Grafite e Pichação: os dois lados que atuam no meio urbano

Download Grafite e Pichação: os dois lados que atuam no meio urbano

Post on 01-Sep-2014

474 views

Category:

Education

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Dissertao UNB - comunicao social - Referencia acadmica e Bibliografias

TRANSCRIPT

<ul><li> Universidade de Braslia UnB Faculdade de Comunicao Social - FAC Departamento de Publicidade e Propaganda Curso de Comunicao Social Grafite e Pichao: os dois lados que atuam no meio urbano. Aluna: Joana Gonalves Vieira Lopes Orientadora: Susana Dobal Braslia, DF Junho, 1/2011 </li> <li> Sumrio 1. Resumo. . . . . . . . . . 1 2. Agradecimentos . . . . . . . . 2 3. Introduo . . . . . . . . . 3 4. Justificativa . . . . . . . . . 8 5. Objetivos . . . . . . . . . 9 6. Pichao . . . . . . . . . 9 . . . . . . . . 10 8. Grafite no sculo XX . . . . . . . 14 9. Grafite no Brasil . . . . . . . . 16 10. Grafite em Braslia . . . . . . . . 19 11. Atualidades sobre o grafite . . . . . . . 21 12. Produto . . . . . . . . . 22 13. Concluso . . . . . . . . . 34 14. Bibliografia . . . . . . . . . 36 7. Tipos de grafite </li> <li> Resumo O grafite, apesar de ser considerado por muitos um tipo de arte moderna, uma arte urbana com novas tendncias e forma de expresso contempornea, ainda encontra dificuldade de aceitao, pois, alem de ser uma evoluo da pichao, foi amplamente utilizada como propaganda contra o governo durante as ditaduras. Tambm por ser um meio de expresso mais novo e rebelde, os jovens, principalmente das periferias, encontram-se maravilhados e envolvidos por esse meio artstico, no qual encontram uma forma de expressar seu sentimento de opresso e de se mostrar ao mundo. O prprio governo nos dias de hoje refora o uso do grafite e o reconhece como arte, faz ainda uso dele na criao de programas de insero social e capacitao de jovens e adultos, desta forma, diminuindo a criminalidade. O grafite uma forma de arte, que no se encontra em museus, mas, muito pelo contrrio, faz das paisagens urbanas a sua galeria de exposio e nos mantm em contato com ela no nosso dia-a-dia. Braslia, por ser uma cidade nova e por ser a capital do pas, encontra dificuldade de aceitao dos grafites. Isso, no entanto comea a mudar; alm da cidade conviver com programas do governo que apoiam essa forma de expresso, so tambm vistos alguns indcios do uso do grafite como decorao e propaganda utilizada por comerciantes. Palavras-chave: arte urbana, arte moderna, grafite, hip-hop Abstract Although graffiti is considered by many as a kind of modern art, an urban art with new trends and a contemporary way of expression, it still faces difficulty to be accepted by society, because, also for being an evolution on spray painting, it was used as antigovernment propaganda during dictatorships, it still finds barriers to its acceptance. Also, because is a newer and rebel cultural activity, youngsters, mainly from metropoliss suburbs, find themselves wondered and involved by this artistic trend through which they find a way to express their feelings of oppression and show it to the world. The government itself, nowadays, makes use of this new type of art on the creation of social programs for social inclusion and even recognizes it as art. They have been developing programs that even help to reduce crime and violence on suburbs. Graffiti is a type of art that is not found in museums but, on the contrary, uses urban landscapes as their exposure galleries and keeps us in touch with this art on our every day routine. Because Brasilia is a young city and also the capital of the country, it still finds problems on accepting graffiti. Although, this is starting to change, the city has government programs that support this kind of expression, besides, there are also evidences of the use of graffiti as decoration and propaganda used by merchants. Keywords: urban art, modern art, graffiti, hip-hop 1 </li> <li> Agradecimentos. Inicialmente, agradeo a Deus, aos meus pais e irmos por acreditarem em mim, apoiaram-me e me darem foras. Apesar da distncia, vocs fazem parte do meu corao e de tudo na minha vida! minha orientadora Susana Dobal pelo apoio e dedicao sem a qual no teria conseguido realizar este projeto. Plcida Lopes e Aina Correia, grandes amigas que me ajudaram quando mais precisei. Um agradecimento especial aos amigos Rafael Ramirez Rivera e Ngombo Paulina Daniel. Aos grandes mestres da pintura e aos grandes artistas urbanos influenciados por eles que nos permitiram admirar suas obras pblicas modernas. E finalmente, agradeo a todos aqueles que me ajudaram direta ou indiretamente para o desenvolvimento e concluso deste projeto, ningum menos ou mais importante. Muito obrigada a todos vocs! 2 </li> <li> 1. Introduo " curioso que no mundo a coragem fsica seja to comum e a coragem moral to rara." Mark Twain. O espao utilizado pelos grafiteiros