grÉcia antiga histÓria professora: rosa m.s.grana

Download GRÉCIA ANTIGA HISTÓRIA PROFESSORA: ROSA M.S.GRANA

Post on 24-Feb-2016

19 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

GRÉCIA ANTIGA HISTÓRIA PROFESSORA: ROSA M.S.GRANA. ATENAS. Atenas foi fundada na região da Ática, próxima ao litoral, no século VIII a.C. em torno de uma colina fortificada, onde encontrava-se o Palácio do rei (Basileu) e o templo, constituindo a Acrópole. . Acrópole de Atenas e o Partenon. - PowerPoint PPT Presentation

TRANSCRIPT

Apresentao do PowerPoint

GRCIA ANTIGA

HISTRIA

PROFESSORA: ROSA M.S.GRANAATENASAtenas foi fundada na regio da tica, prxima ao litoral, no sculo VIII a.C. em torno de uma colina fortificada, onde encontrava-se o Palcio do rei (Basileu) e o templo, constituindo a Acrpole.

Acrpole de Atenas e o Partenon

ECONOMIABase econmica agricultura e comrcioExportavam - azeite, figo, cermica, prata, etc.Importavam tecidos, tapetes, perfumes, etc.Moeda Dracma imagem de coruja (Sabedoria)

Euptridas aristocracia ruralgeomores - pequenos agricultores demiurgos Comerciantes e artesosMetecos - estrangeirosEscravos capturados na guerra, compra ou dvidaA SOCIEDADE ATENIENSEPOLTICASculo VIII a.C rei (basileu) figura decorativaPoder famlias nobres ArepagoNove Arcontes ( Arcontado) substitui o rei.Drcon ( arconte euptrida) legislador - conservou os privilgios da aristocraciaSlon ( comerciante) Mudanas: abolio da escravido por dvidas; limitao da quantidade de terras e incentivo ao comrcio exteriorTiraniaPisstrato,Hpias e HiparcoPerdem apoio popularIsgoras tirano impopularClstenes deps Isgoras e assumiu o poder implantou a democracia Direitos polticos para todos os cidados Metecos, mulheres e escravos no tinham direitos Democracia direta diviso em demos participao de assembleias ( Eclsias)Instituiu o ostracismoESPARTAA cidade de Esparta(ou Lacedemnia) era formada por cinco aldeias localizadas no vale do rio Eurotas, na regio do Peloponeso. Surgiu por volta do sculo XI a.C., quando os drios invadiram a regio e dominaram a populao aqueia, transformando-a em hilotas escravos do Estado.

ECONOMIAToda atividade econmica era proibida aos espartanos - eram os proprietrios das terras dependiam dos periecos e hilotasCobravam impostos dos periecos que eram comerciantes e artesos

SOCIEDADEESPARTANOS OU ESPARCIATASPERIECOS LIVRES SEM DIREITOS POLTICOSHILOTAS SERVOS PERTENCENTES AO ESTADOPOLTICAReis: a cidade era governada por dois reis que possuam funes militares e religiosas. Tinham vrios privilgios.AssemblEia: constituda pelos cidados, que se reuniam na Apella (ao ar livre) uma vez por ms para tomar decises polticas como, por exemplo, aprovao ou rejeio de leis.Gersia: formada por vinte e oito gerontes (cidados com mais de 60 anos) e os dois reis. Elaboram as leis da cidade que eram votadas pela Assembleia. foros: formado por cinco cidados, tinham diversos poderes administrativos, militares, judiciais e polticos. Atuavam na poltica como se fossem verdadeiros chefes de governo.

Guerras MdicasPrsia X GrciaA principal causa dessas guerras foi a luta pela independncia das cidades jnicas, colnias gregas na Anatlia (regio da atual Turquia), que os persas em sua expanso territorial passaram a dominar, comprometendo o comrcio grego no Oriente.A vitria da Grcia garantiu-lhe o controle comercial da regio, imortalizou seus heris e imps ao mundo o modelo ocidental de se fazer a guerra.A batalha de Maratona ocorreu em setembro de 490 a.C.. Os atenienses e iniciaram a ofensiva contra os persas. Numa plancie apertada entre o mar e as montanhas, um contingente de no mximo 15 mil gregos avanou contra os persas, buscando a batalha corpo a corpo. Herdoto conta que os sditos persas ao verem os gregos se aproximando velozmente, sem o auxlio nem de cavalaria, nem de arqueiros, acreditaram que estavam diante de um exrcito irracional, e muitos fugiram do combate.

Batalha de Termpilas - Lenidas, um dos dois reis espartanos, com sua guarda pessoal composta por 300 homens, e com o apoio de mais de 6 mil gregos, aguardava os persas numa situao geogrfica que lhes dava ampla vantagem: no meio do desfiladeiro de Termpilas o pequeno nmero de gregos poderia suportar o imenso exrcito persa.Batalha de Salamina -Estima-se que 360 embarcaes gregas enfrentaram mais de 600 embarcaes persas na batalha de Salamina (setembro de 480 a.C.), considerada a mais mortal das batalhas navais travadas na histria. A armada persa no tinha espao para se locomover, enquanto os gregos manobravam rapidamente e atacavam os persas com seus aretes. TRATADO DE SUSA OU PAZ DE KALIAS ( 448 a.C) Os persas reconheceram a hegemonia dos gregos no Mar Egeu e prometiam no atacar mais a grcia

