Guia estudante 2011 completo

Download Guia estudante 2011 completo

Post on 24-Jul-2016

216 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

<ul><li><p>op</p><p>ini</p><p>oA carreira do geofsicode Paulo Buarque, professor do departamento de Geologia da UFF e membro do comit gestor do CTPetro</p><p>Guia do</p><p>T e r c e i r a e d i o , 2 0 1 1ESTUDANTE</p><p>Ano XIII mar/abr 2011 Nmero 77 (Suplemento Guia do Estudante) www.tnpetroleo.com.br</p><p>NESTA EDIOA indstria do petrleo no BrasilPlataformas brasileirasCenrio do petrleo no mundoPr-sal: o presente e o futuro do BrasilBacias sedimentares brasileirasA logstica do petrleoMalha dutoviriaParque de refinoO beab da exploraoSustentabilidade e recursos energticosPersonalidades da indstria do petrleoIndstria naval brasileira</p><p>ARTIGOSMBA em qu?, por Bianca Machado Branco</p><p>A difcil escolha da profisso, por Joo Batista Frazo</p><p>(No) H vagas, por Jane Cludia Queiroz dos Santos</p><p>Engenharia est sempre na moda, por Marco Tulio Duarte Rodriguez </p><p>Rev</p><p>ista</p><p> Bra</p><p>sile</p><p>ira </p><p>de T</p><p>EC</p><p>No</p><p>loG</p><p>iA e</p><p> NE</p><p>G</p><p>Cio</p><p>S d</p><p>e P</p><p>etr</p><p>leo,</p><p> Gs</p><p>, P</p><p>etro</p><p>qum</p><p>ica,</p><p> Qu</p><p>mic</p><p>a F</p><p>ina </p><p>e B</p><p>ioco</p><p>mbu</p><p>stv</p><p>eis</p><p>TN</p><p> PE</p><p>TR</p><p>LE</p><p>O </p><p>GU</p><p>IA D</p><p>O E</p><p>ST</p><p>UD</p><p>AN</p><p>TE</p><p>: NO</p><p>VO</p><p>S D</p><p>ES</p><p>AF</p><p>IOS</p><p> NA</p><p> EN</p><p>GE</p><p>NH</p><p>AR</p><p>IA D</p><p>O P</p><p>ET</p><p>R</p><p>LEO</p><p> n 77</p><p>na engenharia do petrleo</p><p>Entrevista exclusiva</p><p>Jos Renato Ferreira de Almeida coordenador executivo do Prominp</p><p>Prominp: qualificao o desafio permanente</p><p>Novos desafios</p></li><li><p>2 Guia do Estudante 2011</p><p>sumrio edio n 77 (Suplemento Guia do Estudante) maio/jun 2011</p><p>Entrevista exclusiva</p><p>Pesquisa e desenvolvimento</p><p>Formao</p><p>Especial: Mercado de trabalho</p><p>25 Cenpes ampliado</p><p>26 IBM ter centro de pesquisa no Brasil</p><p>27 Suecos inauguram centro de P&amp;D no Brasil em maio</p><p>31 Falta de trabalhador qualificado afeta 69% das indstrias</p><p>32 Pesquisa revela escassez de talentos no nvel tcnico</p><p>com Fbio Fares, engenheiro naval e vice-presidente do Grupo Forship</p><p>Mar de oportunidades</p><p>Presena feminina no mercado de energia</p><p>Pesquisa em parceria: os novos centros de P&amp;D da cadeia produtiva de petrleo no Brasil</p><p>O profissional do refino</p><p>10</p><p>28</p><p>15</p><p>22</p></li><li><p>Guia do Estudante 2011 1 </p><p>40</p><p>Formao</p><p>Profisses</p><p>Profisses</p><p>Liderana em Classificao e Certificao Offshoree-mail: absrio@eagle.org Tel: + 55 21 2276-3535</p><p>CONSELHO EDITORIAL</p><p>Affonso Vianna Junior</p><p>Alexandre Castanhola Gurgel</p><p>Andr Gustavo Garcia Goulart</p><p>Antonio Ricardo Pimentel de Oliveira</p><p>Bruno Musso</p><p>Colin Foster</p><p>David Zylbersztajn</p><p>Eduardo Mezzalira</p><p>Eraldo Montenegro</p><p>Flvio Franceschetti</p><p>Francisco Sedeo</p><p>Gary A. Logsdon</p><p>Geor Thomas Erhart</p><p>Gilberto Israel</p><p>Ivan Leo</p><p>Jean-Paul Terra Prates</p><p>Joo Carlos S. Pacheco</p><p>Joo Luiz de Deus Fernandes</p><p>Jos Fantine</p><p>Josu Rocha</p><p>Luiz