gestƒo de riscos em centro cirrgico - .sistematiza†ƒo da assistencia de enfermagem...

Download GESTƒO DE RISCOS EM CENTRO CIRRGICO - .SISTEMATIZA‡ƒO DA ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM A SAE deve

Post on 01-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • GESTO DE RISCOS EM

    CENTRO CIRRGICO

    La Pereira de Sousa

  • SUMRIO

    1 - CONCEITOS

    2 - GESTO DE RISCOS

    SISTEMATIZAO DA ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM

    PROGRAMA DE QUALIDADE

    CAMPANHA CIRURGIA SEGURA SALVA VIDAS

    3 - CONCLUSO

  • CONCEITOS

    A GESTO DE RISCOS no processo assistencial deve ser

    de forma sistmica e sistemtica para que possamos

    detectar cada vez mais precocemente situaes que

    possam gerar agravos aos pacientes, a equipe, a

    organizao e ao meio ambiente.

  • CONCEITOS

    QUAIS SO OS RISCOS?

    Assistenciais

    Profissionais

    Ambientais

    Clnicos

    Institucionais

  • CONCEITOS

    Por que os Riscos tornam-se realidade?

    PROBLEMA EVENTO ADVERSO

  • CONCEITOS

    Como Fazer a Gesto de Riscos?

  • CONCEITOS

    A palavra na Gesto de Riscos o

    PLANEJAMENTO DA ASSISTENCIA

  • PLANEJAMENTO DA ASSISTENCIA

    SISTEMATIZAO DA ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM

    A SAE deve ser planejada rigorosamente pelos

    ENFERMEIROS do Centro Cirrgico com um instrumento

    adequado a realidade da Instituio e tem como objetivo o

    de subsidiar meios para uma assistncia de enfermagem

    global, atendendo as necessidades do cliente e sua

    famlia.

  • PLANEJAMENTO DA ASSISTENCIA

    SISTEMATIZAO DA ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM

    A implementao pelo enfermeiro de uma assistncia de

    enfermagem baseada em evidncias, atuando

    constantemente com a equipe cirrgica e anestsica,

    identificando problemas potenciais relevantes no ato

    cirrgico e avaliando as complicaes baseadas em

    evidncias clnicas, o coloca em uma posio de

    LIDERANA no contexto assistncial.

  • PLANEJAMENTO DA ASSISTENCIA

    PROGRAMAS DE QUALIDADE

    QUALIDADE no campo da sade deve ser entendida como

    a obteno dos maiores benefcios, com menores riscos e

    custos para os usurios. Donabedian, 1990

  • PLANEJAMENTO DA ASSISTENCIA

    PROGRAMAS DE QUALIDADE

    Modelo de Avaliao da Qualidade:

    Estrutura

    Processos

    Resultados

  • PLANEJAMENTO DA ASSISTENCIA

    PROGRAMAS DE QUALIDADE

    Sem INDICADORES no h GESTO e sem

    GESTO no h QUALIDADE.

  • PLANEJAMENTO DA ASSISTENCIA

    PROGRAMAS DE QUALIDADE

    Indicadores de Estrutura

    Indicadores de Processos

    Indicadores de Resultados

  • PLANEJAMENTO DA ASSISTENCIA

    PROGRAMAS DE QUALIDADE

    Indicadores de Estrutura

    Percentual de enfermeiros com ttulo de especialista;

    Percentual de cirurgies com ttulo de especialista;

    Presena de enfermeira durante todo o perodo de

    funcionamento.

  • PLANEJAMENTO DA ASSISTENCIA

    PROGRAMAS DE QUALIDADE

    Indicadores de Processos

    Tempo mdio de limpeza de sala no intervalo entre duas

    cirurgias;

    Tempo mdio de permanncia na recuperao anestsica;

    Percentual de rotinas tcnicas normatizadas.

  • PLANEJAMENTO DA ASSISTENCIA

    PROGRAMAS DE QUALIDADE

    Indicadores de Resultados

    Taxa de infeco hospitalar dos pacientes cirrgicos;

    Taxa de infeco de cirurgia limpa;

    Nmero de reintervenes cirrgicas no programadas;

    Taxa de mortalidade cirrgica

  • PLANEJAMENTO DA ASSISTENCIA

    CAMPANHA CIRURGIA SEGURA SALVA VIDAS

    A Organizao Mundial da Sade (OMS), informa que no mundo:

    Cirurgias por ano 234 milhes.

    Taxa de mortalidade entre 0,4% e 1,0%.

    Morre por ano 1 milho de pacientes durante ou aps a cirurgia.

    Taxa de complicaes ps cirrgica variam de 3% a 17%.

    Morre 7 milhes de pacientes de complicaes ps cirrgica.

    Mortalidade relacionada a anestesia geral 1 em 150 pacientes.

  • PLANEJAMENTO DA ASSISTENCIA

    CAMPANHA CIRURGIA SEGURA SALVA VIDAS

    CHECK LISTS

    Antes da Anestesia (Sign In)

    Antes da Inciso Cirrgica (Time Out)

    Antes do Paciente Deixar a Sala (Sign Out)

  • PLANEJAMENTO DA ASSISTENCIA

    CAMPANHA CIRURGIA SEGURA SALVA VIDAS

    Antes da Anestesia (Sign In)

    Identificao do paciente, local da cirurgia e o tipo de operao;

    Se o oxmetro est instalado e funcionando;

    Se o paciente apresenta alguma alergia;

    Se as condies das vias areas foram avaliadas e se os equipamentos de

    aspirao e de oxigenao esto em ordem.

  • PLANEJAMENTO DA ASSISTENCIA

    CAMPANHA CIRURGIA SEGURA SALVA VIDAS

    Antes da Inciso Cirrgica (Time Out)

    Todos os membros confirmam nome e funo;

    Identificao do paciente, local de inciso e o tipo de procedimento a ser

    realizado;

    Conhecimento dos momentos crticos da cirurgia;

    Reviso pela equipe de enfermagem da esterilidade e disponibilidade dos

    equipamentos;

    Administrao dos antibiticos preventivamente;

    Radiografias em local visvel.

  • PLANEJAMENTO DA ASSISTENCIA

    CAMPANHA CIRURGIA SEGURA SALVA VIDAS

    Antes de o Paciente Deixar a Sala (Sign Out)

    Nome do procedimento realizado;

    Conferencia das agulhas, compressas e instrumentais;

    Peas operatrias que iro para exame devidamente identificadas;

    Conhecimento das possveis complicaes ps operatria.

  • PLANEJAMENTO DA ASSISTENCIA

    CAMPANHA CIRURGIA SEGURA SALVA VIDAS

    O resultado desta prtica refora a aceitao de prticas seguras

    e uma melhor comunicao entre os TIMES DE TRABALHO

    das diversas especialidades.

  • PLANEJAMENTO DA ASSISTENCIA

    CAMPANHA CIRURGIA SEGURA SALVA VIDAS

    O check list no uma obrigatoriedade e nem uma poltica oficial

    e sim uma recomendao de uso desta ferramenta pelos

    profissionais interessados em promover a segurana e reduzir

    as complicaes cirrgicas desnecessrias.

  • CONCLUSO

    No existe um nico modelo para GERENCIARMOS O RISCOS

    os quais os nossos pacientes e familiares esto expostos em

    nossos Servios de Sade.

  • CONCLUSO

    Evite a propagao da falha e contribua para que o evento

    adverso no ocorra.

  • lea.sousa@h9j.com.br

    Faa a sua Parte e Faa Parte