Download Higienizao das mos zenilda

Post on 28-May-2015

2.840 views

Category:

Health & Medicine

2 download

TRANSCRIPT

  • 1. HIGIENIZAO DAS MOS EM SERVIOS DE SADEEnf. Zenilda Monteiro

2. ApresentaoEm 1846, Ignaz Semmelweis, mdicohngaro, reportou a reduo no nmerode mortes maternas por infecopuerperal aps a implantao da prticade higienizao das mos em um hospitalem Viena.Desde ento, esse procedimento temsido recomendado como medidaprimria no controle da disseminaode agentes infecciosos. 3. ApresentaoA legislao brasileira, por meio da Portaria n.2.616, de 12 de maio de 1998, e da RDC n. 50,de 21 de fevereiro 2002, estabelece,respectivamente, as aes mnimas a seremdesenvolvidas com vistas reduo daincidncia das infeces relacionadas assistncia sade e as normas e projetosfsicos de estabelecimentos assistenciais desade. 4. O QUE HIGIENIZAO DAS MOS? a medida individual mais simples e menosdispendiosa para prevenir a propagao dasinfeces relacionadas assistncia sade. Recentemente, o termo lavagem das mosfoi substitudo por higienizao das mosdevido maior abrangncia desteprocedimento. O termo engloba a higienizao simples, ahigienizao anti-sptica, a frico anti-spticae a anti-sepsia cirrgica das mos. 5. POR QUE FAZER?As mos constituem a principal via detransmisso de microrganismos durante aassistncia prestada aos pacientes, pois a pele um possvel reservatrio de diversosmicrorganismos, que podem se transferir deuma superfcie para outra, por meio decontato direto (pele com pele), ouindireto, atravs do contato com objetos esuperfcies contaminados. 6. PARA QUE HIGIENIZAR AS MOS? Remoo desujidade, suor, oleosidade, plos, clulasdescamativas e da microbiota dapele, interrompendo a transmisso deinfeces veiculadas ao contato. Preveno e reduo das infeces causadaspelas transmisses cruzadas 7. QUEM DEVE HIGIENIZAR AS MOS? Todos os profissionais que trabalham emservios de sade, que mantm contato diretoou indireto com os pacientes, que atuam namanipulao de medicamentos, alimentos ematerial estril ou contaminado. 8. COMO FAZER? QUANDO FAZER? As mos dos profissionais que atuam emservios de sade podem ser higienizadasutilizando-se: gua e sabo, preparaoalcolica e anti-sptico. 9. USO DE GUA E SABOIndicao: Quando as mos estiverem visivelmente sujasou contaminadas com sangue e outros fluidoscorporais. Ao iniciar o turno de trabalho. Aps ir ao banheiro. Antes e depois das refeies. Antes de preparo de alimentos. Antes de preparo e manipulao demedicamentos. 10. USO DE PREPARAO ALCOLICAIndicaoHigienizar as mos com preparao alcolicaquando estas no estiverem visivelmentesujas. Antes de contato com o paciente;Aps contato com o paciente; Antes de realizar procedimentos assistenciais e manipular dispositivos invasivos ; 11. Antes de calar luvas para insero dedispositivos invasivos que no requeirampreparo cirrgico.Aps risco de exposio a fluidos corporais;Ao mudar de um stio corporal contaminadopara outro, limpo, durante o cuidado ao pacienteAps contato com objetos inanimados esuperfcies imediatamente prximas ao pacienteAntes e aps remoo de luvas 12. Tcnica As tcnicas de higienizao das mos podem variar, dependendo do objetivo ao qual se destinam. Podem ser divididas em:Higienizao simples.Higienizao anti-sptica.Frico de anti-sptico.Anti-sepsia cirrgica ou preparo pr-operatrio. 13. A eficcia da higienizao das mosdepende da durao e da tcnicaempregada . 