Gustavo CD

Download Gustavo CD

Post on 10-Jul-2015

283 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<p>GUSTAVO ZANATTA BRUNO</p> <p>COMPUTAO EM NUVEM NOS SISTEMAS DE INFORMAO</p> <p>BARRA DO BUGRES 2011</p> <p>GUSTAVO ZANATTA BRUNO</p> <p>COMPUTAO EM NUVEM NOS SISTEMAS DE INFORMAO</p> <p>Monografia apresentada ao Departamento de Cincia da Computao, da Universidade do Estado de Mato Grosso UNEMAT, como prrequisito para obteno do ttulo de Bacharel em Cincia da Computao, sob orientao do Prof. MSc. Fernando Selleri Silva.</p> <p>BARRA DO BUGRES 2011</p> <p>GUSTAVO ZANATTA BRUNO</p> <p>COMPUTAO EM NUVEM NOS SISTEMAS DE INFORMAO</p> <p>Monografia</p> <p>apresentada</p> <p>ao</p> <p>curso</p> <p>de</p> <p>Cincia</p> <p>da</p> <p>Computao,</p> <p>da</p> <p>Universidade do Estado de Mato Grosso, como trabalho de concluso de curso e pr-requisito para obteno do titulo de Bacharel em Cincia da Computao, sob orientao do Professor MSc. Fernando Selleri Silva sujeito avaliao da seguinte banca examinadora:</p> <p>Banca Examinadora</p> <p>________________________________________ Prof. MSc. Fernando Selleri Silva Orientador</p> <p>________________________________________ Prof. Esp. Raquel da Silva Vieira Coelho Coordenadora de Monografia II</p> <p>________________________________________ Prof. MSc. Everton Ricardo no Nascimento Convidado</p> <p>________________________________________ Prof. Luciano Barco Indicado pelo Departamento</p> <p>Barra do Bugres, 30 de junho de 2011.</p> <p>DEDICATRIA</p> <p>Dedico esse trabalho a minha me, a senhora Ilse Maria Zanatta Bruno, que esteve ao meu lado em todas as etapas da minha vida, me prestando todo tipo de apoio.</p> <p>AGRADECIMENTOS</p> <p>Gostaria de deixar meu agradecimento a todos meus amigos que me deram apoio para o desenvolvimento desse trabalho. Tambm gostaria de agradecer ao meu orientador Fernando Selleri Silva pelo apoio prestado durante a realizao do mesmo.</p> <p>RESUMO</p> <p>Este trabalho descreve o novo paradigma para arquitetura de servidores, a computao em nuvem. O mesmo faz uma contextualizao histrica sobre as arquiteturas computacionais at os dias de hoje. Apresenta uma abordagem sobre os conceitos bsicos de computao em nuvem, demonstrando suas principais caractersticas, vantagens e desafios. Tambm descreve os modelos de servio fornecidos pela nuvem e seus tipos. No final apresenta um estudo de caso de migrao para a nuvem de uma empresa petrolfera e sugere sistemas brasileiros que poderiam ser migrados para a nuvem. O trabalho foi desenvolvido por meio de pesquisa exploratria com reforo de pesquisa bibliogrfica e visa despertar a ateno da comunidade acadmica para o tema, bem como contribuir com o desenvolvimento e adoo dessa tecnologia no nosso pas. Palavras-chave: Arquitetura. Nuvem. Vantagens. Migrao.</p> <p>ABSTRACT</p> <p>This paper describes the new paradigm for server architecture, cloud computing. So does a historical context on computing architectures to this day. Presents a discussion of the basic concepts of cloud computing, demonstrating its main features, advantages and challenges. It also describes the types of service provided by the cloud and its brands. At the end presents a case study of migration to the cloud of an oil company and Brazilian systems suggests that could be migrated to the cloud. The work was developed through exploratory research reinforced with literature and aims to arouse the attention of the academic community to the issue and contribute to the development and adoption of this technology in our country. Keywords: Architecture. Cloud. Benefits. Migration.</p> <p>LISTA DE FIGURAS</p> <p>Figura 1: Representao da nuvem .......................................................................... 17 Figura 2: Camadas da nuvem. .................................................................................. 24 Figura 3: Diferena do ciclo de vida do software convencional para o SaaS. ........... 25 Figura 4: Tipos de nuvens. ........................................................................................ 28 Figura 5: Descrio do sistema antes da nuvem....................................................... 33 Figura 6: Descrio do sistema aps a nuvem.......................................................... 33 Figura 7: Motivos de chamadas para manuteno.................................................... 36</p> <p>SUMRIO</p> <p>INTRODUO ............................................................................................................ 9 1 SISTEMAS DE INFORMAO COORPORATIVOS ............................................. 11 1.2 Evoluo dos sistemas de informao ................................................................ 12 1.2.3 Arquitetura web ................................................................................................ 14 2 COMPUTAO EM NUVEM ................................................................................. 16 2.1 Histrico .............................................................................................................. 16 2.2 Conceitos de computao em nuvem ................................................................. 