B. Rgo</p><p>Luiz Eduardo Braga Xavier</p><p>Marcelo Costa</p><p>Mrcio Giannini</p><p>Mrcio Rocha Melo</p><p>Marcius Ferrari</p><p>Marco Aurlio Latg</p><p>Maria das Graas Silva</p><p>Mrio Jorge C. dos Santos</p><p>Maurcio B. Figueiredo</p><p>Nathan Medeiros</p><p>Roberto Alfradique V. de Macedo</p><p>Roberto Fainstein</p><p>Ronaldo J. Alves</p><p>Ronaldo Schubert Sampaio</p><p>Rubens Langer</p><p>Samuel Barbosa</p><p>36 SPE agiliza transio de estudantes para a indstria de E&amp;P</p><p>48 A engenharia de petrleo como opo profissional, por Sergio Fontoura</p><p>51 Experincia internacional diferencial na hora da contratao, por Cludio Chalom</p><p>53 As questes-chave da economia da energia, por Helder Queiroz Pinto Junior</p><p> 03 editorial 04 hot news 42 eventos 46 produtos e servios</p><p> 55 cursos 58 feiras e congressos 59 opinio</p><p>Geofsica e a ssmica, o comeo de tudo</p><p>O engenheiro de petrleo:engenharia de poo, de produo e qumica</p><p>O profissional de projeto naval e offshore</p><p>artigos</p><p>Ano XIII Nmero 77 maio/jun 2011Fotos: Wilson,Sons e Agncia Petrobras</p><p>sees</p><p>34</p><p>38</p></li><li><p>2 Guia do Estudante 2011</p></li><li><p>Guia do Estudante 2011 3 </p><p>Rua do Rosrio, 99/7 andarCentro CEP 20041-004</p><p>Rio de Janeiro RJ BrasilTel/fax: 55 21 3221-7500</p><p>www.tnpetroleo.com.brtnpetroleo@tnpetroleo.com.br</p><p>DIRETOR EXECUTIVOBencio Biz</p><p>beniciobiz@tnpetroleo.com.br</p><p>DIRETORA DE NOVOS NEGCIOSLia Medeiros (21 8241-1133)</p><p>liamedeiros@tnpetroleo.com.br</p><p>EDITORABeatriz Cardoso (21 9617-2360)</p><p>beatrizcardoso@tnpetroleo.com.br</p><p>EDITOR DE ARTE, CULTURA E VARIEDADES</p><p>Orlando Santos (21 9491-5468)</p><p>REPRTERESCassiano Viana (55 21 9187-7801)</p><p>cassiano@tnpetroleo.com.br</p><p>Maria Fernanda Romero (55 21 8867-0837) fernanda@tnpetroleo.com.br</p><p>Rodrigo Miguez (21 9389-9059)rodrigo@tnpetroleo.com.br</p><p>RELAES INTERNACIONAISDagmar Brasilio (21 9361-2876) </p><p>dagmar.brasilio@tnpetroleo.com.br</p><p>DESIGN GRFICOBencio Biz (21 3221-7500)</p><p>beniciobiz@tnpetroleo.com.br</p><p>PRODUO GRFICA E WEBMASTERLarcio Loureno (21 3221-7506)webmaster-tn@tnpetroleo.com.br</p><p>Marcos Salvador (21 3221-7510)marcossalvador@tnpetroleo.com.br</p><p>REVISOSonia Cardoso (21 3502-5659)</p><p>DEPARTAMENTO COMERCIALJos Arteiro (21 9163-4344)</p><p>josearteiro@tnpetroleo.com.br</p><p>Cristina Pavan (21 9408-4897)cristinapavan@tnpetroleo.com.br</p><p> Lorraine Mendes (21 7801-7860)lorraine@tnpetroleo.com.br</p><p>Bruna Guiso (21 7682-7074)bruna@tnpetroleo.com.br</p><p>Luiz Felipe Pinaud (21 7861-4828) l.felipe@tnpetroleo.com.br</p><p>ASSINATURASRodrigo Matias (21 3221-7503)</p><p>matias@tnpetroleo.com.br</p><p>CTP e IMPRESSOWalprint Grfica </p><p>DISTRIBUIO Bencio Biz Editores Associados.</p><p>Os artigos assinados so de total responsabilidade dos autores, </p><p>no representando, necessariamente, a opinio dos editores.</p><p>TN Petrleo dirigida a empresrios, executivos, engenheiros, gelogos,</p><p>tcnicos, pesquisadores, fornecedorese compradores do setor de petrleo.