formandos: antónio pinto; patrícia pinto & patrícia teixeira

Download Formandos:  António Pinto;      Patrícia Pinto &     Patrícia Teixeira

Post on 24-Feb-2016

72 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

As Mulheres Indianas!. Formandos: António Pinto; Patrícia Pinto & Patrícia Teixeira Formadora: Dr. Márcia Gonçalves Domínio: Cidadania e Mundo Actual. Lixa, 04 de Novembro de 2009. Nascimento na Índia. - PowerPoint PPT Presentation

TRANSCRIPT

Diapositivo 1

Formandos: Antnio Pinto; Patrcia Pinto& Patrcia TeixeiraFormadora: Dr. Mrcia GonalvesDomnio: Cidadania e Mundo ActualAs Mulheres Indianas!Lixa, 04 de Novembro de 2009

A ndia tem um dos menores ndices de nascimento de mulheres do mundo. Segundo o censo de 2001, nascem apenas 927 mulheres para cada 1000 homens. Para cada 100 mil nascimentos, morrem 540 mulheres indianas no parto ou em consequncia de complicaes da gravidez.As mulheres recebem menos cuidados de sade que os homens, muitas vezes so foradas a ter vrios filhos, at um ser homem, no recebem cuidados adequados durante a gestao e sade reprodutiva.Nascimento na ndiaAs roupas IndianasAs roupas delas so bem tpicas, muito coloridas, usam muita bijutarias, pulseiras com purpurinas, colares, cordoes, anis com pedras coloridas, usam tanta coisa, que quando andam fazem barulho!!!

3O sri um traje nacional das mulheres indianas, constitudo de uma longa pea de pano que envolve e cobre todo o corpo. So utilizados cerca de 6 metros de tecido.Fora o uso tradicional como vestimenta (vestia) este tecido tambm pode ser usado na decorao, como na fabricao de cortinas, almofadas, toalhas de mesa, travesseiros, etc.

Sensualidade IndianaA mulher indiana no mostra nem ombros nem pernas. Ela conquista com o sri, as jias, imitando a deusa Lakshmi, com muitos adereos, kajal nos olhos, henna nos cabelos, brincos, anis... No casamento, a mulher no ganha liquidificador ou batedeira, recebe jias. Muitas jias.

O sri uma roupa tpica indiana para mulheres. A palavra 'sri' vem do snscrito e significa roupa. As suas cores so fortes, os tecidos cuidadosamente trabalhados e o resultado chama a ateno. O tecido pode ser rico em bordados, de seda, de algodo, com lantejoulas, ou pode ser simples, daqueles confortveis para ficar em casa. O tecido utilizado varia de 4 metros a 9 metros (que d bastante pano para a manga) por 1.5m de largura.

A forma de amarrar o sri no complicada. O sri na verdade no uma vestimenta, pois no se veste; ele simplesmente um tecido enrolado no corpo, sem costuras, botes, zperes, colchetes ou velcros. O tecido deve ser sempre enrolado no corpo no sentido anti-horrio. O sri no deve arrastar no cho, para no sujar, mas deve cobrir os ps e a angua. Para isso, aconselha-se utilizar uma sandlia de salto alto.

Dana Indiana!

A dana mais popular da ndia a Bharathanatyam. Ela clssica tradicional, onde os danarinos fazem lindos e suaves movimentos e poses. As letras deste tipo musical falam das grandes realizaes de deuses e heris da mitologia. Esta dana surgiu h mais de 5 mil anos no sul da ndia e influenciou outros estilos de dana em vrias regies da ndia e do continente asitico.A msica tradicional indiana resultado da fuso musical dos diversos grupos tnicos e lingusticos da regio. As letras seguem um carcter emotivo e descritivo. Um dos instrumentos musicais mais utilizados na musica tradicional indiana a tambura (instrumento de cordas).Na arquitectura histrica destacam-se os tempos (locais das cerimonias religiosas). Estes chamam a ateno pela beleza dos detalhes e riqueza na decorao. O Taj Mahal, situado na cidade de Agra, uma das obras de arquitectura mais conhecidas deste pas. Com influncia islmica, este mausolu considerado pela UNESCO como um Patrimnio da Humanidade.Casamento IndianoO casamento, na ndia, no visto como uma atitude de dois indivduos, mas uma aco em famlia, que compromete a reputao das pessoas envolvidas por geraes e deve ser muito bem planejado, porque o divrcio, apesar de legal extremamente estigmatizado.

