gazeta de cotia | edição 940

Download GAZETA DE COTIA | Edição 940

Post on 29-Mar-2016

236 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição 940, de 30/8 a 14/9/2012

TRANSCRIPT

  • No Senado Federal, Suplicy pede ajuda ao prefeito Carlo Camargo para o que est ocorrendo em Cotia,

    onde proliferam falsos condomnios.

    Embu das Artes, Vargem Grande, Itapevi, So Roque, Ibina, tambm deveriam ajudar!

    ANO XXXVIII N 940 COTIA, 30/8 a 14/9/2012 PRXIMAS EDIES: 15 e 29/9 R$ 3,00

    Veja na Pgina 2

    Pgina 2

    Pgina 4

    Pgina 5

    Pgina 5

    4703-2636 www.gazetadecotia.com.brleia o jornal na internet:DIRETOR

    W. Paioli

    Ou restaure-se a moralidade, ou nos locupletemos todos - STANISLAW PONTE PRETA

    Contratante: 15.997.214/0001-51 | Contratado: 45.789.104/0001-65 | Valor do anuncio: R$ 625,00

    Preo da energia cai

    19,7%

    CANDIDATOS COVARDES

    INTERESSANTE!

    - Esto nos matando lentamente!

    A reconstruo da Ptria passa, obrigatoriamente, pela vida municipal, onde se d o progresso e onde se estabelece o PIB, fator que consagra a ordem, a justia social e tambm a solidariedade.

    Eleies & Cidadania!Juiz de EMBU DAS ARTES clama pela legitimidade democrtica

    Presidentes de Cmaras multiplicaram patrimnio...

    Loteamentos & Condomnios

    ASSOCIAO HOSPITAL DE COTIA

    Prefeitura e Cmara pagam empresa irregular - Marco Gomes no devolveu o

    dinheiro embolsado do Cotia Sade

    Pgina 3

    EM CRISE

    Plstico COM e SEM Bisfenol-A

    Pgina 5

    Veja na Pgina 5

    Pgina 7

    Pgina 2

    Histria da Crise de 29

    O vento da Independncia sopra forte

    Autogoverno tem preferncia na

    Europa

    ANOS

    Totalmente reformada & com muitas novidades!

    Amanh 1/9, superpromoo de Reinaugurao Lojas CEM Cotia

  • Candidatos tem medo de apre-sentar um projeto que salve os municpios e faa justia aos que trabalham e produzem o PIB na-cional. Muitos preferem abordar apenas reivindicaes costumei-ras para encobrir a incapacidade poltica!

    ******

    At 1946, praticamente, os pro-dutores do PIB nacional foram dominados por gangues de san-guessugas. Atualmente, so escor-chados pela federao!

    ******

    O municpio na Constituio Imperial de 1824

    Do livro Direito Municipal Bra-sileiro, de Hely Lopes Meireles)

    Na organizao das munici-palidades no havia Prefeito, cargo este que s foi criado pela

    Provncia de So Paulo, pela lei 18, de 11.3.1835, com o carter de delegado do executivo, e de nome-ao do Presidente da Provncia. A inovao foi to bem recebida que a Regncia a recomendou, pelo decreto de 9 de dezembro do mesmo ano, s demais pro-vncias, sendo o exemplo logo seguido pelo Cear, Pernambuco e Alagoas.

    Os prefeitos eram eleitos ou nomeados ao sabor do gover-no estadual, representado pelo chefe todo-poderoso da zona. As eleies eram de antemo pre-paradas, arranjadas, falseadas no desejo do coronel. As oposies que se esboavam no interior viam-se aniquiladas pela violncia e pela perseguio poltica do si-tuacionismo local e estadual. No havia qualquer garantia democr-tica. E, nessa atmosfera de opres-so, ignorncia e mandonismo, o Municpio viveu quatro dcadas,

    sem recurso, sem liberdade, sem progresso, sem autonomia. Tal situao foi magistralmente fo-calizada por Nunes Leal, em obra que traduz fielmente a poltica municipalista brasileira at 1946.

