gerenciamento de riscos circular 3 - .estrutura de gerenciamento de riscos ... assegurar estrutura

Download Gerenciamento de Riscos Circular 3 - .Estrutura de gerenciamento de riscos ... Assegurar estrutura

Post on 26-Jan-2019

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Gerenciamento de Riscos

Circular 3.678

30 de junho de 2017

Estrutura de gerenciamento de riscos

O MS Bank SA Banco de Cmbio atendendo s disposies das Resolues do Conselho Monetrio Nacional

implementou estrutura de Gerenciamento de Riscos Operacional, de Mercado, de Crdito, de Liquidez e de

Gerenciamento de Capital capacitada a desenvolver processos consistentes de identificao e avaliao de riscos

para assegurar uma gesto eficaz e dar suporte a todos os riscos em seus negcios, bem como estabelecer metas de

capital que sejam proporcionais ao perfil de risco da instituio, fornecendo assim informaes confiveis s partes

interessadas em conformidade com as leis e a regulamentao.

A estrutura implementada tem tamanho compatvel com a natureza e capacidade de suas operaes e direciona suas

respectivas atividades dentro dos limites de risco estabelecidos e alinhados ao capital da instituio, de acordo com

o descrito abaixo:

Diretor-Presidente - Responsvel pela aprovao e reviso peridica das Polticas de Gerenciamento de Riscos e de

Capital e por assegurar que a estrutura est devidamente implementada e apropriada para suas atividades e

condies de mercado, provendo a estrutura com recursos adequados.

Diretor Responsvel por Gerenciamento de Riscos e de Capital Diretor indicado para representar a Instituio junto

ao Banco Central, responsvel pelos processos e controles relativos estrutura, por definir as polticas e objetivos

gerais e respaldar o Diretor-Presidente com informaes relevantes sobre a implementao da estrutura de

gerenciamento de riscos e de capital.

Compete ao Diretor Responsvel por Gerenciamento de Riscos e de Capital, implementar e monitorar as estruturas

de gerenciamento de riscos e de capital e desenvolver tcnicas adequadas para monitoramento e administrao dos

riscos incorridos pelo MS BANK.

A estrutura de Gerenciamento de Riscos e de Capital contempla sistemas gerenciais apropriados para a execuo de

adequado monitoramento e controle dos riscos e do capital mantido pela instituio, avaliao da necessidade de

capital para fazer face aos riscos a que a instituio est exposta, bem como processo de planejamento de metas e

de necessidade de capital, considerando os objetivos estratgicos da instituio.

Os sistemas internos da instituio mantm mecanismos que permitem o desenvolvimento de atividades de

gerenciamento de riscos e de capital, dentre as quais destacamos:

Identificao e avaliao de riscos e respectivos capitais alocados, das parcelas relacionadas a riscos operacionais, de mercado, de crdito que compem o Patrimnio de Referncia Exigido.

Gerao de relatrios peridicos sobre a adequada administrao dos riscos operacionais, de mercado, de crdito, de liquidez e da adequao de capital;

Assim a Instituio em cumprimento s disposies das Resolues CMN 3.380/06, 3.464/07, 3.721/09, 3.988/11 e

4.090/2012 adotou estrutura apropriada, polticas, processos, procedimentos e implementou sistemas compatveis

com suas necessidades, com o objetivo de identificar antecipadamente, necessidades futuras de alocao de capital

decorrentes de possveis mudanas nas condies internas do MS BANK e do prprio mercado de atuao.

A Diretoria est plenamente engajada no processo. Definiu e aprovou as polticas de gerenciamento de riscos e de

capital e disponibilizou adequados recursos humanos e tecnolgicos. responsvel pelas informaes e promoveu

ampla divulgao aos clientes, colaboradores e demais partes interessadas em sua webpage.

Gerenciamento de capital

O Banco manter de forma permanente capital suficiente para permitir que seu PR Patrimnio de Referncia supere as exigncias das parcelas de riscos, conforme definies do Banco Central e adicionalmente aos demais riscos existentes, mesmo quando no contemplados nas definies regulatrias.

A Administrao do MS Bank reconhece que a alocao de capital no deve ser a nica opo para tratar o aumento de risco incorrido, bem como no deve ser considerada em hiptese alguma como um substituto para tratamento de processos inadequados de controle ou de gerenciamento de riscos, motivo pelo qual adotar meios adequados para fortalecer a gesto de riscos, aplicando limites internos e aprimorando os controles internos existentes.

