Guia GPIAA A4 - cm-evora.pt ?· 4 GPIAA – GABINETE DE PREVENÇÃO E INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTES COM…

Download Guia GPIAA A4 - cm-evora.pt ?· 4 GPIAA – GABINETE DE PREVENÇÃO E INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTES COM…

Post on 29-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

<ul><li><p> 2 </p><p>GPIAA GABINETE DE PREVENO E INVESTIGAO DE ACIDENTES COM AERONAVES </p><p>GUIA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANA PARA AS AUTORIDADES POLICIAIS &amp; SERVIOS DE EMERGNCIA </p><p>FICHA TCNICA </p><p>ELABORAO: Corpo Tcnico </p><p>Gabinete de Preveno e Investigao de Acidentes com Aeronaves IMPRESSO: Servios Grficos da Secretaria-Geral </p><p>Ministrio das Obras Pblicas, Transportes e Comunicaes </p></li><li><p> 3 </p><p>GPIAA GABINETE DE PREVENO E INVESTIGAO DE ACIDENTES COM AERONAVES </p><p>GUIA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANA PARA AS AUTORIDADES POLICIAIS &amp; SERVIOS DE EMERGNCIA </p><p>1 Prefcio 72 Introduo 83 O papel e os objectivos do GPIAA 84 Obrigaes do GPIAA na investigao acidentes e incidentes graves 95 Autoridade do GPIAA 96 Competncias legais de um Investigador de Acidentes Areos 97 A relao entre as investigaes do GPIAA e as investigaes das Autorida-</p><p>des Judicirias e/ou Policiais 98 O que um Acidente Areo susceptvel de notificao 109 Reporte e Notificao de um Acidente com uma Aeronave 10</p><p>10 O que o GPIAA necessita de saber 1111 A resposta do GPIAA 11</p><p> Grandes acidentes de aviao 12 Acidentes fatais ou incidentes graves 12 Outros acidentes na aviao geral e ultraleve 12 Pra-quedistas e pra-quedas motorizados 13</p><p>12 Combate a incndios 1313 Salvamento de pessoas de um avio acidentado 14</p><p> Avio Civil 1514 Sobreviventes 1515 Guarda do local e aces iniciais das Autoridades Policiais 16</p><p> Aces a serem observadas pelas Autoridades Policiais para a segurana do local 16</p><p>16 Segurana (safety) do local do acidente 1717 Organizao da Investigao 1818 Preservao das evidncias 18</p><p> Remoo das evidncias 19 Destroos na pista e taxiways 19 Testemunhas oculares 19 Questionrio aos passageiros 20 Documentos 20 Registadores de voo 21</p><p>19 Os depoimentos das testemunhas 2220 Patologia 2221 Recuperao de destroos 2322 Remoo dos destroos 2423 Relao com a Comunicao Social 24</p><p> Anexos 25</p><p>INDICE </p></li><li><p> 4 </p><p>GPIAA GABINETE DE PREVENO E INVESTIGAO DE ACIDENTES COM AERONAVES </p><p>GUIA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANA PARA AS AUTORIDADES POLICIAIS &amp; SERVIOS DE EMERGNCIA </p><p>Anexo A Competncias do Investigador 27 Anexo B Definies de um Acidente e Incidente Grave 29 Anexo C Fax de Notificao de um Acidente 33 Anexo D Questionrio ao passageiro 35 Anexo E Perigos no local do acidente 37 </p></li><li><p> 5 </p><p>GPIAA GABINETE DE PREVENO E INVESTIGAO DE ACIDENTES COM AERONAVES </p><p>GUIA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANA PARA AS AUTORIDADES POLICIAIS &amp; SERVIOS DE EMERGNCIA </p><p> ANPC Autoridade Nacional de Proteco Civil CTA Controlo de Trfego Areo CVR Cockpit Voice Recorder (Gravador de Voz no Cockpit) Uma das Caixas negras EPP Equipamento de Proteco Pessoal CE Comunidade Econmica FDR Flight Data Recorder (Gravador dos Parmetros de Voo) Outra das Caixas </p><p>negras </p><p>GPIAA Gabinete de Preveno e Investigao de Acidentes com Aeronaves ICAO International Civil Aviation Organization (Organizao Internacional de Aviao Civil)INAC Instituto Nacional de Aviao Civil IR Investigador Responsvel IT Investigador Tcnico MOPTC Ministrio de Obras Pblicas, Transportes e Comunicaes SEAOPC Secretrio de Estado Adjunto, das Obras Pblicas e das Comunicaes </p><p>ACRNIMOS </p></li><li><p> 6 </p><p>GPIAA GABINETE DE PREVENO E INVESTIGAO DE ACIDENTES COM AERONAVES </p><p>GUIA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANA PARA AS AUTORIDADES POLICIAIS &amp; SERVIOS DE EMERGNCIA </p><p>NOTA PRVIA </p><p>O contedo deste documento deve ser considerado apenas como guia de carcter geral. </p><p>O pessoal tcnico dos servios de emergncia dever adoptar os seus prprios procedimentos. </p><p>O presente documento foi adaptado da Publicao Aircraft Accidents Guidance for the Police and Emergncy Services, editada pelo Air Accidents Investigation Branch (AAIB), do Reino Uni-do, a quem se agradece a devida autorizao. </p><p>Edio 1 Janeiro 2009 </p></li><li><p> 7 </p><p>GPIAA GABINETE DE PREVENO E INVESTIGAO DE ACIDENTES COM AERONAVES </p><p>GUIA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANA PARA AS AUTORIDADES POLICIAIS &amp; SERVIOS DE EMERGNCIA </p><p>1. PREFCIO </p><p>Os Servios de Emergncia, bem como as Autoridades Policiais, so normalmente os primeiros especialistas a chegar ao local de um acidente areo. Cabe-lhes a nobre tare-fa de providenciar a assistncia s vtimas de forma a resgat-las ou a minimizar nelas os efeitos nefastos que o fogo ou destroos causaram. </p><p>A seguir ao complexo perodo de salvamento, de extrema importncia que as evidn-cias, relacionadas com os factores que contriburam para o acidente, sejam preserva-das, para que o estudo e anlise dos destroos venham a concorrer para a reduo de acidentes semelhantes e, consequentemente, a perda de outras vidas. </p><p> no sentido de contribuir para esse sucesso que o Gabinete de Preveno e Investiga-o de Acidentes com Aeronaves (GPIAA), do Ministrio das Obras Pblicas, Transpor-tes e Comunicaes (MOPTC), elaborou este guia que tem, como finalidade, auxiliar o pessoal tcnico de Emergncia e Salvamento a compreender melhor os procedimentos essenciais a serem seguidos em caso de acidente com uma aeronave. </p><p>Por outro lado, este documento tambm pormenoriza e alerta esses tcnicos para os riscos que existem no cenrio de um acidente areo. </p><p>Sequncia dos acontecimentos </p><p>Comecemos pela cronologia de um acidente de aviao: </p><p> D-se o acidente; </p><p> Os Servios de Emergncia e Salvamento avanam para o local; </p><p> O acidente reportado ao GPIAA por qualquer uma das entidades aptas para o fazer (Servios de Trfego Areo (ATC), Autoridade Nacional de Proteco Civil (ANPC), Autoridades Policiais, Piloto, Operador, Directores de Aeroportos ou Aer-dromos ou, ainda, uma testemunha ocular); </p><p> destacada uma equipa de Investigadores do GPIAA para o cenrio do acidente; </p><p> As Autoridades Policiais tomam as aces prioritrias com o objectivo de criar a segurana do local do acidente, enquanto os Servios de Emergncia efectuam as suas tarefas de socorro; </p><p> Aps o briefing fornecido no local pelas Autoridades Policiais, a equipa do GPIAA inicia o exame do local, da aeronave, da posio relativa dos seus destroos, recu-pera os registadores de voo (caixas negras), se existirem, e recolhe junto das Auto-ridades Policiais as declaraes das testemunhas que, entretanto, j entrevistaram; </p><p> A Equipa do