gerenciamento da despesa com pessoal - da despesa com pessoal... · seção de trânsito o...

Download gerenciamento da despesa com pessoal - da despesa com pessoal... · Seção de Trânsito O responsável

Post on 11-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • GERENCIAMENTO DA DESPESA COM PESSOAL

    Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado

  • DESPESA COM PESSOAL LIMITES

    LIMITE PERCENTUAL CM PM PROVIDNCIA

    ALERTA 90% 5,4% 48,6% NENHUMA

    PRUDENCIAL 95% 5,7% 51,3% CONTENO

    TOTAL 100% 6% 54% REDUO

    Conteno LRF, art. 22, nico

    Reduo LRF, art. 23 CF, art. 169

  • DESPESA COM PESSOAL DISTORES

    Estrutura administrativa Cargo efetivo Cargo comissionado Gratificao de funo TIDE Hora extraordinria Adicional noturno Adicional de insalubridade Adicional de periculosidade Diria Licena prmio converso em pecnia Licena para tratar de assunto particular

  • ESTRUTURA ADMINISTRATIVA Adoo de estrutura administrativa inadequada e/ou

    incompatvel com a capacidade financeira do municpio.

    Vcios usuais

    Excesso de secretarias.

    Excesso de rgos subordinados (departamentos,

    divises, sees, etc.). Excesso de assessorias.

    Secretarias, rgos ou assessorias inteis ou com

    pouqussimas atribuies que poderiam ser extintos ou

    agrupados. Secretarias ou rgos com pouqussimos servidores ou

    onde o nico servidor o prprio chefe.

  • Exemplos

    RGO RECOMENDAO/SUSPEITA

    Secretaria Municipal de

    Recursos Humanos

    Porque no transformar em Departamento de

    Recursos Humanos e inserir na Secretaria Municipal de Administrao?

    Diviso de Voleibol O professor/treinador de vlei o chefe e nico funcionrio do setor.

    Seo de Recepo e Atendimento

    A secretria do prefeito a chefe e nica funcionria do setor.

    Seo de Alistamento Militar

    O responsvel pelo alistamento militar o chefe e nico funcionrio do setor.

    Seo de Trnsito O responsvel pelo servio de licenciamento de veculos o chefe e nico funcionrio do setor.

    Seo de Produo de Mudas

    O responsvel pelo viveiro de mudas o chefe e nico funcionrio do setor.

  • Recomendao Adotar estrutura administrativa enxuta, condizente com a realidade econmica do municpio e compatvel com a efetiva necessidade gerencial.

  • CARGO EFETIVO

    Existncia de cargos efetivos com: Nomenclatura parecida. Atribuies iguais ou semelhantes.

    Requisitos de investidura idnticos.

    Porm vencimentos diferentes. A diferenciao remuneratria descabida e, em geral, fruto de favorecimento poltico.

  • CARGO COMISSIONADO

    Utilizao indevida dos cargos comissionados. Vcios usuais Quantidade excessiva de cargos comissionados. Comissionados que no desempenham atribuies de direo, chefia ou assessoramento (CF, art. 37, inciso V). Comissionados que no possuem subordinados. Assessores sem qualificao tcnica especializada. Cargos comissionados com salrios baixssimos. Instituio de assessorias para rgos subordinados. Pagamento de gratificao de funo, TIDE, horas extras e adicionais a servidores comissionados.

  • Recomendaes Estrutura administrativa enxuta e adequada efetiva necessidade gerencial. Assessorias em nmero reduzido e vinculadas diretamente ao prefeito municipal assessoria jurdica e assessoria de imprensa/relaes pblicas.

    Servidor comissionado remunerado exclusivamente com o vencimento estipulado no smbolo CC.

  • GRATIFICAO DE FUNO

    Finalidade Remunerar servidor efetivo designado para: Desempenhar direo, chefia ou assessoramento, quando no se quiser nome-lo para ocupar cargo comissionado. Exercer atribuio de responsabilidade tcnica, no vinculada a cargo comissionado.

  • Vcios usuais Recebimento de FG sem o desempenho de atribuio excedente das tarefas normais do cargo efetivo. Acumulao de FGs. Concesso de FG a servidor comissionado. Concesso de FG a servidor que no exerce direo, chefia, assessoramento ou responsabilidade tcnica. Pagamento de FG sem a existncia de ato formal de concesso e/ou sem autorizao legal. Pagamento de FG para o exerccio de direo, chefia ou assessoramento no previstos na estrutura administrativa. Utilizao de FG para aumentar salrios.

  • Recomendaes Emitir e publicar ato formal de concesso da FG: Identificao do beneficirio. Indicao da autorizao legal. Descrio da atividade extraordinria a ser exercida pelo contemplado direo, chefia, assessoramento ou responsabilidade tcnica. Conceder FG somente a servidor efetivo. A FG deve estar prevista no estatuto dos servidores e/ou no plano de cargos e salrios. Preferir nomear para CC ao invs de conceder FG. A FG deve estar vinculada a um rgo previsto na estrutura administrativa assessoria, secretaria, departamento, diviso, seo, etc.

