Hdr04 Po Complete

Download Hdr04 Po Complete

Post on 30-Dec-2014

43 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<p>RELATRIO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO 2004Liberdade Cultural num Mundo Diversificado</p> <p>Publicado para o Programa das Naes Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) Lisboa MENSAGEM - Servio de Recursos Editoriais, Lda. Rua Dr. Manuel de Arriaga, 68-D 2745-158 QUELUZ PORTUGAL</p> <p>AGRADECIMENTO A traduo e a publicao da edio portuguesa do Relatrio do Desenvolvimento Humano 2004 s foram possveis graas ao apoio do Instituto Portugus de Apoio ao Desenvolvimento (IPAD).</p> <p>MENSAGEM - Servio de Recursos Editoriais Rua Dr. Manuel de Arriaga, 68-D 2745-158 QUELUZ Telef. +351 214 342 110 Fax +351 214 342 119</p> <p>Copyright 2004 do Programa das Naes Unidas para o Desenvolvimento 1 UN Plaza, New York, New York, 10017, USA http://www.undp.org/undp/hdro Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicao pode ser reproduzida ou transmitida, de qualquer forma ou por qualquer meio, electrnico, mecnico, fotocpia, gravao ou outro, sem autorizao da Editora Mensagem. Edio em lngua portuguesa MENSAGEM - Servio de Recursos Editoriais Rua Dr. Manuel de Arriaga, 68-D 2745-158 QUELUZ Telef. +351 214 342 110 Fax +351 214 342 119</p> <p>Traduo: Jos Freitas e Silva Coordenao da traduo e reviso tcnica: Joo Estvo Capa e design: Gerald Quinn, Quinn Information Design, Cabin John, Maryland Paginao e preparao grfica: Joo Mendes - Artes Grficas, Lda. Telemvel 919 032 125 Impresso e acabamento: SIG Sociedade Industrial Grfica, Lda. Bairro de S. Francisco, Lote 1-6 P. 2685-466 Camarate PORTUGAL Telefone: (351) 219 473 701 Fax: (351) 219 475 970</p> <p>ISBN 972-8730-18-7 Depsito Legal N. ?????? / ??</p> <p>Para qualquer erro ou omisso encontrado no presente Relatrio aps a sua impresso, consultar website do PNUD em http://hdr.undp.org</p> <p>EQUIPA PARA A PREPARAO DO</p> <p>Relatrio do Desenvolvimento Humano 2004Directora e Redactora Principal Sakiko Fukuda-Parr Equipa nuclear Carla De Gregorio, Haishan Fu (Chefe de Estatstica), Ricardo Fuentes, Arunabha Ghosh, Claes Johansson, Christopher Kuonqui, Santosh Mehrotra, Tanni Mukhopadhyay, Stefano Pettinato, David Stewart e Emily White Conselheiro estatstico: Tom Griffin Editores: Cait Murphy e Bruce Ross-Larson Desenho da capa e layout: Gerald Quinn Desenho da Informao: Grundy &amp; Northedge Colegas do GRDH O grupo de trabalho exprime os seus agradecimentos pelo valioso apoio e contributo dos colegas do Gabinete do Relatrio do Desenvolvimento Humano (GRDH). A preparao do Relatrio contou com o apoio administrativo de Oscar Bernal, Renuka Corea-Lloyd e Mamaye Gebretsadik. O trabalho de divulgao e promoo do Relatrio foram da responsabilidade de Nena Terrell com o apoio de Maria Kristina Dominguez e Anne-Louise Winslv. As operaes do GRDH foram administradas por Yves Sassenrath com o apoio de Marie Suzanne Ndaw. E o grupo trabalhou em conjunto com os membros da Unidade do Relatrio Nacional do Desenvolvimento Humano (NHDR), nomeadamente: Sarah Burd-Sharps (Directora Adjunta do GRDH e Chefe da Unidade do NHDR), Marcia de Castro, Sharmila Kurukulasuriya, Juan Pablo Mejia e Mary Ann Mwangi. Consultores Principais Amartya Sen (Captulo 1), Lourdes Arizpe, Robert Bach, Rajeev Bhargava, Elie Cohen, Emmanuel de Kadt, Nicholas Dirks, K.S. Jomo, Will Kymlicka, Valentine Moghadam, Joy Moncrieffe, Sam Moyo, Brendan OLeary, Kwesi Kwaa Prah, Barnett R. Rubin, Daniel Sabbagh, D.L. Sheth, Rodolfo Stavenhagen, Alfred Stepan, Deborah Yashar e Aristide Zolberg</p> <p>Prefcio</p> <p>Numa altura em que a noo de um choque de culturas global ressoa fortemente e preocupantemente por todo o mundo, encontrar respostas para as velhas questes sobre a melhor maneira de gerir e mitigar