GESTÃO FINANCEIRA 7ª. Aula ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS FINANCEIROS 17/03/2007 GRADUAÇÃO Pós Gestão inovadora da empresa gráfica

Download GESTÃO FINANCEIRA 7ª. Aula ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS FINANCEIROS 17/03/2007 GRADUAÇÃO Pós Gestão inovadora da empresa gráfica

Post on 16-Apr-2015

104 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li> Slide 1 </li> <li> GESTO FINANCEIRA 7. Aula ADMINISTRAO DOS RECURSOS FINANCEIROS 17/03/2007 GRADUAO Ps Gesto inovadora da empresa grfica </li> <li> Slide 2 </li> <li> 1. A administrao financeira na estrutura CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP Presidncia Diretoria Comercial Diretoria Financeira Diretoria Industrial Gerncia Financeira Controladoria </li> <li> Slide 3 </li> <li> 1 Custos na estrutura organizacional CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP Gerncia Financeira Tesouraria Crdito e Cobrana </li> <li> Slide 4 </li> <li> 2. Conceituao A administrao dos recursos financeiros visa a manuteno da liquidez e a maximizao da rentabilidade. Liquidez Capacidade da empresa saldar seus compromissos financeiros na data de vencimento. Liquidez dos ativos A disponibilidade em caixa e bancos totalmente lquida. O valor investido em estoques, por outro lado, no tem liquidez imediata. Enfim, todos os ativos tm liquidez, porm em prazos e com grau de certeza diferentes. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP </li> <li> Slide 5 </li> <li> 2. Conceituao CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP Caixa e Bancos Aplicaes financeiras Duplicatas a Receber Estoques de Produtos Acabados Estoques de Produtos em Processo Estoques de Materiais Mquinas Imveis 100% Lquido Grau de liquidez </li> <li> Slide 6 </li> <li> 2. Conceituao Rentabilidade - o ganho gerado numa operao. Reservas excessivas de dinheiro em caixa, sem nenhum tipo de remunerao, no contribuem para aumento de rentabilidade. outra situao.... A aquisio de insumos, num perodo de grande oferta em que os preos esto em queda, gera menor custo de produo e conseqente aumento de rentabilidade. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP Portanto, o gestor financeiro tem que cuidar para: que no haja falta de recursos na data de pagamento dos compromissos e maximizar a rentabilidade. </li> <li> Slide 7 </li> <li> 2. Valor do dinheiro no tempo Uma unidade monetria (R$ 1, US$ 1...) hoje vale mais do que a mesma unidade que ser recebida no futuro. Isso ocorre porque essa unidade monetria pode ser aplicada e o ganho (juro) obtido na operao agregado ao valor original. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP $ 10.000 Ms 0Ms 1Ms 2Ms 3Ms 4 $ 10.000, se aplicados a uma taxa de juros de x% ao ms, no ms 4 ter um poder aquisitivo maior do que no ms 0, caso o ganho seja maior do que a inflao do perodo. </li> <li> Slide 8 </li> <li> 2. Valor do dinheiro no tempo CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP $ 10.000 Ms 0Ms 1Ms 2Ms 3Ms 4 Para uma taxa de juros de 1% ao ms, temos: Valor Futuro = Capital x (1 + Taxa de Juros) Valor Futuro = 10.000 x (1 + 0,01) Valor Futuro = $ 10.406,04 n 4 $ 10.406,04 </li> <li> Slide 9 </li> <li> 2. Valor do dinheiro no tempo CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP $ 10.406,04 Ms 0Ms 1Ms 2Ms 3Ms 4 Para uma taxa de juros de 1% ao ms, temos: Valor Presente = Capital / (1 + Taxa de Juros) Valor Futuro = 10.406,04 / (1 + 0,01) Valor Futuro = $ 10.000,00 n 4 $ 10.000 </li> <li> Slide 10 </li> <li> 3. Risco e retorno Outubro. Este um dos meses particularmente perigosos para se especular em aes. Os outros so julho, janeiro, setembro, abril, novembro, maio, maro, junho, dezembro, agosto e fevereiro. Mark Twain escritor, humorista e romancista americano 1835-1910 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP </li> <li> Slide 11 </li> <li> 3. Risco e retorno Um princpio de finanas: quanto maior o risco da aplicao ou investimento maior o retorno. Isso observado claramente pelos produtos oferecidos pelas instituies financeiras, por exemplo, fundos conservadores, moderados, arrojados etc. Sob outro ngulo, os tomadores de recursos, com boa sade financeira ou com garantias reais pagam taxas de juros menores do que aqueles que no gozam dessas situaes favorveis. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP </li> <li> Slide 12 </li> <li> 3. Risco e retorno Risco Financeiro aquele que decorre da existncia de capital de terceiros (emprstimos) e que, por suas caractersticas, tm uma remunerao que no depende dos resultados gerados pelas operaes, ou seja, os juros dos emprstimos tm que ser pagos, havendo ou no lucros operacionais. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP </li> <li> Slide 13 </li> <li> 3. Risco e retorno Quando........O custo da dvida (juro) maior que o retorno operacional (lucro antes de despesas financeiras) sobre o ativo total, a operao (lucro gerado) ou o proprietrio/ acionista (capital) tem que arcar com esse custo de capital de terceiros....O custo da dvida menor que o retorno sobre o ativo total, o endividamento benfico. Ocorre alavancagem financeira. Nesse caso, a taxa de retorno sobre o Patrimnio Lquido maior do que sobre o ativo. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP </li> <li> Slide 14 </li> <li> 3. Risco e retorno No Brasil, as elevadssimas taxas de juros praticadas como instrumento de poltica monetria, tm feito com que os gestores financeiros raramente se preocupem em analisar a composio ideal de capital prprio vs. capital de terceiros. Numa economia com taxas normais o endividamento pode contribuir para o aumento do retorno sobre o patrimnio lquido. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP </li> <li> Slide 15 </li> <li> 4. Capital de giro Ciclo operacional: compreende todas as etapas do processo empresarial da compra de insumos at o recebimento do cliente. Exemplo: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP Estoque de Materiais D20 Compra de materiais Venda Recebi- mento de clientes Pagamento de Materiais Estoque Produto Acabado D0D10D15D30 O Capital de giro o montante necessrio para suportar todos os custos e despesas no ciclo de operacional, num determinado nvel de operao. D40 </li> <li> Slide 16 </li> <li> 4. Capital de giro CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP Cia Gira-Gira </li> <li> Slide 17 </li> <li> 4. Capital de giro CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP Cia Gira-Gira </li> <li> Slide 18 </li> <li> 4. Capital de giro CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP Cia Gira-Gira </li> <li> Slide 19 </li> <li> 4. Capital de giro CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP Cia Gira-Gira </li> <li> Slide 20 </li> <li> 4. Capital de giro CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP Cia Gira-Gira </li> <li> Slide 21 </li> <li> 4. Capital de giro CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP Cia Gira-Gira </li> <li> Slide 22 </li> <li> 4. Capital de giro CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP Cia Gira-Gira </li> <li> Slide 23 </li> <li> 5. Administrao do disponvel Disponvel o montante em caixa ou bancos necessrio para: garantir o pagamento de todos os gastos do ciclo operacional, nas datas de vencimento. manter reserva de segurana, para possveis imprevistos, por exemplo, inadimplncia temporria ou definitiva de um cliente. manter reserva para possveis negcios de oportunidade, por exemplo, a aquisio de um lote de materiais antes da necessidade de uso, para beneficiar-se de um desconto financeiro. Uma boa gesto do disponvel implica a manuteno do menor montante possvel, sem prejuzo da garantia dos pagamentos nas datas de vencimento. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP </li> <li> Slide 24 </li> <li> 6. Administrao do contas a pagar O gestor financeiro, de posse dos processos de pagamento, responsvel por assegurar a liquidao de todos os dbitos com terceiros na data do vencimento. Pagamentos anteriores data de vencimento oneram a empresa, quer pela perda de juros de aplicaes financeiras ou pela tomada de recursos antes do necessrio (no caso da empresa estar contraindo emprstimos para capital de giro). Pagamentos posteriores data de vencimento tambm oneram a empresa, pelo pagamento de juros e multas. Ainda, quando a empresa deixa, regularmente, de honrar seus compromissos nas datas previstas, os fornecedores podem incluir no preo de venda um custo financeiro adicional, prevendo recebimentos aps o vencimento. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP </li> <li> Slide 25 </li> <li> 7. Administrao do contas a receber Crdito entrega de um produto no presente mediante o compromisso do cliente efetuar o pagamento no futuro. A administrao do contas a receber se inicia pela poltica de concesso de crdito. Quando o crdito concedido sem adequada anlise cadastral do cliente e sem garantias, o risco de inadimplncia aumenta. Nos negcios em que invivel a recuperao do produto (ou servio) entregue, em caso de inadimplncia, a venda a prazo requer anlise mais criteriosa para concesso do crdito. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP </li> <li> Slide 26 </li> <li> 8. Administrao do contas a receber Os 5 Cs do crdito: Carter predisposio do cliente para efetuar o pagamento. A anlise cadastral ajuda a formar opinio sobre o carter do cliente. Capacidade econmica e financeira de gerao de recursos para liquidar o crdito. Capital posse de bens que lastreiam a operao. Condies de mercado ou macroeconmicas. Collateral garantias (em ingls) hipoteca, avalistas, carteira de recebveis. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP </li> <li> Slide 27 </li> <li> 8. Administrao do contas a receber Um dos vrios indicadores utilizados para gesto da carteira de recebveis a Composio dos ttulos a vencer e vencidos, por prazo (30 dias, 60 dias....), em valores absolutos e percentuais. Exemplo: A vencer em 30 dias$ 20025,00% Vencidos h 30 dias$ 40050,00% Vencidos h 60 dias$ 15018,75% Vencidos h + de 60$ 50 6,25% Total$ 800 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP </li> <li> Slide 28 </li> <li> 8. Administrao do contas a receber Quanto mais antigo o ttulo, menor a probabilidade de receb-lo. Uma vez esgotadas todas as possibilidades de se receber um crdito concedido (em alguns casos utilizando-se at as vias judiciais), reconhece-se a perda mediante a baixa da proviso para devedores duvidosos. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP </li> <li> Slide 29 </li> <li> 9. Administrao dos estoques Raramente a deciso sobre polticas de estoques de responsabilidade da rea financeira, entretanto, como j visto esse um importante elemento na composio do capital de giro, cabem algumas ponderaes sobre o tema. Exclusivamente sob a tica financeira - investimento e rentabilidade os estoques devem ser minimizados, cabendo, assim, perfeitamente o conceito de just in time. Just in time filosofia de gesto iniciada no Japo, entre as dcadas de 70 e 80, que visa, dentre outras coisas, a eliminao de estoques, quer seja de materiais, produtos em processo ou produtos acabados. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP </li> <li> Slide 30 </li> <li> 9. Administrao dos estoques Estoque de segurana visa a atender a demanda dos clientes, mesmo quando acima da mdia usual, evitando, assim, a perda de vendas por falta de materiais/produtos e assegurando a rentabilidade. O tamanho do estoque de segurana depende do nvel de averso ao risco de cada empresrio ou de caractersticas dos mercado fornecedor e consumidor. Sobretudo quando se trabalha com estoques de segurana, deve-se considerar os custos de estocagem: aluguel, vigilncia, perdas por obsolescncia ou deteriorao, manuseio etc. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP </li> <li> Slide 31 </li> <li> 9. Administrao dos estoques Controle dos estoques Os saldos contbeis das contas de estoques materiais, produtos em processo e produtos acabados devem ser periodicamente conciliados com os valores registrados pelo Almoxarifado. Eventuais diferenas devem ser identificadas, a fim de que se: - faa os corretos ajustes (na contabilidade ou nos registros do Almoxarifado); e - empreenda as aes possveis para se evitar (ou minimizar) que se repitam no futuro. Inventrio fsico regular tambm um poderoso instrumento de controle de estoques. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP </li> <li> Slide 32 </li> <li> Todas as aes e decises empresariais de ordem financeira tm reflexo no caixa da organizao. O fluxo de caixa uma ferramenta gerencial que permite o registro e acompanhamento de todas as entradas e sadas financeiras, contribuindo para uma gesto mais eficiente da liquidez e rentabilidade. O fluxo de caixa pode ser para registro das movimentaes financeiras: - realizadas e - previstas. O acompanhamento deve ser dirio. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP 10. Fluxo de caixa operacional </li> <li> Slide 33 </li> <li> Relatrios Os saldos de caixa (e bancos), em geral, diferem de um relatrio para outro, porm podem e devem ser plenamente conciliados. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP 10. Fluxo de caixa operacional 1.Relatrios do Financeiro registra todos os recebimentos identificados e pagamentos processados, a partir da emisso do cheque ou ordem de pagamento. As suas posies podem divergir do.... 2.... Extrato bancrio - Dependendo do acordo empresa-banco, pode implicar que os recebimentos de clientes somente estaro disponveis em D+1 (ou D+2...), ou seja, 1 dia (ou 2) aps a liquidao do dbito pelo cliente. Ainda, caso o beneficirio de um cheque no o tenha descontado, o saldo do banco maior do que o apontado no relatrio do financeiro.......... </li> <li> Slide 34 </li> <li> ....Relatrios CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP 10. Fluxo de caixa operacional 3.Saldo Contbil Contabilidade registra as operaes com base em documentos que suportam a transao. Para efeito de controle, a Contabilidade (ou Auditoria Interna, se existente), deve, de forma aleatria e sem prvia comunicao, realizar contagem do numerrio existente em caixa....</li></ul>