frederico augusto ritter: de cervejeiro a doceiro

Download Frederico Augusto Ritter: de cervejeiro a doceiro

Post on 07-Jan-2017

230 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Frederico Augusto Ritter:

    De Cervejeiro a Doceiro

  • ChancelerDom Dadeus Grings

    ReitorJoaquim Clotet

    Vice-ReitorEvilzio Teixeira

    Conselho EditorialAntnio Carlos HohlfeldtElaine Turk Faria Gilberto Keller de AndradeHelenita Rosa FrancoJaderson Costa da CostaJane Rita Caetano da SilveiraJernimo Carlos Santos Braga Jorge Campos da CostaJorge Luis Nicolas Audy (Presidente)Jos Antnio Poli de FigueiredoJussara Maria Rosa Mendes Lauro Kopper FilhoMaria Eunice MoreiraMaria Lcia Tiellet NunesMarlia Costa MorosiniNey Laert Vilar CalazansRen Ernaini GertzRicardo Timm de SouzaRuth Maria Chitt Gauer

    EDIPUCRSJernimo Carlos Santos Braga DiretorJorge Campos da Costa Editor-chefe

  • Frederico Augusto Ritter:

    De Cervejeiro a Doceiro

    porAna Cristina Pires Beiser

    2009

  • Dados Internacionais de Catalogao na Publicao (CIP)

    R614B Beiser, Ana Cristina PiresFrederico Augusto Ritter : de cervejeiro a doceiro / Ana Cristina Pires Beiser. Dados Eletrnicos. Porto Alegre : EDIPUCRS, 2009. 32 p.

    Modo de acesso: World Wide Web:

    ISBN 978-85-7430-918-7 (on-line)

    1. Empresrios Rio Grande do Sul Biografias. 2. Industrializao Rio Grande do Sul Histria. 3. Ritter, Frederico Augusto Biografia. 4. Colonizao Rio Grande do Sul. I. Ttulo.

    CDD 926.58

    Ficha Catalogrfica elaborada pelo Setor de Tratamento da Informao da BC-PUCRS

    EDIPUCRS Editora Universitria da PUCRS

    Av. Ipiranga, 6681 Prdio 33 Caixa Postal 1429 CEP 90619-900 Porto Alegre RS Brasil Fone/fax: (51) 3320 3711e-mail: edipucrs@pucrs.br www.pucrs.br/edipucrs

    EDIPUCRS, 2009

    aUToRIa Ana Cristina Pires BeiserRevISo Carlos Henrique Ritter Beiser

    Eurico Saldanha de Lemos

    CaPa Samir Machado de MachadoPRojeTo gRFICo e dIagRamao Guilherme Sfredo Miorando

  • Sumrio

    7 8 9 10 14

    rvore da famlia

    Prefcio o av cervejeiro

    o Pai cervejeiro

    o filhocervejeiro

    5

  • 19 23 26 27 28

    o queijeiro,conserveiro

    e doceiro

    o vinicultor os sucessores a ritteralimentos

    hoje

    referncias

    6

  • rvore da Famlia Ritter

    GeorG HeinricH ritter + elizabetH FucHs ritterav cervejeiro

    Henrique ritter + Paulina Kessler ritterPai cervejeiro

    Frederico auGusto ritter + olGa becKer ritterFilHo cervejeiro

    Gonda ritterscHneider

    Meta ritter

    ris ritteraner

    WilMa ritterbeiser

    7

  • Prefcio

    Este trabalho o resultado da iniciativa da diretoria da Ritter Alimentos S.A. em promover a preservao da memria do processo histrico de origem e formao desta tradicional empresa gacha.

    Entre as inmeras pesquisas que a-inda esto por serem feitas para com-por um panorama industrial gacho, inclui-se a que descreve a atuao de Frederico Augusto Ritter no contexto empresarial do Rio Grande do Sul.

