game thinking

Download Game Thinking

Post on 22-Nov-2014

42.507 views

Category:

Entertainment & Humor

2 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Gamefication.

TRANSCRIPT

  • 1. Pergunta: Gamefication um fenmeno atual, certo?
  • 2. SILVIO SANTOS,GAME THINKER.GAMEFICOUO DOMINGO.
  • 3. BIG BROTHER BRASIL UMA NOVELAGAMEFICADA.
  • 4. J.J. ABRAMS,PUZZLE THINKER.GAMEFICOUUM SERIADO.
  • 5. VIRGIN GAMEFICOUUM ANNCIO.
  • 6. FESTAS DA PORCA E DO PARAFUSO. A GAMEFICAO DA CANTADA.
  • 7. MGICO,PUZZLE DESIGNER.GAMEFICA ASLEIS DA FSICA.
  • 8. VALE-TUDO AGAMEFICAODA BRIGA.
  • 9. MINOTAURO,LEVEL DESIGNER. GAMEFICOU A LINHA RETA.
  • 10. JIGSAW,GAME DESIGNER.GAMEFICOUA MORTE.
  • 11. Resposta: errado!
  • 12. ?GAME THiNK NG i Por Israel Mendes
  • 13. O raciocnio a seguir pretende explicar Gamecation como um subfenmeno dealgo maior chamado Game Thinking. Um pensamento orientado a jogos , naverdade, um pensamento orientado essencialmente lgica, objetividade, no-linearidade e interao de sistemas. Pensar para jogos pensar de modoracional e sensvel ao mesmo tempo, entendendo o ser humano como parte deum sistema dinmico que faz requerimentos constantes de suas habilidadescognitivas e tcnicas. Escolhi abordar Jogos e Brinquedos porque a ntimarelao entre esses objetos sugere um caminho mais natural e didtico paraalcanar algumas concluses possveis. Por m, a inteno conduzi-lo por umalinha de raciocnio que ressignique o fenmeno Gamecation como parte de umconceito mais abrangente, mais consistente e atemporal.Israel Mendes Publicitrio, Redator, Escritor, Estudante de Filosofia e Game Thinker. Scio da Aquiris Game Experience,um estdio de jogos situado no sul do Brasil, autor de dezenas de games para clientes nacionais e globais. Interessa-se porcomunicao, lingustica, filosofia, poesia, games, puzzles, puzzles, puzzles, brinquedos, astronomia, fsica e matemtica.
  • 14. JOGOS x BRINQUEDOS
  • 15. JOGO
  • 16. DEFINIOExerccio ou divertimento sujeito a certas regras. Dicionrio Aurlio
  • 17. DEFINIO uma atividade voluntria com um m em si prpria, que segue regrasconvencionadas e que limitada no tempo e no espao. Johan Huizinga, Historiador, autor do livro Homo Ludens
  • 18. Primeiro indciocontemporneode que a opiniopblica brasileiracomeou a repensaro papel social dosvideogames. VEJA, 2006
  • 19. PAR-OU-MPAR1) Duas pessoas escolhem entre as alternativas Par ou mpar.2) proibido ambas escolherem a mesma alternativa.3) Ambas devem revelar ao mesmo tempo um nmero X de dedos das mos.4) Se a contagem total somar um nmero par, vence quem escolheu Par.5) Se a contagem total somar um nmero mpar, vence quem escolheu mpar. Obs.: se a contagem somar zero, vence quem escolheu Par (zero par).
  • 20. 1) As denies sobre jogo se repetem em alguns momentos. Regras umtermo recorrente. Mas acima de tudo, todas elas remetem a dinamismo e amecnica clssica, como conceito fsico de movimento. Esse dinamismo, porsua vez, diretamente proporcional inrcia ou movimentao do jogador e trazembutido a ideia de tenso. Em um Jogo, algo est sempre em jogo.2) A revista Veja, em 2006, publicou na capa de uma de suas edies umadenio que atualizou a percepo negativa vigente at ento no pas. Umrepresentante to simblico da sociedade brasileira ter denido videogamescomo ginstica para o crebro (...) torna lhos mais inteligentes inaugurariauma nova postura.3) Par-ou-mpar um exemplo de Jogo com limites claros, regras rgidas e umamecnica de movimento simples: esconder e em seguida revelar os dedos dasmos sincronizadamente. No Par-ou-mpar, o acaso confere a vitria.
  • 21. Homo Homo HomoSapiens Faber Ludens pensar fazer brincar refletir trabalhar jogar ponderar construir descontrair criar progredir se divertir
  • 22. 4) Johan Huizinga, em seu livro Homo Ludens, estudou as caractersticasculturais do Jogo como um fenmeno inerente humanidade.5) O homem ento essencialmente: pensa/reete, faz/progride e joga/brinca.6) Nesse sentido, jogos so ferramentas psico-tcnicas que fazem usoharmnico e evolutivo do nosso dueto mais essencial: a mente e o corpo.7) A ludicidade, em sentido mais amplo, a premissa bsica de um Jogo. Quemjoga, se transporta conscientemente da realidade real para uma realidadeconvencionada (irreal/simulada/fantasiosa).8) Vale lembrar que em vrias lnguas os signicados de Jogar e Brincar so maisprximos do que no Portugus. Play, Spielen, Jouer, Jugar conseguem, via deregra, exprimir facilmente ambos os signicados. Jogar e Brincar, por sua vez,possuem um afastamento semntico um pouco maior.
  • 23. OBJETIVO PERSONAGENS NARRATIVA EMOO TRILHAS CENRIOS GRFICOSmatemtica fsica geometria lgica
  • 24. 9) Jogos so sistemas dinmicos e lgicos com ingredientes dramticos(mesmo os abstratos). Possuem interatividade e no-linearidade. Num Jogo,no h avano sem um jogador no controle. No possvel participar de umJogo sem ser parte dele. Apenas assistir um Jogo no jogar, ver televiso.10) Jogos tem curva de progresso. Essas curvas so planejadas para desaargradativamente as habilidades intelectuais e motoras dos jogadores. essencialque o jogador sinta isso acontecendo. Ele precisa intuitivamente perceber queos desaos propostos so compatveis e os objetivos, alcanveis.11) Dessa forma, um mundo lgico faz-se necessrio. A Lgica Elementar opano de fundo cognitivo que permite ao jogador detectar os padres de desaosapresentados e entender o que preciso ser feito para progredir no Jogo. Emum mundo jogvel inventado, espao e tempo tambm exercem papisfundamentais para limitar e determinar a grandeza do desao proposto.
  • 25. RELAO: JOGADOR-JOGO
  • 26. Neste momento sei que estou jogando. Se o Jogo JOGO for Ldico, ou no h conexo com a realidade ou ela metafrica. Se for um Simulador, h uma inteno de conexo literal mxima com a realidade, embora nunca ocorra de fato. Afinal, apenas um simulador, no a realidade em si.demanda: mental Entendimento feedback de progresso e aceitao da premissa