hermeneutica i geral.pdf

Download Hermeneutica I Geral.pdf

Post on 15-Feb-2015

102 views

Category:

Documents

15 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

HERMENUTICA RESUMO GERAL DA DISCIPLINA I Resumo Baseado no Livro Hermutica de Henri A. Vrikler Algumas definies Bsicas Em seu significado tcnico, muitas vezes se define a hermenutica como a cincia e arte de interpretao bblica. Considera-s a hermutica como cincia porque ela tem normas, ou regras, e essas podem ser classificadas nun sistema ordenado. considerada como arte porque a comunicao flexvel, e portanto uma aplicao mecnica e rgida das regras s vezes distorcer o verdadeiro sentido de uma comunicao. Exige-se do bom intrprete que ele aprenda as regras da hermenutica bem como a arte de aplic-las. A teoria hermenutica divide-se s vezes, em duas subcategorias a hermutica geral e a especial. Hermutica geral o estudo das regras que reem a interpretao do texto bblico inteiro. Inclui os tpicos das anlises histrico-cultural, lxico-sinttica, contextual e teolgica. Hermenutica especial o estudo das regras que se aplicam a gneros especficos , como parbolas, alegorias, tipos, e profecia. Relao da Hermutica com outros campos de estudo bblico. Ela se relaciona com o estudo do cnon, da crtica textual, da crtica histrica, da exegese, e da teologia bblica bem como da sistemtica. O estudo do cnon diz respeito ao processo histrico mediante o qual certos livros entraram para o cnon e outros no. A crtica textual, s vezes referida como baixa crtica, a tentavia de averiguar o fraseado primitivo de um texto. Um dos mais famosos eruditos que o mundo conhece em assuntos do Novo Testamento, F.F. Bruce, disse com relao duvidas sobre as divergncias entre os manuscritos: As variantes leituras acerca das quais permance alguma dvida ente os crticos textuais do Novo Testamento no afetam nenhuma questo essencial do fato histrico ou da f e prtica crists. O terceiro campo de estudo bblico conhecido como histrico ou alta crtica. Os eruditos neste campo estudam a autoria de um livro, a data de sua composio, as circunstncias histricas que cercam sua composio , a autenticidade de seu contedo, e sua unidade literria. O conhecimento das circunstncias histricas que cercaram a composio de um livro de suma importncia para uma compreenso adequada de seu significado. Somente aps um estudo da canonicidade, da crtica textual e da crtica histrica que o estudioso est preparado para fazer exegese. Exegese a aplicao dos princcipios da hermutica para chegar-se a um entendimento correto do texto. O prefixo ex ( fora de, para fora, ou de) refere-se idia de que o intrpretei

por Julio C Brasileiro

1/28

HERMENUTICA RESUMO GERAL DA DISCIPLINA I est tentando derivar seu entendimento do texto , em vez de ler seu significado no (para dentro) texti ( eisegese). Seguindo a exegese esto os campos gmeios da teologia bblica e da teologia sistemtica. Teologia bblica o estudo da revelao divina no Antigo e Novo Testamentos. Ela indaga: Como foi que esta revelao especfica contribuiu para o conhecimento que os crentes j possuam naquele tmepo? Tenta mostrar o desenvolvimento do conhecimento teolgico atravs dos tempos do Antigo e do Novo Testamentos. Constranstando com a teologia bblica, a teologia sistemtica organiza os dados bblicos de uma maneira lgica antes que histrica. Tenta reunir toda a informao sobre determinado tpico ( ex., a natureza de Deus, a natureza da vida no alm, o ministrio dos anjos) de sorte que possamos entender a totalidade da revelao de deus a ns sobre esse tpico. A teologia bblica e sistemtica so campos complementares; juntas elas nos proporcionam maior entendimento do que qualquer uma delas isoladamente. A necessidade da hermenutica A hermenutica , em essncia , uma codificao dosprocessos que normalmente empregamos em um nvel consciente para entender o significado de uma comunicao. Quanto interpretamos as Escrituras, h diversos bloqueios compreenso espontnea do sgnificado primitivo da mensagem. H um abismo histrico no fato de nos encontrarmos largamente separados no tempo, tanto dos escritores quanto dos primitivos leitores. A antipatia de Jonas pelos ninivitas, por exemplo, assume maior significado quando entendemos a extrema crueldade e pecaminosidade do povo de Nnive. Em segundo lugar, exite um abismo cultural, resultante de significativas diferenas entre a cultura dos antigos hebreus e a nossa. Cada um de ns v a realidade atravs de olhos condicionados pela cultura e por uma variedade de outras experincias. A falha em compreender o ambiente cultural bblico ou o nosso ambiente , e as diferenas entre os dois pode resultar em grave compreenso errnea do significado das palavras e aes bblicas. Um terceiro bloqueio compreenso espontnea da mensagem bblica a diferena linguistica. Um quarto bloqueo significativo a lacuna filosfica. Opinies acerca da vida, das circunstncias, da natureza do Universo diferem entre as vrias culturas. Para transmitir validamente uma mensagem de uma cultura para outra, o tradutor ou leitor deve estar ciee tanto das similaridades como dos contrastes das cosmovises. Portanto, a hermenutica necessria por causa das lacunas histricas, culturais, lingsticas e filosficas que obstruem a compreenso espontnea e exata da Palavra de Deus. Opinies alternativas de Interpretao

