frei félix de pacatuba

Download Frei Félix de Pacatuba

Post on 22-Mar-2016

260 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal em homenagem a Frei Félix de Pacatuba, quando da homenagem (in memorian) da Comenda Áureo Filho pela Câmara de Vereadores de Feira de Santana-BA.

TRANSCRIPT

  • Aldemar Melo Santos, nasceu em Pacatuba- Sergipe, em25 de outubro de 1934, filho de Agenor Carlos dos San-tos e Anita de Oliveira Melo. Filho de uma famlia de13 filhos, quando criana gostava de brincar fazendo procis-so. pedido prprio, sua primeira comunho foi vestido desoldado de Cristo. Desde sua infncia demonstrava aptidopela escrita. Ainda jovem escrevia para o jornal do Brasil noRio de Janeiro, onde descobriu sua vocao pelo sacerdcio.Em contato com os Frades do Convento dos Capuchinhos, essavocao foi amadurecendo at o dia em que ingressou paravida religiosa. J no convento foi encaminhado Itlia a fimde estudar Teologia. Dentre 320 sacerdotes, Flix representouo Brasil na Frana pela Ordem dos Capuchinhos. Na Frana,defendeu tese em idioma Francs. Bacharel em Histria, mes-trado em Sociologia pela Universidade de Rio Preto-MG e Li-cenciado em Filosofia. Poliglota, falava alm do Portugus,Latim, Grego, Italiano, Francs e Espanhol. Em Aracaj-SE foiprofessor do Colgio PIO X e da Universidade UNIT.

    Ordenado, exerceu seu sacerdcio nas cidades de Maruim-SE, Salvador-BA e Alagoinhas-BA onde foi responsvel pelafundao da Congregao Mariana nesta cidade e posterior-mente fundando a mesma congregao na cidade de Feira deSantana. Posteriormente, foi transferido para Feira de Santana,assumindo a direo do Colgio Santo Antnio, transforman-do-o em uma instituio mista (homens e mulheres). Com equi-pe de profissionais formada em sua maior parte por professo-res oriundos de Faculdades e Universidades de Salvador, rapi-damente a escola tornou-se referncia na Bahia como colgiocom as melhores aprovaes nos vestibulares.

    Engajado na busca por melhores condies de vida para asfamlias mais carentes de Feira de Santana atuou conjuntamen-te com as lideranas polticas locais em prol das melhores con-dies sanitrias e infraestrutura urbana na cidade. Na RdioSociedade de Feira de Santana, assumiu o programa Liesem Cristo com participao ativa dos jovens, com objetivo depropagar para todos as mensagens deixadas por nosso SenhorJesus Cristo. Na Parquia Senhor dos Passos tornou-se refe-rncia sacerdotal, inclusive implantando o ECC e diversas pas-torais. O Flix antes conhecido como Flix de Pacatuba (SE)tornou-se Flix do mundo. Seu dom da palavra o tornou co-nhecido por todo o estado e posteriormente o Brasil tomouconhecimento deste homem de grandeza imensurvel e inteli-

    gncia primorosa comodestacado pela Revista decirculao nacional po-ca O Cruzeiro, que oconsagrou como um dosmaiores oradores sacrosdo Brasil.

    Dentre as grandes vir-

    tudes que Frei Flix apresentava, encontrvamos a humildade,responsabilidade, carter, fidelidade e a caridade, uma se des-tacava: a responsabilidade com a educao da sociedade. Parti-cipou ativamente de vrias campanhas, lecionou e lutou politi-camente pela melhoria das condies educacionais desta cida-de. Seu ltimo sonho era construir uma escola-creche no Mina-douro para atender s crianas filhas das profissionais do sexo,aspirando uma melhor condio de vida, sade, educao e dig-nidade para que tivessem seus direitos humanos preservados.O projeto foi aprovado, mas infelizmente com a sua morte nofoi dado seguimento ao mesmo. Em 04 de Junho de 1990 morreaos 56 anos de Infarto Agudo do Miocrdio, Frei Flix dePacatuba deixando um misto de vazio nos nossos coraes pelasua ausncia, mas, sobretudo um grande orgulho pelo seu lega-do cultural e humano que perpetuar naqueles que o conhece-ram e seguem seus ensinamentos.

    Sua famlia agradece a todos que fizeram parte de sua vida elograram de sua linda e sincera amizade: aos irmos, sobrinhos,parentes, padres e frades, amigos, membros do Colgio SantoAntnio e do Colgio Gasto Guimares, aos amigos que j seforam: Milton Melo, Antnio Ferreira da Silva, Jos Falco daSilva, Colbert Martins da Silva, toda equipe mdica pela assis-tncia dada nos seus ltimos dias de vida. Agradecemos s suasfiis companheiras de todos os dias e de todos os momentosJovelina (me de criao), mais conhecida por comadre Jovi eAgnor sua irm (Dod) que moravam com ele.

    Por fim, atravs da pessoa do nobre Edil Frei Carlos Alber-to Costa da Rocha (autor do projeto) e ao ex-aluno VagnerAmaral expressamos os nossos sinceros e profundos agradeci-mentos Cmara Municipal de Vereadores de Feira de Santa-na pela outorga da Co-menda ureo Filho, bels-sima e merecida homena-gem feita ao nosso irmoFrei Flix de Pacatuba, portodo o seu trabalho reali-zado em prol da educaoem nossa cidade.

    Ser disponvel a grande e doce exigncia demeu Deus. Este Deus discreto e exigente est nocentro de tudo,no mago de tudo que a tudo temdireito,mas atento em me deixar procura-lo noesforo a fim de melhor possu-lo no amor

    Texto escrito por Frei Flix de Pacatuba

    em um de seus livros.

