guia essencial para novos cer. ?· vol. i - descoberta vol. ii – ideação vol. iii –...

Download GUIA ESSENCIAL PARA NOVOS cer. ?· Vol. I - Descoberta Vol. II – Ideação Vol. III – Modelagem…

Post on 21-Aug-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • MODELAGEM3

    GUIA ESSENCIAL PARA NOVOS EMPREENDEDORES

    E PROPOSTADE VALOR

  • GUIA ESSENCIAL PARA NOVOS EMPREENDEDORES Um manual [totalmente] prtico para inspirar voc a empreender e a transformar seus sonhos e projetos em realidade.

    Este guia dedicado queles que enxergam a importncia de

    gerar valor para si, para as pessoas e para o mundo.

  • FICHA TCNICA

    2015. Servio de Apoio s Micro e Pequenas Empresas de Minas Gerais - SEBRAE

    MINAS

    TODOS OS DIREITOS RESERVADOS permitida a reproduo total ou parcial, de qualquer forma ou por qualquer meio,

    desde que divulgadas as fontes.

    INFORMAES E CONTATOSServio de Apoio s Micro e Pequenas Empresas de Minas Gerais SEBRAE MINAS

    Unidade de Educao, Empreendedorismo e Cooperativismo

    Av. Baro Homem de Melo, 329, Nova Granada, CEP 30.341-285, Belo Horizonte - MG

    Telefone (31) 3379-9337 Fax (31) 3379-9343

    www.sebrae.com.br/minasgerais

    SEBRAE MINASPresidente do Conselho Deliberativo | Olavo Machado Junior

    Diretor-Superintendente | Afonso Maria Rocha

    Diretor de Operaes | Anderson Costa Cabido

    Diretor Tcnico | Fbio Veras de Souza

    Unidade de Educao, Empreendedorismo e Cooperativismo SEBRAE MINAS

    Gerente | Fabiana Ribeiro de Pinho

    Equipe Tcnica | Llian da Silva Botelho,

    Coordenao | Cludio Afrnio Rosa

    Assessoria de Comunicao SEBRAE MINAS

    Gerente | Teresa Goulart

    Equipe Tcnica | Mrcia de Paula da Fonseca | Gustavo Guimares de Almeida |

    Carlos Augusto de Castro Carmo de Conti

    Autoria | Cludio Afrnio Rosa | Gustavo Marques Couto | Marcelo Gomes Lage

    Tratamento de Linguagem e Reviso | New360

    Editorao | New360

    R788g Rosa, Cludio Afrnio O guia essencial para novos empreendedores: modelagem e pro-posta de valor / Cludio Afrnio Rosa; Gustavo Marques Couto; Marcelo Gomes Lage. - Belo Horizonte: SEBRAE/MG, 2015.

    136 p.: il. Nota de contedo: obra composta por quatro volumesVol. I - DescobertaVol. II IdeaoVol. III Modelagem e proposta de valorVol. IV - Implantao

    1. Empreendedorismo. 2. Novos negcios. 3. Criatividade. I. Couto, Gustavo Marques. II. Lage, Marcelo Gomes. III. Servio de Apoio s Micro e Pequenas Empresas de Minas Gerais. IV. Ttulo.

    CDU: 658

  • 3Transformando ideias

    em modelos de negcios para criar valor

    MODELAGEM E PROPOSTA

    DE VALOR

  • 2348

    86

    109

    105

    31

    16

    118

    50

    O Poder daInovao

    Os Nove Blocos

    Validao do Modelo

    Curva de Valor

    Oceano Azul

    Canvas da Proposta de Valor

    Jobs to Be DoneTarefas de Valor

    Foras e Fraquezas do Modelo

    Modelo de Negcios x Plano de Negcio

    46

    31

    97

    MODELO DE NEGCIOS

    PROPOSTA DEVALOR

    AMBIENTE DENEGCIOS

    130 LISTA DE REFERNCIAS

    124 LIVROS, FILMES, VDEOS

  • EI, SE QUISER, DESTAQUE A PGINA AO LADO E COLE NA SUA PAREDE.

    PRLOGO8

    Que bom que continua conosco! Os mdulos Descoberta e Ideao foram dedicados a desenvolver sua atitude para em-preender e suas habilidades criativas. Mas, se nossa ateno es-

    tava no empreendedor, agora vamos tratar do seu projeto.

    O mundo dos negcios vive um momento de hipercompe-

    titividade. Todos concorrem entre si para capturar a aten-

    o, o dinheiro e o corao dos clientes. Nesse cenrio inovar

    parece ser a soluo. E as inovaes que possibilitaram as

    maiores vantagens no surgiram necessariamente a partir de

    novas tecnologias ou descobertas cientficas e sim nos mo-

    delos de negcios das empresas.

    ENTENDER O CLIENTE, SUAS DORES E OS BENEFCIOS QUE ELE DESEJA FUNDAMENTAL.

    Responder a todas essas demandas com uma proposta de valor que se encaixa no perfil dos clientes o primeiro passo na construo de um modelo de negcios.

    Desenvolver relacionamentos e canais de venda alinhados

    sua proposta de valor e ao perfil dos clientes parte dessa

    jornada. Tambm ser necessrio identificar os recursos, ati-

    vidades e parceiros que iro ajud-lo a construir o valor que

    vai oferecer, assim como os custos e, finalmente [mas no

    menos importante], gerar receita atravs do que voc entre-

    ga ao cliente.

    Conectar esses pontos de forma inteligente ser o seu

    segundo desafio.

    O mundo dos negcios vive um

    momento de

    HIPERCOMPETI-TIVIDADE.

