Guiao educa 1ciclo

Download Guiao educa 1ciclo

Post on 11-Jul-2015

735 views

Category:

Education

4 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li><p>GU</p><p>IO</p><p> DE </p><p>EDU</p><p>CA</p><p>O. G</p><p>NER</p><p>O E</p><p> CID</p><p>AD</p><p>AN</p><p>IA 1</p><p> cic</p><p>lo</p><p>GUIO DE EDUCAO</p><p>1 ciclo</p><p>GNERO E CIDADANIA</p><p>Maria Joo Cardona (coord.), Conceio Nogueira, Cristina Vieira, Isabel Piscalho, Marta Uva, Teresa-Cludia Tavares</p><p> semelhana do Guio de Educao j realizado para a educao pr-escolar, esta publicao pretende apoiar as prticas educativas de professores e professoras do 1 ciclo do ensino bsico, no que diz respeito ao trabalho sobre gnero e cidadania. As questes relativas ao gnero e cidadania fazem parte do quotidiano da vida das crianas e entram, naturalmente, na vida da escola. Muitas vezes, alegando a sua transversalidade, a abordagem desta rea acaba por ser desvalorizada. No fcil o desenvolvimento de um trabalho educativo sustentado em torno destas questes, nomeadamente em contexto de sala de aula, pelo que tendem a ser muitas vezes ignoradas e/ou reprimidas. Alega-se a complexidade e a falta de preparao e formao de professores e professoras para lidarem com estes contedos e para lhes darem a ateno necessria. Paralelamente, a falta de referncias bibliogrficas e a falta de recursos acabam por vir reforar esta lacuna, levando a uma ausncia de intencionalidade educativa em relao a este tipo de contedos. </p><p>Foi na tentativa de colmatar algumas destas dificuldades que construmos este guio.</p></li><li><p>GUIO DE EDUCAO. GNERO E CIDADANIA 1 Ciclo</p></li><li><p>GUIO DE EDUCAOGNERO E CIDADANIA</p><p>1 ciclo</p><p>Maria Joo Cardona (coord.), Conceio Nogueira, Cristina Vieira Isabel Piscalho, Marta Uva e Teresa-Cludia Tavares</p><p>Lisboa, 2011</p></li><li><p>Ttulo: Guio de Educao Gnero e Cidadania. 1 ciclo do ensino bsico </p><p>Autoria: Maria Joo Cardona (coord.), Conceio Nogueira, Cristina Vieira, Isabel Piscalho, Marta Uva e Teresa-Cludia Tavares</p><p>Consultoria Cientfica: Teresa Vasconcelos </p><p>Reviso: Teresa Pinto </p><p>Edio: Comisso para a Cidadania e a Igualdade de Gnero</p><p>Lisboa, 2011</p><p>Design Grfico e Paginao: Marta Gonalves</p><p>Impresso e acabamento: Rolo &amp; Filhos II, S.A.</p><p>Tiragem:2.000 Exemplares</p><p>Data de Impresso:????</p><p>Depsito Legal:????</p><p>ISBN: 978-972-597-323-6</p><p>Validado pela DGIDC/ME</p><p>Disponvel em: http://www.cig.gov.pt/guiaoeducacao/Esta edio segue a grafia do Novo Acordo Ortogrfico da Lngua Portuguesa. Nas referncias bibliogrficas foi respeitada a </p><p>grafia original.</p><p>Ficha Tcnica</p><p>O contedo deste livro no exprime necessariamente a opinio da Comisso para a Cidadania e a Igualdade de Gnero</p></li><li><p>VGUIO DE EDUCAO. GNERO E CIDADANIA </p><p>ndice</p><p>Nota Prvia VII</p><p>INTRODUO. 1</p><p>1. ENQUADRAMENTO TERICO 13Reflexes Iniciais 151.1. Gnero e Cidadania 19</p><p>1.1.1. De que falamos quando falamos de gnero? 221.1.2. O gnero como categoria social 321.1.3. A formao da identidade de gnero 351.1.4. Esteretipos de gnero 381.1.5. De que falamos quando falamos em cidadania? 451.1.6. Que relaes entre gnero e cidadania? 491.1.7. De que falamos quando falamos em cidadania e educao? 521.1.8. Construindo prticas de cidadania 58</p><p>1.2. Gnero e Currculo no 1 Ciclo do Ensino Bsico 751.3. Cidadania e Igualdade de Gnero nas prticas educativas 0</p><p>2. GNERO, CIDADANIA E INTERVENO EDUCATIVA. SUGESTES PRTICAS 2.1. A organizao do ambiente educativo 02.2. A organizao do grupo e o papel do/a professor/a. Exemplos de atividades 02.3. A (auto) avaliao 02.4. O envolvimento das famlias e da comunidade 02.5. Os contedos de aprendizagem. Exemplos de projetos 0</p><p>2.5.1. Aconteceu mesmo: entre contos e recontos - o passado 02.5.2. Alicerar pontes para a incluso na vida quotidiana. A cidadania no dia a dia da escola - o presente 02.5.3. Pensar e aprender a cidadania - o