Formalidade e salário mínimo regional

Download Formalidade e salário mínimo regional

Post on 18-Jul-2015

830 views

Category:

News & Politics

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<p>Apresentao do PowerPoint</p> <p>Formalidade e o Salrio Mnimo Regionalwww.fee.rs.gov.brTemplate de capaEm coletivas, a capa deve conter o nome do Ncleo e do Centro realizador da pesquisa. A equipe listada na pgina final.1No Brasil, Polticas Pblicas raramente so avaliadas adequadamente;</p> <p>Sem avaliao, as polticas acabam sendo julgadas por suas intenes e no pelos seus resultados;</p> <p>O Salrio Mnimo Regional do RS uma dessas polticas;</p> <p>Nosso objetivo foi avaliar o efeito do Salrio Mnimo Regional sobre o tamanho do mercado de trabalho formal da economia.</p> <p>www.fee.rs.gov.brMargem de segurana:Todo texto, figuras, grficos e tabelas no devem ultrapassar essa margem, a fim de tornar o layout mais limpo e compreensvel. 2</p> <p>www.fee.rs.gov.brResumo dos ResultadosO Salrio Mnimo Regional reduz o tamanho do mercado de trabalho formal da economia gacha.Essa reduo mais sensvel quando o diferencial entre os mnimos Regional e Nacional maior.</p> <p>Fonte: Elaborao Prpria; Dados Brutos: PNADwww.fee.rs.gov.brPercentual de Formais no RS</p> <p>Fonte: Elaborao Prpria; Dados Brutos: PNADwww.fee.rs.gov.brTeoria do Salrio MnimoQuando os empregadores tm poder de mercado (um monopsnio, por exemplo), o salrio mnimo pode elevar o nvel de emprego (formal);</p> <p>Quando o mercado de trabalho competitivo (muitos empregadores e empregados), o salrio mnimo gera desemprego e/ou informalidade;</p> <p>www.fee.rs.gov.brO efeito do salrio mnimo sobre o tamanho do mercado de trabalho formal um problema emprico. </p> <p>Como calcular o efeito do Salrio Mnimo sobre o tamanho do mercado de trabalho formal?</p> <p>Precisamos observar o tamanho do mercado de trabalho formal quando h Salrio Mnimo Regional e quando no h.www.fee.rs.gov.brProblema: ns s observamos um dos mundos de cada vez.</p> <p>Quando o Salrio Mnimo existe, ns no conseguimos observar como as coisas seriam se ele no existisse. Teramos que observar o contrafactual.</p> <p>Logo, o contrafactual precisa ser estimado adequadamente.www.fee.rs.gov.brComo no estimar o contrafactual</p> <p>www.fee.rs.gov.brPor que errado?</p> <p>Os salrios mnimos (nacional e regional) e o nvel de formalidade de uma economia so pr-cclicos.</p> <p>www.fee.rs.gov.brEvoluo dos Rendimentos do Trabalho Principal (em Reais)</p> <p>Fonte: Elaborao Prpria; Dados Brutos: PMEwww.fee.rs.gov.brEvoluo dos Rendimentos do Trabalho Principal (em Reais de jan. de 2014)</p> <p>Fonte: Elaborao Prpria; Dados Brutos: PMEwww.fee.rs.gov.brQuando a economia vai bem, os salrios (incluindo os mnimos), formalidade e emprego aumentam conjuntamente.</p> <p>Logo, a variao no tempo pouco informativa a respeito do efeito causal do mnimo no tamanho do mercado de trabalho formal da economia.</p> <p>www.fee.rs.gov.brAlternativaHiptese de Identificao: Na ausncia do mnimo, a probabilidade de um indivduo ser formal independente do salrio.</p> <p>Hiptese testvel!www.fee.rs.gov.brProbabilidade terica de ser formal em relao renda na ausncia do mnimo</p> <p>www.fee.rs.gov.brProbabilidade terica de ser formal em relao renda na presena do mnimo</p> <p>O salrio mnimo gera uma descontinuidade na distribuio de empregados formais.Salrio Mnimowww.fee.rs.gov.brCalculando o EfeitoSob a hiptese de independncia, fcil calcular o efeito do mnimo sobre o tamanho do setor formal</p> <p>O efeito a rea azul ponderada pela proporo de pessoas que recebem nessa faixa salarial que vai de zero reais at o valor do mnimo;www.fee.rs.gov.brA vantagem desse mtodo que a nica hiptese de identificao exigida testvel.www.fee.rs.gov.brDistribuies Empricaswww.fee.rs.gov.br</p> <p>2002200420092006www.fee.rs.gov.br</p> <p>2011</p> <p>2013www.fee.rs.gov.brPara todos os anos observados, ao redor dos mnimos nacional e regional, h uma descontinuidade na probabilidade de ser formal;</p> <p> direita do mnimo regional, a probabilidade de ser formal praticamente constante em relao a renda.www.fee.rs.gov.brProbabilidade de ser formal (2002)</p> <p>www.fee.rs.gov.br</p> <p>www.fee.rs.gov.brConclusoO impacto do salrio mnimo na reduo do tamanho do setor formal significativo. </p> <p>Isso ruim para a sociedade por pelo menos trs motivos:</p> <p>Baixa qualidade do emprego informal;Empresas investem menos;Queda da Arrecadao;</p> <p>O governo precisa levar em conta, no s esse aspecto, mas tambm os demais efeitos do mnimo regional que ainda, mesmo depois de quatorze anos, continuam no sendo estudados.www.fee.rs.gov.brAPNDICESwww.fee.rs.gov.br</p> <p>Probabilidade de ser formal (2004)www.fee.rs.gov.br</p> <p>Probabilidade de ser formal (2006)www.fee.rs.gov.brProbabilidade de ser formal (2009)</p> <p>www.fee.rs.gov.brProbabilidade de ser formal (2011)</p> <p>www.fee.rs.gov.br</p> <p>Probabilidade de ser formal (2013)www.fee.rs.gov.br</p> <p>Fundao de Economia e Estatstica Siegfried Emanuel HeuserDiretoriaPresidente: Igor Alexandre Clemente de MoraisDiretor Tcnico: Martinho Roberto LazzariDiretora Administrativa: Nra Angela Gundlach Kraemer</p> <p>Rua Duque de Caxias, 1691Centro Histrico, Porto AlegreCEP: 90010-283(51) 3216.9000</p> <p>Guilherme SteinEconomista</p> <p>Assessoria Econmica</p> <p>Bruno Breyer CaldasGuilherme SteinMariana BartelsRodrigo de SVanessa Neumann Sulzbach</p> <p>www.fee.rs.gov.brInserir Ncleo e Centro. Aps, nome do apresentador e email. Por fim, nome da equipe (quando houver).32</p>