    Nota da AME FUNDAO: De 1946 at 1988 (Constituio Cidad), os minguados 42 anos no conseguiram levantar o vu que encobre a macia perse-guio, por parte da federao colonialista, contra quem tem por nico objetivo a produo da riqueza nacional, gerando o PIB que caracteriza o lema de nossa bandeira: Ordem e Progresso. As franquias constitucionais outor-gadas pela Carta Magna esbarram na usurpao da porcentagem atribuda a quem produz: apenas 16% do bolo tributrio para quem organiza e disciplina a engrena-gem fabril brasileira. Desta forma,

    a Colnia, ou Capitania Here-ditria, mantm a dominao, oprimindo os que sonham com um Brasil livre e prspero!

    Esperamos apenas que os eleito-res comecem a arguir os por qus da incapacidade poltica dos que pleiteiam cargos legislativos ou executivos nesta e nas prximas eleies, sem o que, obviamente, o pas viver na estagnao ecopol-tica propositalmente engendrada para encobrir o logro!

    EXPEDIENTE

    REDAO: Rua Nicolau Espinosa Linhares, 118 - CEP 06700-146 - Cotia - SPFone: 4703-2636 | Fax: 4614-7828

    E-mail: gazetadecotia@uol.com.br Home Page: www.gazetadecotia.com.br

    DIRETOR: W. Paioli (MTB 3017 )

    CONSULTOR POLTICO: Gilson Arajo

    RELAES PB.: Clia Maria Pinheiro

    EDITOR CULTURAL: Joo Barcellos

    EDIT. ELETRNICA: Georg Hans Tschirner Neto

    FEMINISMO: Leonora Cordeiro

    e Vitria R.Paioli (in memoriam)

    REDATORA FEMININA: Valria Helena Paioli

    e Francesca Da Rimini Alves Lopes

    IMPRESSO: LTJ Editora

    30/8 a 14/9/20122

    AME FUNDAO MUNDIAL DE ECOLOGIA

    www.ecologia.org.br amefundacao@uol.com.br Telefones (11) 4703-2636 /

    4614-7828 e 7235-3005.

    EDITORIAL

    TIRAGEM: 15.000 EXEMPLARES

    Como AQUECERas VENDAS?

    preciso ANUNCIAR, ANUNCIAR e ANUNCIAR, mas anunciar onde seu anncio ser visto e comentado, num jornal de

    larga circulao gratuita (Gazeta de Cotia) e que ainda coloca DE GRAA num jornal on-line (www.GazetadeCotia.com.br)

    CONTATE-NOS: (11) 4703-2636 e 4614-7828 gazetadecotia@uol.com.br e gazetadecotia@hotmail.com

    Contratante: 45.789.104/0001-65 | Contratado: 45.789.104/0001-65 | Valor do anuncio: R$ 200,00

    21/8/12 - PRDC ajuza ao para que PF regulamente e

    fiscalize as atividades de segu-rana privada nos bancos

    Crime da saidinha de banco provocou 16 mortes em 2011; C-meras de baixa resoluo usadas em agncias no ajudam a identificar suspeitos.

    A Procuradoria Regional dos Direitos do Cidado em So Paulo ajuizou ao civil pblica, com pe-dido de liminar, para que a Justia Federal obrigue a Polcia Federal a regulamentar e fiscalizar as ati-vidades de segurana privada nos bancos. O objetivo fazer com que os bancos adotem medidas de segurana que garantam proteo vida, integridade fsica, seguran-a e propriedade dos clientes que diariamente realizam transaes bancrias.

    Bancos devem

    garantir clientes na saidinha

    MINISTRIO PBLICO FEDERAL

    CANDIDATOS COM MEDO DE SALVAR O PAS DA CORRUPO!