por Julio C Brasileiro

2/28

HERMENUTICA RESUMO GERAL DA DISCIPLINA I A posio liberal tpica sobre a inspirao que os escritos bblicos foram inspirados mais ou menos no mesmo sentido em que os foram Shakespeare e outros grandes escritores. Ou seja, a bblia foi escrita por gniosextremamente sensveis na rea da religio assim como grandes poetas, cantores ou pintores so chamados de gnios por sua capacidade de produzir uma obra de arte acima da maioria. Dentro da escola neo-ortodoxa a maioria cr que Deus se revelou somente em atos poderosos, e no em palavras. As palavras das Escrituras atribudas a Deus so a forma como os homens entenderam o significado das aes divinas. Assim a Bblia torna-se a Palavra de Deus quando os indivduos a lem e as palavras adquirem para eles significado pessoal, existencial. A perspectiva ortodoxa da inspirao que Deus operou por intermdio das personalidades dos escritores bblicos de tal modo que , sem suspender seus estilos pessoais de expresso ou liberdadel, o que eles produziram foi literalmente soprado por Deus ( 2 Timteo 3:16; grego: theopneustos). A nfase do texto que a prpria Bblia, e no s os escritores , foi inspirada ( Toda Escritura inspirada por Deus). Se somente os escritores tivessem sido inspirados, seria possvel argumentar que seus escritos foram contaminados pela interao da mensagem com suas prprias concepes primitivas. Baseado em versculos como 2 Timteo 3:16 e 2 Pedro 1:21, a opinio crist ortodoxa que a Bblia um depsito de verdade objetiva. Para os critos ortodoxos, pois, as tcnicas hermenuticas possuem grande importncia, porque elas nos do um meio de descobrir mais exatamente as verdade que cremos que a Bblia possui. Problemas controversos na Hermutica Contempornea Antes de passarmos ao exame da histria e depois aos princpios da hermenutica bblica, devemos familiarizar-nos com alguns dos problemas centrais , no obstante controversos, na hermenutica. Do mesmo modo, Validez na Interpretao Talvez a pergunta mais fundamental em hermenutica seja: possvel dizer o que constitui o significado vlido de um texto? Ou h mltplices significados vlidos ? se houver mais de um , so alguns mais vlidos do que outros ? Nesse caso, que critrios se podem usar para distinguir as interpretaes mais vlidas das menos vlidas? Considere o problema de Naphtunkian.

por Julio C Brasileiro

3/28

HERMENUTICA RESUMO GERAL DA DISCIPLINA I Situao: Certa vez voc escreveu uma carta a um amigo ntimo. ( Pea para eles escreverem em 10 minutos uma carta para um amigo distante que no v h muitos anos). A caminho de seu destino o servio postal perdeu sua mensagem, e ela permaneceu perdida durante os dois mil anos seguintes, em meio a guerras nucleares e a outras transies histricas. Um dia ela descoberta e recuperada. Trs poetas da sociedade contempornea de Naphtunkian traduzem sua carta separadamente, mas por infelicidade chegam a trs significados diferentes. O que isto significa para min, diz Tunky I, ... Discordo, diz tunky II. O que isso significa para mim ... vocs dois esto errados , alega Tunky III. minha interpretao que a correta. Resoluo: Como um observador imparcial que v a controvrsia da perspectiva celestial onde voc agora est ( assim esperamos) , que conselho voc gostairia de dar aos Tunkys para resolver as diferenas ? a. possvel que sua carta tenha, realmente , mais de um significado vlido ? Se a sua resposta for

sim, passe para a letra (b). Se for No, passe para (c). b. Se a sua carta pode ter uma variedade de sentidos, existe algum limite quanto ao nmero de

significados ? Se houver um limite, que critrios voc proporia para diferenar enre os significados vlidos e invlidos ? c. Se a sua carta contiver somente um significado vlido, que critrios usaria voc para discernir se a

melhor interpretao a de Tunky I, II ou III? O problema com o qual esses poetas Tunky lutam , provavelmente, o mais decisivo de toda hermenutica. Para o mundo , o estudo do que um texto tornou-se o estudo do que ele diz a um crtico individual E.D Hirsch ressalta a realidade contempornea de interpretao textual: Quando os crticos baniram o primitivo autor, eles prprios usurparam-lhe o lugar ( como quem determina o significado), e isto levou infalivelmente a algumas das confuses tericas da poca presente. Onde antes havia to-s um autor ( um determinante do significado),surgiu agora uma multiplicidade deles, cada qual trazendo consigo tanta autoridade quanto o seguinte. Banir o primitivo autor como o determinador do significado era rejeitar o nico princpio normativo obrigatrio que poderia emprestar validade a ums interpretao ... Porque se o significado de um texto no o do autor, ento ho h interpretao que possa corresponder ao significado do texto, uma vez que o texto no pode ter sign