Objetivos e diretrizes

a. Manter slido processo de avaliao da adequao de capital, identificar e entender a natureza e o nvel de

risco assumido pela instituio, avaliando adequadamente suas futuras necessidades de capital.

b. Formalizar processo de gerenciamento de riscos adequado, considerando o perfil de risco e o plano de

negcios, descrevendo de forma clara as necessidades de capital, os dispndios de capital previstos, o nvel

de capital desejado e as potenciais fontes externas de capital.

c. Analisar as exigncias de capital atuais e futuras em relao aos seus objetivos estratgicos;

d. Estabelecer limites de tolerncia ao risco;

e. Assegurar estrutura adequada para a avaliao integrada dos riscos associados ao negcio.

Estratgias e processos utilizados

Estabelecer planos de adequao do capital, considerando o foco estratgico e o plano de negcios do MS Bank.

Definir processos e procedimentos destinados a garantir que a instituio identifique, mensure e reporte todos os riscos relevantes;

Estabelecer mecanismo que compatibilize o capital ao nvel de risco assumido.

Implementar processo de controles internos, de revises e de auditoria para avaliar a adequao do processo de avaliao.

Monitorar e controlar as necessidades de capital, bem como o nvel de exposio dos riscos em relao aos nveis considerados aceitveis pela alta administrao, com destaque para:

Projees dos balanos, demonstrao de resultados, fluxos de caixa e demonstrativos de limites operacionais;

Anlises de situaes do planejado X realizado, mapa de Gaps, gesto oramentria e tratamento por produto;

Informaes relativas a riscos de mercado, operacionais, crdito, liquidez e concentrao.

Monitoramento e mitigao do risco

O MS Bank estabeleceu um adequado sistema para monitorar e emitir relatrios de exposio ao risco para avaliar como seu perfil de risco afeta as necessidades de capital.

Os relatrios permitem a avaliao dos seguintes itens:

Adequao do processo de avaliao de capital, considerando a natureza, o escopo e a complexidade das suas atividades;

Identificao de relevantes exposies de riscos de concentrao e de liquidez; Preciso e integridade de lanamento de dados no processo de avaliao; Razoabilidade e validade de cenrios usados no processo de avaliao; Stress test e anlise de premissas e dados.

De acordo com o requerido no Artigo 6 da Circular 3.678, de 31 de outubro de 2013, divulgamos abaixo as

informaes relativas ao PR (patrimnio de referncia) e ao RWA (ativos ponderados por risco) referentes data base

31/12/2016:

30/06/17 31/12/16 30/06/16 31/12/15

Valor da parcela RWA CPAD, segmentado pelos fatores de ponderao de risco (FPR)

13.018 8.307 2.231 4.111

Valor da parcela RWA CIRB, segmentado pelas categorias e subcategorias de exposio

-

-

-

-

Valores dos componentes RWA JUR1 2.593 3.104 2.476 4.274

Valores dos componentes RWA JUR2 2.332 7.102 - -

Valores dos componentes RWA JUR3

- -

- -

Valores dos componentes RWA JUR4 - - - -

Valores dos componentes RWA ACS - - - -

Valores dos componentes RWA CAM 1.818 2.525 32.173 14.652

Valores dos componentes RWA COM - - - -

Valores dos componentes RWA MINT - - - -

Valor da parcela RWA OPAD 27.205 14.362 10.851 8.784

Valor do montante RWA 46.968 35.400 47.731 31.821

ndice da Basileia 31,50% 42,11% 22,17% 27,29%

ndice de Nvel I 31,50% 42,11% 22,17% 27,29%

ndice de Capital Social 31,50% 42,11% 22,17% 27,29%

Montante do PR apurado para cobertura do risco da taxa de juros das operaes no classificadas na carteira de negociao

-

-

-

Valores de eventual excesso dos recursos aplicados no ativo permanente e de destaque do PR

-

-

-

Composio do Patrimnio de Referncia e informao sobre a adequao do PR, conforme Anexo 1 da Circular

3.678 de 31 de outubro de 2013

30/06/2017

Valor

(R$mil)

Valor sujeito a tratamento transitrio

(R$mil)

Referncia do balano

do conglomerado

Capital Principal: instrumentos e reservas

1 Instrumentos Elegveis ao Capital Principal 8.000 - No aplicvel

2 Reservas de lucros 2.796 - No aplicvel

3 Outras receitas e outras reservas - - No aplicvel

4 Instrumentos autorizados a compor o Capi

Recommended

View more >