G1 superávit primário conjuntura

Download G1 superávit primário   conjuntura

Post on 05-Aug-2015

93 views

Category:

Economy & Finance

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<p> 1. G1 EXPLICA O SUPERVIT PRIMRIO Para explicar como funcionam as contas do governo, o G1 traa uma comparao com o oramento e os gastos de um brasileiro 2. O que ? SUPERVIT PRIMRIO o dinheiro que sobra nas contas do governo depois de pagar as despesas, exceto juros da dvida pblica. Por isso ele conhecido como a economia para pagar os juros http://g1.globo.com/economia/superavit-o-que-e/platb/ 3. Contedo Entenda Histrico Cronologia Manobras Contbeis Comparativo Conjuntura 2014 4. ENTENDA Para explicar como funcionam as contas do governo, o G1 traa uma comparao com o oramento e os gastos de um brasileiro 5. Entenda o Supervit Primrio Apresentao Jos Governo Jos, 42 anos, casado e tem dois filhos. Contador, ele mora em uma casa alugada, paga prestao do carro e tem uma empregada para ajudar no trabalho domstico O governo, com 192 anos de independncia, arrecadou mais de R$ 1 trilho em 2013, mas fechou o ano com dvida de mais de R$ 2 trilhes http://g1.globo.com/economia/superavit-o-que-e/platb/ 6. Entenda o Supervit Primrio Receitas/Ganhos Jos recebe seu salrio em dia, uma vez por ms No caso do governo, esse salrio a sua Arrecadao, que vem dos impostos e outras receitas, como privatizaes http://g1.globo.com/economia/superavit-o-que-e/platb/ 7. Entenda o Supervit Primrio Despesas/Gastos Jos tem despesas com o aluguel da casa, o supermercado, a empregada e a escola do filho, por exemplo As despesas so com os funcionrios pblicos, educao, sade e previdncia, entre outras http://g1.globo.com/economia/superavit-o-que-e/platb/ 8. Entenda o Supervit Primrio Resultado Se Jos consegue, com o salrio que recebe todo ms, pagar suas despesas daquele perodo (exceto dvidas) e ainda sobra um pouco, significa que houve supervit primrio No caso do governo, se o resultado do que ele arrecadou com impostos, menos suas despesas principais, com educao, por exemplo, der positivo, significa que houve supervit primrio http://g1.globo.com/economia/superavit-o-que-e/platb/ 9. Entenda o Supervit Primrio Perfil de Risco A consequncia disso para o Jos que ele ter uma imagem de bom pagador no mercado, j que suas contas mostram equilbrio, e conseguir obter emprstimos e fazer compras a prazo, por exemplo Para o mercado financeiro internacional, manter as contas pblicas em ordem indica que o pas tem capacidade de pagar o que deve, ou seja, tem menos risco de crdito e, portanto, poder ser um bom destino para capitais internacionais. Sua dvida confivel http://g1.globo.com/economia/superavit-o-que-e/platb/ 10. Entenda o Supervit Primrio Resultado Fiscal Se Jos teve despesas extras e acabou gastando mais do que recebeu no ms, significa que houve dficit primrio No caso do governo, se gastar mais do que arrecadou, tambm ser registrado dficit primrio http://g1.globo.com/economia/superavit-o-que-e/platb/ 11. Entenda o Supervit Primrio Receitas/Gastos Financeiros Jos tambm tem um emprstimo no banco que tomou para financiar a compra de um carro No caso do setor pblico, quando precisa de dinheiro para financiar seus gastos, porque a arrecadao no foi suficiente, ele costuma emitir ttulos pblicos que so vendidos no mercado so os emprstimos que o governo pega no mercado http://g1.globo.com/economia/superavit-o-que-e/platb/ 12. Entenda o Supervit Primrio Resultado Nominal Se no final do ms, Jos, cujas contas tiveram supervit primrio, pagou suas despesas fixas e, com o dinheiro que sobrou, pagou os juros e mais uma parte do seu emprstimo, significa que houve supervit nominal. Ou seja, o montante total do que deve para o banco diminuiu Supervit nominal