fraude aguasde cascais_sansys_raizsolucoes

Download Fraude aguasde cascais_sansys_raizsolucoes

Post on 15-Jun-2015

209 views

Category:

News & Politics

2 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

fraude e concessões na privatização de Palhoça

TRANSCRIPT

  • 1. 02/08/2013 21h26 - Atualizado em 02/08/2013 21h34 http://g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2013/08/ministerio-publico-denuncia-seis- por-corrupcao-no-caso-aguas-de-palhoca.html SANTACATARINA MinistrioPblicodenunciaseisporcorruponocasoguasdePalhoa Denncia foi entregue nesta sexta-feira (2) no frum do municpio. Entidade no confirma se ex-secretrio est entre os denunciados. Do G1 SC 2 comentrios O Ministrio Pblico de Santa Catarina (MPSC) denunciou seis pessoas por corrupo ativa e passiva no caso guas de Palhoa. Os nomes no foram divulgados pela entidade, pois o processo corre em segredo de justia. A denncia foi entregue nesta sexta-feira (2) no Frum de Palhoa, na Grande Florianpolis. Segundo o MPSC, as investigaes do caso continuam. No dia 15 de julho, uma operao do Grupo de Atuao Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) prendeu em flagrante por suspeita de fraudes em licitaes na guas de Palhoa o ex-secretrio de Governo do municpio, Carlos Alberto Fernandes Jnior. Junto com ele, foram presas mais duas pessoas. Eles foram encaminhados para a Diretoria Estadual de Investigaes Criminais (Deic), em Florianpolis. Depois, foram transferidos para a Central de Triagem de Presos da Capital. Atualmente, segundo a Central, eles esto no Presdio de Florianpolis. saibamais