futuro 02.5.4. Outros projetos 0</p><p>2.6. Projetos da instituio 02.7. Reflexo final 0</p><p> BIBLIOGRAFIA REFERENCIADA 0 LEGISLAO REFERENCIADA 0 DOCUMENTOS E STIOS DE REFERNCIA 0 GLOSSRIO 0 NOTAS BIOBIBLIOGRFICAS 0 NDICE DE QUADROS E FIGURAS 0</p></li><li><p>VII</p><p>GUIO DE EDUCAO. GNERO E CIDADANIA </p><p>Nota Prvia</p><p>Com a publicao de dois novos Guies de Educao Gnero e Cidadania, a Comisso para a Cidadania e a Igualdade de Gnero (CIG) d continuidade ao projeto, iniciado em 2008, de produzir e editar materiais de apoio integrao da dimenso do gnero e da igualdade entre raparigas e rapazes no currculo do ensino bsico. Os dois novos Guies destinam-se, respetivamente, ao 1 e ao 2 ciclos do ensino bsico e, semelhana dos Guies editados em 2010, tiveram o apoio financeiro do POPH, atravs do Eixo 7 Igualdade de Gnero, e foram acompanhados pela Direo Geral de Inovao e Desenvolvimento Curricular (DGIDC) que validou a sua adequao s orientaes curriculares do Ministrio da Educao. Destinando-se educao formal, os Guies so instrumentos de apoio para profissionais de educao de todas as reas curriculares, disciplinares e no disciplinares, em especial de Formao Cvica, e de todos os tipos e/ou modalidades de ensino.A finalidade destes Guies a integrao da dimenso de gnero nas prticas educativas formais e nas dinmicas organizacionais das instituies educativas, com vista eliminao gradual dos esteretipos sociais de gnero que predefinem o que suposto ser e fazer um rapaz e uma rapariga. Pretende-se, assim, contribuir para tornar efetiva a educao para a cidadania para raparigas e para rapazes, garantindo que a educao, e a cidadania como uma das suas reas transversais, se configure e estruture a partir, entre outros, do eixo das relaes sociais de gnero, visando uma verdadeira liberdade de escolha dos percursos acadmicos e profissionais e dos projetos de vida por parte, quer de raparigas, quer de rapazes.</p><p>A produo destes Guies enquadra-se nos compromissos internacionais assumidos por Portugal, inscrevendo-se, nomeadamente, nos Objetivos Estratgicos da Plataforma de Ao de Pequim (1995) relativos educao e na Conveno Sobre a Eliminao de Todas as Formas de Discriminao Contra as Mulheres (Conveno CEDAW) , constituindo uma resposta s Recomendaes dirigidas a Portugal por este Comit, em novembro de 2008. A nvel nacional, os Guies concretizam uma das medidas previstas no IV Plano Nacional para a Igualdade Gnero, Cidadania e No Discriminao (2011-2013), respondendo, ainda, s Recomendaes emanadas do Frum de Educao para a Cidadania que decorreu entre 2006 e 2008. Decorrendo das responsabilidades acrescidas da CIG que, por fora da sua Lei Orgnica de 2007, passou a ter competncias na rea da educao para a cidadania, os Guies traduzem tambm a interveno da CIG nesta rea enquanto Mecanismo Nacional para a Igualdade entre Mulheres e Homens. </p><p>Os Guies de Educao Gnero e Cidadania inscrevem-se na linha de atuao da Comisso que sempre elegeu a educao como rea de interveno prioritria, nela desenvolvendo uma atividade estrategicamente conduzida, assente em projetos de interveno delineados e concretizados de forma articulada, numa lgica de continuidade, consolidao e avaliao de resultados, identificao de resistncias, lacunas e respostas s mudanas do sistema educativo e evoluo das prticas de profissionais de educao. Da ao desenvolvida pela Comisso resultou, entre outras, a criao de uma Rede Nacional informal (a Rede Coeducao) de especialistas, investigadoras e investigadores </p></li><li><p>VIII</p><p>GUIO DE EDUCAO. GNERO E CIDADANIA 1 Ciclo</p><p>Lisboa, CIG, 2011</p><p>em Gnero, Educao e Formao, docentes de instituies de ensino superior e no superior e de ONG. Esta Rede , hoje, um recurso nacional incontornvel para uma interveno na educao, no domnio da igualdade de gnero, fundada em rigor, adequao e sustentabilidade cientfica e pedaggica. A ela pertencem muitos dos elementos da equipa que concebeu estes Guies.Ao longo da