GESTÃO FINANCEIRA 5ª. Aula ORÇAMENTO EMPRESARIAL 10/03/2007 GRADUAÇÃO Pós Gestão inovadora da empresa gráfica

Download GESTÃO FINANCEIRA 5ª. Aula ORÇAMENTO EMPRESARIAL 10/03/2007 GRADUAÇÃO Pós Gestão inovadora da empresa gráfica

Post on 16-Apr-2015

103 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li> Slide 1 </li> <li> GESTO FINANCEIRA 5. Aula ORAMENTO EMPRESARIAL 10/03/2007 GRADUAO Ps Gesto inovadora da empresa grfica </li> <li> Slide 2 </li> <li> Para que todas as reas da empresa elaborem seus oramentos na mesma base, algumas premissas devem ser estabelecidas e divulgadas. Dentre elas citamos: variao de preos taxa de dlar dissdio da categoria crescimento de participao no mercado ou aumento de vendas meta de resultado etc. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP 1. Premissas oramentrias </li> <li> Slide 3 </li> <li> O processo de elaborao do oramento propriamente dito, consiste na quantificao financeira e no financeira das aes necessrias para cumprimento da misso da empresa, de acordo com os objetivos e metas traados para o perodo. Em geral, o oramento cobre o perodo de um ano. Para que possa ser cumprido, requer que seja elaborado, aprovado e divulgado antes do incio de sua vigncia. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP 2. Elaborao do Oramento </li> <li> Slide 4 </li> <li> A elaborao de forma participativa (em vez de imposio de cima para baixo) colabora para aumentar o comprometimento do pessoal envolvido. Os principais gestores passam a ser responsveis pela execuo de seus oramentos individuais. So os gestores dos centros de responsabilidade. A consecuo das metas individuais leva consecuo da meta global da organizao. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP 2. Elaborao do Oramento </li> <li> Slide 5 </li> <li> A rea de controladoria responsvel: pela organizao e provimento de todos os recursos que os gestores precisam para a elaborao dos oramentos pela compilao de todos os dados para se obter os relatrios finais demonstrativo de resultados, plano de investimento etc. A controladoria no responsvel pela obteno dos resultados orados. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP 2. Elaborao do Oramento </li> <li> Slide 6 </li> <li> Plano de Vendas o principal condicionante dos demais planos, uma vez que toda a estrutura deve se adequar para operar nos volumes de vendas orados. Plano de produo nas empresas industriais o principal elemento de custos. A rea de produo deve orar todos os recursos necessrios (matria-prima, mo-de-obra e custos indiretos de fabricao) para atender ao plano de vendas e manuteno do nvel mnimo de estoques. Plano de Despesas Comerciais elaborado de acordo com o plano de vendas, composto por despesas fixas e variveis, para venda e distribuio dos produtos. Plano de Despesas Administrativas Plano de Despesas Financeiras................. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP 3. Planos oramentrios </li> <li> Slide 7 </li> <li> ............... Plano de Investimento Mquinas e equipamentos Instalaes Imveis Veculos, etc contendo valor, data de aquisio e vida til estimada. Valores no monetrios Todos os planos financeiros que puderem ser suportados por valores no monetrios facilitaro a anlise das variaes real vs. orado. Exemplo: quantidades de produo e venda por linha de produto, nmero de funcionrios, consumo de materiais em kg, metros etc. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP 3. Planos oramentrios </li> <li> Slide 8 </li> <li> A comparao do real vs. orado permite identificar as variaes e, sobretudo, as suas causas. Variaes desfavorveis - receitas abaixo e despesas acima do orado requerem medidas corretivas, com a maior agilidade possvel, para que se atinja as metas estabelecidas. Revises devem ser feitas sempre que algum fator desconhecido ou no contemplado no momento da elaborao do oramento cause impactos expressivos nos negcios, em especial nos resultados econmico- financeiros. A Controladoria responsvel pela apurao das variaes e, com o auxlio dos gestores, identificao das respectivas causas. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP 4. Controle Oramentrio </li> <li> Slide 9 </li> <li> A realizao das metas pode ser um dos fatores de avaliao de desempenho dos gestores, podendo, inclusive, afetar suas remuneraes. Caso tpico: metas de vendas para a equipe comercial. Remunerao varivel vinculada consecuo das metas, aumenta a motivao para que sejam perseguidas. