gravidez na adolescência, dst´s e métodos contraceptivos

Download Gravidez na adolescência, DST´S  e Métodos Contraceptivos

Post on 11-Aug-2015

70 views

Category:

Education

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  1. 1. Cincias da Natureza e suas Tecnologias Ensino Mdio, 3Srie. Gravidez na Adolescncia, DSTS e Mtodos Contraceptivos BIOLOGIA 2015 DWEISON NUNES E-mail: dnss.nunes@Hotmail.com
  2. 2. Gravidez na Adolescncia
  3. 3. Gravidez na adolescncia oComo o prprio termo j define, consiste em uma gravidez precoce em perodo de adolescncia. oApesar de que a Organizao Mundial de Sade considere a adolescncia como o perodo de dez a vinte anos na vida de um indivduo oCada pas especifica a idade em que seus cidados passam a ser considerados adultos (a chamada maioridade legal) ainda podendo ser influenciado localmente por fatores culturais. oPerodo dos 12 aos 20 anos CHEIDA, Luiz Eduardo. Biologia integrada: Volume nico. So Paulo: FTD, 2010. Cincias da Natureza e suas Tecnologias Ensino Mdio, 3Srie
  4. 4. Adolescncia A adolescncia caracteriza-se por ser um perodo de descoberta do mundo, dos grupos de amigos, de uma vida social mais ampla. A adolescncia tambm uma fase em que a personalidade da jovem est se formando e, por isso instvel. Hoje, os meninos e meninas entram na adolescncia cada vez mais cedo. Assim, a gravidez pode vir a interromper, na adolescente, esse processo de desenvolvimento prprio da idade, fazendo-a assumir responsabilidades e papis de adulta antes da hora. O prejuzo duplo: nem adolescente plena, nem adulta inteiramente capaz. CHEIDA, Luiz Eduardo. Biologia integrada: Volume nico. So Paulo: FTD, 2010. Cincias da Natureza e suas Tecnologias Ensino Mdio, 3Srie
  5. 5. Gravidez na Adolescncia O namorado, que antes era o tal prncipe encantado , fica assustado com o excesso de responsabilidade e toma atitudes como negar a paternidade e at sugerir o aborto. A Gravidez precoce pode ser um grande complicador para a vida das adolescentes, gerando problemas como: Nas mes: desnutrio, anemia, hipertenso especifica da gravidez, trabalho de parto prematuro, infeces, etc. Nos bebs: baixo peso, prematuridade, risco de mortalidade maior que dos filhos de mes mais velhas; CHEIDA, Luiz Eduardo. Biologia integrada: Volume nico. So Paulo: FTD, 2010. Cincias da Natureza e suas Tecnologias Ensino Mdio, 3Srie
  6. 6. Dados a serem analisados algumas causas para a ocorrncia da gravidez precoce : O Pensamento mgico de que nada acontece com elas, mas apenas com os outros . A Influncias das amigas e da mdia. O MEDO de encarar a prpria sexualidade, o que leva a no se prevenir, deixando por conta do acaso a primeira relao sexual . O desconhecimento do uso de mtodos contraceptivos. A falta de conhecimento do prprio corpo, o que pode explicar , em parte, a no-utilizao ou a utilizao incorreta dos mtodos contraceptivos. A falta de orientao mdica para a escolha do melhor mtodo contraceptivo. O constrangimento em assumir o relacionamento sexual diante da famlia e amigos . Cincias da Natureza e suas Tecnologias Ensino Mdio, 3Srie