  • Lady GaladrielO Senhor dos Anis - A Sociedade do Anel

    AT A MENOR PESSOA PODE

    MUDAR O CAMINHO DO

    FUTURO.

    DIVULGAO/ COPYRIGHT WARNER BROS. PICTURES.

  • ESSE UM MUNDO CURIOSO E VIBRANTE

  • Por ltimo, vamos refletir sobre o ambiente de negcios. Ne-

    nhuma empresa, por mais inovadora, pode ignorar o contex-

    to em que se encontra.

    TODO MERCADO OFERECE OPORTUNIDADES E TRAZ AMEAAS.

    A resposta antecipada a essas mudanas permitir a voc

    adaptar o seu modelo de negcios e explorar suas foras

    para superar a concorrncia e crescer.

    Voc ter acesso ao que h de mais atual nesse mundo

    [curioso e vibrante] do empreendedorismo sobre proposta

    de valor, modelo e ambiente de negcios.

    E, se chegou at aqui, as possibilidades so inmeras. Como

    nos jogos de videogame, at aqui tudo era treino e prepara-

    o. Agora comea o desafio de verdade.

    PRESSIONE O BOTO START E QUE A SUA AVENTURA [RE]COMECE!

    11

  • UMA IDEIA DE VALOR

    12

    Se voc cumpriu as misses do ltimo mdulo, deve estar em

    um ponto onde construiu prottipos, comeou a testar ideias

    e vem acompanhando os resultados desses testes atravs

    de indicadores simples. Empresas como YouTube, Facebook e Skype acertaram nas suas proposies de valor. Porm, exem-plos como esses so mais excees do que a regra.

    A MAIORIA DE NS [MORTAIS EMPREENDEDORES] PRECISA TRABALHAR MUITO E TER RESILINCIA PARA CONSTRUIR NEGCIOS DE SUCESSO.

    No mdulo sobre Ideao, introduzimos o conceito de em-

    patia. E esse conceito precisa ser praticado diariamente.

    Quanto mais entendemos as pessoas, mais conhecemos suas

    necessidades e mais nos tornamos aptos a perceber oportu-

    nidades para melhorar ou criar produtos e servios.

    Vamos direcionar nossos esforos para entender e construir o perfil dos clientes. Recupere as entrevistas realizadas, as personagens que voc desenhou e o que mais tiver em mos.

    Voc deve esquadrinhar esse material e ser a partir dele que

    vamos propor atividades para identificar as tarefas que os

    clientes querem realizar ao comprar um produto ou servio,

    as dores que sentem e os benefcios que esperam.

    Esquadrinhar: examinar de ma-neira minuciosa; analisar detalhada-mente.

  • ALGO PARA FAZER

    Clayton Christensen um dos grandes pensadores do mun-

    do dos negcios. Ele professor da Universidade de Harvard

    e autor de diversos livros sobre inovao. Segundo ele:

    Mas o que ele quis dizer com isso?

    Vamos usar o exemplo de um estudante do idioma ingls.

    Quando ele contrata aulas de uma escola de idiomas, faz

    isso por motivos que talvez a prpria escola desconhea. Ele

    pode querer entender as msicas de seu artista estrangeiro

    favorito; estar buscando uma melhor posio no mercado de

    trabalho ou mesmo se preparando para uma viagem ao exte-

    rior ou aprender ingls pode ser apenas um desafio pessoal.

    Seja qual for o motivo, se o objetivo for dominar o idioma,

    ele precisar estudar e praticar [muito]. E isso faz parte do

    que o cliente espera da escola. O aluno contrata saber falar

    ingls e no apenas as aulas. Essa a tarefa para a qual ele

    contratou a escola.

    Ns contratamos produtos [e servios]

    para fazer algo por ns.

    O ALUNO CONTRATA

    SABER FALAR INGLS E NO

    APENAS AS AULAS.

    13

  • Speaking EXCHANGEQUANDO OS DOIS LADOS DE UMA HISTRIA SO BONS

    O CNA, empresa brasileira fundada em 1973, incluiu uma ofer-

    ta a mais para seus quase meio milho de alunos. De um lado,

    estudantes brasileiros que desejam treinar o ingls. Do outro,

    idosos americanos que buscam algum para conversar. Entre

    eles, uma ferramenta de videochat, que permite a comuni-

    cao pela internet. Com essa proposta, o vdeo do projeto

    Speaking Exchange, do CNA, j alcanou mais de 900.000

    visualizaes no YouTube em uma semana [e tirou lgrimas

    dos sensveis]. Alm de desenvolver habilidades no idioma, a

    ao tambm incluiu outras experincias interessantes.

    O piloto do Speaking Exchange foi realizado com 30 alunos

    e 12 idosos da casa de repouso Windsor Park, em Chicago. A

    troca de experincias, entre os estudantes que praticam o in-

    gls e os idosos americanos, estabelece um relacionamento

    que ultrapassa as barreiras geogrficas e de linguagem.

    Os dilogos entre os alunos e os idosos so gravados e pu-

    blicados como vdeos privados no YouTube. Assistindo ao

    material, junto com os estudantes, os professores apontam

  • erros, criando oportunidades de aprendizado alm da sala de

    aula e em conversas reais e espontneas.

    Alm de desenvolver fluncia no idioma, o projeto estimula

    o aluno a aprender sobre outra cultura e amplia sua viso de

    mundo. Outro aspecto a conexo com os idosos, em que os

    estudantes criam laos afetivos e educacionais e aprendem

    a valorizar a experincia de quem j est h mais tempo no

    mundo.

    Durante as conversas, os idosos atuam como professores na-

    tivos de ingls. No vdeo possvel ver uma das alunas con-

    tando para uma senhora quantos anos o seu irmo tem. Com

    de