GPIAA prossegue a investigao que culminar num relatrio que ser, posteriormente, publicado. </p></li><li><p> 8 </p><p>GPIAA GABINETE DE PREVENO E INVESTIGAO DE ACIDENTES COM AERONAVES </p><p>GUIA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANA PARA AS AUTORIDADES POLICIAIS &amp; SERVIOS DE EMERGNCIA </p><p>2. INTRODUO </p><p>O GPIAA o Organismo independente, sob tutela do MOPTC, que responsvel pela investigao de acidentes e incidentes graves com aeronaves civis no territrio Portu-gus. O Director do GPIAA depende directamente do Secretrio de Estado Adjunto, das Obras Pblicas e das Comunicaes (SEAOPC). O GPIAA no faz parte da Autoridade Aeronutica Nacional (INAC). </p><p>3. O PAPEL E OS OBJECTIVOS DO GPIAA </p><p>Face legislao nacional e em conformidade com a Conveno sobre a Aviao Civil Internacional assinada em Chicago a 07 de Dezembro de 1944 (Conveno de Chica-go), o GPIAA a entidade responsvel em Portugal pela investigao de acidentes e incidentes graves com aeronaves civis. Os documentos que o sustentam so os seguin-tes: </p><p> Anexo 13 e Doc. 9756 da Organizao Internacional de Aviao Civil (ICAO); </p><p> Directiva do Conselho n 94/56/EC, de 21 de Novembro de 1994; </p><p> Decreto-Lei n 210/2006, de 27 de Outubro, que aprova a lei orgnica do MOPTC; </p><p> Decreto-Lei n 149/2007, de 27 de Abril, que aprova a orgnica do GPIAA; </p><p> Decreto-Lei n 318/99, de 11 de Agosto, que transpe a Directiva n 94/56/CE e estabelece os princpios reguladores da investigao de acidentes e incidentes com aeronaves civis. </p><p>So objectivos do GPIAA: </p><p> A investigao de acidentes e incidentes graves com aeronaves civis, com a finali-dade de determinar as suas causas e formular recomendaes que evitem a sua repetio; </p><p> A participao em programas e polticas de preveno de acidentes e incidentes areos; </p><p>Para os atingir, o GPIAA deve: </p><p> Responder o mais rapidamente possvel aos acidentes e incidentes graves com aeronaves; </p><p> Conduzir atempadamente as investigaes de acordo com os princpios de indepen-dncia e imparcialidade; </p><p> Elaborar relatrios em linguagem clara e concisa, que incluam a anlise bem funda-mentada e em que as concluses dela resultante, aduzidas sem a inteno de apu-rar culpas ou determinar responsabilidades uma obrigao exarada na ICAO e legislaes nacional e europeia , sirvam de ensinamentos fundamentais que obviem repetio de eventos semelhantes; </p></li><li><p> 9 </p><p>GPIAA GABINETE DE PREVENO E INVESTIGAO DE ACIDENTES COM AERONAVES </p><p>GUIA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANA PARA AS AUTORIDADES POLICIAIS &amp; SERVIOS DE EMERGNCIA </p><p> Divulgar de imediato qualquer Recomendao de Segurana emitida num relatrio para que seja garantida a segurana dos passageiros. </p><p> Fomentar e manter boas relaes de trabalho com as entidades de servios de emergncia nos locais dos acidentes e durante o perodo de investigao; </p><p> Melhorar a segurana na aviao em geral pela via da formao, divulgando os ensi-namentos eduzidos da investigao dos acidentes; </p><p> Verificar o cumprimento de Portugal nas obrigaes nacionais e internacionais esta-tudas para a investigao de acidentes e incidentes areos. </p><p>4. OBRIGAES DO GPIAA NA INVESTIGAO DE ACIDENTES E INCIDENTES GRAVES COM AERONAVES. </p><p>Todos os acidentes ou incidentes graves com aeronaves, que sejam reportados e aos quais se apliquem os Regulamentos preceituados, sero