formacao - o magisterio da igreja

Download Formacao - O Magisterio Da Igreja

If you can't read please download the document

Post on 14-Nov-2015

221 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

igreja

TRANSCRIPT

O Magistrio da Igreja

Conclios, Conferncias e DocumentosO Magistrio da IgrejaO artigo de f sobre a Igreja depende inteiramente dos artigos relacionados a Cristo Jesus (CIC 748)

Segundo os Padres, a Igreja comparvel lua, cuja luz toda reflexo do sol (CIC 748)

O Esprito Santo a fonte e o doador de santidade, foi Ele quem dotou a Igreja de santidade (CIC 749)

Creio na Santa Igreja CatlicaPara cumprir a vontade do Pai, Cristo inaugurou o Reino dos Cus na terra. A Igreja o Reino de Cristo j misteriosamente presente (CIC 763)

A Igreja simultaneamente humana e divina, visvel e dotada de elementos invisveis, empenhada na ao e dada contemplao, presente no mundo e, todavia, peregrina, mas de forma que o que nela humano se deve ordenar e subordinar ao divino, o visvel ao invisvel, a ao contemplao, e o presente cidade futura que buscamos (SC 2)Creio na Santa Igreja CatlicaCristo confiou aos apstolos e a seus sucessores o mnus* de ensinar, de santificar e de governar em seu nome e por seu poder(CIC 873)

Ide, pois, e ensinai a todas as naes; batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Esprito Santo. Ensinai-as a observar tudo o que vos prescrevi. Eis que estou convosco todos os dias, at o fim do mundo.(Mt 28, 19.20)

*mnus: encargo, emprego, dever, obrigao, funo que um indivduo tem de exercerA Misso da IgrejaCompete Igreja anunciar sempre e por toda a parte os princpios morais, mesmo referentes ordem social, e pronunciar-se a respeito de qualquer questo humana, enquanto o exigirem os direitos fundamentais da pessoa humana ou a salvao das almas (Cn. 747 2)

Todos os homens tm o dever de procurar a verdade, naquilo que se refere a Deus e sua Igreja, e, uma vez conhecida, tm a obrigao e o direito, por lei divina, de abra-la e segui-la (Cn. 748 1)

No lcito jamais a ningum levar os homens a abraarem a f catlica por coao, contra a prpria conscincia (Cn 748 2)Sobre o Mnus de EnsinarNenhuma doutrina se considera infalivelmente definida se isso no constar claramente (Cn. 749 3)

Chama-se heresia a negao pertinaz, aps a recepo do batismo, de qualquer verdade que se deva crer com f divina e catlica, ou a dvida pertinaz a respeito dela; apostasia, o repdio total da f crist; cisma, a recusa de sujeio ao Sumo Pontfice ou de comunho com os membros da Igreja a ele sujeitos (Cn. 751)

Todos os fiis tm obrigao de observar as constituies e decretos que a legtima autoridade da Igreja d com o intuito de propor a doutrina e proscrever as opinies errneas e, de modo todo especial, quando dados pelo Romano Pontfice ou pelo Colgio dos Bispos (Cn. 754)A importncia dos DocumentosSo textos do Sumo Pontfice que tratam de assuntos doutrinrios, disciplinares ou gerais

Constituio ApostlicaSo as decises mais importantes do Sumo Pontfice relativas f, costumes, administrao da Igreja.Ex.: Munificentissimus Deus (Pio XII); Sacrae Disciplinae Leges (Joo Paulo II).

Motu ProprioAto legislativo de iniciativa prpria do Sumo Pontfice.Ex.: Summorum Pontificum (Bento XVI).Documentos PontifciosBulaTodas as cartas redigidas de forma solene. Refere-se forma externa do documento, lacrado com uma pequena bola (bulla, em latim).Ex.: Inter caetera (Alexandre VI); Inter gravissimas (Gregrio XIII); Quam singulari (Pio X).

EncclicaCarta do Sumo Pontfice com ensinamentos dirigida aos Bispos, e por intermdios destes, aos clrigos, aos fiis leigos e aos homens de boa vontade.Ex.: Rerum Novarum (Leo XIII); Fides et Ratio (Joo Paulo II); Deus Caritas est, Spe Salvi, Caritas in Veritate (Bento XVI).Documentos PontifciosExortao ApostlicaSemelhante a uma encclica, porm apresenta a concluso sobre uma reflexo coletiva.Ex.: Pastore dabo vobis (Joo Paulo II); Sacramentum Caritatis (Bento XVI).

Carta ApostlicaCarta pblica dirigida a um responsvel tendo em vista um ensinamento ou orientao sobre um ponto especfico.Ex.: Novo Millenio Ineunte, Mulieris Dignitatem, Ordinatio Sacerdotalis, Rosarium Virginis Mariae (Joo Paulo II).Documentos Pontifcios

Conclios A palavra conclio vem do latim concilium: cum (conjunto) + calare (chamar). Portanto, uma assemblia reunida por convocao com o objetivo de discutir e resolver sobre questespastorais, dedoutrina,fe costumes (moral)

Podem ser ecumnicos (bispos do mundo todo) ou particulares

Um Conclio Ecumnico tem a mais alta autoridade na Igreja

No livro dos Atos dos Apstolos j encontramos reunies deste tipo: At 1, 15-26; 6, 1-6; 15Conclio de Nicia (325)Pai e Filho so da mesma substncia

Conclio de feso (431)H uma nica pessoa divina em Cristo, logo Maria Me de Deus

Conclio de Trento (1545-47, 1551-52, 1562-63)Tratou sobre a Sagrada Escritura e Tradio, a autoridade da Igreja, o pecado original e os sacramentos

Conclio Vaticano I (1869-70)Primazia e Infabilidade do Papa, alm da relao entre f e razo.Principais ConcliosNo foi convocado para combater erros nem para tratar problemas disciplinares

Principais pontos: renovao e reforma na liturgia, o papel do leigo, ecumenismo, o papel da Igreja, liberdade religiosa e ao salvfica de Deus fora da IgrejaConclio Vaticano II (1962-65)

Assemblia peridica dos bispos de uma nao ou de uma regio com o objetivo de tratar questes pastorais que afetam esta nao ou regio

No caso da Amrica Latina, existe a CELAM. J aconteceram cinco conferncias, destacando-se a de Medelln (1968) e de Puebla (1979). A ltima foi em Aparecida (2007)Conferncias Episcopais