  • TIDE

    A gratificao deve ser concedida quando, fundamentadamente, a administrao necessitar que o servidor efetivo se dedique nica e exclusivamente ao municpio. O servidor beneficiado com TIDE no pode exercer nenhuma atividade remunerada pblica ou privada fora do servio pblico. Em geral, serve simplesmente como pretexto para elevar salrios e favorecer protegidos polticos.

  • Recomendaes No utilizar TIDE para aumentar salrios. TIDE incompatvel com CC e horas extras. Emitir e publicar ato formal de concesso do TIDE: Identificao do beneficirio. Indicao do fundamento legal. Motivao para a exclusividade laboral. No conceder TIDE a servidores exercentes de atividades comuns ou ordinrias. Previso legal de pagamento do TIDE estatuto dos servidores e/ou plano de cargos e salrios.

  • HORA EXTRAORDINRIA Vcios usuais

    HE com alquota de 100% sem previso no estatuto dos

    servidores ou plano de cargos e salrios. HE fixas todos os meses.

    HE excessivas mais de duas horas dirias. HE com base em relatrio emitido pela chefia. Integrao ou incorporao de HE.

    Utilizao de HE para aumentar salrios.

    Recomendaes

    Instituio de controle de ponto biomtrico.

    Adoo de escala de trabalho ou de rodzio. Implantao de banco de horas com folgas compensatrias.

  • ADICIONAL NOTURNO

    Trabalho noturno entre as 22 horas de um dia e s 5 horas do dia seguinte, inclusive as prorrogaes. Apurao quantidade de horas noturnas efetivamente trabalhadas X 1,14285 X alquota de AN. Vcio usual Pagamento de AN de forma fixa, fazendo incidir a alquota sobre o vencimento do servidor.

  • ADICIONAL DE INSALUBRIDADE ADICIONAL DE PERICULOSIDADE REGRAS COMUNS

    A Constituio Federal no garante aos servidores pblicos a percepo de AI e AP art. 39, 3o c/c art.

    7o. As normas trabalhistas relativas a AI e AP no se aplicam aos servidores pblicos, salvo se expressamente recepcionadas pelo respectivo estatuto. A lei no permite a acumulao de AI e AP, cabendo ao servidor escolher um deles. A caracterizao e a classificao da insalubridade e da periculosidade far-se-o atravs de percia a cargo de mdico do trabalho, engenheiro do trabalho ou engenheiro de segurana do trabalho.

  • ADICIONAL DE INSALUBRIDADE

    Trabalho em condies insalubres. AI com alquota de 10%, 20% ou 40% Percentuais incidem sobre o salrio mnimo. Vcios usuais Ausncia de previso no estatuto dos servidores. Pagamento de insalubridade sem laudo pericial. Incidncia da alquota sobre o vencimento do servidor. Suspeio pagamento de insalubridade a servidor comissionado.

  • ADICIONAL DE PERICULOSIDADE

    Trabalho em condies perigosas. AP na alquota de 30%. Percentual incide sobre o vencimento do cargo. Vcios usuais Ausncia de previso no estatuto dos servidores. Pagamento de periculosidade sem laudo pericial.

    Suspeio pagamento de periculosidade a servidor comissionado.

  • DIRIA

    Regimes de custeio de viagens Ressarcimento apresentao de comprovantes de despesas e restituio do valor no utilizado. Diria valor fixo e sem necessidade de comprovao de gastos. Servidor tem direito a receber o numerrio antes da viagem. Finalidade Hospedagem Alimentao

  • Despesas com deslocamento Custeadas separadamente pelo municpio, se no tiver havido fornecimento de meio de transporte. Eventuais gastos com combustvel e manuteno de veculo custeados pelo servidor durante a viagem devero ser ressarcidos pelo errio. Comprovao da viagem Relatrio de viagem. Documento de despesa. Prova de comparecimento a evento ou rgo pblico.

  • Vcios usuais Dirias de valor excessivo. Recebimento de diria sem a realizao de viagem. Recebimento de diria para viagem de cunho particular ou sem interesse pblico. Suspeio ressarcimento de despesas ocorridas no

    prprio municpio ou locais prximos. Suspeio viagens excessivas prefeito e vereadores. Recomendao Instituio de meia-diria para deslocamentos que no exijam pernoite ou hospedagem.

  • LICENA PRMIO CONVERSO EM PECNIA

    A transformao da licena em dinheiro deve ser tratada como uma faculdade da administrao e no como um direito do servidor. Somente dever ser deferida quando a permanncia do servidor for indispensvel.

  • LICENA PARA TRATAR DE ASSUNTO PARTICULAR

    Faculdade da administrao e no um direito do servidor. Servidor licenciado poder ser convocado para retornar ao trabalho a qualquer momento. No se recomenda o deferimento do benefcio porque alimentar uma das seguintes suspeitas: Ausncia de interesse pblico em virtude de fragilizao da deficiente estrutura de pessoal. Favorecimento do servidor. Existncia de nmero excessivo de servidores. Improdutividade do servidor dispensado.

  • DESPESA COM PESSOAL RESTRIES

    Reajuste salarial Ano eleitoral

    Final de mandato

  • REAJUSTE SALARIAL

    Constituio Federal (art. 37, inciso X) Reviso geral anual Data base Tratamento isonmico entre as carreiras Reviso geral anual No direito absoluto e incondicional. No

Recommended

View more >