2. Familiares divulgam vdeo de priso de ex-secretrio de Palhoa Justia nega habeas corpus para ex-secretrio de Governo de Palhoa Prefeito de Palhoa anuncia que ir exonerar secretrio de Governo preso Na operao realizada pelo Gaeco, foram apreendidos documentos, computadores e R$ 60 mil em dinheiro que estavam dentro de um carro, que estava sendo dirigido por Carlos Alberto Fernandes Jnior. Um dia aps a priso, o prefeito de Palhoa, Camilo Martins, anunciou a exonerao do ex-secretrio. Alm disso, o executivo determinou que seja realizada uma sindicncia para apurar a veracidade das denncias e uma auditoria nos contratos da Companhia guas de Palhoa em at 90 dias. Uma licitao para contratar uma empresa para realizar os servios tcnicos da empresa guas de Palhoa tambm deve ser aberta. Fonte: http://www.tudodepalhoca.com/noticia/5801/acusados-de-corrupcao-ativa-no-caso- da-aguas-de-palhoca-usam-outra-empresa-em-licitacao-no-oeste 25/09/2013 s 16h50min - Atualizada em 25/09/2013 s 16h50min Fbio Bispo - Florianpolis Acusados de corrupo ativa no caso da guas de 3. Palhoa usam outra empresa em licitao no Oeste Oferecendo o mesmo servio comercializado pela Raiz, J-Tech ganhou licitao em Joaaba depois de escndalo 42 Views (0) Comentrio A+ A- Mesmo depois de flagrados pelo Gaeco pagando propina a agentes pblicos para renovao de contratos com a autarquia guas de Palhoa, em julho, os mesmo envolvidos no escndalo que motivou a abertura de uma CPI na Assembleia Legislativa continuam firmando contratos com prefeituras em Santa Catarina. Em agosto deste ano, o Simae (Servio Intermunicipal de guas e Esgoto) dos municpios de Joaaba, Herval D'Oeste e Luzerna contratou o mesmo servio ofertado pela Raiz Solues Inteligentes pelo valor de R$ 129 mil. A empresa vencedora do certame pertence a um dos scios da Raiz, Fbio Ribeirete, tambm indiciado entre os seis por corrupo (ativa e passiva). 4. Os indcios do conta de que mesmo sendo investigados, os empresrios continuariam participando de licitaes, mas agora com outra empresa, a J-Tech, que disponibiliza software de saneamento. O proprietrio da empresa, Fbio Ribeirete, acusado pela Justia de ter oferecido propina para ao superintendente da guas de Palhoa, Allan Pyetro, e a Carlos Alberto Fernandes, o Caco, secretrio de governo na poca. Com isso, Ribeirete e Luiz Fernando Oliveira, o Dentinho, esperavam a renovao do contrato de R$ 2 milhes entre a prefeitura e a empresa Raiz. Ribeirete diz que a J-Tech desenvolveu o SanSys do qual a Raiz cliente. Na verdade tnhamos uma parceria onde a Raiz comercializava o servio e ns oferecamos o software, afirma. Depois do envolvimento da empresa que administra o sistema de saneamento de 26 municpios no escndalo de Palhoa, Ribeirete diz que a sociedade com a Raiz est sendo revista. Estamos revendo o modelo de parceria entre as empresas, comentou, 5. afirmando que ainda existem contratos vigentes entre as duas empresas. A empresa Raiz, principal alvo das investigaes, fornecia duas modalidades de servios de saneamento, que passaram a serem implantados em processos de municipalizao dos servios que eram prestados pela ento estatal Casan. Em algumas cidades, a empresa presta todos os servios, desde a gesto informatizada aos trabalhos de manuteno na rua. Em outros casos fornecia apenas o software de gesto SanSys, o mesmo que contratado por Joaaba da J-Tech. Deputada quer investigao estadual Ontem, a deputada Angela Albino (PCdoB) protocolou requerimento contestando a deciso da Comisso de Constituio e Justia que limitou as investigaes da CPI das guas apenas para episdio de Palhoa. A inteno de limitar a comisso de inqurito foi do deputado Maurcio Escudlark, por considerar que no havia fato determinado para uma investigao estadual. Por falta de coro o pedido da parlamentar no foi levado votao, ficando para prxima sesso ordinria. Angela Albino sustentou que a comisso vai investigar os atos de municipalizao dos sistemas de saneamento. Em seu requerimento, a parlamentar lembrou-se da existncia de editais idnticos em diversos municpios, onde at os erros de portugus se repetem e que os scios acusados de oferecerem R$ 280 mil em propina no atuam apenas em Palhoa, mas em 26 municpios por meio de 23 contratos. 6. Com os processos de municipalizao dos servios de saneamento, a Casan estima uma reduo de 45% em suas receitas. E mesmo sendo a 7 maior economia brasileira, o estado de Santa Catarina tem apenas 17% do estado com saneamento. O Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina orientou pelo menos dois municpios a anularem seus editais de municipalizao de servios de gua e saneamento. Em nove processos de terceirizao analisados pelo TCE, seis foram considerados irregulares, apenas dois regulares sendo que ltimo restante ainda no foi apreciado. Camilo foi avisado por Pitanta No dia 24 de junho, o presidente da Cmara Municipal, Nirdo Arthur da Luz, o Pitanta, encaminhou ofcio ao ento recm empossado prefeito Camilo Pagani alertando sobre ilegalidades na renovao do contrato com a empresa Raiz e pedindo uma nova licitao para o setor. Mesmo assim, a renovao do contrato aconteceu no dia 12 de julho. No mesmo dia, segundo a investigao do Gaeco, o empresrio Dentinho repassou R$ 100 mil para Caco, em frente a sua casa. A segunda parcela do negcio seria acertada no dia do flagrante, 15 de julho. Meses antes de Camilo assumir, em maro, o ento prefeito Pitanta chegou a autorizar um termo aditivo que reajustou os valores que a prefeitura repassava para a Raiz Solues. Uma sindicncia e uma auditoria foram instaladas em Palhoa para apurar na esfera administrativa as ilegalidades. Ao total foram seis indiciados: Carlos Alberto, engenheiro; Carlos Alberto Fernandes Jr, 7. secretrio de governo; Allan Pyetro, superintendente da guas de Palhoa; os scios da Raiz, Luiz Fernando de Oliveira, o Dentinho, e Fbio Ribeirete, que tambm scio da J-Tech, alm da servidora Janana de Farias. POSTADO POR: RENATO DE OLIVEIRA NOSSA PGINA NO FACEBOOK: HTTP://WWW.FACEBOOK.COM/TUDODEPALHOCA Fonte: http://ndonline.com.br/florianopolis/noticias/106879-acusados-de- corrupcao-ativa-no-caso-da-aguas-de-palhoca-usam-outra-empresa-em- licitacao-no-oeste.html 8. Fonte: http://www.jfolharegional.com.br/Mostranovo.asp?Noticias=18561&Classe=Andradina Share on facebookShare on twitterShare on emailShare on printMore Sharing Services1 Fraude: Gaeco fecha o cerco em contratos de concesso de gua Publicado em 02/08/2013 s: 08:44:22 Sindicato exige CPI e reestatizao do sistema de abastecimento de gua. Secretrio de Administrao que assumiu interinamente a guas de Palhoa garante auditoria em todos os contratos da companhia. O Jornal da Cidade de Palhoa, onde o Gaeco fez a priso do Secretrio Municipal e do dono da empresa Raiz Solues Sansys, diz que o Presidente do Sindicato dos Trabalhadores de gua e Esgoto de Santa Catarina afirma que a empresa privada Raiz Solues Sansys teria se apropriado de um sistema de gerao de contas de gua da empresa pblica do Estado de Santa Catarina (CASAN) para utilizar nas concesses privadas de gua e esgoto e com isso, o escndalo das guas de Palhoa toma propores incalculveis, possivelmente chegando ao interior de So Paulo como Andradina e Castilho 9. Concesso de gua e esgoto SC - A operao do Grupo de Atuao Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), na semana passada, em Palhoa, que culminou com a priso do ex-secretrio municipal de Governo, Carlos Alberto Fernandes Junior (Caco), continua a repercutir no meio poltico palhocense e at estadual. As supostas irregularidades em contratos da guas de Palhoa com uma empresa terceirizada viraram causa para o pedido, por parte de vrios segmentos da sociedade, de uma Comisso Parlamentar de Inqurito (CPI) sobre a autarquia. O Sindicato dos Trabalhadores em gua, Esgoto e Meio Ambiente de Santa Catarina (Sintaema) apoiou o protesto contra a corrupo, realizado no final da tarde dessa tera-feira, 23, em frente Prefeitura de Palhoa. A entidade exige do prefeito Camilo Martins (PSD) e dos vereadores a instalao da CPI das guas e a reestatizao do sistema de gua e esgoto na Cidade. O presidente do sindicato, Odair Rogrio da Silva, reafirmou que desde 2002 a posio do Sintaema contrria municipalizao dos servios. Nenhum municpio teve condies de atrair investimentos para o saneamento, constatou. O dirigente sindical qualifica de processo nebuloso as municipalizaes dos sistemas de abastecimento de gua e esgotamento sanitrio em vrias cidades do Estado e citou como exemplo Barra Velha, Palhoa, Garopaba e Iara. O saneamento em Santa Catarina virou balco de negcios, antes no tnhamos provas, mas agora esse esquema de corrupo est se materializando,