guia vo ip 02

Download Guia vo ip 02

Post on 09-Jul-2015

474 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Guia VoIP O essencial da Telefonia IP para Iniciantes

    Breve Histrico

    A histria da telefonia e a trajetria de uma tecnologia que atingiu um uso massivo, como

    nenhuma outra tecnologia, surpreendentemente muito recente quando comparada com a

    histria da humanidade, e isto se apenas considerarmos o perodo que compreende o

    advento dos primeiros assentamentos agrcolas at os tempos atuais, o que cobre ao

    menos 10.000 anos de histria. As primeiras tecnologias de voz vieram ao mundo por

    volta de 1870, embora parea para ns que sempre tenham existido, sendo muito difcil

    imaginar o mundo sem o telefone, assim como sem televiso ou computador. Este

    perodo da histria curiosamente coincide com o pice dos movimentos nacionalistas e a

    consolidao das grandes naes, movimento que nos apresentou a guerra em escala

    industrial. No devemos ter dvidas, as tecnologias de comunicao e a telefonia

    contriburam muito para as transformaes radicais que a humanidade sofreu no ltimo

    sculo.

    Costuma-se atribuir a inveno do telefone ao escocs Alexander Graham Bell, embora

    tal paternidade tenha sido sempre contestada ao longo do tempo. Se controversa a

    primazia da inveno, que na verdade deveu-se, para sermos justos, como conseqncia

    dos grandes movimentos inventivos de uma determinada poca, graas ao esforo

    conjunto e competitivo entre diferentes cientistas e inventores, correto atribuir-lhe a

    primazia por ter sido o primeiro a patentear a sua inveno. Seria correto tambm atribuir

    a Thomas Edison a co-autoria do aparelho e tecnologia que ele ento patenteava.

    Os primeiros equipamentos de telefonia no possuam teclas para discagem, e com isto

    era necessrio o operador do outro lado da linha para fazer a conexo, em um processo

    que vemos nos filmes mais antigos, onde um operador conectava um plug entre o

    chamador e o destinatrio daquela ligao. O primeiro PBX foi criado em 1889, por Almon B. Strowger, juntamente com o primeiro telefone de discagem. O mais incrvel de

    tudo isto que, apesar do mais de um sculo nos separa da criao do telefone, em

    muitos lugares do Brasil, seno em sua maioria, o aparelho analgico que utilizamos

    incorpora praticamente os mesmos princpios e tecnologia dos telefones primordiais, o

    que denota o grande mrito daqueles inventores de outrora.

    Recentemente, o maior avano que experimentamos foi a adoo do tom de discagem

    digital, substituindo o pulso, possibilitando com isto a adoo dos servios de Call e

    Contact Center, atravs dos quais nos comunicamos com bancos e outros servios. Ainda

    assim, e apesar das centrais mais modernas incorporarem algum tipo de inteligncia e a

    comunicao digital entre centrais, em nossos escritrios e residncias ainda bastante

    comum o uso em larga escala da telefonia analgica tradicional.

    O motivo deste sucesso que a telefonia atingiu um grau de confiabilidade e perfeio

    que chegou ao padro de disponibilidade de 99.999%. curioso observar como causa

  • mortfera indignao o fato de o telefone ficar mudo por algumas horas, ainda que seja

    por uma nica vez em vrios anos, a indignao e o sangue subindo cabea.

    O fato que nos acostumamos a entender o telefone como uma pea de tecnologia

    perfeita que no pode, no deve, e no ir nunca quebrar. Por outro lado, a

    indisponibilidade de gua, ou o corte abrupto de energia eltrica, ou mesmo o atraso de

    aeronaves, engarrafamentos ou o bolo no dentista ou mdico no causam a mesma indignao que um telefone mudo. Esta tecnologia atingiu aquilo que chamamos de

    estado da arte, acaba e pronto, e portanto definitivo. Por isto, o senso comum acostumou-se com a noo de que no haveria nenhum motivo para substitu-la por

    outra.

    Por que substituir uma tecnologia perfeita por uma alternativa ? Na seqncia deste guia iremos responder a esta questo fundamental. Afinal, porque usar o VoIP se estamos

    falando do estado da arte em tecnologia ? Uma tecnologia entrante, como o VoIP no vai, com certeza propiciar o grau de disponibilidade de 99.999% que j era obtido com a

    tecnologia clssica e mais do que centenria. Ento, porque usar o VoIP ? H vrios

    motivos, e no somente devido ao custo. O fato que vivenciamos uma nova revoluo

    tecnolgica, que aquela representada pela comunicao total, que veio para alterar

    radicalmente usos e costumes. Mas antes, voltemos aos fundamentos da telefonia para

    melhor compreender o que deve ser levado em considerao antes de avaliar um sistema

    de telefonia baseado em VoIP.