obrigatoriamente objecto de investigao por parte do GPIAA. O Director do GPIAA pode, no entanto, decidir a inves-tigao de um incidente que, embora no seja classificado como grave, seja considera-do como susceptvel de fornecer importantes ensinamentos de segurana. </p><p> ao Director do GPIAA que cabe, tambm, determinar a dimenso da investigao e os procedimentos a serem seguidos para a sua consecuo. </p><p>5. A AUTORIDADE DO GPIAA </p><p>A autoridade para o GPIAA investigar acidentes e incidentes decorre da Conveno de Chicago e das legislaes europeia e nacional, em particular da Directiva 94/56/CE e do Decreto-Lei n 318/99, de 11 de Agosto. A legislao est acessvel no stio do GPIAA, em www.gpiaa.gov.pt. </p><p>6. COMPETNCIAS LEGAIS DE UM INVESTIGADOR DE ACIDENTES AREOS </p><p>As competncias do Investigador Responsvel (IR) e dos Investigadores Tcnicos (IT) esto consignadas no Decreto-Lei n 318/99, de 11 de Agosto, na Directiva 94/56/CE e nas normas e recomendaes da ICAO. Estas competncias esto descritas no Anexo A. </p><p>7. A RELAO ENTRE AS INVESTIGAES DO GPIAA E AS INVESTIGAES DAS AUTORIDA-DES JUDICIRIAS E/OU POLICIAIS </p><p>A legislao nacional sobre a investigao de acidentes e incidentes com aeronaves civis estabelece que a investigao tcnica independente da investigao das autori-dades judicirias. As medidas tomadas pelas autoridades judicirias no devem consti-tuir impedimento investigao tcnica e, quando tomadas pelo Investigador Respons-vel, tambm no devem constituir impedimento investigao criminal. </p></li><li><p> 10 </p><p>GPIAA GABINETE DE PREVENO E INVESTIGAO DE ACIDENTES COM AERONAVES </p><p>GUIA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANA PARA AS AUTORIDADES POLICIAIS &amp; SERVIOS DE EMERGNCIA </p><p>Compete aos investigadores tcnicos do GPIAA a prtica dos actos cautelares necess-rios e urgentes para assegurar os meios de prova que exijam especiais conhecimentos tcnicos. </p><p>Se o Investigador Responsvel, no decurso da investigao tcnica, encontrar indcios de infraco criminal, deve proceder sua comunicao imediata. </p><p>As autoridades judicirias e/ou policiais e os investigadores tcnicos devem actuar em colaborao mtua, no sentido de assegurarem a eficcia das respectivas averiguaes, para que no se verifique obstruo entre investigaes paralelas. </p><p>8. O QUE UM ACIDENTE AREO SUSCEPTVEL DE NOTIFICAO </p><p>As definies de acidente e incidente grave esto previstas no Decreto-Lei n 318/99, de 11 de Agosto, que se transcrevem no Anexo B. </p><p>De um modo sucinto, um acidente um acontecimento verificado durante o perodo de operao de um avio em que este sofre determinados danos ou do qual resulte vtimas mortais ou feridas gravemente </p><p>Um incidente grave definido como um evento envolvendo circunstncias que indi-quem que um acidente esteve prestes a ocorrer. De um modo geral, no usual a envolvncia das Autoridades Policiais ou Servios de Emergncia neste tipo de aconte-cimentos. </p><p>9. REPORTE E NOTIFICAO DE UM ACIDENTE COM UMA AERONAVE </p><p>A responsabilidade legal da notificao de um acidente ou de um incidente grave recai, em primeiro lugar, no comandante do avio ou, na sua falta ou incapacidade, no opera-dor da aeronave ou no seu proprietrio. Se o acidente ocorrer num aerdromo ou na sua rea adjacente, a autoridade do aerdromo a responsvel pela notificao do acidente. </p><p>Na prtica, a primeira notificao ao GPIAA tem origem, geralmente, na Autoridade