para a exposio de obras so as ruas e os seus muros. Este trabalho pretende destacar sua riqueza como forma de expresso artstica e cultural atravs de um ensaio fotogrfico. O local escolhido para a exposio fotogrfica foi a Faculdade de Comunicao da Universidade de Braslia. Mas, para que haja, necessria a compreenso da sua origem e o contexto social e moral que os grafites tratam. Na sociedade moderna, comum dar valor a homens que tenham coragem de realizar tarefas de risco de forma excepcional ou de risco por um bem maior. Porm, os objetivos dos artistas do grafite so, na maioria, de ordem social e de reflexo. Os artistas buscam, por meio das suas obras, realizarem mudanas no mundo da ordem moral, no entanto, estes artistas possuem pouco reconhecimento ou so, ainda, confundidos com pichadores e vndalos. O grafite sempre foi motivo de admirao e de curiosidade pois, muitas vezes, mostram figuras, frases ou personagens que causam alguma sensao ou de desconforto ou de reflexo e simpatia. Por esse motivo o grafite pode ser considerado um meio de expresso pois, de uma forma ou de outra, ele nos conta uma histria, seja de acontecimentos ou de sentimentos e pensamentos. Desde o aparecimento do homem na Terra, e durante a sua evoluo at os dias atuais, tem sido de grande necessidade documentar fatos histricos, emoes, pensamentos, desejos e sentimentos fazendo-se o uso de todo tipo de linguagens pertencentes poca. Dentre todas as linguagens existentes, o desenho e a simbologia so as mais antigas e mais utilizadas de todas, inclusive nos dias de hoje. Nas civilizaes mais antigas, como a dos egpcios, ocorria a narrao de fatos em hierglifos nas paredes dos tmulos dos faras. Apesar de predominar a funo decorativa e a aplicao de tcnicas requintadas, ainda pode-se distinguir e perceber relatos e mensagens que tinham como finalidade retratar os objetivos, os feitos e os cultos aos grandes lderes (Gitahy, 1999). Atualmente pode-se dizer que qualquer obra, tenha ela sido criada com o objetivo de decorar ou de comunicar, considera-se como uma manifestao cultural, incluindo-se, tambm, a pintura rupestre. As manifestaes culturais tambm fazem parte, na sua grande maioria, do conceito de arte. O desenho e suas variaes como pinturas, rabiscos, gravuras e 3 </li> <li> at mesmo esculturas so vistas como arte e, consequentemente, possuem um ponto de vista, uma moral, um sentimento, uma forma de expresso ou uma forma de comunicao. As gangues tambm utilizam uma forma de inscrio para demarcar territrio, com seus cdigos e smbolos caractersticos. Paralelamente ao surgimento do grafite, na dcada de 60, surgem tambm as pichaes que vo desde a manifestao poltica, passando pela competio entre aqueles que conseguem atingir os locais de acesso mais difcil (como o alto de edifcios) at o simples ato de vandalismo em prdios pblicos e monumentos. Nessas atividades transgressivas, o uso do spray torna a tcnica fcil e rpida, muito adequada para facilitar a fuga dos flagrantes da vigilncia e da polcia (Lazzarin, 2007). Com o crescimento urbano e a falta de competncia dos rgos pblicos e dos governantes, comeam a aparecer os problemas da grande densidade populacional: a falta de emprego, de infraestrutura, de transporte, de servios de sade e de segurana e, consequentemente a opresso das classes menos favorecidas. Todos estes fatores levam ao aumento da criminalidade, criao do pensamento em que o fim justifica os meios; o fim a busca do sucesso e do poder. Aparecem aqui dois grupos: os pichadores e os grafiteiros. No grupo dos pichadores prevalece um nvel de confrontao violenta e provocao da autoridade, sem qualquer pretenso artstica e insere-se em uma espcie de jogo, com dois desafios a serem vencidos, um interno e outro externo ao grupo dos pichadores que deixar sua marca no lugar de mais difcil acesso seja pela topografia, seja pela vigilncia ou proibio de acesso e no ser pego pela polcia ou vigilncia. Quem vence esses desafios respeitado e legitimado como participante do grupo. J no grupo dos grafiteiros prevalece o lado artstico, do humor, das mensagens e da moral, almeja visibilidade e reconhecimento como artista pela sociedade. Apesar de possurem esta diferenciao existe um ponto comum que permanece entre pichao e grafite: a assinatura pessoal tambm chamada de tag. Essa a marca registrada, o sinal de autoria da obra, e todo grafiteiro ou pichador tem o seu (Lazzarin, 2007). 