quando o governo faz supervit primrio, paga os juros da dvida e ainda tem um resultado positivo, uma sobra, que usada para reduzir sua dvida pblica, ou como chamam os economistas, o estoque de sua dvida http://g1.globo.com/economia/superavit-o-que-e/platb/ 13. Entenda o Supervit Primrio Receitas/Gastos Financeiros Se sobra dinheiro, Jos consegue fazer planos para, por exemplo, investir na troca da sua geladeira e do seu fogo no prximo ms No caso do governo, ser possvel gastar mais em reas que precisem de investimento ou reduzir impostos para dar mais competitividade economia sem desequilibrar as contas http://g1.globo.com/economia/superavit-o-que-e/platb/ 14. Entenda o Supervit Primrio Resultado Nominal Se Jos pagou suas contas em dia, mas teve um supervit primrio pequeno e, por isso, s conseguiu pagar apenas parte dos juros do seu emprstimo com o banco, sem chance de quitar um tanto da sua dvida, significa que: houve dficit nominal No caso do governo brasileiro, h um dficit histrico, porque seu supervit primrio, quando comparado com o PIB (soma das riquezas do pas), baixo e os juros, que corrigem o valor da sua dvida, so altos. Por isso, o governo no consegue pagar todo o juro, muito menos abater o valor de sua dvida http://g1.globo.com/economia/superavit-o-que-e/platb/ 15. SUPERVIT: HISTRIA E IMPORTNCIA Cumprimento de metas mostra que pas bom pagador 16. dcada de 1990 No final da dcada de 1990, o Brasil estava muito endividado. Em 1998, o governo fez um acordo com o Fundo Monetrio Internacional (FMI), Banco Mundial e BIS (Banco Central dos Bancos Centrais), por uma ajuda de perto de US$ 41 bilhes, mas teve que se comprometer com uma srie de exigncias, como compromissos com estabilidade econmica e reformas da Previdncia e fiscal. O ministro da Fazenda, Pedro Malan [ esq.], e o presidente do Banco Central, Gustavo Franco durante comemorao do aniversrio de 4 anos do Real, no Centro de Treinamento do Banco do Brasil. http://g1.globo.com/economia/superavit-o-que-e/platb/ 17. 1999 Em 1999, o governo do ento presidente Fernando Henrique Cardoso implantou a meta de supervit primrio. Para 1999, foi estabelecida meta de supervit primrio de 3,1% do PIB. Quanto menor a dvida em relao ao PIB, mais o pas mostra que um bom pagador e portanto maior a chance de conseguir taxas de juros mais baixas quando tiver que pedir dinheiro emprestado. Fernando Henrique Cardoso sobe a rampa do Congresso Nacional, em Braslia (DF), durante a cerimnia de posse para o seu segundo mandato como presidente da Repblica, em 1 de janeiro de 1999. http://g1.globo.com/economia/superavit-o-que-e/platb/ 18. dcada de 2000 A Lei de Responsabilidade Fiscal sancionada em 2000, por FHC, tambm foi um mecanismo para ajudar no cumprimento das metas de supervit. O objetivo da lei era estabelecer uma espcie de freio nos gastos excessivos de prefeituras, de governos estaduais e da Unio. A lei determinava que o presidente, governadores e prefeitos no gastassem mais do que arrecadassem nem deixassem dvidas para o mandato seguinte. A inteno era melhorar a administrao das contas pblicas. Da esquerda para a direita: o governador de Santa Catarina, Esperidio Amin, a governadora do Maranho, Roseana Sarney, o ministro-chefe da Casa Civil, Pedro Parente, o presidente da Repblica, Fernando Henrique Cardoso, o secretrio da presidncia, Aloysio Nunes, o governador do Paran, Jaime Lerner, e o governador de Gois, Marconi Perillo, vistos durante reunio com governadores para tratar sobre a Lei da Responsabilidade Fiscal, no Palcio do Planalto em Braslia, Distrito Federal. http://g1.globo.com/economia/superavit-o-que-e/platb/ 19. 