17 2.3 Vantagens da computao em nuvem ................................................................ 18 2.4 Desafios para a computao em nuvem ............................................................. 20 2.5 Modelos de servios disponveis na nuvem ........................................................ 24 2.6 Ferramentas para a nuvem ................................................................................. 27 2.7 Tipos de nuvem quanto propriedade ................................................................ 28 3 A COMPUTAO EM NUVEM NOS SISTEMAS COORPORATIVOS .................. 30 3.1 Sistemas favorveis migrao para a nuvem ................................................... 30 3.2 Estudo de caso de migrao para a nuvem ........................................................ 31 3.3 Sistemas que poderiam ir para nuvem ................................................................ 39 3.4 A nuvem uma tendncia ................................................................................... 42 CONCLUSO ............................................................................................................43 REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS .......................................................................... 44</p> <p>9</p> <p>INTRODUO</p> <p>Atualmente, grande parte dos servios essenciais que consumimos como gua e energia so cobrados conforme o uso, ento por que no cobrar os recursos de TI (tecnologia da informao) consumidos pelas empresas dessa forma? Nos ltimos tempos surgiu um modelo de prestao de servios computacionais em que possvel fazer dessa forma, o modelo chamado de computao em nuvem. A computao em nuvem um modelo de servio recente, em que a forma de pagamento baseada no consumo de servios utilizados, que cresce a cada dia e pode oferecer servios para os usurios finais que queiram hospedar arquivos at as grandes empresas que queiram migrar toda sua parte de TI para a nuvem. A nuvem pode ser acessada de qualquer lugar e se adaptar as mais diversas demandas, esses so os grandes diferenciais, incluindo a facilidade em se projetar um servidor sem se preocupar com a demanda. Essas caractersticas atraem cada dia mais usurios para as nuvens. Alm dessas, a nuvem possui outras vantagens com relao s demais arquiteturas. Porm, ainda encontra resistncia de adoo por parte de muitas empresas, principalmente pelo fato de ser um paradigma novo. A computao em nuvem resultado de uma unio de uma srie de outras ferramentas j conhecidas na rea de tecnologia. Generalizando, o conceito de nuvem parte do princpio de que toda infraestrutura de TI da empresa so ativos das empresas clientes, e passa a ser acessado pela Internet, por meio do uso de um simples navegador. Nesse modelo de negcios a Internet passa a ser o centro das operaes e atividades das empresas, e a rede passa a focar nos sistemas utilizados em grande escala pelos usurios. A metodologia de pesquisa adotada para o desenvolvimento deste trabalho teve como foco a Pesquisa Exploratria. Para refinar os resultados em muitos momentos foram oferecidas diferentes abordagens, sobre o tema. Portanto, para fundamentao terica a metodologia de pesquisa utilizada foi a Pesquisa Bibliogrfica. (SANTOS, 2005). O trabalho visa explicar os conceitos bsicos de computao em nuvens e dos sistemas corporativos. Descrever as vantagens da utilizao da computao em</p> <p>10</p> <p>nuvens em sistemas corporativos. Demonstrar as aplicaes de computao em nuvens. E contribuir para a melhoria dos sistemas de informaes corporativas utilizados nas organizaes, fornecendo informaes para as reas de TI das empresas. O presente trabalho encontra-se estruturado em trs captulos. O primeiro faz uma demonstrao da evoluo das arquiteturas dos computadores at os dias atuais. O segundo aprofunda o estudo sobre os conceitos de computao em nuvem. E o terceiro demonstra um estudo de caso em computao em nuvem e uma discusso sobre sistemas que possivelmente ficariam mais estveis com a aplicao da nuvem.</p> <p>11</p> <p>1 SISTEMAS DE INFORMAO COORPORATIVOS</p> <p>Os sistemas de informao so de suma importncia nas organizaes modernas, pois integram as vrias operaes da empresa facilitando a administrao da mesma. So de grande utilidade para a busca de lucro das empresas, pois aperfeioam os processos aumentando a eficincia. Conforme Stair e Reynolds sistema de informao significa:</p> <p>[...] um conjunto de elementos ou componentes inter-relacionados que coletam (entrada), manipulam (processamento) e disseminam (sada) os dados e a informao e fornecem um mecanismo de feedback para atender a um objetivo. (2002, p.12).