gramática | diogo arrais .É proibido reproduzir ou comercializar 4 gramática | diogo arrais como

Download Gramática | Diogo Arrais .É proibido reproduzir ou comercializar 4 Gramática | Diogo Arrais como

Post on 09-Dec-2018

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

proibido reproduzir ou comercializar 3 www.estudioaulas.com.br

Gramtica | Diogo Arrais

1. Considerando-se que a mesclise desaconselhvel em expedientes oficiais, prefervel iniciar perodo com a construo Lhe enviaremos mais informaes oportunamente a inici-lo com a construo Enviar-lhe-emos mais informaes oportunamente.

2. Em vm-se (L.1), a substituio do hfen por espao provoca erro gramatical, por deixar o pronome tono sem apoio sinttico.

A preocupao pertinente porque em todo o mundo graves problemas vm-se instalando e demandando dos governos novos mecanismos de avaliao para a incorporao tecnolgica na assistncia mdico-hospitalar de alta complexidade e de alto custo em geral.

3. No trecho divulg-la-ei como a maior riqueza (L.1), a colocao do pronome antes da forma verbal ou depois dela so opes que manteriam a correo gramatical do trecho.

Quando a minha doutrina estiver completa, divulg-la-ei como a maior riqueza que os homens jamais podero receber de um homem.

4. Preservam-se a correo gramatical e a coerncia textual ao se deslocar o pronome tono, em se deixam (L.1), para depois do verbo, escrevendo: deixam-se.

. As ruas no se deixam modelar pela sinuosidade e pelas asperezas do solo: impem-lhes antes o acento voluntrio da linha reta.

5. A dupla possibilidade de complementos para o verbo enganar, com pronome reflexivo ou no, mantm o texto correto e coerente se o pronome for retirado de Engana-se (L.1).

Engana-se, no entanto, quem acredita que os truques simblicos da publicidade funcionam apenas para o consumo.

6. Em relao ao texto acima, assinale certa ou errada. Em se torne (L.2), o pronome se indica sujeito indeterminado.

O currculo no mais um fim em si, mas um meio bem estruturado para que o indivduo, na relao entre teoria e prtica, se torne capaz de incorporar determinadas habilidades.7. Considerando o uso das estruturas lingusticas

no texto, assinale certa ou errada. Na linha 2, a ideia de reflexividade do verbo denominar est

Gramtica | Diogo Arrais

expressa por meio do uso do pronome em se deve.

Toda a questo do conhecimento, como desejo de penetrar os fenmenos e dizer sua lgica, organizao e seu funcionamento, pode ser pensada a partir do que se deve denominar uma filosofia de superfcie: aquela que se dedica a tratar crtica e analiticamente o mundo das superfcies.

8. Na linha 1, as duas ocorrncias do pronome se, em se escreveu e se sentiu, respectivamente, marcam aes reflexivas e referem-se ao mesmo conjunto de pessoas: os jovens brasileiros.

Nunca se escreveu tanto no Brasil; a juventude nunca se sentiu to motivada a escrever. A cultura refinada nunca foi para muita gente.

9. Considerando-se que, pela argumentao do texto, possvel tomar o sujeito da enunciao (L.1) como o referente do pronome se em Usa-se, por exemplo, a terceira pessoa (L.4), simplifica-se o texto, preservando-se sua correo gramatical, caso seja omitido o pronome:Usa, por exemplo, a terceira pessoa.

O enunciado sempre construdo com base no ponto de vista do sujeito da enunciao. No a realidade que se apresenta ao pblico, mas a construo lingustica que se faz a partir dela. A objetividade, portanto, no existe, apenas seu efeito, que criado por meio de mecanismos lingusticos que do outros ecos e valores significativos mensagem. Usa-se, por exemplo, a terceira pessoa para narrar e ndices de referencialidade, ou seja, elementos que remetem ao real.

10. Marque certo ou errado a respeito das relaes gramaticais usadas na organizao do texto. Na linha 3, por j ocorrer pronome tono no verbo aperfeioar-se, o desenvolvimento do texto admite, como coerente e gramaticalmente correto, deix-lo subentendido em identificar-se, que, nesse caso, se reescrever apenas como identificar.

Esse quadro muda quando se desenvolve uma

produo para a troca, em que cada um passa a produzir aquilo a que est mais capacitado. J encontramos a um forte motivo para a experincia da subjetividade privatizada: cada um deve ser capaz de identificar a sua especialidade, aperfeioar-se nela, identificar-se com ela.