</p><p>ENVIO DE RELEASESSugestes de temas ou envio de matrias devem ser feitos via fax: 55 21 3221-7511 </p><p>ou pelo e-mail tnpetroleo@tnpetroleo.com.br </p><p>O crescimento de 7,5% do Pro-duto Interno Bruto (PIB) do Brasil, no ano passado, e o ndice de 4,2% obtido no primeiro trimestre de 2011 reforam as expectativas de que o mercado de trabalho vai continuar aquecido. </p><p>Sobretudo no setor de petrleo e gs e, consequentemente, em toda a cadeia produtiva, que engloba ainda a rea de indstria naval e offshore. Est a o fato de a atividade extrati-vista (que inclui explorao de petr-leo e gs) ter sido a responsvel pela alta do setor industrial, o qual, pela primeira vez em vrios anos, superou agricultura e servios, at ento os maiores responsveis pelo cresci-mento do PIB (ainda que pequeno) na ltima dcada.</p><p>Todos esses nmeros e ndi-ces apenas confirmam o que vem se delineando nos ltimos anos: o crescimento da demanda por mo de obra qualificada, abrindo numero-sas oportunidades de trabalho para aqueles que esto concluindo cursos tcnicos nos mais distintos segmen-tos, assim como para os universit-rios que esto na poca de escolher sua especialidade. </p><p>Quem apostar nas indstrias pe-trolfera, naval e offshore vai ter um incrvel leque de opes! No apenas </p><p>as companhias de petrleo, como a Petrobras e outras que atuam no Brasil, esto sempre buscando pro-fissionais qualificados, mas tambm todas as empresas que fornecem bens e servios, dos mais simples itens s mais sofisticadas tecnolo-gias, tm uma demanda em expanso. </p><p>Na realidade, uma demanda prestes a explodir, se, como previsto, forem acelerados vrios empreendi-mentos programados para os prxi-mos cinco anos, quando o Brasil de-ver mais do que dobrar a produo de petrleo e gs. O que demandar no somente uma infinidade de bens e servios de todos os nveis, mas, principalmente, tcnico e superior.</p><p>Comprometida com o desenvolvi-mento do setor e com a gerao e disseminao de conhecimento (que so movidos a informao), a TN Petrleo publica uma nova edio do Guia do Estudante. Nosso objetivo mostrar como funciona e quem so os profissionais que fazem rodar as engrenagens dessa indstria que, alm de ajudar o pas a crescer, tem investido pesado na qualificao e formao de novos profissionais. Eles sero bem-vindos!</p><p>Mercado aquecido</p><p>Filiada </p><p>editorial</p><p>Lia MedeirosDiretora de Novos Negcios</p><p>Foto</p><p>: Ban</p><p>co d</p><p>e Im</p><p>agen</p><p>s S</p><p>tock</p><p>.xcn</p><p>g</p><p>Foto</p><p>: Ag</p><p>ncia</p><p> Pet</p><p>robr</p><p>asFo</p><p>to: A</p><p>gnc</p><p>ia P</p><p>etro</p><p>bras</p></li><li><p>4 Guia do Estudante 2011</p><p>hot news</p><p>Em fEvErEiro, o prEsidEn-tE da Chevron Brasil petrleo, George Buck, e o reitor da pUC--rio, padre Josaf Carlos de Siqueira, assinaram um acordo de parceria para a formao de recursos humanos adequados realidade do mercado da rea de petrleo e gs. o apoio, indito entre a universidade e a multi-nacional, da ordem de r$ 2 milhes e vlido pelos pr-ximos trs anos.</p><p>os recursos financeiros sero aplicados na concesso de bol-sas de estudo, na criao de um programa de tutoria e no incre-mento das condies de ensaios experimentais em trs laborat-rios do Centro tcnico Cientfi-co da pUC-rio (CtC/pUC-rio), com o objetivo de dar aos alunos o acesso a equipamentos de alta tecnologia e permitir uma formao acadmica consistente e competitiva ao mercado de trabalho.