governanÇa territorial e participaÇÃo social: ?· governanÇa territorial e participaÇÃo...

Download GOVERNANÇA TERRITORIAL E PARTICIPAÇÃO SOCIAL: ?· governanÇa territorial e participaÇÃo social:…

Post on 28-Jan-2019

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

GOVERNANA TERRITORIAL E PARTICIPAO SOCIAL: ANLISE DO COLEGIADO DE DESENVOLVIMENTO

TERRITORIAL DO BAIXO AMAZONAS PAR

Lays Diniz dos Santos Daniela Cardoso de Sousa

Izaura Cristina Nunes Pereira Elen Cristina da Silva Pessa

2

Painel 21/002 Experincias de Governana Democrtica

GOVERNANA TERRITORIAL E PARTICIPAO SOCIAL: ANLISE DO COLEGIADO DE DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL DO BAIXO AMAZONAS

PAR

Isidro-Filho

Lays Diniz dos Santos Daniela Cardoso de Sousa

Izaura Cristina Nunes Pereira Elen Cristina da Silva Pessa

RESUMO

Com o advento do processo de descentralizao poltico administrativo observado nas

ltimas dcadas, a discusso sobre as novas formas de gesto tem ganhado

evidncia, principalmente as governanas baseadas na gesto social. Assim, este

trabalho analisa o Colegiado de Desenvolvimento Territorial do Baixo Amazonas-

Par, almejando verificar o exerccio de sua gesto participativa, a qual lhe configura

a caracterstica de governana territorial democrtica, bem como avaliar a

participao dos atores envolvidos nesse processo. Para isso, realizou-se pesquisa e

reviso bibliogrfica sobre as categorias de governana e gesto social/participativa,

sendo todas abordadas nesse em relao a atuao do Colegiado, alm de pesquisa

documental junto ao mesmo e entidades governamentais. No Territrio do Baixo

Amazonas, o colegiado articula aes de modo coletivo, demandam e avaliam

polticas pensadas de acordo com suas especificidades, visando o desenvolvimento

sustentvel e mitigao das disparidades existentes. Com base na anlise dos dados,

vislumbra-se uma grande participao da sociedade civil organizada, representadas

por associaes, cooperativas, sindicatos, dentre outras. A participao do poder

pblico nas plenrias, ainda se faz relativamente baixa quando relacionada a

quantidade de municpios que compem o territrio.

3

1. INTRODUO

O Brasil, por um longo perodo, foi um pas marcado por processos

centralizadores de poder, o que pode se evidenciar atravs da anlise de seu percurso

histrico, no qual se implementou golpes militares, governos ditatoriais, entre outras

disposies em detrimento do bem-estar social. Entretanto, nas ltimas dcadas tem

se observado uma mudana significativa nesse cenrio, com o fortalecimento da

democracia e descentralizao de polticas pblicas.

Com isso, novas formas de se pensar a gesto pblica se configuram, aqui se

ressalta a gesto social, a participao e a governana como modelos indispensveis

que devem se fortalecer e gerar o empoderamento da sociedade civil para que assim,

ocorra um estreitamento de relaes entre entes governamentais e sociais, sendo

essa expresso utilizada no s na perspectiva de uma sociedade civil organizada,

mas de forma global.

Outro fator determinante para efetivar a mudana do cenrio socioeconmico

brasileiro, refere-se formulao de iniciativas articuladas na inteno de melhorar a

elaborao e implementao de polticas pblicas, tendo como base as

especificidades de cada regio ou territrio. Assim, busca-se ainda, analisar a

crescente abordagem do desenvolvimento territorial, preconizada por propostas de

reformas no plano governamental e que ganhou contornos mais fulgentes com a

fixao do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (PRONAF),

do Ministrio do Desenvolvimento Agrrio (MDA) e de sua Secretaria de

Desenvolvimento Territorial (SDT).

Ressalta-se que esse artigo fruto de pesquisas realizadas no mbito do

Ncleo de Extenso em Desenvolvimento Territorial do Baixo Amazonas (NEDET

BAM), o qual foi implementado por meio das parcerias entre a SDT/MDA, CNPQ e a

Universidade Federal do Oeste do Par (UFOPA), como base em uma proposta de

desenvolvimento territorial e fortalecimento do Colegiado de Desenvolvimento

Territorial e das prticas de extenso e pesquisa.

4

Para tanto, esse trabalho est dividindo em trs partes inicias abarcando alm

desta introduo, os objetivos e metodologia utilizada e as concluses. Em um

segundo momento, abrange a discusso terica e analtica realizada a respeito das

categorias de gesto social, governana e sua abordagem territorial, o Colegiado de

Desenvolvimento Territorial do Baixo Amazonas (CODETER BAM), objeto desta

pesquisa, e a explanao a respeito da participao de seus atores.