    Biografia

  • Memrias em FotosJos Ronaldo de Carvalho

    Conheci Frei Flix de Pacatuba atravs desua ao religiosa, educativa e social. Possodizer que ele foi um homem que marcou suapoca. Mais de uma gerao de feirensespassaram pelo Colgio Santo Antnio e dele,crianas e jovens receberam as instruesnecessrias a uma boa formao intelectual emoral, alm de conceitos e prticas queformam a religiosidade de um cidado.

    Frei Flix j no est fisicamente presenteem nosso meio, mas ficou a obra de um homemdedicado s causas que abraava.

    * * *

    Prof. Luciano RibeiroExistem pessoas que os fatos acontecem e

    elas nem percebem; existem pessoas que, sdepois que os fatos acontecem, se do contade que os fatos aconteceram; mas, existe aque-la pessoa que faz com que os fatos aconteam.

    Frei Felix de Pacatuba era uma dessas pes-soas que fazia com que os fatos acontecessem.Na religio, na educao, no social, sempreesteve a criar fatos novos que motivavam oagir e caminhar da sociedade em que vivia.

    Convivi muito com Frei Flix e, como paide famlia, cristo, educador e homem pbli-co, aprendi muitas coisas com esse homem deDeus. Toda a minha famlia sempre o amou econtinuamos a am-lo. A sua ausncia nomuda esse sentimento.

    A Parquia Senhor dos Passos home-nageia seu ex-proco Frei Flix de Paca-tuba, pela justa homenagem concedidapela Cmara de Vereadores de Feira deSantana, a este sacerdote-educador quetanto fez pela educao em nossa cida-de, levando-a ao destaque estadual atra-vs da sua gesto frente do Colgio San-to Antnio dos Frades Capuchinhos. Agratido e reconhecimento de toda a Pa-rquia Senhor dos Passos pelo seu tra-balho missionrio, educador e evangeli-zador.

    Homenagem daParquia Senhor dos Passos

    Depoimentos

  • No incio da dcada de 60, do sculo passado, Frei Flix j morava noConvento de Santo Antnio, dos Frades Capuchinhos, em Feira de Santa-na. Recentemente chegado da Itlia, mais precisamente da Fraternidadede Nossa Senhora de Loreto, Provncia das Marcas, onde durante quatroanos fizera o curso de Teologia, como era comum entre os Capuchinhos.Depois desse tempo, passara oito meses em Paris, assimilando a cultura eaprendendo a lngua francesa. Em 1962, Frei Flix, j era professor deHistria do Ginsio Santo Antnio, Bacharel em Histria pela Universi-dade Catlica de Salvador - UCSAL. Concomitantemente, exercia suamisso de sacerdote capuchinho atuando fortemente na comunidade deFeira de Santana. Excelente pregador da Palavra de Deus, Frei Flix con-tagiava a assembleia litrgica com expresso eloquente, eminente conhe-cimento bblico e proficincia litrgica. Inmeras vezes era convidado apregar nas festas dos Padroeiros, de Natal a Canavieiras, nordeste a fora.Dirigiu na Parquia de Santo Antnio, um dos maiores movimentos dejovens de Feira de Santana, a Congregao Mariana. Incontveis jovens,de todos os cantos da cidade e de todas as classes sociais seguiam osensinamentos de Jesus liderados pela carismtica figura daquele capuchi-nho alegre e acolhedor em seu hbito marrom. A partir de 1968, FreiFlix tornou-se Diretor do Colgio Santo Antnio, em cuja gesto guin-dou o colgio a 1 lugar em todo o interior baiano. A escola chegou aoauge da aceitao das famlias e dos educandos com aprovao macia nosconcursos, vestibulares e formao espiritual slida. Implantou em Feirao maior dos servios Famlia, o Encontro de Casais com Cristo quemudou a face da famlia feirense. Tornou-se pujante e foi levado a todas ascidades circunvizinhas e a outras longnquas. Feira tornou-se um centrode referncia do ECC em todo o Nordeste e um dos maiores do pas.Enfim, todos os que conviveram com Frei Flix de Pacatuba, sentem umasaudade imensa. Na verdade, ele no se foi... Ele est no meio de ns.

    Antnio Gomes de Oliveira (Toinho)Colgio Santo Antnio

    Padre, pastor, amigo, conselheiro, missionrio. tudo isso e muitomais era o nosso grande Felo. Como no lembrar da suadisponibilidade to cheia de amor para os seus fieis? Celebrou asnossas bodas de prata missa festiva numa igreja improvisada noquintal de nossa casa, pois eu estava recm operada. Recordo-metambm da ltima primeira comunho que ele celebrou, da EscolaJoo Paulo I. J cansado, sade abatida, perguntei se chamaria outrosacerdote para ajud-lo. No, disse ele. Fao questo de fazer essacelebrao. Eram 64 crianas. Confessou a todas e, sentado numacadeira no altar, ofereceu a comunho a cada uma delas. Quantaemoo! Muitos no entenderam quando pedi que alterassem o cortejodo enterro para que passasse em frente Escola Joo Paulo I, a fim deque pudssemos prestar a ltima homenagem. Decoramos a rua comrosas vermelhas, e crianas, professores e funcionrios, participaramcom cantos e aplausos e um at breve, pois amigos em Cristo no sedespedem.

    Pr Enedite (Escola Joo Paulo I)

    Amrica Carlos Chagas e Maria Lucila Ferreira de Pinho

    Trabalhar com calma e com toda calma, quer se trate de conduzir sestrelas, uma nave espacial ou de fazer uma simples ponta de lpis.

    Dom Helder CmaraEssa foi uma mensagem proferida e vivida por Lita, amiga particular

    da Professora Nena e ex-professora da Escola Ruy Barbosa. Hojeaproveitamos essa mensagem que muitas vezes est