2009 Em 2009, no mandato do ento presidente Lula, foi sancionada a Lei de Transparncia, que s comeou a valer em 2010. Por meio dessa lei, estados e municpios com mais de 100 mil habitantes devem disponibilizar suas informaes na internet. O presidente brasileiro, Luiz Incio Lula da Silva, concede entrevista coletiva no Palcio do Itamaraty, em Braslia. http://g1.globo.com/economia/superavit-o-que-e/platb/ 20. 2013 No incio de 2013, por exemplo, o prefeito de uma cidade no interior do Paran anunciou um corte de gastos para conter um rombo nas contas da administrao municipal. As medidas adotadas incluram a reduo do seu prprio salrio. O prefeito de Cascavel, no oeste do Paran, Edgar Bueno (PDT), anuncia um corte de gastos para conter um rombo nas contas da administrao municipal http://g1.globo.com/economia/superavit-o-que-e/platb/ 21. CRONOLOGIA 22. EVOLUO DAS CONTAS PBLICAS Veja o resultado do supervit primrio do Brasil ano a ano e sua proporo em relao ao PIB http://g1.globo.com/economia/superavit-o-que-e/platb/ 23. MANOBRAS CONTBEIS 24. CONTABILIDADE CRIATIVA Com os gastos em alta, o governo usa artifcios todos legais para atingir a meta de supervit http://g1.globo.com/economia/superavit-o-que-e/platb/ 25. CONTABILIDADE CRIATIVA Com os gastos em alta, o governo usa artifcios todos legais para atingir a meta de supervit http://g1.globo.com/economia/superavit-o-que-e/platb/ 26. COMPARATIVO 27. SUPERVIT DOS PASES Veja o resultado do supervit de pases pelo mundo, em relao ao PIB (em %) http://g1.globo.com/economia/superavit-o-que-e/platb/ 28. CONJUNTURA 2014 29. Governo envia proposta ao Congresso para reduzir meta fiscal A reduo da meta de supervit primrio, enviada hoje (11) ao Congresso Nacional, tem como objetivo manter os investimentos e as polticas de desonerao em meio a um cenrio de pouco crescimento na arrecadao, disse a ministra do Planejamento, Miriam Belchior. Ela ressaltou que o governo federal est disposto a fazer o maior supervit primrio economia para pagar os juros da dvida pblica possvel dentro das dificuldades econmicas. A ministra, no entanto, no especificou de quanto ser a nova meta, dizendo apenas que os investimentos federais e as polticas de redues de tributos para estimular a economia no sero sacrificados. Segundo ela, o comportamento imprevisvel da arrecadao este ano no permite equipe econmica traar uma previso. http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2014/11/11/internas_economia,457089/governo-envia-proposta-ao-congresso-para-reduzir-meta-fiscal.shtml 30. Governo envia proposta ao Congresso para reduzir meta fiscal Durante audincia pblica na Comisso Mista de Oramento, a ministra ressaltou que o baixo crescimento da economia no afeta apenas o Brasil e que a deteriorao de expectativas justificou o volume de receitas abaixo do previsto. Segundo a ministra, praticamente todas as principais economias do mundo esto crescendo menos que o previsto este ano. De acordo com ela, a previso de crescimento caiu 1,4 ponto percentual para a ndia e 1,3 ponto percentual para os pases emergentes. A estimativa foi reduzida em 0,6 ponto percentual na China e na zona do euro. Em relao ao G20 (grupo das 20 maiores economias do planeta), Belchior disse que o Brasil um dos pases menos afetados pela crise econmica global. http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2014/11/11/internas_economia,457089/governo-envia-proposta-ao-congresso-para-reduzir-meta-fiscal.shtml 31. Governo envia proposta ao Congresso para reduzir meta fiscal http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2014/11/11/internas_economia,457089/governo-envia-proposta-ao-congresso-para-reduzir-meta-fiscal.shtml http://impresso.correioweb.com.br/app/noticia/cadernos/economia/2014/11/12/ interna_economia,149403/governo-sepulta-meta-fiscal.shtml Miriam Belchior, ministra do Planejamento O compromisso do governo , quero ser bastante clara, fazer supervit primrio este ano. Queremos fazer o melhor supervit primrio possvel, mas no temos como cravar uma meta no momento porque dependemos do comportamento da receita, que est errtica este ano. O compromisso do governo fazer o maior esforo fiscal possvel e abater o mnimo possvel do que est sendo proposto no projeto A reduo do crescimento [da economia] afetou as receitas previstas para 2014 necessrias para garantir todos os investimentos e polticas pblicas previstas no Oramento. O Poder Executivo est comprometido em fazer o maior supervit possvel at 31 de dezembro, mas, ao mesmo tempo, quer garantir a execuo dos investimentos e a manuteno dos incentivos dados por meio de desoneraes 32. Governo envia proposta ao Congresso para reduzir meta fiscal http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2014/11/11/internas_economia,457089/governo-envia-proposta-ao-congresso-para-reduzir-meta-fiscal.shtml http://impresso.correioweb.com.br/app/noticia/cadernos/economia/2014/11/12/ interna_economia,149403/governo-sepulta-meta-fiscal.shtml Miriam Belchior, ministra do Planejamento Essas dificuldades econmicas no tm efeito apenas no Brasil. Na verdade, aqui os efeitos so menores em funo das medidas anticclicas [aumento de gastos pblicos para estimular a economia] que tomamos em funo da conjuntura desfavorvel Enquanto a maioria dos pases vai ter dficit [primrio], o Brasil seguir buscando fazer supervit. Pretendemos entregar um supervit primrio em 2014 A proposta que enviamos mantm o conceito aprovado nos ltimos anos, que abater da meta [de supervit primrio] apenas aes fundamentais para crescimento do pas, como investimentos em infraestrutura e desoneraes que permitem s empresas investirem mais 33. Governo envia proposta ao Congresso para reduzir meta fiscal Miram Belchior destacou que o Brasil tem uma das menores dvidas pblicas lquidas do G20, atualmente em 35,9% do Produto Interno Bruto (PIB), e que tem uma dvida bruta quando no se desconta o que o governo tem a receber em posio intermediria entre os pases do grupo. Atualmente, a dvida bruta est em 61,7% do PIB. Pela Lei de Diretrizes Oramentrias (LDO), o governo teria direito a abater at R$ 67 bilhes da meta de supervit primrio em 2014 referentes aos investimentos do Programa de Acelerao do Crescimento (PAC) e de desoneraes. A proposta enviada hoje retira o limite, mas restringindo o abatimento a essas situaes. http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2014/11/11/internas_economia,457089/governo-envia-proposta-ao-congresso-para-reduzir-meta-fiscal.shtml 34. Governo sepulta meta fiscal O governo encaminhou ontem ao Congresso Nacional uma proposta em que praticamente abandona o compromisso de alcanar supervit primrio nas contas pblicas em 2014. Pela Lei de Diretrizes Oramentrias (LDO), o setor pblico teria que economizar R$ 99 bilhes para o pagamento dos juros da dvida neste ano. At setembro, no entanto, os gastos superaram a arrecadao em R$ 25,5 bilhes, o que tornou o objetivo irrealizvel, mesmo com todos os artifcios contbeis permitidos pela legislao. Para poder descumprir a meta de supervit sem desobedecer lei, a sada encontrada foi modificar as regras. A LDO j permitia ao governo abater da meta os recursos aplicados em projetos do Programa de Acelerao do Crescimento (PAC). O desconto poderia chegar a R$ 67 bilhes neste ano, mas a rea econmica vinha afirmando que no utilizaria todo esse valor. Com a mudana, a margem de manobra ser sensivelmente ampliada para permitir o abatimento de tudo o que for gasto com o PAC e com as desoneraes tributrias adotadas para estimular determinados setores da economia. At outubro, a despesa com essas duas rubricas chegou perto de R$ 130 bilhes. Ou seja,...</p>