    Frederico Augusto Ritter foi um pioneiro ao fundar uma empresa indi-vidual em 1919 e preparar o caminho para que seus sucessores garantissem o seu crescimento e desenvolvimento. Este trabalho recupera as condies que lhe possibilitaram investir em um empreendimento inovador, na medida em que resgata o passado da sua fam-lia, que teve um papel muito importante na instalao das primeiras fbricas de cerveja no sul do Brasil.

    Agradecemos, inicialmente, ao diretor-presidente da Ritter Alimentos

    S. A. Walter Beiser, pelo convite para a realizao deste trabalho. Reconhe-cemos a importncia da colaborao e, por isso, somos especialmente gratos aos diretores conselheiros da Ritter Alimentos S. A. Frederico Werner Ha-mann, Otto Walther Beiser, Frederico Ingo Beiser e Carlos Henrique Ritter Beiser, por seus valiosos depoimen-tos sobre o passado da empresa e da famlia prestados em vrias entrevis-tas. Agradecemos a Carlos Henrique Ritter Beiser por sua inestimvel co-laborao na coleta de dados, fotos e antigos documentos existentes em seu arquivo pessoal. Ficamos muito gratos pelo trabalho de traduo para a lngua portuguesa feito por rsula Beiser do relevante artigo escrito em alemo por Hansheinz Keller sobre a famlia Rit-ter e publicado no jornal Brasil Post, em 1985. Por fim, agradecemos Dra. Cludia Musa Fay, professora do De-partamento de Histria da PUCRS, pe-las sugestes e orientaes.

    Gonda ritterscHneider

    8

  • 9

    O Av CervejeiroFrederico Augusto Ritter era um des-

    cendente de terceira gerao de imigrantes alemes. Seus avs chegaram ao Rio Grande do Sul em 1846, vindos da aldeia de Kemp-feld, localizada na regio conhecida como Hunsrck. Aps pouco mais de trs dca-das, no dia 21 de setembro de 1879, nascia o neto Frederico Augusto Ritter na cidade gacha de So Loureno do Sul.

    O av, Georg Heinrich Ritter, chegou ao sul do Brasil aos 24 anos, com os pais Johann Hein-rich Ritter II e Caroline Juliane Roth Ritter e seis irmos. Durante a viagem de navio, ele conheceu sua primeira esposa, Elisabeth Fuchs.

    A famlia veio, pois, ao Brasil du-rante a segunda fase de coloniza-o alem no Rio Grande do Sul, aps o trmino da Revo-luo Farroupilha (1835-1845). Os avs e bisavs de Frederico Augusto Ritter no viajaram para o Brasil na fase inicial da colonizao, de 1824 a 1830, pois esta primeira corrente imigratria fora interrompida em conseqncia da Lei de Oramento, de 15 de dezembro de 1830, no autorizar despesas com a imigrao. (LANDO; BARROS, 1992, p. 28)

    Contudo, os primeiros representantes da famlia Ritter a chegarem ao pas foram Philipp Jacob (Petri) Ritter e Georg Jakob (Klein) Ritter, respectivamente tio e irmo de Johann Heinrich Ritter II. O primeiro

    chegou a So Leopoldo em 29 de dezembro de 1825, com a esposa Maria Eva Catarina Wagner e uma filha. O segundo chegou em 1829, indo estabelecer-se em Estncia Velha com a esposa Maria Elisabeth Weber e mais trs filhos.

    Georg Heinrich Ritter tornou-se o pa-triarca de uma famlia que se destacaria na

    produo de cerveja no final do sculo XIX e incio do sculo XX. Inicial-

    mente, Georg dedicou-se a-gricultura e, em algum tempo,

    abriu a primeira casa de co-mrcio na Linha Nova na poca uma colnia (Picada Nova) pertencente a So Leopoldo e hoje munic-pio que integra o Vale

    do Ca. Atendia s necessidades da populao lo-cal, comprando os produtos rurais dos colonos e ven-dendo mercadorias de primeira necessi-

    dade.A casa que construiu em 1864 foi uma

    das primeiras da localidade. Nela hospedou-se o primeiro pastor da Igreja Evanglica de Confisso Luterana de Linha Nova, Hein-rich Wilhelm Hunsche, enquanto no exis-tia casa paroquial na localidade. No poro dessa antiga residncia teve incio, em 1868, a primeira fbrica de cerveja do Rio Grande do Sul. Isto foi possvel pois Georg apren-dera a profisso ainda jovem na Frana, com um tio materno que l residia.