os conflitos acerca da lngua, religio, cultura e etnicidade assumiu uma importncia renovada. Para quem trabalha em desenvolvimento, esta no uma questo abstracta. Para que o mundo atinja os Objectivos de Desenvolvimento do Milnio e acabe por erradicar a pobreza, tem que enfrentar primeiro, com xito, o desafio da construo de sociedades culturalmente diversificadas e inclusivas. No s porque faz-lo com xito condio prvia para os pases se concentrarem adequadamente noutras prioridades do crescimento econmico, a sade e a educao para todos os cidados. Mas tambm porque permitir s pessoas uma expresso cultural completa um fim importante do desenvolvimento em si mesmo. O desenvolvimento humano tem a ver, primeiro e acima de tudo, com a possibilidade das pessoas viverem o tipo de vida que escolheram e com a proviso dos instrumentos e das oportunidades para fazerem as suas escolhas. Nos ltimos anos, o Relatrio do Desenvolvimento Humano tem defendido fortemente que esta uma questo, tanto de poltica, como de economia desde a proteco dos direitos humanos at ao aprofundamento da democracia. A menos que as pessoas pobres e marginalizadas que na maioria das vezes so membros de minorias religiosas, tnicas, ou migrantes possam influenciar aces polticas, a nvel local e nacional, no provvel que obtenham acesso equitativo ao emprego, escolas, hospitais, justia, segurana e a outros servios bsicos. O Relatrio deste ano assenta nessa anlise, examinando cuidadosamente e rejeitando as afirmaes de que as diferenas culturais levam necessariamente ao conflito social, econmico e</p> <p>poltico, ou de que os direitos culturais inerentes deviam suplantar os direitos polticos e econmicos. Em vez disso, fornece um poderoso argumento para descobrir modos de satisfao nas nossas diferenas, como disse o Arcebispo Desmond Tutu. Tambm oferece algumas ideias concretas sobre o que significa, na prtica, construir e gerir as polticas de identidade e cultura de maneira consistente com os princpios fundamentais do desenvolvimento humano. Por vezes, isso relativamente fcil por exemplo, o direito de uma rapariga educao sobrepor-se- sempre reivindicao do pai de um direito cultural de proibir a sua escolarizao, por razes religiosas ou outras. Mas a questo pode ser muito mais complicada. Vejamos a educao em lngua materna. H provas persuasivas de que os jovens tm mais xito aprendendo na sua prpria lngua. Porm, o que uma vantagem num determinado momento da vida e, na verdade, pode continuar a ser um princpio bsico de identidade indispensvel ao longo da vida toda pode tornar-se uma desvantagem noutros aspectos, quando a falta de proficincia em lnguas nacionais, ou internacionais, mais usadas prejudicar gravemente as oportunidades de emprego. Como este Relatrio torna claro, da aco afirmativa ao papel dos meios de comunicao, no existem regras fceis, nem universais, sobre a melhor maneira de construir sociedades multiculturais que funcionem. Mesmo assim, h uma lio geral que clara: ter xito no simplesmente uma questo de mudanas legislativas e de polticas, por mais necessrias que elas sejam. As constituies e as leis que protegem e do garantias s minorias, povos indgenas e outros grupos so uma base fundamental para liberdades mais amplas. Mas, a menos que a cultura poltica tambm mude a menos que os cidados venham a pensar, sentir e agir de modo a contemplar as necessidades e</p> <p>v</p> <p>aspiraes de outros , a verdadeira mudana no acontecer. Quando a cultura poltica no muda, as consequncias so perturbadoramente claras. Dos grupos indgenas descontentes da Amrica Latina, s minorias infelizes de frica e da sia e aos novos imigrantes de todo o mundo desenvolvido, no resolver as razes de queixa de grupos marginalizados no cria apenas injustia. Cria verdadeiros problemas para o futuro: jovens desempregados