fÓrum de prÓ-reitores de pesquisa e pÓs ?· pontos de sedimentação acelerada atingem o rio...

Download FÓRUM DE PRÓ-REITORES DE PESQUISA E PÓS ?· pontos de sedimentação acelerada atingem o rio Araguaia,…

Post on 26-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

1

FRUM DE PR-REITORES DE PESQUISA E PS-GRADUAAO

DAS INSTITUIOES DE ENSINO SUPERIOR DA REGIO

CENTRO-OESTE

SECRETARIAS PARA ASSUNTOS DE C&T DA REGIO CENTRO-OESTE

FUNDAES DE AMPARO A PESQUISA DA REGIO CENTRO-OESTE

CINCIA E TECNOLOGIA PARA O BRASIL CENTRAL

PROGRAMA PR-CENTRO OESTE

Julho 2009

2

O Pr-Centro Oeste um Programa elaborado pelo Frum de Pr-Reitores de

Pesquisa e Ps-Graduao da Regio Centro Oeste (FOPROP-CO), com a adeso das

Secretarias Estaduais para assuntos de CTI - CO (CONSECTI), Fundaes de Amparo

Pesquisa - CO (CONFAP) e com a participao de pesquisadores de instituies de

ensino e/ou pesquisa da Regio.

O Programa prope o estabelecimento de UMA REDE DE ENSINO E

PESQUISA e foi construdo considerando-se a capacidade instalada na Regio no que

se refere formao de recursos humanos, produo do conhecimento cientfico

tecnolgico, e a iniciativas que visam inovao com o objetivo ao benefcio da

sociedade em geral, no mbito de dois importantes biomas nacionais, o Cerrado e o

Pantanal.

Pretende-se a partir de sua execuo, que a Regio disponha de ativos de

conhecimento e densidade de recursos humanos suficientes e necessrios para instalao

de plos cientficos, tecnolgicos e de inovao ancorados fortemente em instituies de

ensino e pesquisa, organizadas em rede e com oferta altamente qualificada para

formao de recursos humanos.

Diante desta viso de futuro, o Programa estabelece um Plano de Aes com

objetivos de curto prazo, eixos de atuao e propostas de aes e linhas de pesquisa a

serem trabalhados para consecuo dos objetivos.

JUSTIFICATIVA

O Programa Pr-Centro Oeste foi elaborado tendo como base as

potencialidades, os pontos fortes e as fragilidades da matriz de CT&I na regio. Assim

foi considerada a produo cientfica tecnolgica na rea ambiental; a densidade atual

dos cursos de ps- graduao e suas reas de influncia; as diferenas intra- regionais

na produo de conhecimento e tecnologias; as competncias instaladas na participao

em redes e em ferramentas de gerao de produtos biotecnolgicos.

A partir destes dados estabeleceu-se o consenso da existncia de condies de

ampliar a formao de recursos humanos, adensar a produo de conhecimentos e

avanar na transformao de tecnologias no uso sustentvel dos recursos naturais de

3

dois biomas -cerrado e pantanal- contidos, em grande parte, na regio Centro Oeste,

principal rea de influncia das IES.

O Cerrado constitui uma rea de 2.055.034 km2 dos quais 57% deste encontram-se

na regio Centro Oeste, que por sua vez, possui uma extenso de 1.600.558 km2. O

Pantanal ocupa uma rea de 151.199 km2 e em sua totalidade encontra-se na Regio

(Fig. 1).

O Cerrado, ainda, exerce maior influncia no Pantanal do que qualquer outro

domnio morfo-climtico entremeando-se a ele no sentido leste-oeste e constitui a

formao mais representativa, 36,4%, da vegetao do Pantanal.

Dados indicam que mais de 40% e 12% do cerrado e pantanal, respectivamente, se

encontram em estado de degradao motivado principalmente pela utilizao de forma

no sustentvel (Fig. 2). Adicionalmente, parte destes biomas mais suscetvel

degradao por eroso hdrica sendo os solos mais delgados e menos permeveis -

Cambissolos e Neossolos Litlicos - os mais vulnerveis. Alm destes, os Neossolos

Quartzarnicos, que esto presentes em quase 15% do bioma Cerrado so suscetveis

eroso e arenizao, bem como os terrenos com Latossolos de textura mdia, porm

com elevados teores de argila dispersa.

Nesse sentido se destacam o Sudoeste e o Oeste de Gois, o Nordeste de Mato

Grosso do Sul e o leste de Mato Grosso, sobretudo nas bacias do rio Araguaia, Paraguai

e Paranaba. Um grande leque aluvial do rio Taquari desvia o curso do prprio rio e

pontos de sedimentao acelerada atingem o rio Araguaia, o Paranaba, o Tocantins, o

Taquari e outras expressivas artrias do Cerrado e do Pantanal, alm de seus numerosos

afluentes.

Parte significativa do Pantanal ainda est em formao do ponto de vista geolgico,

o que o torna especialmente vulnervel, j apresentando problemas de sedimentao

acelerada em vrios pontos, cujas fontes encontram-se fora dele, nas cabeceiras dos

tributrios dos principais rios, como o Taquari.