GUERRA DO PELOPONESOA Guerra do Peloponeso foi um conflito militar entre as cidades-estado de Atenas e Esparta. Ocorreu entre os anos de 431 e 404 a.C.Causas da guerra:-Os espartanos viam com desconfiana e ameaa o desenvolvimento econmico e aumento da influncia poltica de Atenas na regio da pennsula do Peloponeso;-Relaes tensas entre as duas cidades-estado e disputa pela hegemonia poltica e econmica na regio;Final da guerra e consequnciasA Guerra do Peloponeso terminou em abril de 404 a.C, aps a rendio de Atenas e a conquista espartana em Helesponto. O fim da guerra derrubou o poder de Atenas na pennsula e resultou na hegemonia poltica e economia de Esparta na regio, com seu sistema voltado para o fortalecimento militar.Principais lderes da guerra:- Liga de Delos: Arqudamo II, Lisandro e Brsidas- Liga do Peloponeso: Pricles, Clon, Ncias, Alcibades e Demstenes

GRCIA - CULTURA Artes PlsticasOs gregos eram excelentes escultores, pois buscavam retratar o corpo humano em sua perfeio. Msculos, vestimentas, sentimentos e expresses eram retratados pelos escultores gregos. FilosofiaA cidade de Atenas foi palco de grande desenvolvimento filosfico durante a o Perodo Clssico daGrcia(sculo V AC). Os filsofos gregos pensavam e criavam teorias para explicar a complexa existncia humana, os comportamentos e sentimentos. Podemos destacar como principais filsofos gregosPlatoeScrates. Podemos citar tambm Tales de Mileto, importante filsofo, matemtico e astrnomo da Grcia Antiga.

Algumas frases e pensamentos atribudos ao filsofo Scrates:- A vida que no passamos em revista no vale a pena viver.- A palavra o fio de ouro do pensamento.- Sbio aquele que conhece os limites da prpria ignorncia.- melhor fazer pouco e bem, do que muito e mal.- Alcanar o sucesso pelos prprios mritos. Vitoriosos os que assim procedem.- A ociosidade que envelhece, no o trabalho.- H sabedoria em no crer saber aquilo que tu no sabes.- No penses mal dos que procedem mal; pense somente que esto equivocados.- O amor filho de dois deuses, a carncia e a astcia.- A verdade no est com os homens, mas entre os homens.- Quem melhor conhece a verdade mais capaz de mentir.- Todo o meu saber consiste em saber que nada sei.- Conhece-te a ti mesmo e conhecers o Universo de Deus.

ARQUITETURA1 - Corntio - pouco utilizado pelos arquitetos gregos, caracterizava-se pelo excesso de detalhes. Os capitis das colunas eram, geralmente, decorados com folhas.

2 Drico - estilo com poucos detalhes, transmitindo uma sensao de firmeza.

3 Jnico - este estilo transmitia leveza, em funo dos desenhos apresentados, principalmente nas colunas das construes. Outra caracterstica deste estilo era o uso de base circular.

EsportesForam os gregos que desenvolveram os Jogos Olmpicos. Aconteciam de quatro em quatro anos na cidade grega de Olmpia. Era uma homenagem aos deuses, principalmente aZeus(deus dos deuses). Atletas de diversas cidades gregas se reuniam para disputarem esportes como, por exemplo,natao, corrida, arremesso de disco entre outros. Os vencedores dasOlimpadaseram recebidos em suas cidades como verdadeiros heris. MitologiaPara explicarem as coisas do mundo e transmitirem conhecimentos populares, os gregos criaram vrios mitos e lendas. As estrias eram transmitidas oralmente de gerao para gerao. Amitologia gregaera repleta de monstros, heris, deuses e outras figuras mitolgicas. Os mitos mais conhecidos so:Minotauro, Cavalo de Tria, Medusa e Os Doze trabalhos de Hrcules. TeatroOs gregos eram apaixonados pelo teatro. As peas eram apresentadas em anfiteatros ao ar livre e os atores representavam usando mscaras. As comdias, dramas e stiras retravam, principalmente, o comportamento e os conflitos do ser humano.squiloeSfoclesforam os dois mais importantes escritores de peas de teatro da Grcia Antiga.

RELIGIOOs gregos eram politesta - os deuses tinham o poder de agir no mundo material dos humanos.Os deuses gregos eram imortais, porm podiam apresentavam vrias caractersticas comportamentais e fsicas dos seres humanos. Faziam coisas boas e ruins, certas e erradas, ajudavam ou atrapalhavam a vida das pessoas. De acordo com a crena grega, estes deuses habitavam o monte Olimpo e possuam poderes particulares. Afrodite, por exemplo, era a deusa do amor; Demter era a deusa das colheitas; Atena a deusa das artes e Zeus o deus dos deuses (deus superior). Alm destes principais, havia muitos outros deuses na religio grega.Cada cidade possua uma espcie de deus protetor. Este deus tinha um templo e era cultuado tambm dentro das casas. Os gregos pediam aos deuses proteo, bens materiais e sucesso nas atividades da vida. Para agradar estes deuses, costumavam fazer oferendas, orar e sacrificar animais. Eram comum as festas realizadas nos templos em homenagem ao deus protetor da cidade.

MACEDNIAOs macednicos, durante o reinado de Felipe, conquistaram a Grcia em 338 a.C. com a batalha de Queronia. O sucessor de Felipe, seu filho Alexandre Magno, assumiu o trono aps a conquista da Grcia, e proporcionou a expanso do imprio para o Oriente Mdio. Em 333 a.C., Alexandre destruiu o exrcito persa liderado pelo rei Dario III, na batalha de Issos. Em 334 a.C chegou Fencia onde conquistou a cidade de Tiro, logo depois seguiu para o Egito onde foi acolhido como o filho de deus pelos sacerdotes do templo de Amon-R. Em 331 a.C Alexandre assumiu o trono de rei dos persas aps executar uma invaso no Reino Persa. O Imprio Macednico funda o mais vasto dos imprios da humanidade com a conquista da Palestina e da ndia. Em 323 a.C Alexandre Magno morre aos 33 anos na Babilnia.