e descontentes, zangados com o status quo e a exigirem mudana, muitas vezes violentamente. Esse o desafio. Mas tambm h verdadeiras oportunidades. A mensagem geral deste Relatrio destacar o enorme potencial de construir um mundo mais pacfico e mais prspero, pondo as questes da cultura na corrente principal do pensamento e da prtica do desenvolvimento. No para substituir as prioridades mais tradicionais que continuaro a ser o nosso dia-a-dia mas para as completar e reforar. O lado menos interessante do desenvolvimento que os pases em desenvolvimento podem muitas vezes recorrer a tradies culturais mais ricas e mais diversificadas venham elas da lngua, arte, msica, ou doutras formas do que os seus parceiros mais ricos do Norte. A globalizao da cultura de massas dos livros aos filmes e televiso coloca, claramente, algumas ameaas significati-</p> <p>vas s culturas tradicionais. Mas tambm abre oportunidades, desde o significado limitado de grupos prejudicados, como os aborgenes australianos ou os esquims rcticos penetrando nos mercados mundiais de arte, at ao significado mais amplo de criao de sociedades mais vibrantes, criativas e estimulantes. Tal como todos os Relatrios de Desenvolvimento Humano, este um estudo independente destinado a estimular o debate e a discusso sobre um assunto importante, e no uma declarao de poltica das Naes Unidas, ou do PNUD. Porm, ao pegar num assunto muitas vezes negligenciado por economistas do desenvolvimento e ao coloc-lo firmemente no espectro de prioridades para a criao de vidas melhores e mais plenas, apresenta importantes argumentos para o PNUD e seus parceiros considerarem e actuarem no mbito mais geral das suas actividades. Este ano, tambm gostaria de prestar uma homenagem especial a Sakiko Fukuda-Parr, que est de sada aps 10 anos de liderana bem sucedida do nosso Gabinete do Relatrio do Desenvolvimento Humano. Tambm gostaria de apresentar agradecimentos especiais a Amartya Sen, um dos padrinhos do desenvolvimento humano, que no s colaborou no primeiro captulo, mas tambm tem tido uma enorme influncia na formao do nosso pensamento sobre este importante assunto.</p> <p>Mark Malloch Brown Administrador, PNUD</p> <p>A anlise e as recomendaes polticas deste Relatrio no reflectem, necessariamente, as opinies do Programa das Naes Unidas para o Desenvolvimento, do seu Conselho Executivo, ou dos seus Estados membros. O Relatrio uma publicao independente comissionada pelo PNUD. o fruto de um esforo de colaborao de uma equipa de consultores e conselheiros eminentes e da equipa do Relatrio do Desenvolvimento Humano. Sakiko Fukuda-Parr, Directora do Gabinete do Relatrio do Desenvolvimento Humano, conduziu este esforo.</p> <p>vi</p> <p>Agradecimentos</p> <p>A preparao deste Relatrio no teria sido possvel sem as valiosas contribuies de um grande nmero de pessoas e de organizaes. A equipa exprime os seus sinceros agradecimentos ao Professor Amartya Sen, que concebeu a estrutura prvia do Relatrio. CONTRIBUIES A equipa est particularmente agradecida pela colaborao oferecida pelo Director Geral da UNESCO, Kochiro Matsuura, e pelos seus colaboradores, particularmente Ann-Belinda Preis, Katarina Stenou e Rene Zapata. Foram preparados muitos estudos de apoio, documentos e notas sobre questes temticas relacionadas com a identidade, diversidade cultural e liberdade cultural. Para tal, contmos com o contributo de Lourdes Arizpe, Robert Bach, Rajeev Bhargava, Elie Cohen, Emanuel De Kadt, Carolyn Deere, Nicholas Dirks, K.S. Jomo, Will Kymlicka, Valentine Moghadam, Joy Moncrieffe, Sam Moyo, Brendan OLeary, Kwesi Kwaa Prah, Barnett R. Rubin, Daniel Sabbagh, Amartya Sen, D.L. Sheth, Rodolfo Stavenhagen, Alfred Stepan, Deborah Yashar e Aristide Zolberg. Para o Captulo 2, beneficimos do contributo do Gabinete de Preveno e Recuperao