    O ra, muito fcil os elei-tores dedu-zirem que N E N H U M

    DELES, por enquanto, tocou no assunto: DEFESA CORRE-TA E INTRANSIGENTE DO MUNICPIO, mas eles vivem nos municpios, ora bolas! No defendem nem suas casas ou famlias.

    O que ouvimos (e vimos) foi o mesmo de 40, 30, 20 anos atrs: promessas e mais pro-messas, respostas a certas rei-vindicaes (que os eleitores conhecem de sobra!), mas nenhum PROJETO firme, va-lioso, corajoso, para defender os municpios das garras da federao republicana trucu-lenta, imperialista, colonialista e, sobretudo, exploradora.

    Como? Simples: o bolo tri-butrio a soma de todos os impostos que pagamos, levando-se em conta que quem mais trabalha e produz so os municpios. Muito bem: dessa vultosa soma arrecadada anu-almente, a federao e os es-tados ( provncias!) ficam com 84%, enquanto aos municpios, produtores do PIB nacional, destinada a insignificante e

    miservel porcentagem de 16% (alguns dizem que 17%, no importa!).

    Quem, dos atuais candida-tos, tanto a vereador como a prefeito, j ousou contestar a federao republicana troglo-dita? NENHUM, NENHUM e NENHUM. Portanto, pode-se crer (com minsculas exce-es) e confirmar que os atuais candidatos so COVARDES, MEDROSOS e no tem ne-nhuma inteno de defender absolutamente NADA, a no ser aquelas reivindicaes bem conhecidas e aguardadas pelos contribuintes.

    Somos pelo autogoverno, quando os impostos gerados nos municpios, devem, por fora fisiolgica, linear e lgica, ficar nos municpios. Quere-mos evoluir, vencer as barreiras da submisso vergonhosa, mas, infelizmente, caros eleitores, procurem algum que tenha esta coragem. At agora ne-nhum apareceu!

    Se concordar com esta ban-deira de legitimidade eco-democrtica, faa contato e divulgue maciamente este pequeno texto. Poder abrir os olhos de eleitores adormecidos (e candidatos tambm!)...

    Candidatos Covardes!

    At o presente momento, s vimos panfletos e falao pela TV, de candidatos covardes (ou

    medrosos?) de publicidade cansativa e enervante

    O vdeo www.youtube.com/watch?v=ycqMgQOU-Bk apresenta o discurso de Suplicy que veementemente condena a usurpao do bem pblico por particulares na cidade de Cotia e em outras regies do Estado de So Paulo e do Brasil.

    O discurso do senador pode ser acessado tambm no Goo-gle, no arquivo Suplicy fala dos falsos condomnios.

    Esse foi um duro golpe na mfia dos falsos condom-nios que se proliferaram em diferentes cidades brasileiras, destacando-se entre elas Cotia, quase toda loteada pelo crime organizado.

    Da tribuna, o Senador d o recado certo para o prefeito de Cotia, Carlo Camargo, ao pedir que prestasse mais aten-

    o ao que vem ocorrendo em seu municpio, chamando-o a responsabilidade sobre o fechamento ilegal de vias p-blicas e a afronta Constitui-o Federal. Outras esferas de poder tambm so citadas em seu brilhante discurso, entre elas o Ministrio Pblico e o Judicirio.

    O apelo ao prefeito Carlo Camargo para por a casa em ordem, no tocante ao que esta-belece a Constituio Federal, deve tambm ser feito aos prefeitos de Embu das Artes (Chico Brito), Vargem Gran-de Paulista (Roberto Rocha), Itapevi (Ruth Banholzer), So Roque (Efaneu) e no esquecer Ibiuna, onde a moda medou!

    No se deve esquecer, toda-via, que esta luta, que hoje mo-

    biliza todo o Brasil, comeou em Cotia, nos anos 1995, com Marcnio e Paioli, fundadores da AVILESP que, indicaram o dr. Nicodemo Sposato Neto,

    como presidente at seu fale-cimento em 13.10.2009, vtima de infarto do miocrdio, oca-sionado pela luta constante a fa