  7. 7. ...Outras causas para a ocorrncia da gravidez precoce : A vergonha de pedir ao namorado que use a camisinha durante a relao sexual . A falta de condio financeira para comprar a camisinha ou plula Desejo de testar a fertilidade (medo de ser infrtil). Mitos em relao aos mtodos e sexualidade . Observao: A Orientao do ginecologista na escolha do mtodo imprescindvel, pois ajuda a adolescente a entender melhor o mtodo escolhido, esclarecer as dvidas e saber a quem recorrer em caso de novas questes . A melhor soluo para evitar uma gravidez no planejada continua sendo a preveno . CHEIDA, Luiz Eduardo. Biologia integrada: Volume nico. So Paulo: FTD, 2010. Cincias da Natureza e suas Tecnologias Ensino Mdio, 3Srie
  8. 8. Cincias da Natureza e suas Tecnologias Ensino Mdio, 3Srie IBGE, Censo 2009. Disponvel em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2009/tabelas_pdf/t otal_populacao_pernambuco.pdf. Retirado em 04/10/2011. Grficos
  9. 9. Cincias da Natureza e suas Tecnologias Ensino Mdio, 3Srie
  10. 10. DSTSDSTS DOENAS SEXUALMEMTE TRANSMISSVEIS; So doenas transmitidas por meio de relao sexual; Seja de homem com mulher, homem com homem ou mulher com mulher; Sem o uso de camisinha com uma pessoa que esteja infectada; Geralmente se manifestam por meio de feridas, corrimentos, bolhas ou verrugas, nos rgos genitais podendo surgir tambm em outras partes do corpo. Disponvel em: http://www.google.com.br/pdf. Retirado em 05/09/2011. Cincias da Natureza e suas Tecnologias Ensino Mdio, 3Srie
  11. 11. OS PRINCIPAIS SINTOMAS DE DSTS:OS PRINCIPAIS SINTOMAS DE DSTS: Corrimentos abundantes amarelados ou esverdeados na vagina ou pnis Mau-cheiro no rgos genitais Coceiras ou vermelhido constantes na virilha, vagina, saco ou pnis Feridas na vagina, saco, pnis ou nus verrugas na vagina, pnis, boca, saco ou nus bolhas (vermelhido) na virilha, vagina, saco ou pnis ardor ao urinar Dor durante as relaes sexuais Disponvel em: http://www.google.com.br/pdf. Retirado em 05/09/2011. Cincias da Natureza e suas Tecnologias Ensino Mdio, 3Srie
  12. 12. HISTRICOHISTRICO As doenas sexualmente transmissveis, at pouco tempo eram conhecidas como doenas venreas. Venreas por causa de uma referncia a deusa grega Vnus. A deusa do amor. As DSTs no escolhem idade, classe social, raa e condio financeira para contaminar.Qualquer um pode se tornar uma vtima. Disponvel em: http://www.google.com.br/pdf. Retirado em 05/09/2011. Cincias da Natureza e suas Tecnologias Ensino Mdio, 3Srie
  13. 13. POSSVEIS CAUSAS DO AUMENTO DE CASOS DAS DSTsPOSSVEIS CAUSAS DO AUMENTO DE CASOS DAS DSTs INCIO DA VIDA SEXUAL PREMATURA; AUMENTO DO NUMERO DE PARCEROS(AS) SEXUAIS; DIFICULDADE EM USAR PRESERVATIVOS; FALTA DE INFORMAO QUANTO A PRENVENO; VERGONHA E MEDO DE PROCURAR ORIENTAO MDICA... Cincias da Natureza e suas Tecnologias Ensino Mdio, 3Srie
  14. 14. DSTs MAIS COMUNSDSTs MAIS COMUNS Gonorria; Sfilis ou Lues; Cancro Mole ou Bubo; Tricomonase; Herpes Genital; Condiloma acuminado ou crista de galo; Cndidase ou Flores Brancas; AIDS; Clamdia. Cincias da Natureza e suas Tecnologias Ensino Mdio, 3Srie
  15. 15. GONORRIA SFILIS OU LUESGONORRIA SFILIS OU LUES uma infeco causada por uma bactria denominada neisseria gonorrhoeae; uma infeco s da uretra; Com dor e ardncia ao urinar; E com vrios tipos de corrimento amarelados. Sinnimos: Cancro duro, cancro sifiltico, Lues; Agente:Treponema pallidum; Complicaes/Consequncias Aborto espontneo, natimorto, parto prematuro, baixo peso, endometrite ps-parto. Infeces Peri e neonatal. Sfilis Congnita. Neurossfilis. Sfilis Cardiovascular. Transmisso Relao sexual (vaginal anal e oral), transfuso de sangue contaminado, transplacentria (a partir do quarto ms de gestao). Cincias da Natureza e suas Tecnologias Ensino Mdio, 3Srie