de Crises, com mapas de pases e informao relacionada com conflitos, particularmente do trabalho de Meegan Murray, Preveen Pardeshi e Pablo Ruiz. Muitas organizaes partilharam generosamente as suas sries de dados e outros materiais de investigao: Centro de Anlise e Informao sobre o Dixido de Carbono; Secretariado da Comunidade das Carabas; Centro de Comparaes Internacionais, na Universidade da Pensilvnia; Comisso Econmica e Social para</p> <p>a sia e Pacfico; Organizao para a Alimentao e Agricultura; Instituto Internacional de Estudo Estratgicos; Organizao Internacional do Trabalho; Fundo Monetrio Internacional; Organizaes Internacionais para a Migrao; Unio Internacional das Telecomunicaes; Unio Interparlamentar; Programa Conjunto das Naes Unidas para o HIV/SIDA; Estudos de Rendimento do Luxemburgo; Organizao para a Cooperao e Desenvolvimento Econmico; Instituto Internacional de Estocolmo para a Investigao sobre a Paz; Fundo das Naes Unidas para a Infncia; Conferncia das Naes Unidas sobre Comrcio e Desenvolvimento; Comisso Econmica das Naes Unidas para a Amrica Latina e as Carabas; Instituto de Estatstica da Organizao das Naes Unidas para a Educao, Cincia e Cultura; Alto Comissariado das Naes Unidas para os Refugiados; Gabinete das Naes Unidas contra a Droga e o Crime; Departamento de Assuntos Legais das Naes Unidas; Diviso das Naes Unidas para a Populao; Diviso de Estatstica das Naes Unidas; Banco Mundial; Organizao Mundial de Sade e Organizao Mundial para a Propriedade Intelectual. A equipa tambm expressa a sua apreciao pelo apoio que recebeu da Fundao Rockefeller, particularmente de Ram Manikkalingam, Janet Maughan, Joan Shigekawa, Lynn Szwaja, Tomas Ybarro-Frausto, assim como de Gianni Celli e de Nadia Giladroni da Centro de Estudos e Conferncias da Fundao Bellagio Rockefeller. PAINEL CONSULTIVO O Relatrio beneficiou grandemente com o conselho intelectual e a orientao fornecidos por um painel consultivo externo de peritos</p> <p>vii</p> <p>eminentes. Do painel fizeram parte Arjun Appadurai, Robert Bach, Seyla Benhabib, Nancy Birdsall, Jody Narandran Kollapen, Mahmood Mamdani, Snia Picado, Surin Pitsuwan, Jorge F. Quiroga, Paul Streeten, Victoria Tauli-Corpus, Ngaire Woods, Rene Zapata e Antonina Zhelyazkova. Do painel consultivo sobre estatstica fizeram parte Sudhir Anand, Paul Cheung, Willem DeVries, Lamine Diop, Carmen Feijo, Andrew Flatt, Paolo Garonna, Robert Johnston, Irena Krizman, Nora Lustig, Ian Macredie, Marion McEwin, Wolf Scott, Tim Smeeding e Michael Ward. CONSULTAS Durante a preparao do Relatrio foram muitas as pessoas consultadas e que deram o seu valioso conselho, informaes e materiais. A equipa do Relatrio agradece a Carla Abouzahr, Yasmin Ahmad, Patricia Alexander, Serge Allegrezza, Anna Alvazzi del Frate, Shaida Badiee, Yusuf Bangura, Nefise Bazoglu, Grace Bediako, Matt Benjamin, Yonas Biru, Ties Boerma, Eduard Bos, Thomas Buettner, Tony Burton, Rosario Garcia Calderon, Joe Chamie, Shaohua Chen, Paul Cheung, Martin Chungong, David Cieslikowski, Lee Cokorinos, Patrick R. Cornu, Kim Cragin, Trevor Croft, Gaurav Datt, Ian Dennis, Yuri Dikhanov, Dennis Drescher, Asghar Ali Engineer, Hubert Escaith, Kareen Fabre, Yousef Falah, Richard Fix, Karl Franklin, Nancy Fraser, Rodolfo Roque Fuentes, Enrique Ganuza, Peter Ghys, Erlinda Go, Rui Gomes, Ray Gordon, Marilyn Gregerson, Ted Robert Gurr, Brian Hammond, Philomen Harrison, Sabinne Henning, Alan Heston, Misako Hiraga, Frederick W.H. Ho, Joop van Holsteyn, Bla Hovy, Piero Ignazi, Chandika Indikadahena, Jens Johansen, Lawrence Jeff Johnson, Robert Johnston, Vasantha Kandiah, Alison Kennedy, Sio Suat Kheng, Elizabeth Kielman, Taro Komatsu, Karoly Kovacs, Olivier Labe, Frank Laczko, Henrik Larsen, Georges Lemaitre, Denise Lievesley, Rolf Luyendijk, Nyein Nyein Lwin, Do...</p>