guia prÁtico de observaÇÃo de aves no .© - 2015 página 1 de 22 guia prÁtico de observaÇÃo

Download GUIA PRÁTICO DE OBSERVAÇÃO DE AVES NO .© - 2015 Página 1 de 22 GUIA PRÁTICO DE OBSERVAÇÃO

Post on 26-Aug-2018

216 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • avesdeportugal.info - 2015 Pgina 1 de 22

    GUIA PRTICO DE OBSERVAO DE AVES

    NO DISTRITO DE SANTARM

    Este pequeno guia foi elaborado a pensar em todos os que se interessam pela observao de aves selvagens e que residem no distrito de Santarm ou gostariam de o visitar.

    O seu objectivo o de disponibilizar informao que contribua para melhorar a experincia de observao de aves na regio do Ribatejo. Para isso, apresenta-se informao sobre algumas das aves mais interessantes desta regio e sugerem-se locais de observao.

    Gonalo Elias (Coordenador)

    A gara-nocturna Nycticorax nycticorax nidifica colonialmente, muitas vezes em conjunto com outras espcies de garas. Algumas das maiores colnias do pas situam-se no Ribatejo.

  • avesdeportugal.info - 2015 Pgina 2 de 22

    DESCRIO

    O distrito de Santarm est totalmente situado na bacia hidrogrfica do rio Tejo. Este rio atravessa a parte central do distrito, seguindo uma orientao nordeste-sudoeste, e divide-o em duas partes muito distintas: na margem direita, o terreno acidentado, predominando as colinas e as pequenas serras, e culmina a 679 m na serra de Aire, havendo tambm outras elevaes importantes, como a serra da Amndoa (649 m), perto de Mao, a serra da Lua (529 m), um pouco a norte de Santarm e o cabeo do Po de Milho (492 m), perto de Alcobertas, Rio Maior; a margem esquerda possui relevos relativamente suaves e a altitude raramente ultrapassa os 200 metros (atingindo um mximo de 264 m no extremo sueste do concelho de Coruche).

    O rio Tejo o principal curso de gua da regio e ao longo do seu vale existe a lezria. Os principais afluentes da margem direita so o Zzere, o Almonda, o Alviela e o Maior e os da margem esquerda so a ribeira de Ulme, a ribeira de Muge e o Sorraia. No seu curso inferior, o Tejo abre-se num grande esturio, no meio do qual h vrios mouches.

    O coberto vegetal muito diferente em ambas as margens do rio. Na parte norte, correspondente margem direita, a espcie dominante o pinheiro-bravo, havendo tambm zonas cobertas por plantaes de eucaliptos e, localmente, alguns montados de sobro e matas de carvalho-cerquinho. Na parte meridional, que se estende pela margem esquerda, dominam os sobreirais, por vezes misturados com pinheiros-bravos e alguns eucaliptais. Ao longo das ribeiras existem galerias ripcolas, formadas principalmente por salgueiros e, em certas reas, tambm por choupos e amieiros.

    A densidade populacional muito varivel, sendo mais elevada nos concelhos que marginam o rio Tejo, onde a actividade agrcola e industrial mais intensa.

    No distrito de Santarm existem cinco reas protegidas: o Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros (nos concelhos de Alcanena e Torres Novas), a Reserva Natural do Paul do Boquilobo (nos concelhos da Goleg e de Torres Novas), os Stios Classificados dos Audes de Agolada e do Monte da Barca (ambos no concelho de Coruche) e a Reserva Natural do Esturio do Tejo (no concelho de Benavente).

    AVIFAUNA

    O Ribatejo tem uma enorme variedade de aves, tanto terrestres como aquticas.

    Entre as aquticas, um dos grupos mais bem representados o das limcolas, que ocorrem aos milhares no esturio do Tejo, especialmente no Outono e no Inverno. Algumas das espcies mais abundantes so o abibe, a tarambola-cinzenta, o borrelho-grande-de-coleira, o pilrito-comum, o maarico-de-bico-direito, o maarico-real, o perna-vermelha-comum e o maarico-das-rochas. Na Primavera esta zona atrai limcolas nidificantes, particularmente o pernilongo e a perdiz-do-mar. Ainda no esturio do Tejo e nas reas circundantes so igualmente abundantes as gaivotas, particularmente a gaivota-dasa-escura e o guincho-comum.

    http://www.avesdeportugal.info/vanvan.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/plusqu.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/chahia.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/chahia.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/calalp.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/limlim.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/numarq.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/tritot.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/acthyp.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/himhim.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/glapra.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/larfus.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/larrid.html

  • avesdeportugal.info - 2015 Pgina 3 de 22

    Para alm das limcolas e das gaivotas, outros grupos de aves aquticas esto tambm presentes na regio. Destacam-se os ardedeos, que contam aqui com importantes colnias: garas-boieiras, garas-brancas, garas-nocturnas, garas-reais, garas-vermelhas e garotes podem todos ser encontrados a nidificar em vrios locais do Ribatejo, por vezes em conjunto com papa-ratos, bis-pretas, colhereiros e cegonhas-brancas. Na verdade, o distrito de Santarm um dos melhores do pas para admirar este grupo de aves. No Outono e no Inverno, os patos so abundantes, principalmente no esturio do Tejo e no paul do Boquilobo, sendo ento possvel encontrar vrios milhares de anatdeos, pertencentes a diferentes espcies, destacando-se, pela sua maior escassez num contexto nacional, o arrabio, a piadeira e o zarro-comum.