</p><p>por meio de parcerias como esta pretendemos colaborar </p><p>com o desenvolvimento dos alunos que optam pela rea de petrleo e gs. importante termos bons profissionais for-mados para fazer frente a uma demanda de mo de obra que crescente em nosso mercado, afirma George Buck. </p><p>sero concedidas 12 bolsas para alunos de graduao, a partir do quinto perodo, cuja elegibilidade considerar aque-les que apresentem destaque quanto ao grau do coeficiente de rendimento, com prioridade para alunos que apresentem dificul-dades quanto ao custeio das mensalidades.</p><p>no programa de tutoria, os alunos contemplados tero um orientador cientfico, profes-sor da pUC-rio, e um mentor da Chevron, o que permitir a transferncia de conhecimentos e experincia no desenvolvimento e capacitao dos alunos. muito importante que o curso de Engenharia de petrleo tenha esse tipo de janela para o aluno, com </p><p>temas vinculados realidade do mercado. o co-orientador atua tambm na funo de mentor, j que o trabalho ser realizado no ambiente da Chevron e pode servir como um primeiro contato com a indstria, possibilitando melhor entendimento da aplicao da disciplina no mercado de leo e gs, explica srgio fontoura, co-ordenador do curso de Engenharia de petrleo da pUC-rio.</p><p>A compra de equipamentos contemplar trs laboratrios di-ferentes, conforme o cronograma estabelecido at 2013: mecnica das rochas, petrofsica e fluidos de perfurao e de reservatrios. A implementao do projeto vai beneficiar, de imediato, os cerca de cem alunos do curso de Enge-nharia de petrleo.</p><p>fontoura ressalta ainda que a parceria mostra aos alunos de graduao que quem sou-ber aproveitar todos os demais recursos que a pUC-rio oferece (excelente biblioteca na rea, laboratrios e corpo docente qualificado) tem grandes chan-ces de empregabilidade em um mercado to competitivo. Ao conciliar o universo acadmico (com sua tradio na transfern-cia do conhecimento) com o da indstria (que busca solues e profissionais com caractersticas especficas), os alunos contam com um diferencial no currcu-lo, diz ele. </p><p>Chevron fecha acordo indito com a PUC-Rio para investimento no curso de engenharia de petrleoInfraestrutura de laboratrios, bolsas de estudo e co-orientao de projetos esto entre os benefcios que sero oferecidos aos alunos da graduao. Recursos financeiros chegam a R$ 2 milhes.</p><p>O presidente da Chevron Brasil Petrleo, George Buck, e o reitor da PUC-Rio, padre Josaf Carlos de Siqueira, durante a assinatura do acordo.</p></li><li><p>Guia do Estudante 2011 5 </p><p>A fAltA dE mo dE oBrA es-pecializada para algumas reas fez com que o empresrio Samuel Pinheiro, proprietrio da escola de capacitao em petrleo e gs petrocenter, apos tasse no ouro negro para ampliar os neg-cios da empresa por meio de fran-quias. segundo ele, a populao, ainda mais a de classe baixa, ga-nha a oportunidade de entrar para o mercado e de aumentar vertigi-nosamente sua renda salarial. Este setor promove a insero social e o desenvolvimento econmico do pas. o meu objetivo levar o nosso know-how neste segmento e fortalecer ainda mais o nordes-te. Em dois anos, pretendo ter 50 franquias da petrocenter em todo o territrio nacional, completa pinheiro. o investimento total do negcio pode ficar entre r$ 50 mil e 160 mil. dependendo da admi-nistrao, o retorno chega at em 18 meses. para quem busca uma rea de atuao e pensa em um negcio lucrativo, o segmento de petrleo e gs deve ser uma das opes. Existem muitas vagas e </p><p>salrios altos, por isso a procura por