O Cerrado abriga um rico patrimnio de recursos naturais e uma das mais ricas

biodiversidades dentro da vegetao de savanas do mundo. Grande parte desta

4

biodiversidade permanece desconhecida, e assim, o cerrado apontado como uma das

25 reas do mundo consideradas crticas para a conservao. O Pantanal, com sua

grande beleza e riqueza em biodiversidade conta tambm com reas consideradas

prioritrias para conservao e que ainda carecem de inventrios, primeiro passo para o

estudo sobre biodiversidade e essencial para avaliao do status de conservao.

Finalmente, o Cerrado e o Pantanal abrigam diversas etnias indgenas, comunidades

tradicionais e locais, com profundo conhecimento sobre a diversidade biolgica,

envolvendo conhecimento da composio, estrutura e funo nas diversas escalas de

anlise da biodiversidade, assim como seu uso e manejo.

Dada esta situao as Instituies se imputam grande responsabilidade em termos de

ensino, gerao do conhecimento e insero social. Neste sentido consideram cruciais

questes relativas ao meio ambiente, com nfase nos biomas nacionais, os quais

precisam, com urgncia, serem resgatados em seu potencial, para a garantia da vida no

planeta, tendo como eixo o desenvolvimento sustentvel.

PROPOSTA DA REDE

Neste cenrio acima mostrado, insere-se a proposio da presente Rede de Ensino e

Pesquisa considerando a inequvoca necessidade de se bem conhecer e utilizar de forma

sustentvel os biomas, Cerrado e Pantanal. Para tal, embora a problemtica, existe nas

Instituies de Ensino e Pesquisa da regio Centro-Oeste o potencial de recursos

humanos e de pesquisa instalado, capaz de enfrentar e vencer o grande desafio ora

existente, o que passa necessariamente pela formao de recursos humanos e produo

do conhecimento alm da gerao de produtos e processos, para a regio e para o Brasil.

Especificando, 15 das 22 IES da Regio que possuem programas de Ps-Graduao,

tm despendido grande esforo no sentido de formar o maior nmero possvel de

profissionais com nvel de excelncia de modo a corresponder ao investimento do

governo em sua formao incluindo aspectos que demandam defesa nacional (Quadro

01).

5

Estas15 IES contam hoje com 191 Programas de Ps-Graduao constitudo por 172

mestrados acadmicos, 14 mestrados profissionalizantes e 77 doutorados. Do total de

programas/cursos, 90 e 72 possuem conceitos 3 e 4, respectivamente. Apenas 25

possuem conceito 5, cinco possuem conceito 6 e um, conceito 7 (Quadro 2).

Na temtica meio ambiente, as IES possuem 65 Programas de Ps-Graduao os

quais comportam 54 mestrados e 26 doutorados. Atuam nestes programas 1.156

docentes com um nmero aproximado de 1.418 vagas, ofertadas anualmente para

discentes. Importa ressaltar que os conceitos CAPES desses programas nivelam aos j

citados (Quadro 3).

Conforme reconhecido, a pesquisa alavanca a Ps-Graduao com reflexo

imediato na produo cientfica, tecnolgica e de inovao, e muito embora o grande

esforo dos docentes, esta ainda bastante frgil na regio Centro Oeste.

Neste sentido, cumpre mencionar que as IES, tomando, como referencial os

grupos de pesquisa cadastrados no CNPq, possuem hoje 184 grupos na rea ambiente,

dos quais poucos so consolidados. Adicionalmente, do total de docentes/ pesquisadores

dos programas da rea ambiente, apenas 691 possuem publicao em peridico Qualis

CAPES, totalizando 3.114 publicaes nos ltimos trs anos (Quadros 4 e 5). Vale

ainda considerar que do total de publicaes, 44% so de autoria de docentes da UnB,

caracterizando forte discrepncia intra-regional, ainda no polarizada a favor de grupos

emergentes

Em outro ngulo, com a globalizao e a crescente participao de empresas

baseadas na utilizao do conhecimento no mercado internacional, nos ltimos 20 anos,

impe-se necessidade de catalisao do desenvolvimento do processo da inovao, sob

pena de um pas perder capacidade competitiva em reas estratgicas.

No Brasil, os projetos arrojados de P&D tornaram o pas competitivo

internacionalmente nas reas de agricultura, aeronutica e em alguns setores da sade

(vacinas). Entretanto, o pas ainda inova pouco, e apenas 1,7% das empresas brasileiras

inovam e diferenciam produtos.

6

Em adio, o Pas necessita com urgncia considerar estratgias de

desenvolvimento com foco na inovao e dentre estas desenvolver tecnologias

portadoras de futuro com destaque para nanotecnologia, biotecnologia, energia

renovvel e TICs- definidas como prioritrias dentro do PDP Poltica de

Desenvolvimento Produtivo - 2007.

Estas so reas que concentram o conhecimento e constituem, se utilizadas para

a gerao de produtos e processos, de grande potencial de mercado, inovao e

transformao no mercado dinmico do mund