Nacional de Proteco Civil (ANPC), nas Autoridades Policiais que tomaram conta do evento, no Controlo de Trfego Areo (CTA), ou na Autoridade Aeroporturia. Qualquer pessoa que saiba da existncia de um acidente ou incidente grave de uma aeronave, dever comunic-lo ao GPIAA o mais cedo possvel, independentemente da aco das Autoridade Policiais ou dos Servios de Emergncia. </p><p>O reporte inicial para o GPIAA deve ser feito para o telefone: </p><p> Como recorrente de memria, marque 707 seguido das teclas do telefone/telemvel correspondentes palavra AVIOES </p><p>707 284 637</p><p>707 AVI OES</p></li><li><p> 11 </p><p>GPIAA GABINETE DE PREVENO E INVESTIGAO DE ACIDENTES COM AERONAVES </p><p>GUIA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANA PARA AS AUTORIDADES POLICIAIS &amp; SERVIOS DE EMERGNCIA </p><p>A pessoa que comunica directamente um acidente ao GPIAA tambm o deve fazer junto das Autoridades Policiais, informando-as do local onde este ocorreu. </p><p>As Autoridades Policiais, por sua vez, devem contactar imediatamente o GPIAA repor-tando o acidente, atravs da linha exclusiva para o efeito, e transmitir toda a informao disponvel na sua posse. </p><p>Posteriormente, e logo que possvel, as entidades responsveis pela notificao do aci-dente ou incidente grave devero remeter a respectiva notificao para o GPIAA via on-line (www.gpiaa.gov.pt), por Fax (212 739 260) ou por e-mail para investigacao@gpiaa.gov.pt. </p><p>No Anexo C reproduz-se um exemplar de Notificao por Fax. </p><p>10. O QUE O GPIAA NECESSITA DE SABER </p><p>A notificao deve conter o mximo de informao possvel, designadamente: </p><p> Tipo de aeronave; </p><p> Registo da aeronave (letras e nmeros); </p><p> Nome do proprietrio ou do operador; </p><p> Nomes do piloto/tripulao e de qualquer outra pessoa a bordo; </p><p> Data e hora do acidente; </p><p> Local de partida e o destino da aeronave; </p><p> Localizao do acidente, incluindo instrues para chegar ao local; </p><p> Extenso de ferimentos dos ocupantes ou de outros; </p><p> Natureza do acidente, isto , a fase de voo (descolagem, aterragem, etc.) e uma descrio resumida do ocorrido; </p><p> Extenso dos danos da aeronave; </p><p>A notificao deve ser enviada o mais brevemente possvel, mesmo que ainda se no conheam todos os pormenores. A informao inicial fundamental para que o GPIAA possa dar a resposta adequada em tempo til. </p><p>11. A RESPOSTA DO GPIAA </p><p>O investigador de servio, em contacto com o Director do GPIAA, decide o tipo de res-posta a dar, a qual depende da localizao e das circunstncias do acidente ou inciden-te. </p><p>Em caso de acidente, ou para a maioria dos incidentes graves, deslocada uma equipa de investigao que pode levar algumas horas a chegar ao local (nas deslocaes s Regies Autnomas a equipa fica sujeita aos horrios dos transportes areos). </p><p>O GPIAA responde a uma notificao de um acidente de acordo com as seguintes linhas de orientao: </p></li><li><p> 12 </p><p>GPIAA GABINETE DE PREVENO E INVESTIGAO DE ACIDENTES COM AERONAVES </p><p>GUIA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANA PARA AS AUTORIDADES POLICIAIS &amp; SERVIOS DE EMERGNCIA </p><p>Grandes acidentes de aviao </p><p> O GPIAA envia uma equipa de investigadores, liderada por um Investigador Responsvel; </p><p> O GPIAA inicia a investigao do acidente e requisita peritos a fim de se reunirem equipa de inves-tigao; </p><p> A equipa do GPIAA pode ser reforada