11. Preservam-se a coerncia da argumentao bem

proibido reproduzir ou comercializar 4 www.estudioaulas.com.br

Gramtica | Diogo Arrais

como a correo gramatical do texto ao se inserir a preposio de imediatamente antes de que em A verdade que a culpa acabar (L.2).

A verdade que a culpa acabar genericamente atribuda tecnologia.

12. Com relao s estruturas lingusticas e pontuao do texto, marque certo ou errado. Para completar o sentido da palavra dvidas (L.1), usa-se geralmente a expresso no sentido em que.

Promulgada em setembro de 2008, a nova Lei do Estgio ainda provoca dvidas entre empresrios e estudantes.

13. Marque certo ou errado a respeito das relaes gramaticais usadas na organizao do texto. Alteram-se as relaes semnticas entre os termos da orao e desrespeitam-se as regras gramaticais de regncia ao se inserir a preposio de antes de que cada um (L.1-2), escrevendo-se e de que cada um.

O mercado cria inevitavelmente a idia de que o lucro de um pode ser o prejuzo do outro e que cada um deve defender os prprios interesses..

14. A retirada do sinal indicativo de crase em no que concerne complexidade (L.1) altera as relaes de sentido entre os termos, mas preserva sua correo gramatical.

Pode-se dizer, no que concerne complexidade, que h um plo emprico e um plo lgico e que a complexidade aparece quando h simultaneamente dificuldades empricas e dificuldades lgicas.

15. Quanto aos aspectos gramaticais do texto, marque certo ou errado. Nas linhas 2 e 3, o emprego do sinal indicativo de crase em falncia e s vezes justifica-se pela regncia verbal.

Tivera uma peleteria numa cidade onde fazia um calor dos infernos quase o ano inteiro. Claro que foi falncia, mas suas freguesas nunca foram to bonitas, embora to poucas. (...). s vezes, eles discutiam na hora do jantar; na verdade, minha me brigava com ele, que ficava calado; se ela no parava de brigar, ele se levantava da mesa e saa para a rua.

16. O nome Jean Ziegler (L.2) est entre vrgulas por constituir um vocativo.

Mais preocupante, no entanto, a situao criada

pelo relator da ONU para o direito alimentao, Jean Ziegler, que classificou os biocombustveis como um crime contra a humanidade,...

17. O nome Jean Ziegler (L.2) est entre vrgulas por constituir um vocativo.

Mais preocupante, no entanto, a situao criada pelo relator da ONU para o direito alimentao, Jean Ziegler, que classificou os biocombustveis como um crime contra a humanidade,...

18. Com base no texto, marque certo ou errado. O trecho herdeiro e defensor das postulaes do Iluminismo (L.1) exerce, na orao, a funo sinttica de vocativo.

Marx, herdeiro e defensor das postulaes do Iluminismo, indagou se as relaes de produo e as foras produtivas do capitalismo permitiriam, de fato, a realizao da Liberdade, da Igualdade e da Fraternidade.

19. Com referncia s estruturas lingsticas do texto, marque certo ou errado. Nos trechos cinco fatores esto atuando, em escala mundial, nessa crise (L.1), e a crise norte-americana (L.4) e o diretor-geral do FMI rompeu o silncio constrangedor... (linha 16), os termos sublinhados qualificam os nomes aos quais se referem.

Em geral, cinco fatores esto atuando, em escala mundial, nessa crise: o aumento da produo subsidiada de biocombustveis; o incremento dos custos com a alta do petrleo, que chega a US$ 114 o barril, e dos fertilizantes; o aumento do consumo em pases como China, ndia e Brasil; a seca e a quebra de safras em vrios pases; e a crise norte-americana, que levou investidores a apostar no aumento dos preos de alimentos em fundos de hedge.

Foi de olho nessa situao que o diretor-geral do FMI rompeu o silncio constrangedor que pairava sobre os escritrios de Washington.

SCRN 708/709 Bloco B lote 09, Entrada 30, Sobreloja, Asa Norte(61) 3033 8475 | 3447 3633

www.estudioaulas.com.br

Taguatinga: (61) 3024-3060QSA 25. Pisto Sul. Taguatinga. Ao lado do Posto ALE

Ceilndia: (61) 2194-8032QNN 02. Lote 04. Ceilndia Sul. Ao lado do Subway

Asa Norte: (61) 4103-2526SCRN 708/709 Bloco B Entrada 30. 1 e 2 Andar. Asa Norte

guas Claras: (61) 3597-8003Avenida Pau Brasil, Lote 06, Loja 09, Edifcio E Business

Guar: (61) 3381-0204QE 04. Conj. E Lote 174 Guar 01 DIB (Entrada do Colgio JK entre a QE 04 e QI 08)

www.espacocampus.com.br