cursos de especializao tem aumentado a cada dia, inclusive entre os jovens da classe C. </p><p>outra franquia que aposta no petrleo como meio de crescimento o Curso maxx. A escola prepa-ratria para concursos pblicos tambm aproveita a oportunida-de gerada no setor para ingresso no mercado de trabalho e criou o modulo petrleo e Gs com turmas de estudo para a prova do prominp (programa de mobilizao da in-dstria nacional de petrleo e Gs natural). </p><p>outra empresa que vem lucran-do com as oportunidades geradas pelo petrleo a sampling planeja-mento. segundo o CEo da empre-sa, fernando Quintella, somente na rea de petrleo e gs, h necessi-</p><p>dade de 34 mil engenheiros, alm de profissionais de nvel tcnico. </p><p>o centro de treinamento aposta na tecnologia para formar profissio-nais. A empresa passou a utilizar o Centro de simulao de Guindas-tes porturio e offshore, primeiro no Brasil com tecnologia 3d total-mente nacional desenvolvida pela empresa virtualy. o cenrio virtual conta com simuladores para ope-rao em guindastes de diferentes modelos, entre eles, o Guindaste de Bordo, portainer, ponte rolante, caminhes, alm de um simulador de combate a incndio. os equipa-mentos emitem sons e condies meteorolgicas com base em re-produes de ambientes dos portos brasileiros entre os quais esto o de santos, do rio de Janeiro e por-tocel, no Esprito santo. </p><p>Petrleo fortalece o setor de franquias e a educaoA extrao de petrleo no pr-sal uma oportunidade para o Brasil diversificar sua economia, desenvolver-se tecnologicamente, gerar empregos e renda. Mas no s o fortalecimento desses setores que est em evidncia. O segmento de franquias e educao tambm observa a oportunidade latente.</p><p>TN Petrleo no Twitter. Siga-nos em http://twitter.com/tnpetroleo</p><p>Foto</p><p>: Cor</p><p>tesi</p><p>a B</p><p>ritis</p><p>h Pe</p><p>trol</p><p>eum</p></li><li><p>6 Guia do Estudante 2011</p><p>hot news</p><p>QUAsE dois tEros dos em-pregadores brasileiros encontram dificuldades de selecionar pessoas qualificadas para preencher cargos disponveis, segundo indica uma pesquisa realizada pela consultoria internacional de recursos humanos manpower.</p><p>de acordo com a pesquisa reali-zada este ano, que ouviu mais de 35 mil empregadores em 36 pases, a escassez de mo de obra qualificada no Brasil s no maior do que no Japo. Entre os empresrios brasi-leiros, 64% disseram ter dificuldades para preencher suas vagas com profissionais qualificados no Ja-po, esse percentual foi de 76%. na mdia dos 36 pases pesquisados, 31% dos empregadores disseram ter dificuldades em encontrar profissio-nais qualificados.</p><p>no mercado de engenharia, a realidade no diferente. E foi exatamente esse cenrio uma das motivaes para o estabelecimento da parceria entre EpC Engenharia, Autodesk e a faculdade pitgoras. o projeto prev a utilizao dos softwares da Autodesk nas discipli-nas dos cursos de engenharia da faculdade com o direcionamento da EpC para as necessidades do mercado.</p><p>para isso, foram feitas reu-nies entre os coordenadores de cursos da faculdade pitgoras e os gerentes de disciplinas da EpC, nas quais foram propostos ajustes nos contedos programticos de algumas disciplinas e criao de matrias optativas voltadas para o segmento, segundo o gestor estratgico de pessoas da EpC, Carlos scoli.</p><p>o diretor de p...</p></li></ul>