com investigadores e peritos de outros pases, como representantes acreditados ou advisors, de acordo com os compromissos internacionais; </p><p> O GPIAA prov peritos especialistas em segurana (safety) do local; </p><p> O GPIAA, em regra, organiza a recolha dos destroos resultantes do acidente. </p><p>Acidentes fatais ou incidentes graves </p><p>Acidentes fatais e incidentes graves da aviao geral, que incluem os ultraleves , bem como os do trabalho areo, so investigados por uma equipa reduzida de investi-gadores do GPIAA. </p><p>A hora de chegada ao local do acidente pode variar, dependendo da sua localizao em relao sede do GPIAA. Normalmente existem restries de trabalho em ambiente nocturno, pelo que a equipa poder chegar apenas no dia seguinte. </p><p>Acidentes menores com avies ligeiros, ultraleves com ou sem motor, bales tripulados, dirigveis, planadores com ou sem motor e autogiros. </p><p>Sempre que no haja vtimas fatais, feridos graves ou quando a tipologia e caractersti-cas do acidente com uma destas aeronaves no justificar a presena de uma equipa de investigadores do GPIAA, a investigao tcnica ser desenvolvida atravs de contactos efectuados por correspondncia postal, telefone, fax e e-mail. </p><p>Nestes casos, O GPIAA informar as autoridades policiais, no mais curto espao de tempo, da dispensa de comparncia da equipa de investigadores no local. </p><p>Local de um acidente </p></li><li><p> 13 </p><p>GPIAA GABINETE DE PREVENO E INVESTIGAO DE ACIDENTES COM AERONAVES </p><p>GUIA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANA PARA AS AUTORIDADES POLICIAIS &amp; SERVIOS DE EMERGNCIA </p><p>Pra-quedistas e pra-quedas motorizados </p><p>Um pra-quedas no classificado como uma aeronave. Consequentemente, se um pra-quedista sofrer um acidente sero as Autoridades Policiais que se encarregaro da respectiva investigao. </p><p>Assim, o GPIAA no abre processo de investigao a no ser que o pra-quedista tenha sido atingido pelo avio de onde saltou, ou por outra aeronave durante a sua descida. No entanto, alguns pra-quedas motorizados so classificados como aeronaves particu-larmente se o piloto tem um assento sobre um veculo com rodas empregue em desco-lagem e aterragem. Este tipo de ocorrncias que envolvem pra-quedas motorizados ser tratado como acidentes de aviao desportiva. </p><p>12. COMBATE A INCNDIOS </p><p> fundamental que qualquer fogo seja extinto o mais rapidamente possvel. </p><p>Aps finalizadas as aces de salvamento, os destroos devem ser alvo de um cuidado especial para que no sejam alteradas as suas posies relativas. </p><p>Assim, o combate ao incndio e o respectivo rescaldo devem ser conduzidos de maneira a perseverar as evidncias. </p><p>O uso preventivo de espuma poder esconder evidncias importantes e introduzir novos perigos. Assim, a utilizao preventiva de uma carpete de espuma dever ser efectuada apenas se existir um perigo real e significativo. </p><p>Fogo numa aeronave </p></li><li><p> 14 </p><p>GPIAA GABINETE DE PREVENO E INVESTIGAO DE ACIDENTES COM AERONAVES </p><p>GUIA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANA PARA AS AUTORIDADES POLICIAIS &amp; SERVIOS DE EMERGNCIA </p><p>13. SALVAMENTO DE PESSOAS DE UM AVIO ACIDENTADO </p><p>Nota: Esta seco constitui apenas um guia. O pessoal dos servios de emergncia dever seguir os seus prprios procedimentos. </p><p>O salvamento e tratamento dos sobreviventes constituem a primeira prioridade no l