Para a sociedade indiana, a mulher representa um pesado encargo financeiro, uma vez que, aquando do casamento, a famlia da noiva ter de efectuar o pagamento do dote.Na verdade, o sistema tradicional do casamento indiano determina que as raparigas deixam a casa dos seus pais permanentemente no dia do seu casamento para integrar o ncleo familiar do seu marido, acompanhadas por um montante significativo.

O ritual do casamento dura de trs a sete dias. Na noite anterior ao casamento, acontece a cerimonia chamada de Sangeet. Durante a festa, a famlia e os amigos dos noivos fazem uma apresentao e depois um DJ indiano comanda a comemorao, com msicas dos famosos filmes de Bollywood e a Bhangra Dance.

As mulheres no trabalhoEm termos de quantidade, a ndia tem um dos maiores ndices de participao da mulher no mercado de trabalho

As mulheres trabalham mais horas e em tarefas mais rduas que os homens. Ainda assim, o seu trabalho no reconhecido.Ainda que existam leis que protegem a mulher, elas no so devidamente cumpridas.

Dos 15 milhes de meninas nascidas anualmente na ndia, cerca de 25% no vai sobreviver at seu aniversrio de 15 anos.

A prtica de infanticdio ainda existe em algumas regies da ndia. Bebs do sexo feminino so mortos atravs do consumo de arroz e leite envenenados, geralmente oferecidos pelo homem mais velho da famlia.

O aborto!

Quando as meninas escapam de ser assassinadas, no primeiro ano de vida, so vtimas de um assassinato gradual. No so enviadas escola, trabalham duro em casa e morrem de desnutrio ou total abandono de cuidados de sade.Os ndices de suicdio, entre as meninas, so assustadoramente maior que entre os meninos. Estudo publicado no reconhecido jornal cientfico britnico The Lancet mostrou que o ndice de suicdio entre as meninas, entre 10 e 19 anos de 148 para cada 100.000 enquanto que entre os meninos esse nmero cai para 58 em cada 100.000.

Se a menina sobreviver a tudo isso, e conseguir que a famlia arranje um casamento, ela ainda estar correndo risco de ser queimada viva, no que se convencionou chamar de bride-burning, e que poderia ser traduzido por queima da noiva.Mulheres Vivas na ndia!

Segundo o censo (recenseamento) de 1991, 8% de todas as mulheres da ndia so vivas, o que significa cerca de 34 milhes de pessoas. Como o costume o casamento das meninas muito novinhas, 50% das vivas tm menos de 50 anos de idade. No grupo acima de 60 anos, 64% das mulheres so vivas, enquanto que apenas 6% dos homens so vivos. Essa diferena brutal de gnero existe por causa da alta incidncia de vivos que se casam novamente, enquanto que um novo casamento, na prtica, continua a ser uma opo bastante improvvel para as mulheres.

Apesar dos nmeros, sabe-se pouco sobre a vida dessas mulheres, na ndia. A marginalizao tornas invisveis. O que sabemos que elas vivem em completa pobreza, desemprego, sem acesso aos meios de produo, sem educao formal e a sofrer por supersties que ainda esto bastante fixadas na cultura indiana. J em 1956, um ato hindu estabeleceu que as vivas devem ser consideradas iguais a todas as mulheres, mas a tradio fala mais alto.

Por causa de todas privaes que passam, as vivas tm um ndice de mortalidade 85% maior que as mulheres casadas. Apesar das pssimas condies das Casas de Vivas, muitas preferem viver nelas do que ficar com a famlia do ex-marido, sendo constantemente abusadas sexualmente e fisicamente. O Sati, ou a queima da viva viva numa fogueira, junto com o corpo do marido morto, ainda que rarssimo e tenha sido banido do pas desde 1829, foi noticiado um caso em 2002, quando uma viva de 68 anos cometeu suicdio, queimando-se viva com o marido.

Desde os anos 40, vinte e cinco casos de Sati ainda foram registados na ndia, inclusive meninas de 18 anos de idade. Grupos feministas mobilizam se para evitar a adorao a mulheres que cometeram esse sacrifcio, como forma de evitar um ressurgimento (renascimento) dessa prtica.

Fim!