fórum da região sudeste ciclo de debates em visa - desafios e tendências

Download Fórum da Região Sudeste Ciclo de Debates em VISA - Desafios e Tendências

Post on 07-Apr-2016

219 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Frum da Regio SudesteCiclo de Debates em VISA -Desafios e Tendncias

  • ObjetivoMobilizar os profissionais de Vigilncia Sanitria e a sociedade para o fortalecimento do Sistema Nacional de Vigilncia Sanitria (SNVS) em busca da melhoria da efetividade e sua contribuio no desenvolvimento sanitrio e socioeconmico do pas.

  • Local e perodo

    EventoDataLocalSeminrio Internacional30/6 a 1/7BrasliaFrum regio Sul7 a 9/07CuritibaFrum regio Sudeste21 a 23/07Belo HorizonteFrum regio centro-oeste17 a 19/08GoiniaFrum regio Nordeste1 a 3/09NatalFrum regio Norte28 a 30/9BelmFrum Nacional21 a 23/10Braslia

  • Ser um momento ainda de mobilizao dos diversos atores envolvidos com a Vigilncia Sanitria para a XV Conferncia Nacional de Sade, agendada para dezembro deste ano. As vagas para participao presencial no Ciclo de debates so limitadas e foram definidas pela Comisso Organizadora Tripartite, mas todos podem participar assistindo aos eventos transmitidos em tempo real.

    Quantidade de vagas por COSEMS Estadual: 10 vagas.

  • Eixos Temticos: Eixo 1: Vigilncia Sanitria e regulao no mundo contemporneo:O propsito da vigilncia sanitria est definido como um conjunto de aes voltadas preveno e proteo da populao dos riscos relacionados ao uso de produtos e servios de interesse da sade. Essa finalidade reforada e contrabalanceada com outros objetivos sociais, como a garantia de acesso por parte da populao a bens seguros e de qualidade para proteo aos direitos de cidadania e consumo. Ajudam a compor esse quadro as questes econmicas que permeiam o desenvolvimento do Pas, conferindo maior competitividade ao mercado nacional em busca de um ambiente regulatrio mais estvel, moderno e transparente. A abertura dos mercados, a formao de blocos econmicos, o aumento do fluxo de pessoas e de tecnologias de interesse da sade em escala global acentuam a necessidade de adaptao e fazem com que as relaes entre pases e suas prticas regulatrias sejam continuamente aprimoradas. Intercambiar produtos tambm via para a ampliao das fronteiras dos riscos, exigindo maior integrao de informao entre as autoridades estrangeiras e entendimento sobre as efetivas medidas de gesto do risco.

  • Eixo 2 - Coordenao Federativa das Aes de Vigilncia Sanitria:Nesse eixo espera-se que sejam discutidas as questes relativas descentralizao das aes de vigilncia sanitria, considerando o marco normativo vigente do SUS e o decreto n. 7508/2011 que prope a regionalizao das aes de sade. Neste contexto fundamental que se discuta a organizao e a gesto do SNVS com vistas ao fortalecimento do papel de cada ente federado. Considera-se necessrio a reflexo sobre o modelo de descentralizao das aes de Visa em curso, no qual de responsabilidade do ente municipal a execuo das aes independente da complexidade, populao exposta e outros elementos que compem o risco sanitrio. Alm disso, sugere-se refletir sobre o modelo de coordenao e gesto das aes descentralizadas adotado pelos entes federal e estadual. Nesse ponto, as discusses devero abarcar os temas sobre regionalizao e financiamento, alm do modelo de gesto das aes descentralizadas de Visa.

  • Eixo 3 - O trabalhador e o trabalho de VisaA efetividade de resposta do SNVS est diretamente ligada com a sua fora de trabalho. O processo de trabalho em Visa apresenta especificidades devido natureza dos objetos de interveno e seu carter estatal regulatrio. Sua ao torna-se ainda mais complexa em funo da variedade de riscos apresentados pela vida moderna, o avano tecnolgico, as novas formas de organizao econmica, entre outros fatores. Diante isso, necessrio que profissionais de Visa sejam capazes de criar solues geis para problemas novos e atuem de forma imparcial, isentos de presses polticas. Precisam, ainda, reorganizar seus processos de trabalho, baseado em critrios de risco, para atender demanda de modernizao da gesto, imprimindo novas maneiras de pensar, novas prticas de planejar, gerenciar, executar e avaliar as aes de vigilncia sanitria. Essas caractersticas exigem uma fora de trabalho em Visa em quantidade suficiente e com competncias tcnicas e gerenciais em constante capacitao e atualizao de conhecimentos.

  • Eixo 4 - A Visa e suas relaesComponente indissocivel do SUS, a Visa atua de forma integrada e conjunta com outros rgos da sade e com outros setores da sociedade. Assim, importante prioriz-la na agenda poltica do SUS e organizar suas prticas considerando as necessidades de sade da populao brasileira. A articulao da Visa com polticas pblicas transsetoriais tambm essencial para a estruturao de mecanismos eficientes e geis de proteo. A construo de parcerias com os rgos de defesa do consumidor, com a sociedade civil organizada, com o setor agropecurio, de meio ambiente, com instituies de ensino e pesquisa, institutos de metrologia, entre outros, amplia o olhar do SNVS e aumenta sua capacidade de resposta.

  • OBRIGADA!

    E-mail: info@cosemsmg.org.brSite: www.cosemsmg.org.br