higienização das mãos de profissionais de saúde baseado no manual técnico de higienização das...

Download Higienização das mãos de Profissionais de Saúde Baseado no Manual Técnico de Higienização das Mãos em Serviços de Saúde da ANVISA

Post on 22-Apr-2015

106 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • Higienizao das mos de Profissionais de Sade Baseado no Manual Tcnico de Higienizao das Mos em Servios de Sade da ANVISA
  • Slide 2
  • A pele das mos tem dois tipos de flora microbiana: I - Flora transitria II - Flora residente
  • Slide 3
  • A flora transitria fica localizada na superfcie da pele e formada por microrganismos que adquirimos no contacto com o ambiente quer seja animado ou inanimado. Qualquer tipo de microrganismo pode ser encontrado transitoriamente nas mos, apesar de ser mais comum encontrar bacilos Gram negativo (p.ex. Escherichia coli e Pseudomonas) e cocos Gram positivo (p.ex. Staphylococcus) os agentes bacterianos mais frequentemente causadores de infeco hospitalar. Tm um curto tempo de sobrevivncia, um elevado potencial patognico e so facilmente transmitidos por contacto. A lavagem das mos com sabo simples remove-os com facilidade.
  • Slide 4
  • A flora residente existe normalmente na epiderme onde se multiplica, tendo funes importantes de preveno da colonizao com a flora transitria. Aquela flora constituda principalmente por bacilos e cocos Gram positivo e anaerbios. Raramente causa doena a no ser quando introduzida traumaticamente nos tecidos ultrapassando as barreiras naturais, pelo que tem pouco significado nos procedimentos clnicos de rotina. Estes microrganismos no so facilmente removidos pela ao mecnica da lavagem das mos sendo necessrio recorrer ao qumica de um anti-sptico associado ou no ao agente de lavagem.
  • Slide 5
  • As mos so o principal veculo de transmisso dos microrganismos de um indivduo para outro. Assim sendo, a lavagem das mos a principal medida de controle da infeco nosocomial.
  • Slide 6
  • O QUE HIGIENIZAO DAS MOS? a medida individual mais simples e menos dispendiosa para prevenir a propagao das infeces relacionadas assistncia sade. Recentemente, o termo lavagem das mos foi substitudo por higienizao das mos devido maior abrangncia deste procedimento. O termo engloba a higienizao simples, a higienizao anti-sptica, a frico anti-sptica e a anti-sepsia cirrgica das mos, que sero abordadas mais adiante.
  • Slide 7
  • Importante Antes de iniciar qualquer uma dessas tcnicas, necessrio retirar jias (anis, pulseiras, relgio), pois sob tais objetos podem acumular-se microrganismos. A NR32, que versa sobre Sade e Segurana no trabalho em Servios de Sade, probe o uso de adornos.
  • Slide 8
  • HIGIENIZAO SIMPLES DAS MOS Finalidade Remover os microrganismos que colonizam as camadas superficiais da pele, assim como o suor, a oleosidade e as clulas mortas, retirando a sujidade propcia permanncia e proliferao de microrganismos. Remover os microrganismos que colonizam as camadas superficiais da pele, assim como o suor, a oleosidade e as clulas mortas, retirando a sujidade propcia permanncia e proliferao de microrganismos. Durao do procedimento: 40 a 60 segundos. Durao do procedimento: 40 a 60 segundos.
  • Slide 9
  • Importante No caso de torneiras com contato manual para fechamento, sempre utilize papel-toalha. O uso coletivo de toalhas de tecido contra- indicado, pois estas permanecem midas, favorecendo a proliferao bacteriana. O uso coletivo de toalhas de tecido contra- indicado, pois estas permanecem midas, favorecendo a proliferao bacteriana. Deve-se evitar gua muito quente ou muito fria na higienizao das mos, a fim de prevenir o ressecamento da pele. Deve-se evitar gua muito quente ou muito fria na higienizao das mos, a fim de prevenir o ressecamento da pele.
  • Slide 10
  • Slide 11
  • Slide 12
  • Slide 13
  • Slide 14
  • Slide 15
  • Slide 16
  • Slide 17
  • Slide 18
  • Slide 19
  • Slide 20
  • HIGIENIZAO ANTI-SPTICA DAS MOS Finalidade Promover a remoo de sujidades e de microrganismos, reduzindo a carga microbiana das mos, com auxlio de um anti-sptico. Promover a remoo de sujidades e de microrganismos, reduzindo a carga microbiana das mos, com auxlio de um anti-sptico. Durao do procedimento: 40 a 60 segundos Durao do procedimento: 40 a 60 segundos
  • Slide 21
  • FRICO ANTI-SPTICA DAS MOS (COM PREPARAES ALCOLICAS) lcool Gel ou lcool glicerinado Finalidade Reduzir a carga microbiana das mos (no h remoo de sujidades). A utilizao de gel alcolico a 70% ou de soluo alcolica a 70% com 1-3% de glicerina pode substituir a higienizao com gua e sabo quando as mos no estiverem visivelmente sujas. Durao do Procedimento: 20 a 30 segundos.
  • Slide 22
  • Slide 23
  • AGENTES ANTI-SPTICOS So substncias aplicadas pele para reduzir o nmero de agentes da microbiota transitria e residente. Entre os principais anti-spticos utilizados para a higienizao das mos, destacam-se: lcoois, Clorexidina, Compostos de iodo, Iodforos e Triclosan.
  • Slide 24
  • PAPEL-TOALHA O papel-toalha deve ser suave, possuir boa propriedade de secagem, ser esteticamente aceitvel e no liberar partculas. Na utilizao do papel-toalha, deve-se dar preferncia aos papis em bloco, que possibilitam o uso individual, folha a folha. Importante Na aquisio de produtos anti-spticos, deve-se verificar se estes esto registrados na Anvisa/MS. As informaes sobre os produtos registrados na Anvisa/MS utilizados para a higienizao das mos esto disponveis no endereo eletrnico: http://www.anvisa.gov.br/scriptsweb/index.htm http://www.anvisa.gov.br/scriptsweb/index.htm

Recommended

View more >