</p> <p>Segundo Laudon, K e Laudon, J sistemas de informao podem ser definidos como um conjunto de componentes inter-relacionados que coleta (recupera), processa, armazena e distribui informaes destinadas a apoiar a tomada de decises, a coordenao e o controle de uma organizao. (2004, p. 7). Para uma melhor compreenso do que so sistemas de informao, necessrio compreender que as informaes surgem a partir de dados organizados e processados para que possam proporcionar valor s atividades da empresa, para ajudar a tomar decises e assim realizar o seu trabalho. Em um sistema de informao, a entrada o ato de coletar dados para que possam ser processados. Independente da forma que se coleta os dados, a entrada de dados deve ser definida com cuidado para que se possa obter a sada desejada. O processamento a transformao dos dados em sadas teis para a realizao do trabalho, essa transformao pode ser feita de forma manual ou automtica. O processamento manual quando o funcionrio manipula as informaes manualmente na maioria das vezes impressa em papel. J o automtico quando so usados sistemas eletrnicos para fazer o processamento das mesmas.</p> <p>12</p> <p>A sada o resultado da transformao dos dados coletados na entrada, gerando informaes teis para o sistema e/ou o usurio. Em alguns casos, a sada do sistema pode corresponder entrada para outro sistema, ou para ele prprio, sendo esse ato denominado como feedback.</p> <p>1.2 Evoluo dos sistemas de informao</p> <p>No incio do processo de utilizao dos sistemas computacionais voltados para a rea comercial, as empresas que possuam um setor de TI (Tecnologia da Informao) eram somente as empresas de grande porte que podiam arcar com os custos dos mainframes. Aps a era dos mainframes, veio vez da arquitetura cliente-servidor em que os servidores eram mais baratos com a arquitetura PC baseados em UNIX. E tinham suas inmeras vantagens sobre os Mainframes, possibilitando as empresas de mdio e pequeno porte ter acesso a essas vantagens de ter um setor de TI. O prximo passo dessa evoluo, principalmente por conta do acesso web que se popularizou e tornou-se uma caracterstica bsica dos ambientes organizacionais a Computao em Nuvem, que vem se consolidando como uma tendncia. Segundo a revista Galileu o Massachusetts Institute of Technology diz que a Computao em Nuvem ser uma das 10 tecnologias que vai mudar o mundo em breve. (HELLERSTEIN apud GALILEU, 2010).</p> <p>1.2.1 Arquitetura mainframe</p> <p>Um mainframe um computador bem maior que os da arquitetura PC com relao ao porte, sendo dedicado ao processamento de um grande nmero de dados. Fornece servio de processamento a centenas ou at milhares de usurios simultaneamente. Os mainframes entraram em operao por volta de 1946 e foram se aperfeioando aos poucos.</p> <p>13</p> <p>Esses computadores ocupam muito espao e demandam de um grande custo, pois necessitam de um ambiente especial para seu funcionamento, que inclui instalao de complexos sistemas de refrigerao e de eletricidade. Por conta dessas caractersticas foram perdendo espao para os servidores da arquitetura PC e UNIX que tem um custo bem menor. (OLIVEIRA; SOARES, 2010). Contudo, ainda existem mainframes em operao no mundo inteiro, sobretudo nas grandes empresas, pois para uma empresa migrar de uma arquitetura para outra tem um grande custo operacional e financeiro. A tendncia que aos poucos os mainframes no consigam mais atender as necessidades dessas empresas e optem por outro tipo de arquitetura para manter seus sistemas em operao. (OLIVEIRA; SOARES, 2010).</p> <p>1.2.2 Arquitetura cliente-servidor</p> <p>A arquitetura Mainframe, abordada anteriormente, foi sendo aos poucos substituda nas empresas pela chamada arquitetura cliente-servidor. Mendes conceitua arquitetura cliente-servidor como:</p> <p>Cliente-servidor um modelo computacional que separa clientes e servidores, sendo interligados entre si geralmente utilizando-se uma rede de computadores. Cada instncia de um cliente pode enviar requisies de dado para algum dos servidores conectados e esperar pela resposta. Por sua vez, algum dos servidores disponveis pode aceitar tais requisies, process-las e retornar o resultado para o cliente. Apesar de o conceito ser aplicado em diversos usos e aplicaes, a arquitetura praticamente a mesma. (2002, p. 98).</p> <p>Nessa arquitetura o cliente, que inicia as requisies ao servidor, espera e recebe respostas. Geralmente se conecta a um pequeno nmero de servidores de uma s vez e interage diretamente com os usurios finais quase sempre por meio de interfaces grficas. J o servidor espera os pedidos, processa-os, serve os clientes com respostas, e pode se comunicar com outro servidor para atender a um cliente.</p> <p>14</p> <p>Essa arquitetura possibilita que as responsabilidades de um sistema possam ser distribudas entre vrios computadores independentes, que se comunicam pela rede. Alm de que todos os dados ficam nos servidores que geralmente so muito mais seguros, nos quais os clientes possam acessar e alterar somente os dados que lhes so permitidos o acesso. Quando a arquitetura centralizada em um servidor as atualizaes dos dados so mais fceis de administrar. Os clientes tambm podem ser heterogneos, desde smartphones a computadores. (MENDES, 2002). Umas das desvantagens desse paradigma o limite de trfego na rede, se o nmero de solicitaes for alto para algum servidor, esse pode ficar sobrecarregado e parar. Tambm no possui robustez, pois se um servidor crtico falhar, os pedidos dos clientes podem no ser cumpridos (MENDES, 2002).</p> <p>1.2.3 A...</p>