4 </li> <li> Fig1. Tag em um mural de grafite Ceilndia Fig2. Tag em mural de grafite na Ceilndia Fig. 3. Tag em mural em Samambaia Vale ressaltar que o grafite uma forma de pichao, mas difere, em muito do significado mais moderno de pichao. Grafite tem origem no termo italiano graffito, que deriva do latim graphium. Inicialmente, designou um estilete utilizado para escrever sobre placas de cera. Posteriormente, a forma plural, graffiti, nomeou as inscries gravadas na pr-histria e na antiga Roma. Em 1965, a palavra graffiti foi utilizada para definir 5 </li> <li> as pichaes com spray e, nos anos 70, para indicar as modernas pinturas feitas com a mesma tinta. O termo pichao remete s inscries realizadas com piche em muros na antiga Roma. Adquiriu arbitrariamente uma conotao pejorativa, quando se tornou uma prtica de protesto social nos bairros perifricos de Nova Iorque, na dcada de 1960, e, mais tarde, quando foi utilizado por torcidas organizadas em prticas ilegais ou por grupos de controle do narcotrfico, mais especificamente nos bairros do Bronx e Harlem (Schultz, 2010). Apesar de existir uma distncia fsica e temporal entre a antiga civilizao Romana e as grandes metrpoles contemporneas, percebe-se a influncia que estas exerceram sobre as sociedades modernas. Este tipo de manifestao cultural evoluiu e, com o passar de tempo, inspirou artistas nas prticas de pinturas e gravuras. Ele ressurgiu no sculo XX como uma forma de se expressar de maneira rpida, graas criao de tinta em spray, e tambm utilizada como forma de marcao. As linhas, cores, figuras e formatos do grafite sempre so incentivados por temas referentes sociedade moderna, por isso, ele pode ser classificado como linguagem social e, na maioria dos casos, uma arte. Em geral, estes murais questionam a falta de srias lideranas ticas no pas e no mundo, os problemas enfrentados pela sociedade como um todo ou por grupos excludos da sociedade, a opresso causada pela diferena de classes, a violncia, a ironia de acontecimentos polticos e suas consequncias, muitas vezes, vistos com muito humor e descontrao. (Gitahy, 1999). Fig. 4. Mural na Quadra de esportes da Praa do Cidado na Ceilndia. 6 </li> <li> O grafite teve uma significativa expanso entre as artes de rua nas ltimas duas dcadas, convidando os transeuntes a um momento de reflexo, fruio esttica e s vezes at a participarem de suas obras. Expandiu-se por muros e paredes do mundo, invadiu museus e galerias sofisticadas da capital paulista e de vrias cidades europias, transformou-se num grande museu a cu aberto, com a vantagem de se renovar espontaneamente, ao sabor da criatividade individual e coletiva de um nmero considervel de criadores (Santos, 2008). Fig. 5. Mural retratando diversas obras de vrios artistas na Praa do Cidado, em Ceilndia O projeto da SSP (Secretaria de Segurana Pblica), em parceria com o Banco de Braslia Picasso no Pichava tem como objetivo retirar jovens envolvidos em atividades criminais e violentas e, atravs de oficinas e palestras, incentivar o desenvolvimento de habilidades para arte e esporte, como jud, basquete, msica, artes plsticas e informtica alm de promover a cidadania e a importncia de se preservar a cidade. Dentre as palestras oferecidas encontram-se os temas pichao, cidadania e drogas. As palestras tm como foco incentivar os jovens a se manterem longe das drogas, conservar a cidade limpa e livre de pichaes e buscar meios de revitalizar e valorizar a cidade. Os palestrantes e professores das oficinas so pessoas que, assim como os freqentadores, procuraram uma forma de se afastar do mundo do crime e das drogas e aperfeioar suas habilidades na expectativa de encontrar outras maneiras de se expressar sem danificar o espao pblico. Como todo texto, o grafite portador de significao, que, nesse caso, dada pela visualidade em que so conjugados recursos da linguagem dos desenhos, 7 </li> <li> do verbal escrito, da pintura, que, juntos concretizam e incorporam uma identidade de grupo ou de uma cidade ou comunidade, em produes que trazem o cotidiano e os elementos identitrios de seus enunciadores, explorando experincias de mundo e de enfrentamento da realidade que se do nas ruas, aos olhos de todos os que nelas circulam. Zuin, 2004. Revista Internacional de Folkomunicao, Pg. 2. 2. Justificativa O grafite chama a ateno no somente pelo uso de cores, linhas e formas chamativas, mas, tambm, pela localizao e os temas muitas vezes abordados nestas obras, alm de acabar criando um contraste colorido no meio urbano cinzento. Apesar de o grafite ser considerado por algumas pessoas como arte, ainda h um preconceito com relao sua execuo. Por muito tempo o grafite e a pichao foram vistos como uma forma de vandalismo e rebeldia contra a moral e a lei estabelecida pelos dirigentes do Estado. Atualmente esta viso tem mudado, mas ainda h esse preconceito. necessrio que se entenda que o grafite no vandalismo, , na verdade, uma forma de arte e de expresso e, quando incentivada e aplicada da forma correta, ajuda a construir a cidadania individual e coletiva chegando, inclusive, diminuio da criminalidade, a insero de jovens no mercado de trabalho e reala os valores sociais e familiares. Para entender-se a diferena entre pichao e grafite necessrio falar das principais diferenas, suas origens e sua evoluo. Em Braslia esta forma de expresso en...</li></ul>