  16. 16. CANCRO MOLE TRICOMONASECANCRO MOLE TRICOMONASE Sinnimo: Bubo e cavalo; causada pela bactria Hemophilus Ducreyi; Afeta homens e mulheres; Caracteriza-se por feridas tipo lcera, semelhante a sfilis, diferenciando-se desta por apresentar geralmente leses mltiplas (pode ser nica), por serem dolorosas, de borda irregular com contornos avermelhados. uma infeco dos genitais, causada pelo Trichomonas vaginalis. Pode no apresentar sintomas algum ou aparecer na mulher:como um corrimento amarelo abundante com mau cheiro, coceira na regio vaginal, dor abdominal e ardncia ao urinar. O homem raramente apresenta ardncia ao urinar ou um pouco de secreo amarela saindo pelo pnis. Sintomas: quando presentes costumam aparecer em torno de 10 dias aps a relao. Cincias da Natureza e suas Tecnologias Ensino Mdio, 3Srie
  17. 17. Condiloma Acuminado Herpes GenitalCondiloma Acuminado Herpes Genital Sinnimo: "crista de galo; Causada: Por um vrus (HPV - Human Papilloma Virus); Caracterizada : Pelo crescimento de uma leso tipo verruga (couve-flor) na regio de contato (pnis, vagina ou anus). A presena do vrus pode ser assintomtica: Principalmente na mulher ou a leso inicial pode ser pequena e passar despercebida a ambos os sexos. Causado por: Um vrus chamado de "virus herpes simplex", tipo 2. O primeiro sintoma: o aparecimento de minsculas bolhas agrupadas (vesculas) ; Causa: Dor e ardncia no local de inoculao (contato). Com o passar dos dias estas vesculas vo se rompendo e liberando pequena quantidade de lquido os quais formaro crostas ao secarem. Cincias da Natureza e suas Tecnologias Ensino Mdio, 3Srie
  18. 18. AIDSAIDS (SNDROME DA IMONODEFICINCIA ADQUIRIDA); uma manifestao clnica avanada de infeco pelo HIV (vrus da imunodeficincia humana) ; Um retrovrus que ataca o sistema imunolgico do ser humano. Cincias da Natureza e suas Tecnologias Ensino Mdio, 3Srie
  19. 19. A Diferena entre estar infectado pelo HIV e ter SIDAA Diferena entre estar infectado pelo HIV e ter SIDA (AIDS)(AIDS) Devemos ressaltar que ser portador do vrus HIV no significa estar com AIDS (doente). Ns somos constantemente atacados por bactrias e vrus, porm temos um sistema de clulas e barreiras de defesa. Estas clulas so chamadas de leuccitos (clulas brancas ou glbulos brancos) que atuam eliminando todo organismo estranho que circule por nosso corpo. O vrus HIV reduz a resistncia do nosso organismo exatamente por se instalarem dentro dos glbulos brancos tornando-os ineficientes e deixando-nos expostos a infeces por vrus e bactrias oportunistas. "doente" com AIDS significa ser portador do vrus e ter infeces oportunistas como pneumonias, infeces intestinais, etc. que podem por fim levar a morte. Disponvel em: http://www.google.com.br/pdf. Retirado em 05/09/2011. Cincias da Natureza e suas Tecnologias Ensino Mdio, 3Srie
  20. 20. OBSERVAES:OBSERVAES: TRATAMENTO?!TRATAMENTO?! AIDS: Infelizmente a medicina ainda no encontrou a cura para a AIDS. Hoje so medicamentos que fazem o controle do vrus. Estes medicamentos melhoram a qualidade de vida do paciente, aumentando a sobrevida. DSTS: Apenas o mdico (ginecologista, clnico geral ou urologista) te