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP 4. Controle Oramentrio </li> <li> Slide 10 </li> <li> Pressupe a reavaliao anual de todos os programas e despesas, partindo-se do zero. Da a expresso base zero Instrumento originado na administrao pblica americana, na dcada de 60, no Departamento de Agricultura, porm sem muito sucesso. Na iniciativa privada, foi aplicado pioneiramente pela Texas Instruments, em 1970, sob a coordenao de Peter A. Pyrr. Pyrr publica um artigo na Harvard Business Review, em 1970. Jimmy Carter, recm eleito Governador do Estado da Georgia, ao tomar conhecimento do artigo achou que o processo era adequado para a administrao pblica e decide implant-lo em 1972-73. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP 5. Oramento Base Zero </li> <li> Slide 11 </li> <li> Cada administrador prepara um pacote de deciso para cada atividade ou operao, que inclui: anlise de custo finalidade alternativas (por exemplo, grficas prprias vs. grficas comerciais) medidas de desempenho benefcios ou conseqncia de no executar a atividade, para diferentes nveis de operao 75%, 80%... do atual. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP 5. Oramento Base Zero </li> <li> Slide 12 </li> <li> Os pacotes de deciso so colocados por ordem de prioridade. Os pacotes com prioridade abaixo do ponto em que os custos superam o benefcios no recebem dotao oramentria, mesmo que tenham sido realizados no ano anterior. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP 5. Oramento Base Zero </li> <li> Slide 13 </li> <li> CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP 5. Oramento Base Zero Planejamento Estabelecimento de planos e de programas Estabelecimento de metas e de objetivos Tomada de decises polticas bsicas Oramento Base Zero Identificao e avaliao detalhada de todas as atividades, alternativas e custos para a realizao dos planos. Avaliao Comparar o oramento com o plano. Determinao das opes entre objetivos e custos. Oramento e plano de operao Revises Fonte: Pyhrr, Peter A. Oramento Base Zero. Rio de Janeiro: Intercincia; So Paulo: Ed da Universidade de So Paulo, 1981 </li> <li> Slide 14 </li> <li> Processo de gesto flexvel, liderado por um grupo de pesquisadores que defendem o abandono do oramento anual. Iniciou-se num grupo de executivos de organizaes com atuaes em empresas multinacionais, apoiados por consultores. Hope e Fraser lideram esse grupo com artigos e livros publicados, alm de um site para divulgao do beyond budgeting. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP 6. Beyond Budgeting </li> <li> Slide 15 </li> <li> um grupo de processos alternativos que apiam metas e reconhecimentos, um planejamento contnuo, a demanda de recursos, a coordenao dinmica da empresa e um significativo grupo de controles nos vrios nveis. HOPE, J. e FRASER, R. Beyond Budgeting: how managers can break free from annual performance trap. Boston: Harvard Business School Press, 2003 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP 6. Beyond Budgeting </li> <li> Slide 16 </li> <li> Empresas que, segundo os autores, abandonaram o sistema tradicional de oramento: 1972 Svenska banco escandinavo 1995 Borealis empresa dinamarquesa 1999 Rodhia multinacional francesa. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP 6. Beyond Budgeting </li> <li> Slide 17 </li> <li> Bom fim de semana </li> <li> Slide 18 </li> <li> Pgina com dois subttulos As cores criam iluses pticas. Sabendo em que grau isto pode ocorrer, podemos aplicar estas iluses em favor de nossos objetivos. Subttulo Contraste de tom - o mais contrastante a combinao de duas cores complementares. Contraste de superfcie - em superfcies que possuam a mesma dimenso, aplicamos uma cor quente e na outra uma cor fria, a iluso que teremos ser que a de cor quente maior em relao a mais fria. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP </li> <li> Slide 19 </li> <li> Exemplo de pgina com um subttulo quando se consegue uma boa relao de combinao entre duas ou mais cores. Cores anlogas - so cores vizinhas no crculo cromtico. Resulta numa imagem mais tranqila. Contraste - so cores opostas no crculo das cores, a combinao de cores complementares. Resulta numa imagem com maior dinamismo. Cores anlogas - so cores opostas no crculo das cores. Resulta numa imagem com maior dinamismo. CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GRFICA PS GRADUAO GESTO INOVADORA DA EMPRESA GRFICASENAI - SP </li> </ul>