elaborao dos novos Guies, realizaram-se aes de formao para docentes em 2010/2011, em diferentes zonas do pas, e deu-se continuidade interveno em escolas piloto. Uma ltima nota sobre a utilidade destes Guies. Tal como tem sido reiterado pela ONU, atravs do Comit CEDAW, pelo Conselho da Europa e pela Unio Europeia, no basta produzir bons materiais sobre gnero e educao. imprescindvel uma aposta efetiva, exigente e continuada na formao de profissionais de educao para que a aplicao destes materiais se concretize, respeitando se os objetivos para que foram criados, e para que a sua aplicao tenha um impacto real junto das crianas e jovens de ambos os sexos a quem se destinam, no apenas no seu percurso escolar mas durante toda a sua vida, enquanto pessoas e enquanto elementos de pleno direito em todas as comunidades a que pertencerem. </p><p>Comisso para a Cidadania e a Igualdade de Gnero</p></li><li><p>001</p><p>GUIO DE EDUCAO. GNERO E CIDADANIA </p><p>por: Maria Joo Cardona (coord.), Isabel Piscalho e Marta Uva</p><p>Introduo</p></li><li><p>002</p><p>GUIO DE EDUCAO. GNERO E CIDADANIA 1 Ciclo</p><p>Lisboa, CIG, 2011</p></li><li><p>003</p><p>GUIO DE EDUCAO. GNERO E CIDADANIA </p><p>por: Maria Joo Cardona (coord.), Isabel Piscalho e Marta Uva</p><p>s questes relativas ao gnero e cidadania fazem parte do quotidi-ano da vida das crianas e entram, naturalmente, na vida da escola. </p><p>Muitas vezes, alegando a sua transversalidade, a abordagem desta rea acaba por ser des-valorizada. No fcil o desenvolvimento de um trabalho educativo sustentado em torno destas questes, nomeadamente em contexto de sala de aula, pelo que tendem a ser muitas vezes ignoradas e/ou reprimidas. Alega-se a com-plexidade e a falta de preparao e formao de professores e professoras, para lidarem com estes contedos e para lhe darem a ateno necessria. Paralelamente, a falta de referncias bibliogrficas e a falta de recursos acabam por vir reforar esta lacuna, levando a uma ausncia de intencionalidade educativa em relao a este tipo de contedos. Foi na tentativa de colmatar algumas destas dificuldades que construmos este guio. </p><p>Rejeitamos qualquer leitura que encontre nas propostas pedaggicas que se apresentam um tipo de instrues fechadas e prescritivas. Os/as professores/as so ou devero ser profissionais crticos e reflexivos, capazes de criar, produzir ideias e reproduzir prticas assentes em estratgias devidamente contextualizadas e adequadas sua sala de aula, enquanto lugar </p><p>Introduo semelhana do Guio de Educao j realizado para a educao pr-escolar, esta publicao pretende apoiar as prticas educativas de professores e professoras do 1 ciclo do ensino bsi-co, no que diz respeito ao trabalho de gnero e cidadania.</p><p>A</p><p>dinmico e dilemtico.</p><p>Numa primeira parte, refletimos sobre os principais conceitos e fundamentos do trabalho sobre questes de gnero e cidadania na educao, versando a especificidade deste trabalho no 1 ciclo do ensino bsico.</p><p>Na segunda parte, apresentamos sugestes prticas, considerando a organizao do ambiente educativo e o trabalho com as famlias. So apresentados vrios exemplos de projetos a trabalhar transversalmente considerando os contedos curriculares do 1 ciclo do ensino bsico. Nos vrios projetos e sugestes de trabalho apresentados foram diferenciados os que naturalmente podem surgir em situaes do quotidiano e outras propostas feitas intencionalmente por professores ou professoras. Em anexo, so tambm providenciados exemplos de referncias que podem ser consultadas para apoiar professores e professoras neste trabalho.</p><p>Todas as sugestes apresentadas so apenas exemplos, pontos de partida para novas propostas. Se a especificidade de cada contexto deve ser sempre considerada, quando se abordam temticas como o gnero e a cidadania, a ateno a esta especificidade toma particular relevncia dada a sua complexidade e a forma como estas so condicionadas pela diversidade sociocultural que caracteriza a vida das crianas.