14. HIGIENIZAO SIMPLES NALAVAGEM DASMOS 15. Aplicar na palma da moquantidade suficiente desabo lquido para cobrirtodas as superfcies dasmos (seguir a quantidaderecomendada pelofabricante). 16. 3. Ensaboar as palmas das mos,friccionando-as entre si. 17. 4-Esfregar a palma da modireita contra o dorso da moesquerda entrelaando osdedos e vice-versa. 18. 5-Entrelaar os dedos e friccionaros espaos interdigitais.3. Ensaboar as palmas das mos,friccionando-as entre si. 19. 11. Secar as moscompapel-toalhadescartvel, iniciandopelas mose seguindo pelospunhos. Desprezar opapel-toalha nalixeira pararesduos comuns. 20. HIGIENIZAO ANTI-SPTICADAS MOSFinalidade:Promover a remoo de sujidades e demicrorganismos, reduzindo a cargamicrobiana das mos, com auxlio de umanti-sptico. 21. Tcnica A tcnica de higienizao anti-sptica igual utilizada para higienizao simples dasmos, substituindo-se o sabo por um anti-sptico. 22. FRICO ANTI-SPTICA DAS MOS(COM PREPARAES ALCOLICAS) Finalidade:Reduzir a carga microbiana das mos (no hremoo de sujidades). A utilizao de gelalcolico a 70% ou de soluo alcolica a 70%com 1-3% de glicerina pode substituir ahigienizao com gua e sabo quando asmos no estiverem visivelmente sujas. 23. ANTI-SEPSIA CIRRGICA OU PREPARO PR-OPERATRIODAS MOSFinalidade: Eliminar a microbiota transitria da pele e reduzira microbiota residente, alm de proporcionarefeito residual na pele do profissional. As escovas utilizadas no preparo cirrgico das mos devem ser de cerdas macias e descartveis, impregnadas ou no com anti-sptico e de uso exclusivo em leito ungueal e subungueal. 24. Para este procedimento, recomenda-se: Anti-sepsia cirrgica das mos e antebraoscom anti-sptico degermante. 25. O nico homem que nunca cometeerros aquele que nunca faz coisaalguma.No tenha medo de errar, pois vocaprender a no cometer duas vezeso mesmo erro.(Roosevelt) 26. Respostas:1Na profilaxia da infeco hospitalar2Os microrganismos resistentes vivem ese multiplicam na pele podendo persistirpor longo perodo .3 A flora transitria passageira e osmicrorganismos que a constituemsobrevivem apenas por curto perodo. 27. 4 Seguir imagens.5 Antes e aps aos cuidadosprestados a clientes comisolamento de contato.6Devem realizar controle microbitico dagua de abastecimento, a fim de identificare corrigir presena de contaminao,erealizar limpeza e/ou desinfeco doreservatrio a cada seis meses 28. 7 As pias devem estar semprelimpas,adequadamente localizada emnmero necessrio para facilitar o ato delavar as mos,com torneiras quefuncione. 29. 8 Os dispensadores devem terdispositivos que facilitem o seuesvaziamento e enchimento.Depreferncia acionados com os ps.Sualimpeza deve ser efetuada com gua esabo sempre que necessrio ou uma vezpor semana. 30. 9 Em barra ,lquido e escama.10 Os suportes devem ser fabricadoscom material que no favorea aoxidao e seja de fcil limpeza.Devemser fixados juntos s pias e estaradequadamente providos 31. 10 O papel toalha deve-se darpreferncia aos em bloco,quepossibilitam o uso individual folha afolha,deve ser suave e de fcil retirada dosuporte . 32. Bibliografia:A bibliografia e a verso digital destematerial encontram-sedisponveis no site da ANVISA(www.anvisa.gov.br, acessada no dia09/09/2011,s 09:45):/reas de Atuao / Servios de Sade / Publicaes /Higienizao das mosem servios de sade 33. Obrigada!!!!!!!