2. OBJETIVOS

Este trabalho faz uma anlise do Colegiado de Desenvolvimento Territorial do

Baixo Amazonas - Par, buscando verificar o exerccio de sua gesto participativa, a

qual lhe configura a caracterstica de governana territorial democrtica, bem como

traar avaliar a participao dos atores envolvidos nesse processo.

3. METODOLOGIA

3.1. REA DE ESTUDO

Sendo o Colegiado de Desenvolvimento Territorial do Baixo Amazonas Par

o objeto dessa pesquisa, faz-se necessrio uma breve anlise da rea desse territrio,

que abrange doze municpios, sendo eles, Alenquer, Almeirim, Belterra, Curu, Faro,

Jurut, Monte Alegre, bidos, Oriximin, Prainha, Santarm e Terra Santa.

O Territrio do Baixo Amazonas, abrange uma rea de, aproximadamente,

317.273,50 Km, com uma populao total de 678.936 habitantes, sendo que

271.161 vivem na rea rural, correspondendo a 39,94% do total. Possui 23.659

agricultores familiares, 36.787 famlias assentadas, 20 comunidades quilombolas e 20

terras indgenas. Seu ndice de Desenvolvimento Humano mdio 0,71. (SIT/MDA,

2015).

5

Fonte: Projeto NEDET- BAM, 2014.

Esse territrio possui um carter visivelmente rural, sendo que o mesmo,

durante o perodo de atuao do Programa Territrios Rurais, foi enquadrado como

um dos cinco territrios rurais implementados no estado do Par, no entanto,

atualmente se configura como Territrio da Cidadania, assim como os outros

territrios rurais que se encaixavam nos critrios estabelecidos para escolha no novo

Programa, os quais so baixo IDH, maior concentrao de agricultores familiares e

assentamentos da reforma agrria, concentrao de populaes quilombolas,

indgenas e de pescadores, entre outros.

3.2. MATERIAIS E MTODOS

Inicialmente, realizou-se pesquisa e anlise bibliogrfica das categorias

tericas de governana e gesto social, prezando-se pela utilizao de obras dos

principais tericos das reas, como base para fundamentao e compreenso da

temtica, sendo todas abordadas neste trabalho com relao ao Colegiado de

Desenvolvimento Territorial (CODETER BAM/PA).

Em um segundo momento, efetuou-se pesquisa documental junto ao

CODETER BAM/PA, atravs da qual, foi possvel ter acesso s atas, listas de

6

frequncia e relatrios das cinco plenrias efetivadas durante o perodo de 2014 a

2015, sendo que 4 dessas ocorreram no municpio de Santarm e uma em Moju dos

Campos, no Estado do Par. Essa metodologia foi seguida com o intuito de observar

a forma de gesto e participao dentro do colegiado.

Alm dos documentos citados acima, buscou-se explorar outros documentos,

como os produzidos pelo Ministrio do Desenvolvimento Agrrio no mbito de sua

Secretaria de Desenvolvimento Territorial, do Conselho Nacional de Desenvolvimento

Rural Sustentvel e do Programa Territrios da Cidadania, e do Ncleo de Extenso

em Desenvolvimento Territorial (NEDET).

Aps coletados todos os dados, executou-se a sua anlise e sistematizao,

para observar a participao dos atores no colegiado. Desse modo, utilizou-se da

estatstica descritiva, em que primeiramente foi elaborado o percentual de participao

dos grupos que compem o colegiado (sociedade civil e poder pblico) referente aos

dias que compareceram nas plenrias, no perodo de 2014-2015, mas apesar de

terem ocorrido cinco plenrias, totalizaram-se oito dias, devido algumas se fazerem

em mais de um dia. Logo, a partir do percentual de frequncia de cada grupo nas

plenrias, elaborou-se a mdia da participao por grupo (associaes, cooperativas,

sindicatos, poder pblico e outras entidades), resultando numa anlise geral da

participao nas plenrias.

4. GESTO SOCIAL PARTICIPATIVA

Durante um longo perodo o Brasil esteve margem de um governo

centralizador de poder, antidemocrtico e supressor dos direitos constitucionais, em

funo da ditadura militar que se implementou no pas, no decorrer dos anos de 1964

a 1985. Alm desse, outro fator contribuiu para esse cenrio: a crise econmica do

Estado, com o endividamento pblico decorrente das dvidas adquiridas no exterior.

De acordo com Arajo (2010) a partir disso o Estado se fez menos presente

economicamente em benefcio da sociedade e, com o avano da onda liberal, as

privatizaes, corte de gastos pblicos, entre outras iniciativas so justificados em

7

favor do pagamento da dvida estabelecida, sendo assim, muitas polticas pblicas

so descontinuadas e se colocam como no prioritrias para o governo.

Essa conjuntura comea a mudar nos fins da ditadura militar e incio da dcada

de 1990, com o advento de um processo de redemocratizao e descentralizao

poltico-administrativo do pas, onde novas formas de gesto se evidenciam na

formulao e implementao de polticas pblicas, buscando a

Recommended

View more >