    Alguns Fundamentos Chave

    importante entender que freqncias nosso ouvido capaz de perceber. Teoricamente,

    uma pessoa dotada de boa capacidade de audio e que no tenha sofrido reduo de sua

    sensibilidade auricular devido idade ou algum trauma capaz de perceber os sons na

    faixa de freqncia que compreende de 20Hz a 20kHz (20.000 Hz). Somos capazes, no

    entanto, de produzir sons audveis apenas na faixa de 50Hz para cima, ao passo que a

    maior parte da energia sonora que produzimos atravs do nosso aparelho vocal est

    concentrada na faixa de 300 Hz a 3 kHz. Por este motivo, entre outros, determinou-se que

    a faixa compreendida entre 300Hz e 3.4kHz a que concentra a maior parte da

    inteligibilidade e informao relativa ao reconhecimento da voz.

    Desta forma, os sistemas de telefonia foram projetados para utilizar a faixa entre 300 Hz

    e 3.4 kHz, o que o suficiente para manter uma conversao de qualidade e

    possibilitando o emprego de tecnologia mais eficiente para lidar com esta faixa de

    freqncia.

    A maioria dos telefones analgicos que conhecemos emprega um sistema conhecido

    como loop-disconect, ou loop start, conectando o sinais de voz em duas direes, usando dois fios (two-wire), transportando eletricamente a informao correspondente

    aos dgitos discados e a voltagem de campainha. Uma voltagem de 48V sobre o par de

    fios empregada para alimentar o telefone, e por isto no o ligamos na tomada o sem

  • fio outra estria, e monitorar a tirada do gancho, colocao no gancho e pulsar a atividade de discagem.

    Para iniciar uma chamada, o usurio levanta o fone, ao esta que fecha um switch no

    telefone e faz a corrente eltrica fluir em loop, motivo pelo qual chamamos este sistema

    de loop start. A corrente gerada detectada na Central e fornece um tom para a linha, tom este que sinaliza ao usurio que agora ele pode iniciar a discagem.

    Atualmente o mtodo mais empregado baseado em DTMF. Neste sistema, cada nmero

    representado por dois tons, associados a um grupo de freqncias alto (1209Hz,

    1336Hz e 1447Hz), e a um grupo de freqncias baixas (697Hz, 770Hz, 852Hz e 941Hz).

    Estes tons so transmitidos simultaneamente, por um curto perodo de tempo, um padro

    que definido pelo ITU-T. Foi a introduo deste sistema que possibilitou a implantao

    dos sistemas atuais baseados em menu, tais como home banking, servios de seguros, call

    centers automatizados, e outros sistemas baseados em reconhecimento de tons.

    Relativamente em relao aos Estados Unidos, estas implementaes demoraram muito a

    acontecer no Brasil, mas hoje so de uso corrente e de conhecimento por boa parte da

    populao, o que passou a acontecer graas s reformas tornadas possveis aps a

    privatizao das Teles e da inverso macia de investimentos que permitiu a

    disseminao destes sistemas.

    A maioria dos sistemas de telefonia baseados em PBX atualmente digital, embora isto

    no implique no uso de telefones digitais, necessariamente. Dado o seu elevado custo no

    mercado brasileiro, muito comum o uso do telefone analgico, ainda que acoplado a

    uma central digital. Neste caso, a interface do PBX converte o sinal analgico do

    aparelho telefnico na codificao PCM (*). O sonho de muitos possuir uma Central IP

    de ltima gerao, com o aparelho mais barato da praa, o que nem sempre faz sentido...

    Sistemas de PBX

    De maneira geral, o PBX o sistema de interligao telefnica pertencente a uma

    organizao. Seu objetivo e fornecer comunicao de voz e frequentemente dados entre

    os seus usurios. Os usurios podem estabelecer chamadas uns com os outros na sua

    organizao, simplesmente discando o seu ramal. Chamar uma pessoa no conectada na

    mesma rede de um PBX requer que a chamada seja roteada atravs da rede pblica PSTN

    (Public Switched Telephon Network), que no caso do Brasil pode ser a Telemar,

    Telefnica, Brasil Telecom, GVT, entre outras. Isto usualmente envolve a discagem de

    um cdigo de acesso, como um 9 ou 0, seguido da numerao completa de discagem referente, com referncia ao cdigo de rea ou pas, conforme o caso.

    A maioria dos maiores sistemas de PBX fornecidos atualmente digital, significando que

    a conversao deve ser convertida primeiramente de analgica na codificao PCM. O

    ncleo do PBX composto pelo Controle de Comandos e a Matriz de Chaveamento. O

    Centro de Comando o crebro que controla a operao do PBX. Entre suas funes est o reconhecimento de que o telefone foi tirado do gancho e conectar um gerador de

  • tom quele aparelho, interpretar os dgitos discados e rotear a chamada para uma

    interface de ramal ou tronco. A matriz de switch compe mltiplos canais de 64Kbps ,

    conectando-os a outros canais de 64Kbps ou a uma determinada interface.

    As interfaces do PBX so compostas de dois tipos principais: linhas de ramal e troncos.

    Linhas de Ramal conectam dispositivos dos usurios como aparelhos de telefone

    analgicos e digitais, ou outr

Recommended

View more >