</p><p>Gostaramos ainda de sublinhar que a construo da parte prtica deste guio contou com o apoio de um grupo de professores e professoras de Santarm que nos ajudaram, partilhando connosco situaes que vivem no dia a dia das suas escolas. A todos/as o nosso muito obrigada!</p></li><li><p>004</p><p>GUIO DE EDUCAO. GNERO E CIDADANIA 1 Ciclo</p><p>Lisboa, CIG, 2011</p></li><li><p>1.Enquadramento Terico </p></li><li><p>07</p><p>ENQUADRAMENTO TERICO | Gnero e Cidadania</p><p>por: Cristina Vieira (coord.), Conceio Nogueira e Teresa Cludia Tavares</p><p>Gnero e Cidadania</p><p>ma leitura desatenta das estatsticas atuais relativas situao das mulheres e dos homens ocidentais faz </p><p>crer que a igualdade entre homens e mulheres est praticamente conseguida. Porm, a aparente igualdade quantitativa em alguns setores escamoteia a real </p><p>desigualdade qualitativa: elas j so mais numerosas do que eles na escola, mas ensino misto e coeducao esto longe de ser conceitos sinnimos; no mundo profissional existem ainda disparidades salariais em muitos setores de atividade, persistem os chamados tetos de vidro na ascenso profissional, as jovens mulheres recm -licenciadas tm mais dificuldade de acesso ao emprego do que os seus colegas do sexo masculino e o desemprego afecta- as mais. Para alm desta situao, o discurso sobre a conciliao entre a vida domstica e a carreira continua a existir associado essencialmente s mulheres que, na realidade (seja em termos das tarefas domsticas, ou do cuidado aos filhos e a familiares dependentes), so de uma forma geral as garantes da vida quotidiana das famlias, vendo a sua sade fsica e psicolgica posta em risco por esta real sobrecarga. Finalmente, as mulheres, se bem que agora mais presentes na vida pblica, continuam minoritrias em posies onde o poder importa e o estatuto socioeconmico fundamental. A atual Lei da Paridade (Lei Orgnica n 3/2006, de 21 de agosto) poder alterar esta situao, mas, ainda assim, muito ser necessrio fazer para que elas se encontrem igualmente </p><p>A diversidade de caractersticas dos homens e das mulheres constitui um manancial de recursos de tal maneira valioso que a trajetria de cada pessoa ao longo do seu ciclo de vida est continuamente em aberto, construindo-se em funo de uma multiplicidade de fatores histricos e contextuais. Estas possibilidades de desenvolvimento e de aprendizagem tm sido, no entanto, historicamente restringidas, sempre com base na defesa de estereotipias arcaicas, conducentes a desigualdades e discriminaes, penalizadoras em maior escala para o sexo feminino. </p><p>U</p><p>Introduo</p><p>0</p><p>1.1.</p></li><li><p>008</p><p>GUIO DE EDUCAO. GNERO E CIDADANIA 1 Ciclo</p><p>Lisboa, CIG, 2011</p><p>representadas e todos os seus talentos sejam de igual forma valorizados. </p><p>Embora as mulheres sejam, efetivamente, a face legitimamente mais visvel da batalha pela igualdade de direitos e oportunidades, indubitvel que um tratamento produtivo desta problemtica deve incluir tambm a conscincia do impacto que estas desigualdades acarretam para o sexo masculino. So disso bastante expressivos factos como: a maior taxa de abandono escolar dos rapazes, sobretudo no ensino secundrio; o nmero e gravidade dos acidentes de viao dos rapazes na adolescncia, associados a uma presso societal para uma forma de masculinidade hegemnica que tambm os constrange; e a falta de autonomia a nvel da realizao de tarefas domsticas, limitao essa subjacente s razes alegadas pelos homens para o casamento na sequncia de um primeiro divrcio ou viuvez, ou ainda deciso de alguns idosos (do sexo masculino) saudveis de passarem a viver em instituies quando ficam sozinhos. Pelo exposto, importa trabalhar no sentido da construo de um mundo onde homens e mulheres possam viver em igualdade, sem constrangimentos a todas as suas aspiraes e com garantias de oportunidades de exerccio dos seus mltiplos talentos. </p><p>A escola, par...</p></li></ul>