    As aves de rapina tambm marcam presena. No vale do Tejo as mais frequentes so o milhafre-preto, a guia-pesqueira e o peneireiro-vulgar, ao passo que nas zonas mais afastadas do rio possvel encontrar habitualmente o peneireiro-cinzento, a guia-calada e a guia-cobreira e, ocasionalmente, o gavio e o btio-vespeiro. noite, possvel ouvir a coruja-do-mato e duas espcies de noitibs. O bufo-real mais discreto mas tambm relativamente frequente nesta regio.

    A cotovia-de-poupa Galerida cristata uma ave comum na lezria ribatejana; pode ser observada com bastante facilidade em terrenos agrcolas.

    As pequenas aves terrestres esto igualmente bem representadas. Nas zonas baixas ao longo do Tejo abundam espcies como o abelharuco, a calhandrinha, a cotovia-de-poupa, a andorinha-das-barreiras e a fuinha-dos-juncos, ao passo que as galerias ripcolas atraem diversas espcies de aves insectvoras as mais frequentes so a carria, o rouxinol-comum, o rouxinol-bravo, a felosa-ibrica, a felosa-poliglota e o chapim-rabilongo. Nas reas de canial possvel encontrar o rouxinol-pequeno-dos-canios e o rouxinol-grande-dos-canios.

    http://www.avesdeportugal.info/bubibi.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/egrgar.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/nycnyc.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/ardcin.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/ardpur.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/ardpur.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/ixomin.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/ardral.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/plefal.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/plaleu.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/ciccic.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/ciccic.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/anaacu.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/anapen.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/aytfer.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/milmig.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/panhal.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/faltin.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/elacae.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/aqupen.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/aqupen.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/cirgal.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/accnis.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/perapi.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/stralu.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/bubbub.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/merapi.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/calbra.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/galcri.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/galcri.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/riprip.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/cisjun.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/trotro.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/lusmeg.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/cetcet.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/phyibe.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/hippol.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/aegcau.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/acrsci.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/acrsci.htmlhttp://www.avesdeportugal.info/acraru.html

  • avesdeportugal.info - 2015 Pgina 4 de 22

    As zonas florestais da margem esquerda so bastante ricas e interessantes. Para alm de espcies bastante comuns, como o pica-pau-malhado-grande, a cotovia-arbrea, o chapim-real, o chapim-azul, a trepadeira-comum, a trepadeira-azul, o chapim-de-poupa, o picano-barreteiro e o tentilho, tambm aqui ocorrem algumas espcies de aves menos abundantes num contexto nacional, como o pica-pau-malhado-pequeno, o torcicolo, o rabirruivo-de-testa-branca, o chasco-ruivo, o papa-moscas-cinzento, a toutinegra-real, a felosa-de-bonelli e o bico-grossudo.

    Nas serras da margem direita tambm albergam algumas especialidades. Um dos ex-libris da regio a gralha-de-bico-vermelho, que conta ainda com uma importante populao no macio das serras de Aire e Candeeiros. Neste mesmo local, nidificam outras espcies interessantes, como a laverca e a petinha-dos-campos. Mais para nordeste, as encostas florestadas albergam populaes de pica-pau-verde, chapim-carvoeiro, estrelinha-de-cabea-listada e escrevedeira-de-garganta-cinzenta (cia).

    COMO EXPLORAR

    Este distrito favorvel para observar aves ao longo de todo o ano.

    Em termos de explorao e observao de aves, a regio pode ser dividida em trs grandes zonas: o vale do Tejo, com a sua lezria; as serras, situadas a norte; e a plancie, que fica para sul. Cada uma destas trs zonas tem a sua avifauna caracterstica e por isso todas elas merecem uma visita.

    Vale do Tejo

    Constitui a espinha dorsal da regio e ao longo deste vale que se situam os melhores locais para observar aves aquticas.

    O esturio do Tejo, que em termos avifaunsticos constitui a zona hmida mais importante de Portugal e uma das mais importantes da Europa, um local incontornvel. Este esturio encontra-se repartido por trs distritos (Lisboa, Santarm e Setbal). A parte correspondente ao distrito de Santarm situa-se no concelho de Benavente. Trata-se de uma zona c