    1. Georg Heinrich Ritter, sua residncia e cervejaria na Linha Nova.

  • 10

    O Pai Cervejeiro

    Frederico Augusto Ritter era filho do primeiro brasileiro nato do ramo que ini-ciou com Georg Heinrich Ritter com este sobrenome: Henrique Ritter. Seguindo os passos do pai, Henrique tornou-se fabri-cante de cerveja.

    Henrique Ritter nasceu em 15 de abril de 1848, cerca de dois anos aps a chegada de seus pais, Georg Heinrich Ritter e Eliza-beth Fuchs, ao solo gacho. Deste que foi o primeiro casamento de seu pai, Henrique teve oito irmos: Carolina, Elizabeth, Carlos, Filipina, Jac, Guilhermina, Catarina e Hen-riqueta. Henrique ganhou mais dois meio-irmos, Phillip e Gustav, aps o falecimento

    de sua me. Seu pai, Georg, casou-se em segundo matrimnio, em 1869, com a cu-nhada e viva de seu irmo Friedrich Georg Ritter, Maria Margaretha Konrad Ritter, que tivera cinco filhos com o primeiro marido: Maria Chistina, Elisabeth, Frederico Jac, Susana Maria e Catharina, que faleceu aos seis anos de idade. Com esse casamento, sobrinhos tornaram-se enteados, formando

    um grupo de quinze crianas e jovens na casa, entre os quais Henrique.

    A partir de 1877, j ca-sado com Paulina Kessler Ritter, Henrique Ritter dedicava-se ao co-mrcio em So Loureno do Sul, onde nasceu Frederico Augusto,

    o quarto dos onze filhos do casal. At aquele momento, Frederico Augusto tinha como irmos apenas Alvine, Paolina e Henrique Valdemar.

    Posteriormente, nasceram Carlos Oscar, Emlia, Guilherme, Adolfo, Alice, Ricardo e Olga, que faleceu antes de completar trs me-ses de idade.

    Em 1880, Henrique Ritter firmou so-ciedade com o cunhado Christian Jakob Trein, casado com Elizabeth Ritter Trein, na grande casa de comrcio que, entre 1870 e 1910, dominou a atividade comercial em So Sebastio do Ca(FORTES, 2004, p. 180). O estabelecimento, situado nessa cidade porturia, que teve importante papel no escoamento de mercadorias coloniais no incio do sculo XX, e que fora fundado em 1869 por Franz Peter Trein, pai de Christian Jakob, passou a chamar-se Trein e Ritter a partir da chegada do novo scio.

    Com a sociedade sendo desfeita em 1888, com a sada de Henrique Ritter da

    2. Henrique Ritter

  • 11

    empresa, a razo social Trein e Ritter foi alterada. Desse modo, a empresa, mais tarde, passou a chamar-se apenas Chris-tian J. Trein e Cia. e, finalmente, Frederico Mentz e Cia (FARIAS, 1999, p. 88).

    Ao retirar-se da sociedade, a fam-lia de Henrique Ritter transferiu-se para a capital do Estado. O motivo da mudana foi a necessidade de auxiliar sua prima-irm, Elisabeth Ritter Becker, - filha de Friedrich Georg Ritter e Maria Margarida Konrad Ritter, que se havia tornado enteada de seu pai aps o segundo ma-trimnio - bem como seu es-poso, Guilherme Becker, que estava muito doente.

    Guilherme Becker era proprietrio de uma cervejaria em Porto Alegre desde o ano de 1879. Henrique Ritter decidiu administrar e tra-balhar nessa empresa no perodo da enfer-midade de Guilherme e, posteriormente, durante a viuvez